Coordenadas 1423

Uploaded 1 de Agosto de 2019

Recorded Agosto 2019

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1.160 m
713 m
0
5,2
10
20,93 km

Visualizado 740 vezes, baixado 37 vezes

próximo a São João dAliança, Goiás (Brazil)

ATENÇÃO:
- Esta trilha está situada em ambiente sensível e em terras privadas, com pernoite em propriedade rural familiar. A conduta consciente dos visitantes é essencial para que a visitação continue autorizada. Respeite as regras e costumes locais. É desaconselhado o consumo de bebidas alcoólicas e outras substâncias e uso de som alto.
- Recomenda-se a visitação em grupos pequenos, de no máximo 6 pessoas.
- A abertura e sinalização é fruto do trabalho de voluntários no âmbito do projeto ‘Caminho dos Veadeiros’. Não danifique, remova ou altere a sinalização.
- Leve todo seu lixo de volta. O lixo orgânico pode ser deixado na fazenda do Alex.
- As informações aqui contidas não são um incentivo a visitas desprogramadas ou despreparadas. Trata-se de rota de trekking em ambiente natural, sendo necessário conhecimento das técnicas, equipamentos e riscos envolvidos. Você é o principal responsável por sua própria segurança. Na dúvida, contrate um guia.

DESCRIÇÃO:
Localização: São João d´Aliança (GO)
Extensão: 20,9 km (ida)
Tipo: Travessia
Duração: dois dias com pernoite; pode ser percorrida em um único dia.
Navegação: Fácil, Sinalizada. Seguir a marca do Caminho dos Veadeiros. No sentido Sul-Norte seguir as pegadas amarelas em fundo preto. No sentido Norte-Sul segue-se as pegadas pretas em fundo amarelo, porém a sinalização ainda não está completa neste sentido. (Atenção: pode ocorrer desgaste da sinalização e mudanças no ambiente. Recomenda-se levar GPS ou celular com aplicativo GPS como backup para navegação)
Severidade do meio: Moderada
Esforço físico: Moderado
Tipo de terreno/ambiente: Terreno pedregoso e íngreme, pedras soltas, exposição ao sol na parte alta, pedras escorregadias especialmente nas cachoeiras (risco de morte)
Custos: não há cobrança de ingressos; camping na Fazenda do Alex R$ 20,00
Aviso prévio: Não
Obrigatoriedade de guia: Não
Melhor época: a trilha pode ser percorrida o ano todo, sendo a melhor época de maio a setembro. Os meses de outubro a abril correspondem a estação chuvosa e há risco de cabeça d´água nos rios e cachoeiras. Recomenda-se evitar a estação chuvosa ou ter cuidado redobrado. Se necessário, contrate um guia.
Acesso: saindo do restaurante Chapéu de Sol, em São João d´Aliança, siga aproximadamente 11 km na BR 010 até a altura de um ponto de ônibus. Entre a direita na GO 236 e siga 8km em estrada de chão até o acesso para estrada da Cachoeira das Andorinhas (há uma sinalização do Caminho dos Veadeiros em um mourão à direita - pegada preta em fundo amarelo). Siga mais 2 km até a área de estacionamento e ponto de início da Travessia.

DIA 1
A trilha tem início na área de estacionamento da Cachoeira das Andorinhas. Segue-se as marcas do Caminho dos Veadeiros para chegar ao rio e acessar os poços superiores. Para ter visão da cachoeira das Andorinhas cruze o rio e continue reto. Após afastar-se do rio caminhe atentando para a direita. Procure as marcas amarelas nas árvores e siga-as. São aproximadamente 15 min do rio até a base da Cachoeira das Andorinhas (Atenção: as pedras abaixo da queda são escorregadias e o terreno bastante inclinado, havendo risco de lesões e até mesmo morte. As melhores áreas para banho são os poços na parte alta. A água do córrego no poço superior é potável. Evite o uso de sabonete, shampoos ou detergente). O próximo ponto de água está a 7,5 km de distância, recomenda-se abastecer os cantis na queda ou no veio d´água do poço superior (Nascente).

Para continuar a travessia, retorne ao rio e continue a seguir a sinalização do Caminho dos Veadeiros, caminhando por uma antiga trilha cavaleira ainda utilizada por moradores e animais da região. Após 1,5 km chega-se ao Mirante do Vale do Extrema. Dali segue-se mais 330m até uma estrada de terra, onde toma-se a direita, sendo necessário cruzar a cerca, adentrando na propriedade do Sr. Aprígio. A caminhada segue por estrada por mais 4,5 km até a descida da serra por trilha cavaleira antiga. A descida possui pedras soltas e alguns pontos bastante íngremes, recomendando-se cautela. Parte do caminho pode estar tomado por mato fechado o que pode dificultar a caminhada. No final da descida chega-se a um córrego de água limpa e gelada que nasce na propriedade e onde é possível abastecer os cantis/garrafas. A trilha segue até uma cerca de madeira que deve ser cruzada. Segue-se então ora pelas pedras no leito, ora pelas margens, até acompanhar um cano azul na margem esquerda e sair da mata fechada em uma área de pasto. Em mais alguns km chega-se a sede da fazenda, onde moram Alex e Juliana e onde é possível pernoitar.

A área ainda não conta com estrutura complexa para camping, mas há muito espaço para armar barracas. É possível utilizar o banheiro e chuveiro da casa. A água da pia externa é potável. O valor do pernoite é de R$ 20,00 e deve ser pago em dinheiro ao Alex ou Juliana.

DIA 2
No segundo dia é possível visitar a Cachoeira São Mateus (ou Cachoeira do Alex), a menos de 1 km da sede da fazenda. A trilha é bem batida e há poços para banho na parte alta e baixa da cachoeira. A travessia segue da sede da fazenda por estrada, sendo possível contemplar os paredões da serra. Após 1,3 km chega-se ao Palmeiral, área onde toda a vegetação foi retirada para plantio de pasto, exceto as palmeiras. A estrada passa por uma sede de fazenda abandonada e começa a subir. Aproximadamente 3,3 km após a fazenda do Alex, há uma bifurcação: à direita a casa de Nilza e Virgílio, onde é possível abastecer de água e comprar doce de leite artesanal; à esquerda continua-se a subida da estrada, margeando o Morro do Chapéu. A subida é exigente. É possível ascender até o cume do morro, que oferece uma vista única do Vale do Paranã. (Atenção, não há trilha aberta ou demarcada para o cume do Morro do Chapéu e há presença de animais peçonhentos. Recomenda-se atenção redobrada e uso de perneira). O ponto de referência para resgate/final da travessia é a Fazenda Eliza, distante 2km da base do Morro do Chapéu.

CONTATOS:
Geraldo Bertelli (translado, informações, pernoite em São João d´Aliança): 62 996694729
Zéria (translado, informações, guia): 62 998461082
Alex (informações, camping): 62 996663846
Samuel (aluguel de equipamentos em Brasília): 61 999338383
Chapéu de Sol (pernoite em São João d´Aliança): 62 996461621
Pousada Vitória (pernoite em São João d´Aliança): 62 996487792
Hotel Almeida (pernoite em São João d´Aliança): 62 3438-1923

Obs. adicionais: esta travessia pode ser combinada com parte da Seção SJ02, iniciando na região das Duas Cruzes/Fazenda do Japonês, adicionando mais 8 km (ver Travessia Duas Cruzes-Morro do Chapéu)

- NÃO DANIFIQUE OU REMOVA A SINALIZAÇÃO!

- EVITE A INSTAGRAMIZAÇÃO DESTE LUGAR! APRECIE MAIS E POSTE MENOS!

- NÃO LEVE CAIXAS DE SOM OU FAÇA CHURRASCO NA CACHOEIRA OU CAMPING, POIS TRATA-SE DE AMBIENTE SENSÍVEL COM PRESENÇA DE ANIMAIS SILVESTRES. PARA ESSE TIPO DE COMPORTAMENTO, PROCURE UM CLUBE OU CHÁCARA!
Waypoint

Acesso GO236

Waypoint

AcessoAndorinhas

Waypoint

Início

Waypoint

Nascente

Waypoint

Poço/H2O

Waypoint

Poço/H2O

Waypoint

Cachoeira das Andorinhas

Waypoint

Mirante Vale do Extrema

Waypoint

Mirante Vale do Paranã

Waypoint

H2O

Waypoint

Cerca

Waypoint

Alex & Juliana(camping;apoio)

Waypoint

Cachoeira do Alex

Waypoint

Palmeiral

Waypoint

Sede Abandonada

Waypoint

D. Nilza

Waypoint

Mirante

Waypoint

Cume Morro do Chapéu

Waypoint

Fim

Waypoint

Faz. Elisa

16 comentários

  • Foto de Marcio Bittencourt

    Marcio Bittencourt 1/ago/2019

    Parabéns aos voluntários do Caminho dos Veadeiros pelo excelente trabalho de exploração e sinalização.

  • Foto de Bikeando

    Bikeando 2/ago/2019

    Parabéns! Além de disponibilizar a trilha, todo o cuidado em descrever e alertar para cuidados básicos e atenção à preservação do ambiente. Estive em janeiro na Chapada dos Verdadeiros. Mas devido a uma queda na Cachoeira do Segredo, por desequilíbrio, tive de interromper a viagem. Com isso, pretendo retornar. E, com certeza, está será uma trilha a ser apreciada...

  • Guilherme Siqueira 2/ago/2019

    Ano passado fizemos a Trilha das 7 Quedas. Este ano já estamos programando fazer esta nova trilha. Parabéns aos voluntários. Vamos preservar a Chapada dos Veadeiros e o Cerrado, uma das maiores riquezas do Brasil, tão esquecido. Abçs

  • Foto de Leidimara

    Leidimara 13/ago/2019

    O telefone do Alex/ Juliana não existe. Tem algum outro número? Pretendo fazer a travessia e gostaria de combinar com eles sobre a estadia na fazenda.

  • Foto de matheus.gorila

    matheus.gorila 20/ago/2019

    Leidimara, vc tentou ligar ou mandar zap? Porque acho que eles não têm zap. Se tentou ligar, não sei o que pode ter acontecido... Mas tente falar com Samuel ou Geraldo, eles podem passar o número de Alex/Juliana pra você.

  • Foto de Leidimara

    Leidimara 20/ago/2019

    Olá, Matheus! Falei com Sr Geraldo na semana passada e ele me passou outro número e disse que é muito difícil falar com eles mesmo... Já tentei, mas até agora nada. De qualquer forma, obrigada!

  • Foto de matheus.gorila

    matheus.gorila 20/ago/2019

    Por nada. No mais, eles são super tranquilos e receptivos, caso não consiga ligar, não deixe de ir por isso. Eles a receberão muito bem. Como são pequenos produtores, estão sempre por lá.

  • Foto de Márcio Barros

    Márcio Barros 20/ago/2019

    Só vai e seja feliz, eles estarão por lá.

  • Steffanops 28/ago/2019

    Descrição muito bem feita! Muito obrigado! É possível deixar carro estacionado na Fazenda Eliza para pegar após o término da travessia?

  • Foto de Márcio Barros

    Márcio Barros 28/ago/2019

    É possível sim. Também pode parar na andorinhas, sair para a travessia e pegar o carro lá na volta. Também da pra deixar na cidade e contratar um resgate. O Sr Geraldo Hermes está organizando essa logística por lá por enquanto

  • kaithe 3/set/2019

    Bom dia, saberia me informar se é longe da Fazenda Eliza para o início da trilha indo pela estrada? A pergunta é que estou querendo realizar a travessia na sexta e estava pensando em deixar o carro na Fazenda Eliza e seguir até o início para que na volta não me preocupe em retornar pois como será feira em um único dia, pode ser que fique um pouco tarde.

  • Foto de Mato&Pedra

    Mato&Pedra 3/set/2019

    Kaithe, a fazenda não é longe, no caso de fazer em forma de circuito daria um total de 25km, mas boa parte é em estrada ou estradinhas. Começando cedo é possível fazer em 1 dia sim. Da fazenda Eliza até a Andorinhas basta seguir a sinalização (pegadas prestas em fundo amarelo), até o início da trilha para a cachoeira, onde passará seguir as pegadas amarelas em fundo preto. Sugiro conversar com o Geraldo para pegar o contato do pessoal da Eliza e avisar com antecedência, pois pode ocorrer de não ter gente lá. Caso eles não cobrem por deixar o carro, é de bom tom deixar um valor simbólico como agradecimento.

  • kaithe 3/set/2019

    Ah sim, mas a intenção é somente deixar o carro na Fazenda Elisa e conseguir alguma forma (carona, resgate) de retornar ao início da trilha (Cachoeira Andorinhas) para começar.

  • Foto de Márcio Barros

    Márcio Barros 3/set/2019

    Da pra parar o carro na Elisa e ir andando até o alto das andorinhas. Não me recordo bem mas acho que não dá 10km. Minha sugestão seria deixar o carro no alto da andorinhas e ir pra trilha, dormir na Eliza e no outro dia ir pela estrada e buscar o carro. Da pra agilizar logística ou resgate com o Sr geraldo

  • kaithe 3/set/2019

    Obrigada!

  • Foto de Mato&Pedra

    Mato&Pedra 3/set/2019

    Conferi com Sr. Geraldo, e é possível deixar o carro na Faz. Eliza. Ao chegar lá, a porteira estará fechada, mas pode pular e ir caminhando até a sede. Eles abrirão o portão e você poderá deixar o carro lá, mas teria que ir caminhando até o alto da Andorinhas. Caso queira que o pessoal te deixe lá no início da Andorinhas sugiro negociar um valor pelo serviço.

You can or this trail