Horas  4 horas 11 minutos

Coordenadas 902

Uploaded 18 de Setembro de 2018

Recorded Setembro 2018

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1.088 m
647 m
0
2,4
4,8
9,53 km

Visualizado 146 vezes, baixado 7 vezes

próximo a Araujo, Galicia (España)

Partimos de um pequeno aldeamento, denominado Esperanzo, onde é mais fácil estacionar. Até Bouzas, atalhamos onde foi possível. Depois deste último povoado, utilizamos um antigo caminho, protegido pela copa de velhos castanheiros. Este caminho, tem uma derivação para a igreja dos Mouros, que leva ao Fojo de Guende, visita que deixamos para o final da caminhada. Depois de muito subir, segue-se uma zona aplanada e de imediato a descida para a ponte ( em betão), que permite a travessia do Rego da Fonte Fria. Quem observar o vale para a cabeceira desta linha de água, descobre com facilidade os altos por onde passa a raia seca e descortina com facilidade o Coto da Fonte Fria. Não era esse o objetivo neste dia, pois estávamos com tempo limitado. A partir da margem esquerda do Rego da F. Fria, há um trilho que vai singrando perto da margem esquerda, ganhando progressivamente cota. No desvio para o Prado Seco, continuamos sempre ao lado do regato. O caminho de pé posto, estava utilizável, mas já o temos encontrado, mais coberto de vegetação. Ultrapassamos um pequeno núcleo de carvalho negral e continuamos até à travessia do regato, passando pelo carreiro que vem ter a estas bandas, desde o fojo do lobo de Guende. A travessia foi fácil, dado o reduzido caudal. Procuramos de imediato ganhar cota para atingir o outro carreiro que passa nas " Cruces " e continua para a fronteira, rompendo entre o Coto da Águia e os outros cotos associados àquela zona da serra. Nas Cruces, onde segundo a lenda, morreu Frei Gonçalo, temos o Coto da Águia na nossa frente quando olhamos para Norte. Regressamos pelo carreiro que nos leva ao fojo do Lobo de Guende. Este tipo de fojo - ou fojo da Cabrita, é muito parecido com o fojo perto de Bostejões, na serra do Soajo, muito embora o tipo de acesso que permite ao lobo, atingir o interior da construção ser diferente. Regressamos, pelo trilho que leva à igreja dos Mouros, com um vasto horizonte na nossa frente, donde se pode observar um belo perfil da serra do Soajo, desde o alto da Derrilheira, passando pelo alto da Pedrada, continuando pelo Penameda e Outeiro Alvo, para terminar em terras castrejas no Anemão. Terminamos, retemperando forças nas termas de Lordelo.
ponte
bosque
travessia
paisagem
paisagem
As Cruces
paisagem
fojo do lobo de Guende
paisagem

1 comment

You can or this trail