Dificuldade técnica   Difícil

Horas  18 horas 38 minutos

Coordenadas 1732

Uploaded 7 de Abril de 2015

Recorded Abril 2015

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1.878 m
962 m
0
2,1
4,1
8,22 km

Visualizado 3070 vezes, baixado 276 vezes

próximo a Sítio Cerro Verde, Paraná (Brazil)

(Mais um) tracklog ao Pico Paraná. Trilha realizada em dupla no feriado de páscoa de 2015.

Lembro de ter visto o acrônimo highway em algum lugar e achei muito adequado para caracterizar esta que é a trilha mais utilizada de acesso ao PP, devido a grande degradação que sofre pelo falta de gestão adequada do Parque Estadual ao qual o Pico pertence, e também porque "alta"-estrada faz sentido em vários trechos da trilha, haha...

O PP é reconhecido por ser o ponto mais alto do sul do Brasil, com 1877m. Essa fama acabou ocasionando em um efeito "Everest", que popularizou tremendamente o local e encheu o mesmo de gente despreparada e sem noção. Também o tornou palco de várias outras polêmicas, envolvendo cobranças de acesso, gestão do Parque Estadual, colocação e retirada de grampos, etc.

Para quem deseja realizar a subida, além das recomendações usuais (algumas citadas no anexo final), considero essencial a visita e leitura criteriosa dos seguintes links:
http://fazendapicoparana.altamontanha.com/parana.asp
http://amontanha.com.br/tudo-sobre-o-pico-parana/
Relatos do http://www.mochileiros.com/
Vale a pena realizar outras pesquisas, há muito material (inclusive científico) interessante sobre a montanha mais pop do sul do Brasil. As partes históricas merecem destaque.

Para quem subiu pela primeira vez entre 1996 e 2009, alerto que vários dos grampos foram retirados para dificultar o acesso à montanha.

Considerando: Trilhas degradadas, apresentando forte erosão e raízes expostas em alguns pontos; clima instável e com grande chance de temperaturas muito frias; exposição a grandes elevações; trechos de escalada na rocha com auxílio de grampos e/ou correntes; trilha bem marcada, porém com várias bifurcações; sinalização existe, porém é insuficiente em alguns trechos e não segue padrões; considero esta trilha como DIFÍCIL (com clima favorável).
*Esta classificação prioriza a dificuldade técnica.

Ou seja, PP NÃO É PASSEIO. Na dúvida, realize outras montanhas próximas na região de mais fácil acesso antes de realizar o PP, (neste mesmo local há como opções morros como Getúlio, Itapiroca, Caratuva, etc..), sempre acompanhado de pessoas experientes e seguindo todas as recomendações de responsabilidade em ambientes naturais, além das regras inerentes ao Parque Estadual.


CONHEÇA PARA PRESERVAR
Os ambientes naturais são patrimônio de todos, e quaisquer atividades realizadas neles apresentam uma série de riscos. Aproveite-os com responsabilidade:
0- Procure sempre ir acompanhado de alguém que conheça a trilha e região, e deixe pessoas avisadas em casa sobre seu destino e horário previsto de retorno.
1- Traga de volta todo o lixo produzido (inclusive biodegradável) e destiná-lo corretamente;
2- Evite provocar incêndios – não faça fogueiras; não jogue fora pontas de cigarros e
cacos de vidro;
3- Não colete plantas (mudas, sementes ou flores secas), animais, rochas ou cristais;
4- Não moleste animais silvestres; não ofereca ou deixar restos de alimentos e não pesque;
5- Evite fazer barulhos desnecessários; não use aparelhos de som;
6- Ande sempre nas trilhas habituais, evitando a erosão em trilhas alternativas;
7- Não deixe marcas em troncos e pedras;
8- Evite desmoronamentos ao entrar e sair de rios, não jogue nada neles;
9- Não entre acompanhado de animais de estimação
10- Não leve bebidas alcoólicas, explosivos, fogos ou armas de fogo ou de
pressão;
11- Não faça uso de sabonetes e shampoos ao entrar nas águas;
12- Tome cuidado com animais peçonhentos, como cobras, aranhas e escorpiões;
13- Em caso de raios evite árvores isoladas e locais encharcados;
14- Muita atenção ao horário de retorno (variável de acordo com a estação), leve SEMPRE lanterna e baterias sobressalentes.
15- Lembre-se: em ambientes naturais há riscos de diversos acidentes e a fadiga pode favorecê-los. Boa parte dos acidentes ocorrem no retorno (70%), leve sempre consigo um kit de primeiros socorros, apito, e celular desligado (preserva a bateria);
16- Ao atravessar ou banhar-se em rios e cachoeiras tenha consciência que os mesmos podem subir repentinamente. Isso pode gerar situações perigosas, ilhando ou até arrastando as pessoas. Mesmo não chovendo no local, chuvas a acima podem provocar cheias, conhecidas por trombas d’água;
17- Atenção com a viração, nevoeiro repentino que ocorre principalmente em ambientes montanhosos, e que reduz fortemente a visibilidade.
(adaptado de "Termo de Responsabilidade - PARNA Aparados da Serra")

12 comentários

  • Foto de Marcieli Dácio

    Marcieli Dácio 28/Jul/2015

    A trilha do Pico Paraná é extremamente exigente e exige preparo físico. O começo da trilha é bem tranquilo, e conforme se vai subindo a trilha vai ficando mais difícil. Chegando quase ao fim, possui um trecho de "escalaminhada", que são alguns ferros presos à rocha que auxiliam a subida. A vista lá de cima é fenomenal e vale muito a pena o esforço.

  • Foto de Anne Caroline Negrão

    Anne Caroline Negrão 30/Ago/2015

    I have followed this trail  View more

    Esse trekking foi um dos mais difíceis que fiz, não só pelo desgaste físico, mas pelos trechos com grampos e passagem por pedras cercadas por abismos que dão bastante medo, mas a adrenalina é compensadora! Sensacional acampar no pico, admirar as estrelas, ver o sol nascer lá de cima e se sentir por cima das nuvens! Super indico é uma experiência única!

  • Foto de Alexandre Arins

    Alexandre Arins 10/Set/2015

    Obrigado pela avaliação Anne, o PP realmente tem alguns trechos bem expostos e que exigem certo respeito. Até 2009 a maioria dos lances tinha mais grampos, que foram retirados supostamente para dificultar o acesso à montanha e diminuir a visitação descontrolada, o que na prática não aconteceu e deixou as passagens bem mais perigosas.
    No mais, PP sempre sensacional!

  • Foto de Marcieli Dácio

    Marcieli Dácio 24/Dez/2015

    I have followed this trail  View more

    A trilha do Pico Paraná é extremamente exigente e exige preparo físico. O começo da trilha é bem tranquilo, e conforme se vai subindo a trilha vai ficando mais difícil. Chegando quase ao fim, possui um trecho de "escalaminhada", que são alguns ferros presos à rocha que auxiliam a subida. A vista lá de cima é fenomenal e vale muito a pena o esforço.

  • Leandroscholz 2/Fev/2016

    I have followed this trail  View more

    Descrição muito boa do Alexandre. Fiquei um pouco triste de ver a degradação da trilha e também perceber a total falta de noção de alguns frequentadores que não levam o próprio lixo de higienização pós defecação.

    Como já dito, o PP não é passeio e se você nem mesmo consegue levar uns gramas a mais dos seus restos você deve rever seus conceitos de "não deixe traços na natureza".

  • Foto de Felipe Montanhista

    Felipe Montanhista 16/Mar/2016

    I have followed this trail  View more

    Excelente mapeamento e descrição melhor que isso só com o waypoint e foto da bifurcação PP-Camelos.
    Nobre descrição dando credito a quem merece com links etc.
    Infelizmente também como relatado "gente despreparada e sem noção" nessa e em muitas outras trilhas pelo Brasil. Na trilha que fiz Caratuva circular ( http://www.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=11149011 ) limpei o mirante do Getulio dos restos deixados por pessoas assim ao subir a trilha. Ao retornar no dia seguinte encontre a local repleto de lixo não biodegradável e orgânico como se eu não tivesse recolhido nada no dia anterior. Arbustos transformados e varais de secagem de casca de banana - ao artista informo; que faça ecoturismo no lixão da suas cidade.
    Realmente "PP não é passeio" como diz o autor quem duvidar que observe e descrição das fotos dos degraus.
    Obrigado Alexandre "Se vi mais longe foi por estar de pé sobre ombros de gigantes." Isaac Newton.

  • Foto de Felipe Montanhista

    Felipe Montanhista 16/Mar/2016

    Alexandre eu havia lido o que você escreveu acima "Também o tornou palco de várias outras polêmicas, envolvendo cobranças de acesso, gestão do Parque Estadual, colocação e retirada de grampos, etc." mas sabe como é né a gente nunca percebe bem os efeitos do homem na natureza. Então vejam a foto do paredão com os grampos nesse artigo http://altamontanha.com/Noticia/1051/escadarias-do-pico-parana-sao-retiradas-da-montanha e agora comparem com a foto que eu tirei no dia 10 de fevereiro de 2016 quando estive lá pela primeira vez http://www.wikiloc.com/wikiloc/imgServer.do?id=7695112 . Repare a diferença do que a remoção dos grampos e a erosão fizeram com a face do paredão. Assim que eu tiver mais tempo acrescentarei mais algumas fotos que tirei de outras partes do paredão, que também aparecem no artigo acima.

  • Foto de Alexandre Arins

    Alexandre Arins 17/Mar/2016

    Olá Felipe, vendo as fotos é até difícil acreditar que trata-se do mesmo lugar, mas nos poucos anos que realizo atividades nas montanhas do PR, já pude presenciar mudanças causadas pelo impacto da visitação intensiva em várias ocasiões. Algumas trilhas chegaram a mudar seus rumos originais, se alargaram, viraram lamaçais, etc. Os grampos são colocados justamente para evitar esse tipo de impacto e não necessariamente para facilitar o acesso a montanha. É realmente uma pena terem vandalizado os grampos ali instalados, ações que continuam acontecendo em outros modalidades do montanhismo como denunciado neste recente artigo ( http://altamontanha.com/Colunas/5067/setor-escola-do-anhangava-rompendo-o-silencio ) de Pedro Hauck em vias de escalada no Anhangava.

  • Foto de Felipe Montanhista

    Felipe Montanhista 19/Mar/2016

    Alexandre concordo plenamente com você. Um excelente exemplo, da razão citada por você, para a presença de grampos com objetivo de evitar o impacto ambiental e não necessariamente facilitar o acesso, fica na trilha que leva ao cume do Itapiroca. Nessa trilha se encontra apenas um grampo em uma rocha pequena, um obstáculo que não é difícil ultrapassar. Ao se deparar com aquilo pode-se pensar que é alguma piada, mas como você disse a intenção não é facilitar o acesso e sim evitar o impacto. Veja o marco e as fotos desse grampo em http://www.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=11825733
    Obrigado pelo artigo, realmente uma pena. Recentemente tive um papo muito legal com Pedro Hauck justamente sobe facilitar acesso ou não.

  • Foto de edver carraro

    edver carraro 2/Abr/2016

    I have followed this trail  View more

    Trilha exigente fisicamente, porém de beleza única! Recomendo bons equipamentos e cuidado redobrado nos trechos mais técnicos (via ferrata). Nas três vezes que fui, não tive sorte de trilhar com uma boa janela de tempo, mas fui recompensado pelas poucas e belas vistas das montanhas do complexo do Ibitiraquire. Tracklog bem completo e dicas muito boas.

  • Rafael Hernando 30/Jan/2017

    I have followed this trail  View more

    Muito bem explicada!! Valeu

  • Foto de Jair Junior (JJ)

    Jair Junior (JJ) 27/Out/2017

    Olá Alexandre, tudo joia? Como é questão do tempo no mês de dezembro para subir o PP? Muitas chuvas e tempestades? Estou indo de férias para a região sul e procurando opções de montanhismo para não perder a oportunidade. Abraços

You can or this trail