Horas  5 horas 47 minutos

Coordenadas 1195

Uploaded 6 de Fevereiro de 2020

Recorded Fevereiro 2020

-
-
1.108 m
907 m
0
3,0
6,1
12,15 km

Visualizado 72 vezes, baixado 8 vezes

próximo a Branda da Aveleira, Viana do Castelo (Portugal)

Para descomprimir, depois de tantos dias de chuva, resolvemos fazer uma visita a algumas das brandas pouco conhecidas, encaixadas no vale da ribeira de Porta Cova e também do rio Vez. Retirando a da Aveleira e a do Furado, bastante conhecidas, as outras ficam esquecidas no coração da serra. Brandas mistas, de cultivo e gado, algumas com cortelhos e casebres para pernoita, onde se cultivava o centeio e as batatas. Nalgumas delas, ainda resistem as medas de palha de centeio, que foram ficando esquecidas. Na branda de Porta Cuco, conheci uma família, que se deslocava de Lisboa, para a ceifa do centeio. As restantes brandas, Pardelhas e Balboa ( ou Balvoa ? ) são mais pequenas, por assim dizer pequenos oásis, na imensidão e solidão da serra.
Descendo pela branda da Aveleira há que atravessar duas linhas de água - Rio da Aveleira e Rio Vez ( segundo a carta militar). Depressa se apanha um trilho marcado, que tinha a designação de Trilho do Glaciar do Alto Vez. Ora a zona glaciar, termina, muito antes, onde está a moreia terminal, pelo que nunca percebi a designação, atribuída ao trilho. Está sinalizado e vai na direção da branda de Crastibô. Já cá não passava há cerca de dez anos, pelo que esperava, uma melhor sinalização do que na época em que lá passei pela primeira vez. A sinalização está aceitável, pelo menos até onde o percorri.
Depois de Valbom, progredimos para a costa do Salgueiro, deambulando por ali, a visitar as brandas, iniciando a subida pelo Outeiro Gordo, por um trilho bem conhecido, que nos levou de novo ao ponto de partida, depois de passarmos os Lameirões e as pontes do rio Vez e Rio da Aveleira. Fizemos uma ligeira pausa no café da branda da Aveleira, que também serve refeições. Quem vier para estes lados, pode tratar do aconchego do estômago, neste local.

Pontos com interesse:
Brandas mistas - ( cultivo e gado ) : Aveleira, Furado, Balboa, Porta Cuco e Pardelhas
Cultiva-se o Centeio e a batata. O gado pasta nos pequenos lameiros após as ementeiras dos campos da ribeira ( zonas mais baixas).
Vale glaciar do Alto Vez - O rio Vez, desde as Lamas de Vez, até à junção com o Rio de St. António, corre numa zonade xisto, onde se sebropões especialmenta na encosta da branda da Aveleira, as moreias em granito, bem como calhaus rolados, alguns com sulcos provocados pelo gelo. Um corte efetuado no terreno, por alturas do programa Geologia de Verão, mostra bem como é constituído o terreno, apesar da vegetação o ter invadido.


Cartografia - Folha 9 do IGE ( Gavieira ) - escala 1/25.000
Distância real - 13,2 km.
Ponte

ponte Rio da Aveleira

ponte Rio da Aveleira
Ponte

ponte Rio Vez

ponte Rio Vez
Waypoint

branda do Furado

branda do Furado
panorama

ponto alto

ponto alto
foto

branda

branda
panorama

ponto alto

ponto alto
foto

branda

branda
foto

branda

branda

Comentários

    You can or this trail