Tempo em movimento  7 horas 54 minutos

Horas  um dia 22 horas 15 minutos

Coordenadas 8721

Uploaded 9 de Setembro de 2018

Recorded Setembro 2018

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
776 m
1 m
0
15
29
58,18 km

Visualizado 928 vezes, baixado 44 vezes

próximo a Vila Nova Esperança, São Paulo (Brazil)

Travessia Rio Branquinho - Parelheiros x Itanhaém.

Travessia realizada em 6 pessoas no feriado 7 de setembro até o dia 9.

Iniciamos a travessia no bairro Barragem em Parelheiros por volta das 16:00, em ritmo bom foi possível alcançar os trilhos em 1 hora de caminhada, passamos pela encruzilhada que costuma ter guarda e demos sorte (não tinha), poucos minutos depois conseguimos carona no trem de carga (mais sorte ainda), a carona nos poupou alguns km, infelizmente o trem parou pouco antes do túnel 27 (próximo da entrada da usina, continuamos a caminhada e alcançamos o Tunel 24 quando escureceu (local escolhido para pernoitar em modo Bivak, infelizmente nossa sorte acabou e o local estava cheio de gente Roots, bebendo e gritando por todo lado... Após nossa decepção com o local escolhido, optamos por uma clareira após o Tunel 24 a 3 metros dos trilhos (sim o barulho do trem era mais agradável do que pessoal gritando)... Ninguém dormiu, por sorte levamos o UNO.
No dia seguinte seguimos em diante com a adrenalina a mil pois nenhum do grupo já tinha realizado está travessia e dali pra frente era novidade para rodos.... Seguimo descendo as pirambeiras da serra em ritmo calmo e infelizmente até ali tinha vestígios de farofeiros (alguém cagou no meio da trilha deixando tudo exposto com o papel jogado, um dos nossos fez o favor de enterrar), logo após a surpresinha chegamos a uma clareira e ao lado o primeiro poção em um dos afluentes do rio branco, mergulhamos rápido e logo seguimos a trilha até o famigerado Rio Branco...
Após chegar no rio branco seguimos pela água até encontrar o segundo poção, muito mais legal... Mergulhamos novamente e paremos para um lanche, na clareira ao lado do poção havia muito lixo (pensei que o local não iam farofeiros, me enganei), dali em diant seguimos por trilha nas margens do rio, neste ponto tive a impressão de ver movimento na mata e alguns minutos depois escutei um breve som que abra Porco, para não deixar o pessoal aflito nem comentei..... Após algumas horas de caminhada sai da trilha e voltei pro rio, ao perceber que estávamos muito devagar tentamos voltar para a trilha só que não foi fácil encontrá-la, ainda bem q tínhamos o vendido wikiloc, após um breve vara mato no leito voltamos para a trilha e logo depois chegamos a outro rio famigerado, o grande Capivari (mesmo rio da cachoeira da usina), mudamos de margem e nos embrenhando na mata (outra vez barulho de porco), seguimos por uma trilha que serpenteava e parecia sem fim, até encontrar a prioridade do Sr. Veratupã ou Henrique...
A residência do Sr. Henrique era bem simples, muitos animais para abate e muitas frutas, além do palmito para todo lado (ganhamos 1 metro de palmito cortado na hora, deu dó da árvore), deixamos muito alimento com o Sr. Henrique, além de uma corda (que achei no rio Quilombo), roupas e um facão (que achei no rio Mogi), ramos convidados para acampar la, porém já tínhamos outros planos...
Seguimos em frente até a aldeia principal, logo avistamos um indio nos chamando com um facão na mão (pensei agora morri), o mesmo só queria bater papo e saber de onde viemos, já que a entrada da aldeia é proibida e estávamos saindo... Logo depois apertamos o paço e saímos logo da aldeia (senti uma hostilidade), após sair da aldeia chegamos no ponto do segundo acampamento planejado, a pouco conhecida cachoeira das 3 quedas, ainda estava claro e montamos acampamento, logo colocamos o palmito para cozinhar (foi a melhor janta de acampamento que já comi)..
Terceiro dia seguimos pela estrada e sem novidade, conseguimos carona até a praia em um uno (coube 6 pessoas + motorista).
Chegamos na praia por volta das 14:00 e assim finalizamos nosso objetivo.

Apesar de ter realizado está travessia sem dificuldades, classifique a mesma como "Apenas para experientes" por analisar todos os riscos que passamos ali, só que por sorte avistamos todos.

Dificuldade técnica: Intermediário com poucos pontos complicados.
Dificuldade física: intensa.
Exposição aos elementos: total.
Exposição a riscos: total.
Navegação: Complicada.
Indícios de palmiteiros por todo trajeto.
Chance de resgate rápido neste local isolado: Complicado.

Dica: vá preparado.
Respeite os moradores da selva.
Pessoal não cansa de querer converter os índios.

33 comentários

  • Foto de Sheila Santos Vieira

    Sheila Santos Vieira 17/nov/2018

    Olá Rodrigo tudo bem? Gostei da sua trekking, estou pretendendo ir no próximo mês com um grupo de amigos. O que vc achou é tranquilo fazer sem guia, a trilha é bem marcada? Vocês foram até o bar do Zé pretinho e de lá que conseguiram a carona com o uno? Abço Sheila

  • Foto de Cristian e Helo

    Cristian e Helo 20/nov/2018

    Show de bola Rodrigo. Estou indo com minha esposa e cunhada... estava pensando em contratar o índio para o trajeto mais complexo, mas percebi que da pra fazer tranquilo! Obrigado pelas informações

  • Foto de Rodrigo AGC

    Rodrigo AGC 20/nov/2018

    Sheila, tome cuidado com quem se diz guia e faz essa trilha, procure pessoas experinestes ou que já tenha feito essa Travessia.
    Lembrando que passa por terra indígena, entrar aí é crime federal.
    Obs. Bar do Zé pretinho estava fechado as duas vezes que passei na frente...

  • Foto de Rodrigo AGC

    Rodrigo AGC 20/nov/2018

    Cristian, é relativamente tranquila.
    Por todo caminho se vê marcas de palmiteitos e cassadores (índios), nem todos são amigáveis, mas todos estão sempre bêbados..
    Recomendo ir com pessoas experientes além de certo volume de pessoas para ficar mais seguro.
    Levem comida para o índio VeraTupã, ele aceita utensílios de cozinha, facão e roupas, estava precisando de um cinto, agradem esse índio e terá passagem segura.

  • Foto de Sheila Santos Vieira

    Sheila Santos Vieira 20/nov/2018

    Obrigada Rodrigo pelas informações, pretendo ir com um grupo de 9 pessoas, 1 delas já fez a trilha há muito tempo. Mas estamos querendo ir sem guia mesmo! Vamos levar alimentos para os entregar nas 2 tribos.
    Pensamos em conseguir algum carro pra esperar a gente no bar do Zé pretinho, pq o caminho até a praia é longo e muito difícil de conseguir carona. Vlw obrigada pelas dicas

  • Foto de Rodrigo AGC

    Rodrigo AGC 20/nov/2018

    Sobre o carro fala para esperar vcs na cachoeira 3 quedras, super conhecida e sem erro, se for no bar o caminho será longo...

  • Foto de Rodrigo AGC

    Rodrigo AGC 20/nov/2018

    Na segunda aldeia da pra levar só coisas para crianças.

  • Foto de Sheila Santos Vieira

    Sheila Santos Vieira 20/nov/2018

    Bom saber sobre as aldeias para termos noção do que levar. Obrigada

  • Foto de Rodrigo AGC

    Rodrigo AGC 20/nov/2018

    Na verdade é apenas 1 aldeia, o índio que mora isolado é o VeraTupã, ele vive como se fosse em um sítio, a segunda aldeia parece uma comunidade o pessoal lá não é muito amigável, bem início tem um índio chamado Rick, ele também pede coisas e não tem uma cara muito boa...
    É cheio de crianças q pedem coisas, se for levar doces de preferência para aqueles mais naturais vende em casa do norte, não leve esses industrializados (vai q faz mal né?).

  • Foto de Rodrigo AGC

    Rodrigo AGC 20/nov/2018

    Na entrada da cachoeira tem um estacionamento, é possível esperar o carro lá, é na mesma estrada após a aldeia

  • Foto de Sheila Santos Vieira

    Sheila Santos Vieira 20/nov/2018

    Verdade melhor levar algo mais natural, muito legal de sua parte compartilhar essas dicas, obrigada mesmo. Irei combinar com a galera pra levarmos as coisas pra eles. Afinal estaremos entrando na propriedade deles e quanto mais amigável formos melhor né

  • Foto de Rodrigo AGC

    Rodrigo AGC 20/nov/2018

    Não levem pessoas sem o equipamento básico e sem experiência, qualquer problema vcs estão por conta própria, o isolamento é quase total.

  • Foto de Sheila Santos Vieira

    Sheila Santos Vieira 20/nov/2018

    Ótimo, irei conversar com a pessoa que nos levar e pedir pra pegar a gente lá.

  • Foto de Sheila Santos Vieira

    Sheila Santos Vieira 20/nov/2018

    Exatamente Rodrigo, não falamos com mais pessoas já por esse motivo, algumas pessoas querendo ir , mas deixamos bem reservado já por conta da dificuldade e do isolamento.

  • CarolBella 22/nov/2018

    Olá pessoas, eu moro em Itanhaém, já fui na cachoeira das 3 quedas, porém nunca fiz a trilha do Rio Branquinho, pelo relato do Rodrigo que é bem recente, parece que a trilha já está bem marcada, comparado com relatos mais antigos de 2, 3 anos atrás.
    Acho que vou fazer ela invertida hehe
    Levando em conta que já conheço a imensidão da estrada que vai para 3 quedas e a facilidade que é mais fácil arrumar transporte daqui pra lá, do que de lá pra cá.
    Uma pergunta, o que vcs levaram de equipamentos?
    Eu pensei em levar o básico, barraca, rango, um bom façao, primeiros socorros e um mapa claro.
    Vlw

  • Foto de Rodrigo AGC

    Rodrigo AGC 22/nov/2018

    Invertido só aumenta a dificuldade, recomendo fazer descendo e depois subir se quiser, essa não é uma trilha para inexperientes corajosos, tenham cautela pq se alguém se funicar ali vai sobrar pra todo mundo.

  • CarolBella 22/nov/2018

    É que nem eu costumo dizer, não importa a trilha, se é fácil ou Hard, se é longa ou curta e nem o grau de experiência. Os segredos para qualquer trekking bem sucessedido é cautela triplicada, se manter calmo para se algo não sair como planejado e sempre um plano b.
    Se vc for cauteloso a cada passo vc reduz em 90% de sofrer um acidente por pura burrice, se manter frio e calmo te ajuda a pensar em uma solução para o problema e ter um plano b ajuda muito nos imprevistos.
    Mas obrigada pela dica, acho que vou usar o segredo um e fazer primeiro descendo e no futuro com mais experiência e um conhecimento melhor da trilha fazer subindo ;)

  • Foto de Rodrigo AGC

    Rodrigo AGC 22/nov/2018

    Vc esqueceu de se atender a outro problema, assalto... Subindo seu risco será só esse.
    Não esqueca dos casos de desaparecidos aí neste ponto.

  • Foto de Rodrigo AGC

    Rodrigo AGC 22/nov/2018

    Boa trilha

  • Foto de Paulokrg

    Paulokrg 9/dez/2018

    Voce gravou essa trilha no Wikiloc enquanto fazia a trekking ? Essa trekking é de confiança para segui-la durante a travessia? Estou pensando em fazer esse rolê, mas como não conheço nenhum guia dessa travessia, estou pensando em ir com um grupo de amigos na raça mesmo. O meu receio é apenas bifurcações, tem muitas bifurcações? Ou dá para entender o caminho de boa, tipo: ''trilha, bem demarcada,''

  • Foto de Rodrigo AGC

    Rodrigo AGC 10/dez/2018

    Paulo, acredito que todas as suas duvidas seriam respondidas apenas se você lesse o relato acima.
    Estudei essa trilha, trajeto, relatos e geografia do local por mais de um ano antes de realizar a travessia, não subestime a trilha e sim gravei durante o percurso, é fácil identificar uma trilha desenhada a mão e uma trilha que foi gravada durante o percurso.

    Não indico para inexperientes, estude antes de ir e convide amigos que realmente preparados.

    Boa trilha.

  • Foto de Paulokrg

    Paulokrg 10/dez/2018

    Oh cara, desculpe minha ignorância. Eu li o relato, e no relato não diz se há ou não bifurcações. Não afirma se a trilha foi ou não gravada ( e eu perguntei se foi ou não gravada pois já segui trilhas que foram desenhadas e pareciam ser gravadas, por isso por precaução agora eu sempre confirmo.) E no relato não há tantos detalhes das características da trilha. Posso estar parecendo exigente demais, mas não é exigência, foram dúvidas, por isso perguntei. De qualquer forma, desculpe e muito obrigado.

  • Foto de Rodrigo AGC

    Rodrigo AGC 10/dez/2018

    "Essa trekking é de confiança para segui-la durante a travessia" Pra que vou ter o trabalho de gravar esse carai de trilha e postar aqui pra não ser de confiança ??????????????

    Boa trilha

  • Foto de Rodrigo AGC

    Rodrigo AGC 10/dez/2018

    *e eu perguntei se foi ou não gravada pois já segui trilhas que foram desenhadas e pareciam ser gravadas, por isso por precaução agora eu sempre confirmo*
    Basta ver o tempo em movimento, quando você desenha a mão o tempo em movimento da trilha é ZERO.
    .
    *E no relato não há tantos detalhes das características da trilha. Posso estar parecendo exigente demais, mas não é exigência, foram dúvidas, por isso perguntei*
    Não foram perguntas exigentes, ta longe disso, te dei a dica de ouro falando que estudei essa trilha mais de um ano antes de fazer, veja a geografia da trilha e você terá certeza que a bifurcação é o menor dos problemas.

    Alem disso você pode checar as dificuldades da trilha que sempre são discriminadas de maneira independe para voce saber como se preparar:
    Dificuldade técnica: INTERMEDIÁRIO COM POUCOS PONTOS COMPLICADOS.
    Dificuldade física: INTENSA.
    Exposição aos elementos: TOTAL.
    Exposição a riscos: TOTAL.
    Navegação: COMPLICADA.
    Indícios de palmiteiros por todo trajeto.
    Chance de resgate rápido neste local isolado: COMPLICADO.

  • Foto de Renato Santos Cardoso

    Renato Santos Cardoso 11/dez/2018

    Valew Rodrigo, meu muito obrigado! Seguimos sua trilha esse fim de semana, e nossa aventura foi um sucesso.
    Só não encontramos trilha em alguns pontos ao seguir o rio branco, mas de resto foi show de bola!
    Tem muitas arvores caídas no caminho e muitas trilhas se perdem ai!

  • Foto de Rodrigo AGC

    Rodrigo AGC 11/dez/2018

    Curtiu a trilha??? Achou o VeraTupã?

  • Foto de Renato Santos Cardoso

    Renato Santos Cardoso 11/dez/2018

    Curtimos de mais! Foi show de bola. Aquele índio é um barato kkkk mas os outros são sérios e não nos deram a mínima e ainda pergutaram se tínhamos facão sobrando kkk

  • Foto de Rodrigo AGC

    Rodrigo AGC 17/dez/2018

    Fica fora da aldeia no final, ela está marcada no tracklog.

  • Foto de vasny

    vasny 31/dez/2018

    Valew

  • Foto de juniorcasio

    juniorcasio 4/jan/2019

    Fizemos apenas com o GPS do celular, asvezes demorava para carregar mas deu pra fazer de boa, tem muitas árvores caídas, e tem muitos mosquitos por lá, vimos uma lanterna passar pela barraca em uma das noites, saímos pra ver e já tinha passado, talvez era um índio, mas assustou kk, obrigado irmao ajudou muito

  • Foto de Rodrigo AGC

    Rodrigo AGC 4/jan/2019

    Parabéns pela conquista

  • Foto de vasny

    vasny 5/jan/2019

    Valew o app deixou a desejar. Falhou muito mais consegui fazer com sucesso tinha muitas árvores caída no meio do caminho, principalmente depois que cruza o rio , consegui fazer eu minha esposa minha entiada e minha sogra kkkkkkkkk valeu cara obrigado aí , foi uma aventura e tanto

  • Foto de vasny

    vasny 5/jan/2019

    Ao meu ponto de ver essa trilha não é difícil , mas vai do conhecimento de dá situação física de cada um

You can or this trail