-
-
1.671 m
811 m
0
9,0
18
36,12 km

Visualizado 19639 vezes, baixado 1388 vezes

próximo a Riacho Fundo, Minas Gerais (Brazil)

Travessia Lapinha-Tabuleiro em 3 dias de caminhada, passando pelo topo do Pico do Breu e chegando ao topo da Cachoeira do Tabuleiro.
Caminhada de fácil navegação e maravilhosa por região de cerrado e campos rupestres.
Estavam comigo o Rodrigo e a Rosana (velhos colegas de trilha).

Relato com algumas dicas e fotos:
www.trilhasetrips.blogspot.com.br

View more external

104 comentários

  • Foto de EduardoBetim

    EduardoBetim 27/ago/2013

    Muito bom, J. Augusto!
    Obrigado por compartilhar!
    Abraço!
    Eduardo

  • Foto de ibnmlr

    ibnmlr 27/ago/2013

    Como sempre,
    suas trilhas são uma verdadeira referência para mim!
    Grande abraço,
    Ibán M.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 27/ago/2013

    Essa é uma das melhores travessias que já fiz. O visual panorâmico tá em quase toda a caminhada. Por ser um ambiente de campos rupestres dá até para caminhar sem o tracklog, se orientando somente no visual.
    Vale a pena.


    Abcs

  • Foto de MARLON FRANCO

    MARLON FRANCO 27/jan/2014

    Com certeza será muito útil para mim...obrigado pela informação.

    Logo que fizer a Travessia te encaminho as fotos.

    Até mais.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 27/jan/2014

    Só tome muito cuidado com o Sol.
    Essa travessia é feita o tempo todo em área aberta. Não tem um único ponto com sombras ao longo dessa caminhada.
    Abcs

  • Foto de @marcones_faria

    @marcones_faria 31/jan/2014

    Muito bacana sua iniciativa. Esta em meus planos fazer esta trilha!
    vai ser muito útil.
    Obrigado!

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 1/fev/2014

    Super tranquila essa travessia. Foi uma das mais fáceis que eu já fiz.
    Vista fenomenal, trilha fácil e alguns trechos de navegação só por visual.
    Só a dificuldade p/ chegar e sair de lá.
    Mas vale a pena o esforço.
    Abcs

  • Foto de MARLON FRANCO

    MARLON FRANCO 11/fev/2014

    No meio de Maio estou querendo fazer a Travessia Lapinha Tabuleiro, você acha que é uma boa época?

    Tem algum lugar para acampar antes do Rio Parauninha?

    Fiquei sabendo que a Dona Ana Benta não fica mais na casa e quase não recebem mais ninguém por lá, agora o apoio e a casa do Chico e da Dona Maria e Zé da Olinda, que são em torno de 19 km de pernada.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 11/fev/2014

    Tirando o verão, que é época muito quente e desaconselhável fazer essa travessia, todos os outros meses são bons p/ caminhar por lá.
    O recomendável é sempre o inverno, pois não chove e a temperatura é agradável. Maio já é um mês seco, mas com esse clima maluco atualmente não dá p/ saber como vai ser esse ano.
    Antes de chegar no Rio Parauninha sempre é possível encontrar trechos planos nessa travessia p/ montar barracas. O problema é a falta de água.
    Dona Ana Benta disse que de vez em quando vai para a cidade sim, mas a maior parte do tempo ela fica na casa dela. E no inverno essa travessia é muito procurada, então eu creio que as chances de vc encontrar ela na casa são grandes.
    Da casa da D. Ana Benta até a casa da D. Maria vc vai levar no máximo umas 3 horas, sem pressa. Se cortar caminho e evitar o trecho por onde passamos, logo que saímos da casa da D. Ana, dá p/ fazer em 2 hrs a 2h30min.
    A distancia entre as duas casas não é tudo isso. Vc deve estar enganado ou contando desde a Lapinha. Creio que essa distancia deve ser metade disso.
    Veja no tracklog acima.
    Abcs

  • Foto de Andrea Rios

    Andrea Rios 12/mai/2014

    I have followed this trail  View more

    Não existe trilha visível para a subida ao pico do Breu, ficamos perdidos por umas 2h pois já estava escuro e saimos da linha da trilha.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 12/mai/2014

    Nesse trecho pouco antes do Pico do Breu e depois dele até chegar ao Rio Parauninha não existe trilha mesmo. Nossa navegação só foi no visual ou as vezes seguindo o tracklog, que não chegou a ajudar muito.
    Por isso que eu recomendo que se faça a caminhada, passando pelo topo do Pico do Breu, somente para quem tem experiencia em trilhas. Só com o tracklog não vai adiantar muito, porque se anoitecer é complicado acampar.
    O relato que eu escrevi dessa caminhada pode ser bem mais útil. O link tá na descrição acima.
    Abcs

  • Foto de Andrea Rios

    Andrea Rios 12/mai/2014

    Ainda estou aprendendo a utilizar o WIKILOC, na verdade a caminhada valeu muito a pena, e ainda bem que tinhamos a referência da trilha no GPS, e le tinha bateria rsrs...
    tinhamos tempo o bastante, e um seu cheio de estrelas, conseguimos faze-la em 2 dias!!
    Utilizamos seu relato e a trilha compartilhada!!
    Trilha boa é trilha com história pra contar :)

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 13/mai/2014

    Nós também levamos um tracklog, mas ele serviu somente como referencia. Essa região, por ser de campos rupestres, tem uma navegação bem tranquila, quase que no visual.
    E eu até recomendo mesmo que a caminhada seja no visual até a casa da D. Ana Benta. Isso para quem pretende passar pelo topo do Pico do Breu. A trilha nesse trecho quase não existe ou se perde em vários momentos.
    Abcs

  • lucianogodinho 26/mai/2014

    Prezado J. Augusto, Eu e a Andrea Rios (acima) fizemos a travessia juntos, foi muito bom!! O pessoal teve que se superar!! Baixamos para o GPS o seu tracklog e a trilha que você fez(tava perfeito, parabéns!) . Mas fiquei curioso com uma coisa, você não errou o caminho nenhuma vez ? E se errou como você fez para a trilha ficar certinha no mapa? Porque no final, eu fui complementar a trilha que você fez, quando resolvemos desviar para o mirante da Cachoeira do Tabuleiro e não tinha a trilha no mapa. Então acabei fazendo alguns "vai e volta" e aí a trilha que o GPS vai gravando fica meio embolada (não sei se estou conseguindo me fazer por entender). Então, existe algum tipo de edição, quando você erra e o GPS grava, para que a trilha gravada fique mais "limpa" ?
    Abraços!!

  • lucianogodinho 26/mai/2014

    I have followed this trail  View more

    Os tracklogs estão perfeitos!

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 27/mai/2014

    Oi Luciano.
    Os trechos iniciais, principalmente próximo ao topo do Pico do Breu, a trilha se perde totalmente. Não existe uma trilha demarcada onde vc deve seguir. Naquela subida do paredão do pico, tivemos problemas sim, mas nada que pudesse deixar a gente perdido.
    O ambiente de campos rupestres facilita muito a caminhada, já que a navegação é quase que só no visual.
    Tivemos alguns problemas na descida do Pico, já que escureceu no topo e a gente teve que descer quase que em zig zag, mas dá p/ fazer sem problemas.
    Aquele trecho na subida e descida do pico, que tá no tracklog, é no visual. Não existe uma trilha definida. A partir
    dali, a trilha é tranquila.
    Eu entendi o que vc quer dizer. É para eliminar esses trechos de "vai e volta" que vc faz na trilha, não é? Nunca vi ninguém tirar. Aqui mesmo no Wikiloc vc encontra vários tracklogs desse jeito, então isso é normal.
    Pode postar aqui desse jeito mesmo. Quando alguém levá-lo para essa travessia vai notar que esses "vai e volta" é só uma maneira de buscar o lugar que está procurando.
    Valeu pelo incentivo.
    Abcs

  • Foto de thiagodmarinelli

    thiagodmarinelli 24/jun/2014

    I have followed this trail  View more

    Excelente track! Muito atencioso da parte de J. Augusto, que adicionou vários waypoints com comentários. Atenção à quem não for ao Pico do Breu! Nesse caso deve-se contornar a prainha pela ponte à esquerda.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 24/jun/2014

    Oi Thiago.
    Valeu pelo incentivo hein.
    O lugar é lindo. Qualquer informação como tracklog ou relato dessa região tem de ser compartilhado mesmo para que outras pessoas possam desfrutar dessa lugar.
    Gde abc.

  • Foto de Gadetto

    Gadetto 30/jun/2014

    Cara, tenho uma crítica, a "descida tranquila" nada tem de tranquila, demoramos 3 horas para descer, acho que podiam ter indicado que a descida é muito íngreme, sofremos com nossas cargueiras. Tivemos que acampar na prainha, às 21h.

    No mais o tracklog bateu direitinho, obrigado.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 30/jun/2014

    Essa descida eu considero tranquila porque vai descendo se orientando somente pelo visual. Não existe uma trilha ali onde vc pode se perder. Nós íamos descendo em zig zag sem pressa e levamos cerca de 1h30min para chegar no Rio Parauninha.
    Eu sempre coloco na descrição dos tracklogs para que acessem os relato com as dicas dessa caminhada. Lá vc encontra informações mais detalhadas e que podem te ajudar em alguns trechos.
    Mas a sua crítica é muito boa e válida. Quando encontrar alguma coisa faltando em algum desses tracklogs, pode deixar a sua opinião aqui.
    Só achei estranho vcs levarem 3 horas para chegar no rio.
    A gente também estava com cargueiras e nós levamos metade do tempo e fomos bem devagar, sem pressa.
    Valeu.
    Abcs

  • Foto de @marcones_faria

    @marcones_faria 18/ago/2014

    J. Augusto você poderia dar um breve relato sobre equipamentos/tralhas necessário para esta trilha outra coisa, com uma mochila de 50 litros faço esta trilha em 2 dias ou é muito puxado?
    Abraço.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 19/ago/2014

    Ola Marcones.
    Os eqtos que uso em qqer caminhada são sempre os seguintes: barraca, saco de dormir, isolante, fogareiro e a comida. Isso é o básico.
    Para usar uma mochila de 50 litros, vai depender dos eqtos que vc vai usar. Hoje em dia existem barracas de cerca de 1 Kg, saco de dormir de umas 500 gramas e fogareiro que cabem no bolso. Então depende do tamanho desses eqtos que vc tem p/ colocar em uma mochila de 50 litros. A minha é de 68 litros e dá p/ caber tudo que levo, sem aperto.
    Qto a fazer essa travessia em 2 dias, é possível sim, mas vai ser puxado e talvez vc não consiga chegar no topo e na base da Cachoeira do Tabuleiro, como a gente fez.
    Boa sorte.
    Abcs

  • Foto de Adelino Garcia

    Adelino Garcia 11/dez/2014

    Já estive no poço e não consegui chegar a parte alta. Impressionante... Parabéns pela foto,Show!!! https://pt.wikiloc.com/trilhas-trekking/travessia-lapinha-tabuleiro-pelo-pico-do-breu-e-chegada-ao-topo-da-cachoeira-do-tabuleiro-5098992/photo-2629471

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 11/dez/2014

    A trilha que leva do Poço até a parte alta da cachoeira não é tão longa. São 2 opções. A mais rápida é uma que sai à esquerda, de quem está indo em direção ao poço. Dá para vê-la da trilha. E chegar
    nesse local da foto é de arrepiar, mas valeu a pena. Ficou uma linda foto mesmo.
    Valeu. https://pt.wikiloc.com/trilhas-trekking/travessia-lapinha-tabuleiro-pelo-pico-do-breu-e-chegada-ao-topo-da-cachoeira-do-tabuleiro-5098992/photo-2629471

  • Vinicius Alvarenga 18/dez/2014

    Ola pessoal sou novo por aqui. Pretendo fazer esta trilha no começo de 2015. Estou tendo dificuldade para colocar essa trilha no meu celular. eu tenho que abaixar é isso? pois quando clico em abaixar>iphone>aparece um numero de ID (onde coloco esse numero no aplicativo wikiloc do meu celular?). Somente com estas ferramentas consigo me orientar? desculpem por mudar o foco da conversa. Aceito dicas.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 18/dez/2014

    Blz Vinicius.
    Sei que o wikiloc tá disponível para android e para iOS. Só entrar lá no site da itunes que vc encontra esse app.
    https://itunes.apple.com/br/app/wikiloc-free/id432102730?mt=8

    Abcs

  • Foto de Eduardo C Guimaraes

    Eduardo C Guimaraes 14/jan/2015

    Vinicius Alvarenga, para vc usar o iphone para "seguir" a trilha, basta entrar no aplicativo, clicar em NAVEGAR, abrirá a tela de filtro, na última linha vc digita o número ID referente a trilha escolhida, no caso desta trilha do J. Augusto é 5098992, clique em filtrar. (Obs.: para navegar é preciso Pacote de Navegação do wikiloc custo de: 3 meses US$ 2,99 e 1 ano US$ 4,99.
    J. Augusto, parabéns e obrigado por compartilhar a trilha e o relato. Estou planejando fazer a travessia no final de janeiro.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 28/jan/2015

    Blz Eduardo.
    Valeu pela atualização. Muito boa sua informação.
    Sou eu que tenho que lhe agradecer.
    Só me desculpe pela demora em responder. Estava com um grupo fazendo várias trips na Venezuela e em Manaus/AM.
    Em breve tem um big relato que vou postar lá no blog.
    Valeu e obrigado pelos parabéns e sempre que tiver dúvidas, pergunte à vontade.
    Abcs

  • Foto de Rodger-fs

    Rodger-fs 26/fev/2015

    A trilha esta bem marcada no inicio, porem apos o pico do breu tem que se ficar atento pois as trilhas se perdem devido a natureza retomar seu habitat!

    Vale muito a pena, cada curva um novo visual!

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 27/fev/2015

    Região de cerrado não tem jeito. É só vir a época das chuvas que a vegetação fecha a trilha e apaga os vestigios de quem passou por lá.
    Mas na descida do Pico do Breu é só seguir na direção da Prainha ou do rio que fica no fundo do vale. Muitas vezes tem de ir caminhando no zig zag.
    Só não recomendo descer aquele trecho no meio da noite. É bem complicado.

  • Foto de Leonardo Bispo

    Leonardo Bispo 23/mar/2015

    Bom dia, impressionante sua descrição. Inclusive irei fazer essa travessia na semana santa.
    Levarei o mínimo de comida pensando nos pontos de apoio, você acha que posso confiar nesses pontos? Minha ideia é andar até a casa da Dona Maria no primeiro dia.
    Alguma dica?
    Muito Obrigado!!!

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 23/mar/2015

    Acho que dá p/ confiar sim, mas não recomendaria seguir direto p/ a casa da D. Maria.
    Eu sugiro passar na D. Ana e se ela estiver lá, ficar a primeira noite ali. É uma senhora muito simpática e hospitaleira. Vale a pena conhecê-la.
    Qtp a casa da D. Maria, pode ir tranquilo, porque lá é um ponto de apoio muito procurado. Com certeza vai estar com vários pessoas por lá.
    Se vc não quiser seguir essa sugestão, então recomendo que evite a trilha pelo Pico do Breu e inicie a caminhada lá na Lapinha o mais cedo possível p/ dar tempo de chegar na casa da D. Maria.
    Se vc sair da Lapinha no mesmo horario que a gente, talvez só dê tempo de chegar na D. Ana.
    Boa sorte.
    Abcs

  • Foto de Leonardo Bispo

    Leonardo Bispo 23/mar/2015

    Obrigado ..
    Pretendo sair bem cedo, tipo 7:30 da manhã.
    Liguei no telefone que você disponibilizou e consegui falar com o Sr Zé. Os valores mudaram um pouco, mas nada de muito significativo.
    Obrigado

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 23/mar/2015

    Com certeza vai dar tempo. Creio que até dê p/ passar pelo topo do Pico do Breu. E talvez até dar uma passadinha na casa da D. Ana. Vai depender do seu ritmo.
    O Camping da D. Maria e Sr. Zé só é procurado nessas datas de feriado, mas mesmo que esteja um valor acima de $30/pessoa, vale a pena ficar ali. São lugares que a gente conhece só uma vez na vida e ficam na nossa lembrança p/ sempre. Pessoas muito hospitaleiras.
    E se puder também vá no topo da cachoeira do Tabuleiro.
    Abcs

  • Foto de Eduardo C Guimaraes

    Eduardo C Guimaraes 23/mar/2015

    Boa tarde senhores. Tive a informação que a D. Ana Benta faleceu no dia 12/12/2014. Verifique a informação com algum guia local. Eles podem te dar dicas atualizadas dos pontos de apoio. Abraços e boa travessia.

  • Foto de exploradoressp

    exploradoressp 23/mar/2015

    Poxa :( Que triste isso...

  • Foto de Leonardo Bispo

    Leonardo Bispo 23/mar/2015

    Obrigado Eduardo, notícia realmente triste.
    Eu irei direto para a casa da Dona Maria.
    Obrigado pela informação

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 24/mar/2015

    Noticia triste essa hein.
    A casa da D. Ana Benta sempre foi um ótimo ponto de apoio p/ quem estava fazendo essa travessia. Uma grande perda.
    O que sobra agora é só a D. Maria e Sr. José.
    Valeu pela atualização Eduardo.
    Abcs

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 24/mar/2015

    Uma informação que consegui agora a pouco.
    Com a morte da D. Ana Benta, quem está cuidando agora daquela casa é o filho e sobrinho dela.
    Mas parece que ficam por lá somente em feriados. Pelo menos a residencia ainda continua sendo um ponto de apoio. Isso é muito bom.
    Abcs

  • Foto de adelmoliveira

    adelmoliveira 29/mar/2015

    Just. Augusto boa noite tudo bem?
    Maravilhoso seu post parabéns. Sou novo neste tipo de atividade e irei fazer a travessia no dia 01/05. Poderia por gentileza passar os contatos dos pontos de apoio como a casa da D. Maria e se tiver o contato da casa da falecida D. Benta (Que Deus a tenha) ficarei muitíssimo grato. Outra pergunta é, somente com o wikiloc consigo fazer a travessia numa boa ou você recomenda alguma GPS. Se recomenda qual modelo marca seria legal? Obrigado!!!!

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 30/mar/2015

    Ola Adel.
    Dê uma olhada no relato dessa caminhada. O link está na descrição desse tracklog.
    Lá vc encontrará essas informações que vc tá procurando e mais outras.
    Qto a duvida sobre o uso do GPS, eu sempre recomendo levar os dois: o tracklog para GPS e o relato. Qdo um der problema, o outro está lá para te ajudar.
    Sobre o uso de GPS, como vc não conhece, é capaz que vc se perca, mesmo com ele. Cuidado.
    Como é uma região de cerrado, o relato é melhor, porque muitas vezes dá p/ ir navegando somente pelo visual.

    Abcs

  • Foto de Leonardo Bispo

    Leonardo Bispo 6/abr/2015

    Boa tarde, fiz essa travessia esse feriado. Utilizei sua trilha em alguns trechos, principalmente na saída da casa da Dona Maria, até o Tabuleiro. Muito boa e perfeita, agradeço imensamente pela ajuda.
    Quem for utilizar informo que a trilha está correta, mas em alguns trechos a vegetação fez com que a trilha não esteja visível. Recomendo seguir fielmente a trilha do GPS, e não entrar em trilhar mais visíveis que aparecem pelo caminho.Obrigado J.Augusto

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 7/abr/2015

    Oi Leonardo, blz?
    Esses trechos onde a vegetação tá alta, nós também pegamos.
    Foi bem complicado a caminhada, navegando somente pelo visual, mas no final deu tudo certo.
    E valeu pela atualização.

    Abcs

  • Foto de Leonardo Bispo

    Leonardo Bispo 7/abr/2015

    Blz..
    O curioso é que o tempo tá bastante chuvoso. E alguns caminhos que você passou, hoje são verdadeiros rios kkk.
    Mas sua trilha está perfeita.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 7/abr/2015

    É que nós fomos no inverno, época de estiagem, então nos lugares onde existiam rios, estava totalmente seco qdo passamos.
    Valeu.
    Abcs

  • matheusjung 22/abr/2015

    I have followed this trail  View more

    Muito bonita a trilha! Muito obrigado, J. Augusto por compartilhar os pontos conosco. Nos perdemos no pico do Breu, mas foi até bom porque encontramos um lugar muito bom para acampar. Fizemos a trilha em três dias.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 24/abr/2015

    Se perderam no Pico do Breu?
    Então vcs passaram por lá no meio da noite?
    P/ quem passa durante o dia por lá, a vegetação ajuda bastante, porque em área de cerrado, dá p/ caminhar só no visual.

  • lucashilarioo 23/mai/2015

    Mto Bom!!!

  • lucashilarioo 26/mai/2015

    I have followed this trail  View more

    Mto Bom!!!

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 26/mai/2015

    Valeu Lucas.
    O tracklog tá aí para todo mundo usar.
    Abcs

  • Foto de Marcos Ferraretto

    Marcos Ferraretto 8/jun/2015

    I have followed this trail  View more

    Tracklog muito bom, cometários relevantes no wps e blog do autor.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 20/jun/2015

    Valeu M500F.
    Nada mais justo do que disponibilizar esse tracklog, assim como todas as outras trilhas que estão lá no blog.
    Abcs

  • Foto de Marcelino.m

    Marcelino.m 10/jul/2015

    I have followed this trail  View more

    Realizei essa travessia em 3 dias, no primeiro tivemos alguns problemas, próximo da cachoeira da lapinha, colocaram uma cerca no caminho, pulamos ela e seguimos a trilha, na parte citada pelo augusto de que poderia evitar o pico do breu, o fizemos, contornando por trás, a navegação visual é fácil porém a descida é bem forte, em alguns pontos com vincos no morro dificultam a passagem.
    Dona Ana Benta morreu, a casa na semana fica vazia mas aos finais de semana o sobrinho dela parece ficar por lá.
    Tem contatos na parede da casa com números de telefone pra entrar em contato com o Lucas.
    Dona Maria não cobrou camping, ficamos acampando em uma área próximo da casa, cobrou apenas o banho, café da manhã e a janta, tudo por R$ 40,00.
    Travessia de paisagens lindas, vale muito a pena, valeu Augusto.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 15/jul/2015

    Boas informações Marcelino.
    Uma pena foi o falecimento da D. Ana Benta. Uma senhora muito simpática e atenciosa.
    Eu coloquei lá na página do relato para que as pessoas sempre olhem os comentários postados aqui.
    São bem úteis e podem ajudar.
    Valeu.

    Abcs

  • Foto de João Paulo Filemon

    João Paulo Filemon 16/jul/2015

    Boa noite! Estou indo dia 24/07 fazer a trilha pela primeira vez, já morei em BH e não acredito que só apos ter me mudado para SP pensei na possibilidade. Muito obrigado por todas as dicas desbravador J. Augusto leio seus relatos e me imagino ou me visualizo no lugar, so gostaria de pedir uma ajuda, não sei como devo fazer para retornar, devo estar em Confins no terceiro dia antes das 18 hrs o que me aconselham?

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 16/jul/2015

    Ola João Paulo, blz?
    A forma mais rapida para sair da Cachoeira do Tabuleiro é contratar um taxi que te leve diretamente p/ o aeroporto.
    Sai um pouco caro, mas é a melhor maneira.
    No relato eu coloquei a indicação daquele taxista que nos levou até BH, saindo de Conceição do Mato Dentro.
    Veja lá e tente acertar um resgate na própria Vila, onde fica a cachoeira.
    Outra maneira é tentar uma carona até Conceição e de lá seguir de onibus, mas eles demoram muito porque param em vários lugares.
    Boa sorte.
    E valeu pelos elogios.

    Abcs

  • Foto de adelmoliveira

    adelmoliveira 16/jul/2015

    João Paulo, tudo bom? você esta indo sozinho ou com turma?
    Poderia fazer esta travessia contigo? Tenho muita vontade de fazer e já planejei para fazer diversas vezes.
    Bom, caso possa ir contigo me passa seu contato para combinarmos.
    Forte abraço!!!!

  • Foto de PH Cabral

    PH Cabral 18/out/2015

    Travessia de beleza ímpar, e com o desfecho sensacional na cachu do Tabuleiro... simplesmente incrível!

  • warrisson1 10/nov/2015

    I have followed this trail  View more

    Top demais, só que não conseguimos subir o pico do breu. Pena, mas voltaremos lá para cumprir a meta.

  • Foto de João Paulo Filemon

    João Paulo Filemon 10/nov/2015

    Bom a travessia sem dúvidas foi a mais bonita que já fiz, tomem cuidado com o Pico do Breu após o por do sol, escurece muito rápido e não é fácil encontrar local para armar barraca, o solo é rochoso. Tive que acampar lá em cima por ter ido com mais duas meninas que não tinham experiencia com trekking, não tem água e é cheio de pirambeiras. A noite é bem complicado de sair de la, sorte na travessia e PAZ!!

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 10/nov/2015

    Blz galera.
    Para quem não quer passar pelo Pico do Breu durante a noite (como a gente fez) e quer conhecê-lo ainda com Sol tem de sair da Lapinha bem de manhazinha. Não tem outro jeito.
    Mas tem o problema que é a logística para se chegar em Santana do Riacho.
    Para quem vem de BH só tem a opção do ônibus da Saritur saindo as 07h30min.
    Então para quem dispõe de vários dias para fazer essa travessia, o ideal seria ficar 1 dia acampado na Lapinha.
    Da Lapinha até o topo do Pico do Breu são cerca de 5 horas, então é só planejar melhor.

    Abcs

  • Foto de exploradoressp

    exploradoressp 10/nov/2015

    E quando fomos (Augusto, Rosana e Rodrigo), tivemos a vantagem de ser lua cheia, mas também tínhamos lanternas para descer o pico do Breu.
    Descemos zig zagueando até chegar num cercado (+/- 1 km), atravessamos o cercado e fomos em direção à prainha, que tem água corrente, onde passamos a noite (+ 1 km).
    Ainda bem que deu tudo certo, mesmo sem água para vocês João.

    Abraços


  • Foto de Divanei

    Divanei 16/nov/2015

    Fala Augusto! Anda meio sumido meu velho. Eu ainda não tive a oportunidade de fazer essa travessia e sei que ela tem muitas variantes, você acha que esse seu caminho é o mais completo ou devo também incluir outra rota para fazer mais coisa numa pancada só. Eu conheço a Cachoeira do Tabuleiro, mas pra mim é imprescindível acessar o grande lago. Abraços.

  • Foto de Divanei

    Divanei 16/nov/2015

    Me parece um ótimo caminho.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 16/nov/2015

    Blz Divanei.
    Tenho diminuído a quantidade de trilhas, até para não ficar repetindo as mesmas caminhadas.
    Depois que voltei do Roraima, minha intenção agora é fazer algumas fora do país.
    Então se surgir alguma interessante eu até faço.
    Qto a Lapinha-Tabuleiro, vc tem dezenas de opções de caminhadas que cruzam ou se interligam com ela.
    Se vc dispor de tempo, dá para acrescentar muitas outras atrações.
    Iniciando em Cardeal Mota dá para seguir por uma travessia pela crista da serra até chegar na Lapinha.
    Ou saindo da Lapinha seguir direto para o norte até a Cachoeira do Bicame, que teria de ser conhecida antes de chegar no Pico do Breu.
    Outra opção são os canions dos Rios Preto e do Peixe Tolo, cuja trilha se inicia próximo da Cachoeira do Tabuleiro.
    Quem fez boa parte desse roteiro é o Francisco Cardoso - www.chicotrekking.com.br.
    Dê um olhada no blog dele. Tem muita coisa legal.
    Boa sorte.
    Abcs

  • Foto de Divanei

    Divanei 17/nov/2015

    Valeu caro amigo ! Ainda gostaria um dia de fazer algo com vc, pena que os nossos caminhos ainda não se cruzaram. Ultimamente tenho me dedicado a explorar novos caminhos, principalmente na Serra do Mar, mas ainda tenho algumas trilhas clássicas pra riscar do meu caderninho. Abraços, foi um prazer voltar a valar com você,

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 18/nov/2015

    Blz Divanei.
    Daquela lista do T&T eu saí. Muita panelinha e relatos só da serra do mar (nada contra) , mesmo sabendo de várias trips por lá. Na verdade são poucos relatos postados, apesar da lista ser grande.
    Atualmente estou na lista do Rodrigo (Exploradores). Lista bem pequena e fechada. Acho melhor assim.
    Lá de vez em quando surge um convite para alguma trilha na região de Paranapiacaba, mas o tempo não tá ajudando.
    O circuito serra do mar-mantiqueira já deixei de lado. Qdo surge um oportunidade tô indo mais p/ o interior de MG. Lá tem muita travessia em área de cerrado. E da minha lista tem muitas no Nordeste, que ainda quero fazer.
    Abcs

  • Foto de Divanei

    Divanei 19/nov/2015

    Bom, na Serra do Mar, só vou para fazer algo que seja quase que inédito, ou pelo menos lugares que faz muito tempo que ninguem bota a cara. Vale da Preguiça , Vale do Cipó Guaçu, Vale do Cubatão de Cima, Vale do Perequê, todas travessias completas, descendo por canions incríveis, com cachooeiras gigantes, vista por meia duzia de pessoas. Nesse ultimo feriado estivemos no Dedo de Deus Paulista, abrimos caminho até a grande pedra e só não subimos os ultimos 30 metros porque era preciso escalar e estava caindo o mundo em água. Sempre estamos bolando roteiros assim, coisa nova ou reabrindo velhos caminhos esquecidos a décadas, como o Lopo guaraíuva, etc,,,,,

  • Foto de fredbsilva

    fredbsilva 27/nov/2015

    Olá companheiro. Baixei sua trilha na segunda e fiz ela na quarta e quinta. A parte mais difícil, com certeza é subir (escalar... rs...) e descer o Pico do Breu. Sensacional! Sua postagem me ajudou bastante!!!

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 27/nov/2015

    Blz Fred.
    Legal que deu tudo certo nessa sua caminhada usando o tracklog.
    Como essa região é área de cerrado, dá para navegar só pelo visual.
    A Serra do Espinhaço é linda mesmo.
    Se vc achou dificil o trecho do Pico do Breu, imagine então fazer toda aquela subida e descida no escuro, só com lanternas e bem cansados.
    Foi o que aconteceu com a gente. Não foi fácil.
    Valeu.
    Abcs

  • Foto de lucasgallifoto

    lucasgallifoto 8/jan/2016

    I have followed this trail  View more

    Não achei a trilha fisicamente difícil. Ela é longa e tem trechos complicados, mas nada que alguém que está acostumado não consiga tirar de letra.
    A grande complicação é que a trilha é confusa, cheia de pegadinhas. Mesmo com GPS existe a possibilidade de se perder. O trecho que apresentou a maior dificuldade de orientação foi logo antes da entrada no Parque Natural do Tabuleiro. Dali pra frente a coisa vai mais tranquila.
    Conselhos:
    - Se não fizer questão ou precisar, não perca muito tempo na prainha. É um lugar bom pra se refrescar rapidamente, fazer um lanche rápido e leve e meter o pé de volta na trilha.
    - Não espere encontrar alguém na casa da Ana Benta. Ela faleceu há um tempo atrás e a pessoa que cuida de lá (Lucas) passa muito tempo fora.
    - Apesar de ser possível acampar fora dos pontos de apoio, eu acho pouco recomendável. O clima pode mudar rápido e, principalmente no verão, as tempestades são frequentes. Granizo e vento forte não são incomuns. A falta de locais abrigados pode levar a situações bastante complicadas.
    - A casa do Seu Zé é a parte final da trilha. Dali pode-se chegar ao poço ou ao topo da Tabuleiro em poucas horas. Ele e sua família são muito simpáticos e hospitaleiros. É de bom tom ser respeitoso e agradecido. Se puder, deixe comida para eles, pois eles ajudam outros trilheiros que passam lá.

  • Foto de lucasgallifoto

    lucasgallifoto 8/jan/2016

    Outro conselho MUITO importante.
    Na Lapinha, preste atenção à entrada da trilha. Se você chegar num local com uma portaria, onde te pedem pra preencher um termo de responsabilidade e pagar uma taxa, VOCÊ ESTÁ NO LUGAR ERRADO! Aquela gente é pilantra e está ali apenas pra se aproveitar dos trilheiros incautos.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 11/jan/2016

    Boas dicas e informações bem úteis.
    Mas fiquei curioso sobre essa cobrança.
    Vc poderia colocar mais informações sobre isso: onde fica esse local, ele leve a que que acesso.
    Qdo fizemos essa travessia, não encontramos qualquer local que se assemelha a essa portaria.
    Valeu.
    Abcs

  • Foto de Neliseviana

    Neliseviana 19/jan/2016

    Ola !!!
    Feliz por te encontrado sua trilha. Obrigada pelas dicas !!!
    Vou fazer agora no carnaval ? vc acha que é uma data ruim de se fazer ?
    outra pergunta ...Irei iniciar a trilha bem cedo. Estou pensando ir até a casa da Ana Benta, deixar as coisas por la. E fazer o pico do breu sem cargueira so com mochila de ataque . o que vc acha ??? ou melhor subir de cargueira e acampar proximo a prainha ??

    Obrigada !! :)

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 20/jan/2016

    Oi Neli, tudo bom?
    Iniciando a trilha bem de manhãzinha vc terá várias opções para escolher e aí fica a seu critério.
    Eu faria da seguinte forma: seguiria com o tracklog, chegando ao topo do Pico da Lapinha e depois seguiria para o Pico do Breu e em seguida acamparia na Prainha. É um lindo lugar.
    Subir o Pico do Breu pelo lado da Prainha é muito desgastante, mesmo somente com mochila de ataque. É muito íngreme.
    Qto a data ser ruim, o único porém é que no Carnaval é praxe chover.
    Atente a isso e acho que muita gente estará fazendo essa travessia. Com certeza, cia não irá faltar.
    Lá na casa da D. Ana Benta deve estar alguém da familia dela cuidando do lugar. Uma pena ela ter falecido. Era uma pessoa muito gentil.
    Boa sorte.

    Abcs

  • Foto de PH Cabral

    PH Cabral 27/jan/2016

    I have followed this trail  View more

    Travessia de beleza ímpar, e com o desfecho sensacional na cachu do Tabuleiro... simplesmente incrível!

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 29/jan/2016

    Concordo em genero, numero e grau.

  • Paulo Sérgio de Carvalho 5/fev/2016

    Olá J. Augusto !!
    Obrigada pelas dicas .
    Tenho umas duvida !
    Deixar as mochila na entrada do parque e a parte de baixa da cachoeira do tabuleiro ... Pode deixa a mochila lá numa boa ?
    O mirante vc visita quando tá indo na parte de cima ou de baixo da cachoeira ??
    Entrada do parque até distrito de tabuleiro é qtos km ??
    Obrigado

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 6/fev/2016

    Sim, é possível deixar a mochila na guarita onde é cobrada a taxa de entrada do Parque.
    Existe um local somente para isso. Pode ir sossegado.
    O mirante é na parte baixa, mas se quiser ir para a parte alta, tem uma trilha saindo à direita e à esquerda da cachoeira. Conforme vc estiver seguindo para a cachoeira, dá para vê-la. Mas é uma trilha cansativa e ingreme.
    Nós pegamos carona da cachoeira até o distrito do Tabuleiro. O trecho não é tão longo, mas é bem ingreme também.
    Abcs

  • Foto de Alexandre S Pinheiro

    Alexandre S Pinheiro 4/mar/2016

    Olá J. Augusto.
    Sou iniciante nesse mundo track! Apesar de ser do interior de MG e ter intimidade com o cerrado, acampamentos. Sei perfeitamente que não é a mesma coisa, mas nao deixa de ser uma experiencia com a adversidade que temos na natureza. Estou programando a travessia para páscoa 25 a 27-03. Eu, meu filho de 12 anos e meu irmão. Você acha que é uma trilha perigosa para meu filho de 12 anos? Nunca fiz trilha com esses GPS, seria difícil ou desaconselhável para que eu faça? O que você teria a me dizer sobre algumas dicas? Muito obrigado.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 4/mar/2016

    Ola Alexandre.
    Não considero difícil essa trilha, mas para pessoas que já tem uma certa experiencia de caminhada.
    Se vc e seu filho nunca fizeram caminhada, eu acho complicado ir para uma trilha.
    A não ser que vc leve um GPS com o tracklog e é claro consiga ler o tracklog.
    Seguindo só com o relato pela mesma trilha que eu fiz, desaconselho.
    É possível também vc seguir pela trilha ao sul, evitando passar pelo topo do pico do breu.
    Eu sugiro que vá com alguem com experiencia em trilhas.
    É mais seguro.

    Abcs

  • Foto de Alexandre Arins

    Alexandre Arins 29/mar/2016

    I have followed this trail  View more

    Eu e minha parceira realizamos esta travessia no começo deste ano, subindo a noite a partir da Lapinha até o "abrigo de montanha" (noite 1), e nos dia seguinte percorrendo todo o trecho até o sítio do Seu Zé (dia 1). Após, fizemos a trilha até a parte alta da cachoeira e descemos (dia 2), pernoitamos em um camping Tabuleiro (camping Poço do Pari), daonde só pudemos visitar a parte baixa na cachoeira dois dias depois quando o tempo melhorou (dia 4).

    Observações:
    -Subimos também o Pico da Lapinha (ou Cruzeiro), um desvio que nos custou umas duas horas, mas que valeu a pena pelo excelente visual. Há duas trilhas que sobem para o cume, recomendo pegar a que vem pelo norte, uma vez que a que sobe pelo sul está em estado bem precário e com trechos de alta exposição a quedas.

    -Com relação ao Pico do Breu, achamos a subida final moderada, porém bastante exposta como descrita no relato, nada que bastante cuidado não resolva. O maior risco mesmo foi a descida em zig-zag do outro lado. Além de cansativa, a ladeira segue por um longo trecho em desnível razoável até o planalto. Acreditamos que este era de fato o trecho de maior risco da travessia, pois um escorregão ali e ia ser difícil o caboclo parar de girar entre as rochas até o planalto ou os vales laterais.

    -Chegando nas proximidades do Sítio da D. Ana, decidimos passar direto até o sítio do Seu Zé, devido ainda estarmos com muito tempo de luz do dia ainda. Neste ponto, desviamos a trilha seguindo outro tracklog que passava a porteira do curral, e subia uma cascalheira. Conseguimos matar alguns quilômetros com este desvio. A esticada foi longa e cansativa mas valeu a pena por termos conseguido subir a parte alta da cachoeira no dia seguinte, algo que não seria possível nos outros devido as fortes chuvas que chegaram no final do dia 3.

    Grato pelo tracklog e informações! Grande abraço!

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 1/abr/2016

    Valeu pelas informações Alexandre.
    Mas só ressaltando que a D. Ana já faleceu.
    Não tenho certeza se alguém da familia dela está cuidando da residencia.
    E dependendo do horario que chegar na Lapinha, vale a pena mesmo subir o Pico. É um belo visual lá de cima.
    Até poderiamos ter esse mesmo visual no topo do Pico do Breu, mas quando chegamos lá o Sol já tinha ido embora.
    Mas vale a pena passar por lá.
    Abcs

  • Matheus Beaumord 18/mai/2016

    O que você me fala de ir guiado pelo celular usando o wikiloc?

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 19/mai/2016

    Em algumas trilhas que faço eu já uso celular com GPS com o tracklog.
    Uso o app da GPX Viewer
    É bem simples e não tem segredo.
    Tem a mesma precisão de um GPS comum.
    Pode ir sossegado.
    Abcs

  • Foto de Jeremias Becker

    Jeremias Becker 3/jun/2016

    Fala J. Augusto! Blz! Primeiramente gostaria de agradecer o track e o relato, muito explicativos e úteis! Fiz a travessia passando pelo Pico da Lapinha e pelo Pico do Breu no último feriado (26/05 à 28/05), e como encontrei muita gente na trilha utilizando seu tracklog, estou passando aqui para deixar minha contribuição para mantê-lo atualizado:
    - Agora existe um posto de controle com cobrança de R$ 20,00 por pessoa, para quem irá fazer a travessia passando pelo Pico da Lapinha e Breu (para quem fizer a rota normal não há). Esta é uma propriedade particular, ao entrar paga-se a taxa, e é preciso assinar um termo de responsabilidade, eles entregam o comprovante do pagamento, ao chegar no abrigo/refúgio o pessoal de lá solicita a apresentação do comprovante. Este foi um ponto que gerou dúvida quando iniciamos a travessia, eu não havia lido em local algum sobre essa cobrança, e primeiramente pensei que pudesse ser algum aproveitador local querendo arrancar dinheiro dos "turistas", mas depois, ao chegarmos no abrigo as coisas ficaram mais claras. Então se houver alguém na portaria cobrando pela entrada não se assuste, este é o procedimento agora!
    - Uma boa notícia é que o proprietário das terras está reformando e ampliando o abrigo/refúgio de montanha. Ao chegarmos lá fomos recebidos pelo "Neném" com um cafézinho que estava sendo passado naquela hora, ele é morador de Lapinha e encarregado pela administração do local e pelas obras que estão acontecendo, um cara muito gente boa, super receptivo e prestativo. O refúgio oferece área de camping, banho quente, foram construídos 2 banheiros novos na área externa, o local está ficando caprichado (posso enviar as fotos). Tomamos um café na chegada, nos ofereceram frutas, e como já estava começado a escurecer (fomos de ônibus partindo de BH) ficamos por ali para o pernoite.
    - Com o falecimento da Dona Ana, este é um novo ponto de apoio, com serviços de refúgio de montanha (mas não oferecem refeições!), tudo incluído nos R$ 20,00 pagos ao entrar na propriedade. Eles ainda irão colocar os marcos/placas para melhorar a indicação da trilha, segundo o Neném, será feito em breve.
    - Montamos a barraca, e fizemos o ataque ao Pico da Lapinha/Cruzeiro para ver o pôr do sol lá de cima, simplesmente incrível!! Recomendo muito!! Voltamos com as headlamps ligadas, é necessário um pouco de atenção na descida do Pico da Lapinha devido as pedras soltas pelo caminho.

  • Foto de Jeremias Becker

    Jeremias Becker 3/jun/2016

    - De volta ao abrigo tomamos um banho quente, e fomos preparar o jantar. É possível usar o fogão a lenha para preparar o jantar. Estava frio do lado de fora, então todo mundo dentro do abrigo cozinhando, jantando, preparando guloseimas, tomando vinho, batendo papo.
    - Na manhã seguinte partimos direto para o Pico do Breu, e aqui cabe uma informação relevante, para o Neném e para os moradores locais, quando eles falam "Pico do Breu", estão se referindo à aquele monte em frente ao Pico da Lapinha (sentido norte), o refúgio fica no meio destes dois picos, ao sul Pico da Lapinha, e ao norte Pico do Breu (para os locais). A montanha que nós chamamos de "Pico do Breu", de onde se tem a vista 360° da região, os locais chamam de "Falso Breu", e a que os locais chamam de "Pico do Breu", ficou conhecida como "Pico do Brou", isso causou confusão no início das conversas com o Neném, mas depois ele explicou a origem do nome "Pico do Breu" para os locais, e realmente faz mais sentido a denominação local, mas essa explicação deixo para quem voltar lá para prosear com ele.
    - Outro ponto relevante, é que com a permanência do pessoal no refúgio, eles se responsabilizam para garantir que ninguém se perca dentro da propriedade, por isso depois que os grupos saem, Neném vai seguindo o pessoal até o Pico do Breu (para ele "Falso Breu"). Vi ele acompanhar um grupo que não quis pernoitar no abrigo na quinta a noite, ele foi acompanhando-os e retornou horas mais tarde. Na manhã quando partimos, subimos a encosta do Pico do Breu, e depois de algum tempo lá atrás vinha o Neném com sua camisa cor laranja, e com uma bandeira também laranja para garantir que ninguém tenha ficado pelo caminho. Reencontramos ele no cume do Pico do Breu, de onde ele acompanhava o pessoal se dirigindo até a Prainha. Quando o pessoal perde o rumo, ele assovia e indica a direção correta com a bandeira.
    - Ficamos um tempo ali apreciando o visual e proseando com o Neném, e descemos pela encosta repleta de pedras soltas (bastões de caminhada ajudaram muito aqui), ao invés de seguirmos a trilha normal, optamos por pegar uma diagonal do cume do Breu até a Prainha, não há trilha demarcada, mas com o tempo limpo a navegação é fácil, atravessamos o rio Cipó exatamente por trás da Prainha onde o pessoal acampa, passamos com água pelo joelho sem maiores problemas.

  • Foto de Jeremias Becker

    Jeremias Becker 3/jun/2016

    - Encontramos o sobrinho da falecida Ana Benta na casa, mas não é certeza dele está lá sempre.
    - Existe ainda um outro local de apoio na região que é a casa do Seu Chico Niquinha (ele também recebe os viajantes), fica em uma posição intermediária entre a casa da Dona Ana Benta, e a casa do Seu Zé/Dona Maria, mas é preciso pegar um desvio à direita na trilha principal, a maioria do pessoal nem sabe que existe. Vale a pena ter estes pontos gravados no GPS, ou no mapa para auxiliar a navegação, e também em caso de alguma emergência.
    - Na casa do Seu Zé/Dona Maria haviam mais de 70 barracas, como de praxe ele não cobra pelo camping, nem pelo banho frio. Conseguimos entrar na fila do banho quente (fui o número 73 da lista), e ainda conseguimos pegar o jantar muito saboroso preparado pela Dona Maria. Como era feriado, e havia muita gente, a família dele estava lá para auxiliar na logística, tinha cerveja e refrigerante lata (R$ 5,00). Sua hospitalidade e simplicidade sempre muito marcantes.
    - Apenas para complementar ainda, quem vai para a cabeceira da cachoeira do Tabuleiro partindo da casa do seu Zé, e depois irá descer para a portaria, no retorno não é preciso necessariamente retornar até a casa dele para descer a portaria, no caminho de volta existe um atalho indicado por estacas brancas escrito "trilha sede" (ao lado direito de quem está retornando da cabeceira), este atalho economiza um bom tempo, e leva direto a trilha desce para a portaria do parque.
    Fica aqui minha contribuição/atualização, e o meu agradecimento!
    Abraço!

  • Foto de Jeremias Becker

    Jeremias Becker 3/jun/2016

    I have followed this trail  View more

    Excelente tracklog, e ótimas informações de referência!
    Não é indicado para inexperientes, neste caso é melhor fazer a rota normal primeiro.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 6/jun/2016

    Informações muito boas Jeremias, principalmente os abrigos.
    Vou pegar alguns trechos e colocar no meu relato lá do blog, citando sua autoria, ok.
    Pode ajudar muita gente.
    Esse Abrigo é uma ótima opção de pernoite, mesmo sendo cobrado essa taxa de $20.
    Na época que passamos ele estava fechado.
    Bom saber que agora fica alguém no local.
    Valeu pelo relato.
    Abcs

  • raimundo779 8/jun/2016

    I have followed this trail  View more

    Muito boa referência. Foi de muita ajuda na travessia

  • Foto de carlospinheiro

    carlospinheiro 28/abr/2017

    Caro Augusto, boa tarde!
    Usei seu tracklock para fazer a trilha Lapinha da Serra -Tabuleiro em família.
    Bobiei com o registro dos waypoints mas registrei o essencial da caminhada.
    O relato de nossa aventura está mostrado em
    https://www.facebook.com/carlos.basiliopinheiro/posts/1042360899229674.
    Fica aqui registrado nosso agradecimento. Suas dicas foram muito valiosas.
    Abc.
    Carlos

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 29/abr/2017

    Oi Carlos, tudo bem?
    Que bom que deu tudo certo com vcs.
    Não precisa agradecer não.
    Esse é o meu intuito. Que o tracklog ajude outras pessoas.
    Eu não tenho cadastro nas redes sociais e infelizmente não estou conseguindo ler o seu relato.
    Boas caminhadas.
    Abcs

  • Foto de Alexandre_Mendes

    Alexandre_Mendes 15/dez/2017

    Sou novo por aqui, mas vi que seu relato e tracklog ajudaram bastante as pessoas. Pretendo fazer essa travessia no Carnaval de 2018, sei que normalmente é muito cheio nesse época. Mas, como tenho outros projetos para o ano que vem, foi a única data que me sobrou. Faço parte de um grupo de amigos montanhistas daqui do Rio de Janeiro, a maioria com experiência em escalada e montanha.
    Itens que gostaria da sua análise.
    -Sairemos do RJ no sábado bem cedo, pernoite em Lapinha da Serra (camping Du Breu)
    - No domingo caminhar até a casa da Dona Maria/Zé Olinda (quais os custos?)
    - Na segunda, fazer a parte alta da cachoeira e voltar para D. Maria (o que mais poderia fazer nesse dia? Nas proximidades da casa?)
    - Na terça, visitar a parte baixa da cachoeira e fechar a travessia, sendo resgatados e retornar para Lapinha, buscar os carros e retornar ao RJ.
    - É necessário/obrigatório contratar guia local? A princípio, a ideia do grupo é fazer sem a contratação de guia.
    Desde já, agradeço a ajuda
    Alexandre Mendes

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 16/dez/2017

    E aí blz?
    - Fiquei sabendo que ano passado criaram um posto de controle no inicio da trilha e estão cobrando uma taxa de $20 Reais/pessoa. Esse é o custo que vc terá para chegar na casa da D. Maria.
    - Saindo da D.Maria é uma longa descida até chegar no topo da Cachoeira do Tabuleiro. Se puder aproveite nos vários poçoes que existem no rio. Vale a pena.
    E perto da casa dela tem uma outra cachoeira, a da Escadinha. Não fica tão longe.
    - Pode ir sossegado. Não existe a obrigatoriedade de guia nessa região.
    Para essa região, aqui no wikiloc vc encontra muitos tracklogs.

    Abcs

  • Foto de Heitor Tosetto

    Heitor Tosetto 25/jan/2018

    J.A. quantas horas de caminhada até a dona Maria?

  • Foto de Lauro Queiroz

    Lauro Queiroz 3/fev/2018

    I have followed this trail  View more

    Inesquecível

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 3/fev/2018

    Blz Heitor
    Acampamos na Prainha e chegamos na D. Maria 12h30min
    É uma caminhada rapida.
    Veja no relato todos os tempos.
    Abcs

  • Foto de danieldct

    danieldct 2/set/2018

    Oi Augusto, estou querendo fazer essa travessia de Lapinha até Tabuleiro. Se for com GPS consigo chegar tranquilamente? O guia está cobrando 150 por pessoa, então sem chances.

  • Foto de Adelino Garcia

    Adelino Garcia 3/set/2018

    Amigo. Isso esse mesmo tracklog do Augusto. Pode ir sem problemas que a trilha é tranqüila. Apenas precisa ter um pouco de noção de Navegação.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 3/set/2018

    Oi Daniel, tudo bem.
    Como o Adelino já disse, pode ir sem problemas.
    A trilha não tem muita dificuldade. Por ser area de cerrado, a navegação é quase que no visual na maior parte dos trechos.
    E claro ter um pouco de conhecimento de navegação com GPS.
    Eu uso o do celular mesmo com algum app de navegação (o Wikiloc é muito bom) e tomo o cuidado para que a bateria dure o maximo possível.

    Abcs

  • Foto de danieldct

    danieldct 3/set/2018

    Muitíssimo obrigado. Vou usar sua track é já está programado tudo para o dia 29 de setembro agora. Outra pergunta, o que vocês acham melhor, fazer duas pernoites uma na casa da dona Ana e a outra no senhor Chicou ou não tem necessidade de 2 noites.

    A ideia era começar no dia 29, e terminar no dia 01 de Outubro, totalizando 3 dias e 2 noites, porém alguns amigos perguntaram se da dá pra fazer em 2 dias com 1 pernoite.

    Qual sua opinião???

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 3/set/2018

    Blz Daniel.
    O número de pernoites depende muito do horário de saída da Lapinha e dos lugares que vc quer passar.
    Como já disse o Fred dá para fazer em 2 dias sem correria.
    Mas no nosso caso, iniciamos a tarde na Lapinha e queríamos chegar no topo da cachoeira do Tabuleiro , por isso foram 2 pernoites.
    E com certeza, vale a pena chegar no topo do Tabuleiro até Por do Sol.
    E nossa intenção era voltar para BH ainda no último dia, antes do anoitecer.
    No relato que coloquei no blog, lá tem os tempos e pode ser uma referência para vc.

    Boa sorte
    Abcs

  • Foto de Marcotrilha

    Marcotrilha 2/out/2018

    Essa eu quero fazer... em breve, vou ler com calma todos os comentários ,baixar os wp, e partir para essa aventura.

You can or this trail