Dificuldade técnica   Moderado

Horas  6 horas 33 minutos

Coordenadas 1884

Uploaded 18 de Dezembro de 2016

Recorded Dezembro 2016

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1.224 m
644 m
0
3,6
7,2
14,48 km

Visualizado 2140 vezes, baixado 166 vezes

próximo a Vilarinho das Furnas, Braga (Portugal)

FOTOS DESTA E DE OUTRAS TRILHAS EM ”CAMINHANTES"

O trilho do Pé de Cabril realizado tem início/fim na Portela de Leonte, junto à antiga casa do Guarda Florestal. Desenvolve-se em plena Serra do Gerês, sendo o resultado da junção de velhos trilhos que resultou num conjunto muito bonito e diversificado, com condições para ser feito, exclusivamente, a pé. É um percurso com um grau de dificuldade médio a elevado, sendo recomendado para pessoas com alguma preparação física e experiência. Não é garantida a oportunidade de abastecimento de água ao longo do percurso (não tem bicas de água durante todo o ano).
Saindo da Casa do Guarda Florestal de Leonte seguimos o percurso do Pé de Cabril em direção à Junceda. O percurso inicia-se por um trilho antigo situado na parte de trás da casa de Leonte. Subida fácil tem como pontos de interesse a visualização do traçado de mais de 26 Km da falha Gerês/Lóbios por onde passa o Rio Homem, um resto de pinheiros selvagens de espécie só existente no PNPG e um pouco mais acima a panorâmica para a Serra Amarela e as antenas da Louriça. Chegados ao Pé do Cabril fizemos tentativa de ascensão ao cume (1236m), mas devido ao vento forte ficamos pelos 1200m. Este cume é um dos mais visíveis e um dos mais facilmente reconhecíveis para quem observe ao longe a serra do Gerês. Este pico atinge uma altitude máxima de 1236 metros e possui uma proeminência de 373 metros o que faz desta montanha a 12ª mais alta da serra do Gerês (50ª mais alta de Portugal continental) e a 3ª mais proeminente desta serra (27ª mais proeminente de Portugal continental). Desde o topo desta montanha pode ver-se a parte ocidental da serra do Gerês incluindo picos como o Pé de Medela, o Borrageiro, o Tonel, o Piorneiro, o Alto de Modorno, e a Chã da Presa. Também visível e muito próxima está a serra Amarela que se avista do outro lado da albufeira de Vilarinho das Furnas e onde podemos facilmente identificar a Cruz de Touro e a Louriça. A sul pode observar-se a parte oeste da serra da Cabreira. Ao longe são visíveis as serras da Cabreira, de Fafe Basto e da Peneda.
Depois de algumas fotos do cume, descemos e continuamos o percurso, entramos em terras aforadas de Campo do Gerês e no caminho encontramos um antigo abrigo, o Abrigo do Prado Amarelo. Este tipo de abrigo é uma estrutura comum nos prados de altitude e serve para abrigar os vezeiros durante o tempo que permanecem, ou permaneciam, com os gados na serra. Aproveitamos o local para o reforço da manhã. Já com o estomago mais aconchegado seguimos em direção ao Penedo Furado e Prado do Gamil, local com uma bica de água que permite o abastecimento, caso seja necessário. O trilho prossegue agora até às Silhas do Corro do Velho. As três Silhas do Corro do Velho albergavam os cortiços de onde os habitantes destas terras obtinham o mel. As Silhas são, portanto, estruturas que protegem os cortiços. Começaram a ser construídas na Idade Média como forma de proteger o mel dos animais, especialmente dos ursos. São uma espécie de recintos de pedra, no caso das Silhas do Corro Velho, de granito, que podem ter vários metros de altura e apresentar elaborados remates na face exterior.
Pouco depois estávamos na margem direita do Ribeiro da Roda o qual seguimos e cruzamos por duas vezes. Pouco depois viramos de forma acentuada à direita e iniciamos o regresso à Portela de Leonte seguindo um velho trilho em direção à Fraga do Suadouro, Redondelo e Covelo, percurso com magnificas panorâmicas sobre Campo do Gerês e Albufeira de Vilarinho das Furnas.

Pontos de interesse:
- Casa de Leonte
- Falha geológica Gerês/Lobios
- Portelo do cão
- Portela – Serra Amarela e Serra do Gerês
- Pé de Cabril (formas graníticas)
- Abrigo do Prado Amarelo
- Prado Amarelo
- Filão aplítico em bloco granítico
- Muro do Penedo Furado
- Silhas do Corro do Velho
- Vale encaixado do Ribeiro da Roda
- Depósito Fluvial – aluvião

OBS.
- O trilho é belíssimo com paisagens deslumbrantes do Gerês e albufeira de Vilarinho das Furnas.
- É um trilho difícil, apesar de o classificar-mos como moderado, principalmente para os menos habituados, devido aos fortes declives. Quem não estiver preparado fisicamente pode ser uma experiência dolorosa.
- Recomendam-se cerca de 7 horas para percorrer todo o caminho e tomar contacto com os vários pontos de interesse de valor natural, culturais, geológicos e paisagísticos do local.
- O trilho está localizado em Área de Proteção Parcial de Tipo I, segundo as regras do PNPG, não é permitido a grupos superiores a 10 pessoas a realização deste percurso sem autorização prévia.

5 comentários

  • PicosAlpinos 18/Dez/2016

    Mais uma descrição e foto reportagem que nos deixa com vontade de pegar na mochila e ir... já está nos meus favoritos! Obrigado pela partilha

  • Foto de LosK2delasKumbres

    LosK2delasKumbres 22/Dez/2016

    Hola Caminhantes,

    Feliz Natal, Boas festas na companhia de seus entes queridos e muitos montanha 2017

  • Foto de Caminhantes

    Caminhantes 27/Dez/2016

    Gracias LosK2delasKumbres!
    Boas festas e um Novo Ano cheio de bons momentos na montanha!

  • Foto de jvilarinho77

    jvilarinho77 28/Dez/2016

    28-12-2016
    (solo trek)
    Trilho deslumbrante e variado, a repetir em breve!
    Considero um trilho de dificuldade "difícil", acima de tudo para desencorajar candidatos em forma física aquém do exigido pelo percurso (muitas subidas e descidas).
    Muita atenção na subida ao cume, não é difícil mas requer concentração.
    As 7 horas são uma boa estimativa para quem se quiser aventurar, no meu caso fiz em pouco mais de 5:30 mas pressionado pela preocupação de não chegar depois do por do sol e com refeições muito leves sem parar a caminhada.
    Ao autor Caminhantes o meu muito obrigado pelo magnífico dia que me foi permitido pela vossa partilha do percurso.

    Has followed this trail View more

  • Foto de medusaw

    medusaw 4/Jun/2017

    Onte fixen o thrillo e pareceume difícil, estou acostumada as montañas galegas e alí hai menos pedras! Máis é de recoñecer que é unha ruta asombrosa, ainda que non poidese subir polas escaleiras ao pe do Cabril por ser demasiado alto e vertixinoso.. o camiño ten moitísimas mariolas polo que faise máis doado de seguir, impresionates vistas hacia a serra amarela, o río Homem, quédome co bo recordo das grandiosas penedas con formas esculpidas polo vento, as profundas gargantas, e os transparentes e fresquiños riachuelos, o curral de Prado..as pernas xa están pra outra! Obrigada sempre por compartir con todos nós!

    Saudos!

You can or this trail