Horas  3 horas 42 minutos

Coordenadas 1163

Uploaded 26 de Maio de 2016

Recorded Maio 2016

-
-
261 m
-20 m
0
3,9
7,8
15,64 km

Visualizado 1117 vezes, baixado 28 vezes

próximo a Pedorido, Aveiro (Portugal)

Trilho-Pedorido-Minas Pejão-Gaído Trilho
inicia na Freguesia de Pedorido junto ao afluente do rio Arda na margem esquerda do rio Douro, um local agradável para descansar depois deste trilho na praia fluvial de Choupal das Concas “Espaço amplo e agradável, propício a convívios em família. Vindo de Arouca, o rio Arda termina aqui o seu percurso, desaguando no Douro. Abrigado pelas copas dos choupos que deram o nome ao local, um pequeno areal na margem do Douro convida a banhos de sol. Local propício para a prática de desportos náuticos e pesca desportiva.” (Fonte web cm-castelo-paiva.pt). Pés a caminho, caminho junto á margem do rio Douro em direcção às minas de Pejão, aqui a locomoção é bastante agradável em asfalto e de acesso restrito a automóveis, dá para desfruir a paisagem do rio e as serras na outra margem e os barcos recreios que sobem e descem o rio nos seus passeios turísticos, percorrido uns 1,5Km chegamos ao Monumento ao Mineiro “A história do Couto Mineiro do Pejão começa em 1859. As concessões mais antigas datam de 1884, data a partir da qual se iniciaram os trabalhos de prospecção, pesquisa e consequente exploração subterrânea. Entre 1908/1917, as minas foram exploradas pela Companhia Portuguesa de Carvão e pela Anglo-Portuguesa Colliers, Lda. No entanto, em 1917 foi fundada a Empresa Carbonífera do Douro, Lda, a qual passou a explorar aquela concessão. “Fonte CM C.Paiva” e no outro lado o Poço de Germunde II (PG II) onde o trabalho era feito a 400 metros de profundidade, com temperaturas que atingiam os 36ª e 98% de humidade. As Minas do Pejão foram exploradas entre os anos 1886 e 1994. Tiradas umas fotos do local continuo pela estrada N222 e passo por cima da ponte da Variante N222, já na povoação de Póvoa, viro à esquerda e o alcatrão acaba e caminho em terra batida, como eu gosto, uns metros à frente um antigo complexo administrativo das antigas extrações minérias, aqui no alto ficamos por cima do Poço de Germunde II, um local panorâmico sobre o Douro vemos as cidades de Gaia e Porto. Arranco dali e sigo em direcção “Este” uma subida pouco acentuada até aos 180 metros, daqui vemos a freguesia de Pedorido o Douro, e na outra margem frente as “minhas serras” de “Oeste” para “Este” Serra de Santa Justa; Serra de Pias; Serra de Castiçal; Serra das Flores; Serra Santa Iria que sobreponha as Banjas e a maior delas Serra da Boneca que no seu sopé da serra as povoações de Rio Mau e Sebolido. Tiradas as fotos panorâmicas sigo em direcção “Sul”, até chegar à Pista de aeromodelismo do Clube Aeromodelismo do Norte, daqui até à aldeia de Gaído é percorrida pela estrada M1121 uns 2,5km, neste percorrer avistamos o Monte de S. Domingos com sua elevação de quase de 500 metros oriento-me por este ponto de referência, chego à aldeia de Gaído e aqui descanso um pouco e refresco-me e encho o cantil na fonte de água fresca, travesso a aldeia sem ver ninguém, mas há moradores, nas ruas estreitas ouço uma cerimónia religiosa da televisão ou rádio, o caminho de paralelos depressa acaba e começa caminho florestal pela meio do Eucaliptal, paro e preparo para o que vou caminhar uma subida com uma inclinação bastante razoável, no meu GPS marca uns 35 graus e toca a subir dos 137 metros até aos 259 metros, com uma cadência mais lenta chego ao topo desta serra, a paisagem verdejante e de pano de fundo a Serra da Boneca e ao meu lado “Este” o Monte de S. Domingos como a subida a descida também foi bastante acentuada mas desta vez dos 259 metros para os 17 metros, sim são mesmo (17 metros) já para junto do rio Arda, aqui a zona é bastante agradável e sombria devido às árvores e acácias que me refresca, caminho calmamente junto à sua margem esquerda e vou bebendo. Vou tirando umas fotos aos patos selvagem que ali se escondem sobre a florestação pantanosa do leito, “Noroeste” o rio Arda vai alargando quanto mais chego ao seu afluente, caminhados uns 2,5km chego às pontes de Pedorido e ao ponto onde iniciei o trilho. Um trilho bonito de se realizar na primavera como foi o meu caso.
Realizada em quinta-feira 26 de Maio 2016

Informação do Trilho: Não Sinalizado
Dificuldade: Moderado
Equipamento GPS: Garmin eTrex20
Companheiros: Álvaro Rêgo Pinto

Comentários

    You can or this trail