Baixar

Distância

20,97 km

Desnível positivo

986 m

Dificuldade técnica

Difícil

Desnível negativo

986 m

Elevação máx

1.317 m

Trailrank

84 5

Elevação min

609 m

Tipo de trilha

Circular

Hora

8 horas 30 minutos

Coordenadas

1974

Enviada em

2 de junho de 2020

Registrada em

maio 2020
  • Avaliação

     
  • Informações

     
  • Fácil de fazer

     
  • Paisagem

     
Compartilhar
-
-
1.317 m
609 m
20,97 km

Visualizado 439 vezes, baixado 19 vezes

perto de Xertelo, Vila Real (Portugal)

Visitar os currais mais " afastados " da serra, é tarefa que custa demasiado, aos pulmões, músculos e esqueleto, de cada um de nós. É sempre uma longa e penosa caminhada, com muitas centenas de metros de altura acumulada. Fica porém, a satisfação pessoal, de visitarmos recantos deste território, imunes aos circuitos turísticos que a vão invadindo e desfrutar da beleza, solidão e rudeza, destes lugares mágicos. Estes longínquos e abandonados currais, são um desafio à resistência de pastores e animais, entregues a si próprios, a grandes distâncias dos aldeamentos, onde a solidão e a rudeza do clima imperam. Vidas duras, feitas à custa de muito sacrifício, para usufruir dos pequenos poulos que a serra oferece ao pastoreio dos rebanhos. Os currais que fomos visitar, deram algum trabalho a localizar, mas muito mais a descobrir o seu nome. Se a um deles chamam curral da Corga das Mestras e ao outro curral de Borrageiros, o vezeiro Custódio não os designa assim, quanto a mim, com alguma lógica. Ao que fica na Corga das Mestras, designa-o de curral do Borrageiro. Ao curral a maior cota designa-o por, curral das Quinas de Arrocela. No entanto, também há naquela área, o Borrageiro 1º e Borrageiro 2º, pelo que também não é descabido, designá-lo por Curral de Borrageiros.E desta forma, até melhor oportunidade, fico na dúvida. Seja como for, a figura majestática do Borrageiro é dominante sobre qualquer dos currais, adquirindo naturalmente, diferentes perfis, conforme o observamos do fundo da corga ou das zonas aplanadas a maior cota. Ambos os fornos, estão em condições satisfatórias.

Partimos do Xertelo, subimos até ao Lago Marinho, designação dada pelas gentes locais à lagoa de maior cota. Atravessamos a turfeira e fomos à nascente, encher os cantis, pois o dia ameaçava ser bastante quente. Dois dedos de conversa com o senhor Custódio, na cabana do lago e toca a caminhar até encontrar o carreiro que vem do Fojo de Alcântara. Num bosquete de carvalho negral, aproveitamos a sombra para meter sólidos e líquidos. Passamos o curral do Sargaço e descemos à corga das Mestras, por um antigo carreiro bem mariolado, escondido debaixo da vegetação. Começa o Lírio a aparecer e em pouco tempo, mas com cuidado, estavamos sob a face poente do Borrageiro. Solução alternativa, mais curta, que a planeada. O segundo curral, a cota mais elevada, atinge-se, subindo a meia encosta, onde no final lá vão aparecendo velhos mariolas. Regresso de forma a encontrar o carreiro que vem da Messe, mas cortando caminho, desde aquele curral. Depois é escolher o carreiro, até à cabana do Lago Marinho, não esquecendo uma passagem pelas minas e escombreiras, observando a cabeceira do rio do Couce, desde os Cocões até ao Lago. Regressamos, pelo estradão florestal, passando pela segunda lagoa, atalhando depois dos currais do Viterbo. No final, subida a custo até ao poço do fojo do Lobo do Xertelo.

Nota : Percurso difícil, sendo a passagem pela face poente do Borrageiro 1º até à corga
das Mestras, perigosa. Percurso não sinalizado.

Cartografia - Folhas 31 ( Outeiro ) e 44 ( Ruivães) do IGE - escala 1/25.000
Distância real - 22,7 km

Pontos de interesse.
- currais
- Zona glaciar dos Cocões do Concelinho
- moreia lateral junto ao Borrageiro.
- minas e escombreiras.
- Fojo do Lobo de paredes convergentes do Xertelo.
- Paisagens - magnífia vista para o vale suspenso do Couce, Chamiçais, Rocas ( Roca
Negra, Rocalva, Iteiro de Ovos, etc).
- Lagoas do Marinho - a maior a cota superior com turfeira e a menor, a cota mais baixa e
muito assoreada.
Lago

Lago do Marinho

lago Marinho
Árvore

bosque carvalho negral

bosque de carvalho negral
Waypoint

curral

curral
Rio

travessia

travessia
Waypoint

curral

curral
Waypoint

l. água

L. água
Waypoint

L. água

Mina

mina subterrânea

mina subterrânea
Waypoint

nascente

Waypoint

travessia

travessia
Waypoint

fojo do Lobo

fojo do Lobo
Waypoint

curral

6 comentários

  • Foto de PQ@

    PQ@ 4 de jun de 2020

    Currais longínquos mas não podiam ficar por visitar.
    Excelente percurso.

  • Foto de Pedro Vorph

    Pedro Vorph 5 de jun de 2020

    Obrigado, aos "top gun" do Gerês, Truka, PQ, Makca, pelo serviço público que são as informações, a investigação, e os percursos, por vós, aqui trazidos.

  • Foto de TRUKA

    TRUKA 5 de jun de 2020

    Não somos perfeitos, longe disso. Por vezes erramos, conforme a fonte. Mas não é propositadamente. Aproveitem os percursos, mas em segurança. A serra é um território hostil. Abraço.

  • Foto de Makca

    Makca 5 de jun de 2020

    Obrigado pelo reconhecimento Pedro Vorph, são esses pequenos gestos que nos fazem ter alento,
    para transmitir todo o nosso pequeno conhecimento, do tão grande e profundo do nosso Gerês.
    É sempre bom sabermos, este grupo de amigos, que sempre há pessoas que reconhecem a nossa procura constante de trilhos não convencionais e empresariais, para quem gosta da montanha a sério..., um pouco diferente. Abraço trekkeiro.
    Makca

  • Foto de Pedro Vorph

    Pedro Vorph 5 de jun de 2020

    Fico à espera de um convite para participar nos vossos eventos (estou a brincar) :). Abraço

  • Foto de Pedro Vorph

    Pedro Vorph 5 de jun de 2020

    Segunda feira vou fazer o trilho do Lobo, em Arga, delineado pelo caríssimo, Makca :)

Você pode ou esta trilha