Horas  um dia 8 horas 12 minutos

Coordenadas 3850

Uploaded 7 de Setembro de 2016

Recorded Setembro 2016

-
-
1.460 m
862 m
0
8,4
17
33,6 km

Visualizado 1431 vezes, baixado 54 vezes

próximo a São João da Chapada, Minas Gerais (Brazil)

Travessia pela Serra do Espinhaço, iniciando no distrito de São João da Chapada e finalizando nas imediações de Diamantina. A caminhada atravessa a Serra da Guiné, o vale do Rio Pinheiro, o vilarejo de Biribiri (Parque Estadual do Biribiri) e a Serra dos Cristais. As recompensas são os banhos nas praias e cachoeiras do Rio Pinheiro, além da Cachoeira dos Cristais no PE Biribiri.

LOGÍSTICA:
Para esta travessia contamos com o auxílio de uma van, que nos deixou em São João da Chapada e nos resgatou às margens da rodovia BR-367. Há um ônibus que faz a linha São João da Chapada x Diamantina, então é bem provável que ele faça o caminho inverso. Ele chega a SJC por volta de 7h da manhã. Outra opção é tomar um táxi em Diamantina.

Em relação ao resgate, o montanhista tem duas opções: uma é continuar o trajeto pelo Caminho dos Escravos e finalizar a rota no centro de Diamantina. A outra é pedir um táxi para o resgate. No trecho final da travessia há sinal de celular. Embora passem diversas linhas de ônibus pela BR-367, o ponto final da travessia é um local muito perigoso para parada, em virtude das condições da estrada.

A TRAVESSIA:
O trajeto foi feito em dois dias e uma noite.

1º: Depois de tomar um café na padaria de São João da Chapada, começamos a caminhada por volta de 7:30. O trecho inicial alterna trilhas bem batidas com trilhas sujas, quase sempre com relevo favorável. Muitos trechos arenosos fazem com que a caminhada seja pesada. Muitas trilhas se cruzam e se dividem pelo caminho, fundamental ter o tracklog ou conhecimento da rota a ser percorrida.
12:20 chegamos ao Rio Pinheiro, local onde paramos para um banho de rio. Depois do descanso, caminhamos mais 3km e finalizamos a pernada próximo a cachoeira do Rio Pinheiro, às 15:12, depois de percorrer 16,5km.

2º: Saímos do acampamento por volta de 8:10. Subimos por um pasto, mesclando trechos sem trilha e com trilhos de vaca até a cerca próxima. Saltamos a cerca e continuamos por trilha e, depois, por um pasto até outra divisória. Saímos em um terreno com uma casa em construção, mas não havia ninguém por lá. Seguimos em direção à porteira e à estrada de terra, onde chegamos às 8:35. Caminhamos pela estrada com algum movimento de veículos até a entrada na área do Parque Estadual do Biribiri. Logo após o mata-burro tomamos à esquerda em uma bifurcação. Daí em diante seguimos por uma estradinha sem movimento de veículos até o vilarejo de Biribiri, onde chegamos 9:45. Pausa para lanche no Bar do Adilson.

Retomamos a caminhada por volta de 10:45 e chegamos a Cachoeira dos Cristais 11:40. O local estava um pouco movimentado, já que o acesso por carro é bem fácil. Depois de um refresco nas águas geladas do córrego dos Cristais retomamos a caminhada por volta de 12:50. Tomamos a trilha em direção ao topo da cachoeira, seguindo pelo trilho batido que leva a Mendanha. Em um trecho de capão de mata tomamos à direita em uma trilha bem discreta, que atravessa o córrego logo adiante.

Após atravessar o córrego dos Cristais, seguimos por uma trilha suja, pouco frequentada, que liga a cachoeira ao Caminho dos Escravos. O 2º dia (e este trecho final não é diferente) é quase todo por um aclive razoável, atravessando a Serra dos Cristais. Só no trecho final, após interceptar o Caminho dos Escravos (Diamantina x Mendanha) é que começa a descida em direção ao resgate, já nas proximidades da UFVJM. Após visualizar as antenas já encontramos sinal de celular.

No segundo dia caminhos 17,1km.

CONSIDERAÇÕES:

- Comece a caminhar cedo nos dois dias, de preferência antes das 8h. Assim é possível aproveitar com tranquilidade os banhos de rio e cachoeira;

- Travessia feita em setembro, período de seca, e havia boa disponibilidade de água pelo caminho. Uma garrafa de 1L por pessoa é suficiente (claro que depende do preparo físico e do metabolismo de cada um). Pontos de água estão marcados no tracklog;

- Pouquíssimos trechos sombreados pelo caminho, protetor solar é item obrigatório;

- Há sinal de celular no fim da rota (pelo menos para Tim e Vivo);

- Não há rotas de fuga pelo caminho, sendo que a travessia é feita por trechos bem remotos. No 1º dia existem duas casas marcadas no tracklog, em casos de urgência é possível conseguir algum auxílio por lá. Já no 2º dia os pontos de apoio ficam por conta da comunidade de Pinheiros e do vilarejo de Biribiri;

- O acampamento foi feito em área particular, além de termos cruzados algumas propriedades no 2º dia (principalmente no início do dia). É possível acampar nas margens do rio (areia), que não são particulares;

- Quando cruzamos o rio pela segunda vez (por volta de KM 14,3), entramos por uma trilha um pouco fechada em meio ao capão de mata até interceptar o trilho mais batido adiante. É possível (e recomendado) evitar este trecho de mata seguindo mais um pouco pelo rio (no sentido das águas) e pegando uma passagem bem batida e limpa, que possui uma tronqueira.

View more external

Início da caminhada pela estrada de terra
Entrada na unidade de conservação
Seguir pela esquerda, caminho menos movimentado e mais curto
Vilarejo
Início de trecho de mata
Caminho dos Escravos segue do outro lado da estrada em direção ao centro de Diamantina
Passa-um
Abastecimento de água de São João da Chapada
Início de caminhada por trecho de cerrado
Caminhada por estradinha

Comentários

    You can or this trail