Horas  9 horas 12 minutos

Coordenadas 2580

Uploaded 10 de Abril de 2017

Recorded Abril 2017

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1.374 m
710 m
0
5,0
10,0
19,96 km

Visualizado 678 vezes, baixado 58 vezes

próximo a Ermida, Braga (Portugal)

Com um belo dia pela frente, tínhamos como objectivo, subir ao topo do Iteiro d´Ovos e da Mourisca. Estranho nome este de Iteiro de Ovos. Iteiro quer dizer outeiro, mas ovos não entendo o porquê de tal designação. Será da muita pedra que lá há?. Não faço ideia. A Mourisca é mais fácil de subir do que o Iteiro d´Ovos, mas as paisagens que de lá se avistam, rivalizam em extensão e beleza. Partimos cedo, já que a jornada era extensa, com o parque da Fonte de Letras, apenas com duas viaturas, incluindo a nossa. Passamos em frente à cascata do Arado e subimos até à portela donde se avista todo o vale da Teixeira. Passamos pelo curral da Teixeira, pelo do Cambalhão, demos uma volta pelas cabana e continuamos pelo carreiro. No desvio para a Chã da Fonte, iniciamos a dura subida até esta zona aplanada da serra. Lá estava o pequeno tubo donde brota a água à nossa espera. É um bom local para observar o arco do Borrageiro, o curral do Junco e a chã da Presa. Ultrapassada a Chã das Gralheiras, paramos no curral da Lomba do Pau, para descansar. A nossa próxima paragem, foi no Conho. Desta vez, desta vez seguimos pelo carreiro que vai para os lados de Carris de Maceira e derivamos para o Conho. A certa altura, deparamos com um excelente miradouro para o curral do Conho. A partir deste curral, procuramos o atalho para a Mourisca, e subimos ao topo. Vistas magníficas. Silêncio total e também não corria qualquer brisa. Ficamos ali algum tempo, a saborear o momento. Continuamos para a Rocalva, onde fomos almoçar. Parecia combinado, uma vez que, depois de Lá chegarmos, começou a afluir gente dos lados do Borrageiro e dos lados do Cando. Fomos então ver o curral de Soengas, passando pela base da Rocalva. A cabana está recuperada, mas o curral tem muita vegetação invasiva. Segui-se o topo do Iteiro d´Ovos. As vistas são magníficas, mas é um pouco mais complicado chegar ao cimo, onde encontramos uma forte brisa, que exigia cuidados redobrados. Descemos para a base e continuamos pelo curral do mesmo nome na direcção do " Estreito",. Pelo caminho da vezeira de Fafião, fomos até ao Pradolã. Aí, derivamos para o curral do Pinhô, fugindo à Pousada. Estavamos na parte final, pelo que depois da ponte sobre o rio Conho, foi utilizar atalhos, até chegar à Fonte de Letras, onde iniciamos o nosso percurso, um pouco cansados dada a extensão do percurso.

Cartografia - Folhas 31 e 44 do IGE - escala 1/25.000

Sendo um trilho que passa por diversos currais, alguns cabeços com a sua morfologia granítica, pequenos bosques, arbustos de zimbro e paisagens deslumbrantes, resumia da seguinte forma:

1. - currais e cabanas das vezeiras.
2. - cabeços com magníficas paisagens e sua morfologia granítica.
3.- alguns vales de grande beleza.

Com condições climatéricas difíceis, é arriscado subir ao topo da Mourisca ou do Iteiro d´Ovos.

Dada a extensão do trilho, a classificação de Moderado Alto, parece-me, mais adequada.
vista para a Teixeira
curral da Teixeira
cabana Teixeira
curral do Cambalhão
cabana do Cambalhão
Chã da Fonte
cabana da Lomba do Pau
curral da Lomba do Pau
vista para o Conho
curral do Conho
cabana do Conho
travessia
topo da Mourisca
curral da Rocalva
cabana da Rocalva
base da Rocalva
cabana de Soengas
curral de Soengas
topo do Iteiro Ovos
curral Iteiro Ovos
cabana Iteiro Ovos
Alminha no Estreito
curral Pradolã
cabana Pradolã
curral e cabana Pinhô
ponte de Servas

1 comment

  • Foto de PARAQ

    PARAQ 13/abr/2017

    Parabéns Truka por este excelente trilho.

You can or this trail