• Foto de Via Portugal Nascente - São Miguel de Machede - Évoramonte
  • Foto de Via Portugal Nascente - São Miguel de Machede - Évoramonte
  • Foto de Via Portugal Nascente - São Miguel de Machede - Évoramonte
  • Foto de Via Portugal Nascente - São Miguel de Machede - Évoramonte
  • Foto de Via Portugal Nascente - São Miguel de Machede - Évoramonte
  • Foto de Via Portugal Nascente - São Miguel de Machede - Évoramonte

Horas  20 horas 42 minutos

Coordenadas 794

Uploaded 28 de Agosto de 2018

Recorded Agosto 2018

-
-
360 m
215 m
0
6,4
13
25,61 km

Visualizado 21 vezes, baixado 2 vezes

próximo a São Miguel de Machede, Évora (Portugal)

Etapas propostas para pedonais pelo site:
http://caminhosdesantiago.pt/#paths_1

No meu caso, e como fiz em bicicleta de montanha, aqui fica a informação geral do track completo, e respectivo link:
Todo o traçado, desde Évora até Trancoso em :
https://pt.wikiloc.com/trilhas-mountain-bike/via-portugal-nascente-caminho-de-santiago-evora-trancoso-28063482

Passagem em localidades e pontos de interesse:
Évora, Nossa Sra de Machede, São Miguel de Machede, Azaruja e Évora Monte, Estremoz, Santo Amaro, Fronteira, Cabeço de Vide, Alter Pedroso e Altar do Chão, Crato, Flor da Rosa, Vale do Peso, Alpalhão, Nisa, Pé da Serra e Vila Velha do Rodão, Atalaia, Sarnadas do Rodão, Amarelos e Castelo Branco, Parque de Campismo de Castelo Branco, Alcains, Lardosa, Entrada no Concelho do Fundão, Soalheira, Castelo Novo, Fundão, Ferro, Peraboa, Caria, Carvalhal, Belmonte Gare e Belmonte, Cemtum Cellas, Valhelhas, Famalicão da Serra, Fernão Joanes, Meias, Trinta, Corujeira, Maçainhas e Guarda, Calçada Romana de Tintinolho, Ramalhosa, Praia Fluvial do Mondego, Aldeia Viçosa, Rapa, Vale de Azares, Aldeia da Serra, Celorico da Beira, Arqueologia de S. Gens, Forno Telheiro, Fiães e Trancoso.

Para ligação ao Caminho Torres.

Notas:
A cerca de dois quilómetros de Évora monte perdi uma seta, talvez falha minha ou falta de informação, e vim dar à estrada N18, segui algumas dezenas de metros até que entrei no primeiro cruzamento para a direita, e voltei a encontrar a marcação.
Uma boa parte do trajecto entre Fronteira e Cabeço de Vide é efectuada pela estrada.
Depois de Cabeço de Vide e das Termas, o trajecto até Alter Pedroso tem alguma lacunas de marcação/conservação, que ao que sei, brevemente serão melhoradas.
Mesmo à chegada a Alter do Chão, e por já ser de noite não segui a ultima marcação por dentro de uma propriedade. Pelo que me é dado a perceber pelo mapa, é uma coisa insignificante.
Um pouco antes de Vale do Peso e principalmente depois, e até Alpalhão, os bttistas podem sofrer um pouco, se os caminhos estiverem arados, tal como eu os apanhei. Provavelmente será uma situação provisória.
À saída de castelo branco , e apesar de questionar várias entidades não consegui encontrar informação sinalética.
Como a base deste Caminho é a EN 18, foi por ela que segui em busca de informação . Passei pelo parque de campismo , por Alcains, e Lourosa, onde encontrei uma guarda da GNR, que me informou que o caminho não estaria bem marcado , e que só à entrada do concelho de Fundão estaria sinalizado . E realmente foi assim. Na mesma estrada , na mudança de concelho apareceram as setas e vieiras . Virando depois para louriçal do Campo e depois para Soalheira.
Daí e apesar da marcação na serra da Gardunha ser débil, consegui chegar a Fundão .
À saída do Fundão , e apesar de ter estado nos bombeiros , tb não consegui apanhar a sinalética, segui pela EN 18 até ao cruzamento para Ferro. Daí pela marcação da GRZ ( grande rota do Zêzere ) até a aldeia.
Apesar de paralela esta marcação também é muito boa.
Depois de Caria, o Caminho segue para o Rio Zêzere, que estava impossível de atravessar. Há no entanto, alternativa marcada, tomando a direcção de Carvalhal.

Como alguns saberão, e por certo outros virão a saber: - O Caminho autêntico é aquele que cada um de nós vai fazendo por dentro.
Essa máxima também se aplica na vertente física, isto é: - Nem sempre é exequível, por um motivo ou por outro, estar precisamente no local onde “supostamente” se peregrinou durante centenas de anos, desde o século IX, em direcção a Compostela. Apesar da sinalização, maioritariamente na forma de setas amarelas, que nos indicam o Caminho, por vezes somos levados a circular fora dessas marcas. Por uma infinidade de motivos relacionados até com a falta, ou degradação das mesmas, ou pouca atenção, suficiente para as descobrir. Mas também por querer visitar algum local diferente ou por ter que recorrer a serviços fora do delineado originalmente.
Quando fazemos os Caminhos de bicicleta, tais “desvios” podem acontecer também, por factores mecânicos. Furos por exemplo.
Quero com isto deixar claro, que apesar da tentativa ser andar 100% dentro do marcado, por vezes não foi possível. Digamos que estas marcações correspondem a mais de 95% dessa “linha” das setas amarelas. Claro que mais metro menos metro, acabam sempre por lá ir dar….

Vídeo do Youtube de Peregrinos pedonais. Esclarecedor desta Rota:

https://www.youtube.com/watch?v=kF2TJK6Ds5U&feature=youtu.be

Obrigado Pedro Pimenta
- BOM CAMINHO!

Comentários

    You can or this trail