Horas  6 horas 40 minutos

Coordenadas 1448

Uploaded 1 de Julho de 2019

Recorded Junho 2019

-
-
1.202 m
741 m
0
3,7
7,5
14,91 km

Visualizado 6 vezes, baixado 1 vezes

próximo a Sela, Vila Real (Portugal)

No dia da festa do S. João da Fraga, em Pitões das Júnias e com os meus companheiros de aventura, entretidos noutras andanças, decidi ir procurar três currais perdidos no Gerês selvagem ou profundo, como também lhe chamam. Para lá chegar, é preciso acordar muito cedo, deixar o conforto dos lençóis, para atingir o ponto de partida, com tempo disponível, para gastar na pesquisa, daqueles locais. Ainda a manhã era uma criança, já eu trepava a Corga da Abilheira em direção aos prados das Biduiças. Sempre lhe chamei Biduiça, mas por algum motivo o povo, decidiu chamar assim. Parecia que ia ter uma bela manhã, para encontrar os tais oásis serranos, de que alguns conhecedores me tinham falado. Das Biduiças, continuei até ao curral das Rochas da Matança, acompanhando os mariolas da margem direita do ribeiro da Biduiça. Perdi algum tempo a procurar o abrigo do curral, mas nada encontrei. Decidi então, continuar a jornada procurando a travessia daquele ribeiro e seguir os mariolas que nos levam até ao curral de Lamelas de Baixo com o o cabeço do Compadre, do meu lado direito, bem como o Corgo de Lamelas. É um curral do tipo do Absedo, com uma divisão a separar as duas metades. Pastavam os cavalos e suas crias, pelo que fui andando de forma a não se sentirem ameaçados, mas procurando o abrigo. Não me parece um forno, mas sim um abrigo de falsa cúpula, como a maioria dos da serra do Soajo. Estalava os foguetes em S. João da Fraga e o tempo começo a arrepender-se, aparecendo nuvens ( cirros e cúmulos ) com uma brisa que refrescava, mas que me levou a estar atento. Veio-me à memória, um dia de festa em S. João da Fraga, por esta altura, com um dia parecido. Rápidamente a trovoada chegou, e a chuva que apanhamos entre o Porto da Lage e a aldeia de Pitões das Júnias, deixou-nos molhados até aos ossos. Desisti de subir ao topo do Compadre e continuei até ao curral de Lamelas de Cima, que é do mesmo género. É necessário transpor o Corgo de Lamelas. Aqui o abrigo está em pior estado. Foi preciso retirar alguns galhos para o fotografar. Para dar com a entrada, era preciso perder muito tempo. A partir, daqui os mariolas vão rareando, alguns com muito musgo, a denotar velhice, até à passagem dum regato que drena para o Corgo das Lamas do Compadre. Bem perto está o curral de Baltemão, imerso num pequeno mas frondoso bosque, de carvalhos e bétulas.. A vegetação rasteira, não permite grandes movimentos, pelo que não encontrei qualquer abrigo pastoril. Percebe-se que é curral pelos muros em pedra. Ainda subi um bastante pela corga acima ( Não refletido no trilho), mas o tempo dava sinais de instabilidade, e não me aventurei a ir ao marco de Lamelas, apesar de ter ultrapassado um pequeno bosque, não muito longe da " cabeceira da corga ". Regressei, atalhando de forma a atravessar de novo, o ribeiro da Biduiça, derivando até apanhar um dos carreiros que vai para os lados do Castanheiro. Desci para Entre Caminhos, por uma encosta que me deu trabalho, com a urze a querer rebentar de novo, e que no futuro não dará tantas facilidades.

Cartografia - folha 31 do IGE - Outeiro ( Montalegre ) - escala 1/25.000
Distância real - 17,2 km ( muito acima do que está representado ).

Pontos de interesse:

1. - Currais das Biduiças, Rochas da Matança, Lamelas de Baixo e de Cima e Baltemão.
2. - Abrigos pastoris - forno nas Biduiças e falsa-cúpula nas Lamelas.
3. - Paisagens fabulosas, em especial desde Baltemão para Sul.
Corga da Abelheira
Entre Caminhos
Forno das Biduiças
Currais das Biduiças
Curral das Rochas da Matança
travessia rib. Biduiça
forno Lamelas de Baixo
curral Lamelas de Baixo
travessia Corgo das Lamelas
forno de Lamelas de Cima
curral Lamelas de Cima
curral de Baltemão
travessia rib. da Biduiça 2
X Trilhos
rib. da Biduiça

Comentários

    You can or this trail