Dificuldade técnica   Moderado

Coordenadas 1200

Uploaded 14 de Julho de 2013

Recorded Julho 2013

-
-
67 m
17 m
0
4,5
9,1
18,1 km

Visualizado 3380 vezes, baixado 76 vezes

próximo a Costeira, Viana do Castelo (Portugal)

Quem pretender fazer este percurso, precisa também de uma boa tesoura de podar. Com efeito, os trilhos junto à margem direita estão muito tapados.
A azenha da Calça é um engenho de tirar água e está na margem esquerda, mas observa-se muito bem da margem por onde corre este percurso.
Muitas das azenhas estão em ruínas.
A azenha da Ribeirinha consegue-se ver, pedindo autorização. Na margem oposta está o engenho de serrar do Floriano.
O complexo do Minante, na margem esquerda tem uma azenha maior, outra mais pequena, um engenho de linho e um engenho de serrar.
A Azenha nova do Minante, na margem oposta,foi engenho de serrar, azenha e mais tarde engenho de tirar água ( em ruínas).

6 comentários

  • pgomesmonteiro 29/Dez/2013

    tesoura de podar é pouco, convém mesmo levar uma catana!
    As travessias assinaladas junto à ponte das Pedrinhas e junto à azenha das Poldras são impraticáveis, pelo menos no inverno, tornando assim impossível completar o trilho pelo percurso proposto

  • Foto de TRUKA

    TRUKA 31/Dez/2013

    Muito obrigado por ter levantado a questão.
    1. Nos períodos de inverno e primavera quando há forte pluviosidade, as poldras tem o seu limite. Nem sempre será assim, mas há períodos em que a alternativa é efetuar a travessia pela ponte mais antiga ( ou pela mais moderna) a jusante, aspeto que se resolve com facilidade utilizando o GPS ou em conjunto com a carta militar 54.
    2. O caminho da ponte Pedrinha tem sido muito destruído pelos tratores agrícolas, transformando-o num lamaçal. Mesmo nos períodos secos há sempre água. Com as últimas enxurradas calculo que, utilizou uma das duas O alternativas possíveis para chegar à azenha do Palhurdo.
    3. Pois, a zona do corta mato é complicada quando chove Como não é um percurso sinalizado ninguém limpa.Há uma alternativa, que obriga a andar um pouco no alcatrão, mas uma das azenhas que se encontram naquele troço.

    Com os desejos de um bom ano para 2014.

  • Foto de TRUKA

    TRUKA 31/Dez/2013

    Relativamente ao ponto 3, o que se pretendia dizer é que pelo menos uma das azenhas deixa de ser visitada.

  • Foto de Una ruta cada día

    Una ruta cada día 17/Mai/2015

    Sabem em que estado está agora mesmo este trilho? em quantas horas se pode fazer?

  • Foto de TRUKA

    TRUKA 18/Mai/2015

    Como não é percurso sinalizado, terá troços com muita vegetação, em especial depois da Azenha das Poldras, para quem quiser visitar algumas delas, que se encontram, em avançado estado de ruína. Quando fiz este percurso, para as visitar na totalidade, foi preciso cortar alguma vegetação, depois da primeira ponte. Entretanto já passou algum tempo. Será difícil fazer o percurso na totalidade, em especial o troço depois da azenha que referi. Havia uma alternativa que Por vezes utilizava, que era seguir pela estrada alcatroada, depois da ponte, evitando as zonas mais obstruídas pela vegetação.

  • Foto de Una ruta cada día

    Una ruta cada día 18/Mai/2015

    Muito obrigada!

You can or this trail