Horas  12 horas 51 minutos

Coordenadas 1354

Uploaded 4 de Setembro de 2017

Recorded Setembro 2017

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1.759 m
954 m
0
3,6
7,2
14,49 km

Visualizado 3123 vezes, baixado 171 vezes

próximo a Sítio Cerro Verde, Paraná (Brazil)

A saída foi da Fazenda Rio das Pedras, foi realizado a trilha Taipabuçu (Taipa) e Ferraria em forma de ataque, ida e retorno no mesmo dia.
Sempre é preciso vencer a subida do Morro do Getúlio que está ali para iniciarmos o aquecimento. Seguindo a trilha paramos na pedra do Grito para algumas fotos e recuperar o fôlego, mais adiante novo descanso mais fotos no topo do Getúlio.
Logo a frente tomamos a bifurcação em direção a Pico Caratuva e a trilha segue por meio de bambus, raízes de árvores, que leva até um pequeno riacho seco que é o ponto de divisão entre as trilhas que levam ao Caratuva e ao Taipabuçu. Na empolgação da conversa passamos direto pela bifurcação e tivemos que retornar já que faríamos o acesso por baixo.
O trecho de baixo para o Taipabuçu prossegue sendo fechado e com alguns leves desafios, entre subidas íngremes e raízes. Não longe do cume a trilha abre e é possível ter uma indicação da altura e da distância percorrida. Mais adiante, o cume falso dá vista para o Cume do Taipabuçu, já bem próximo, que por si só já possui uma vista lindíssima da região. Para o cume verdadeiro é necessário descender cerca de 20 m para ascender novamente ao cume em um trecho íngreme mas relativamente curto. No Topo tem uma caixinha com caderno para assinar o registro. O Taipabuçu é assim, surpreendente de longe, mais ainda de perto, com uma vista inigualável do Pico Paraná e da região além do mais nesta trip fomos premiados com um incrível "tapetão" de nuvens (mar de nuvens).

Após o Taipabuçu começa um trekking mais técnico é perceptível já no início que a mata se fecha mais tendo descidas íngremes e escorregadias e sua subidas também intesas, a trilha é bem sinalizada com fitas mas mantenha-se atento pois como a mata é mais fechada é fácil se confundir. Deve-se ter uma maior atenção no trecho final de acesso ao cume do Ferraria, ali existe uma passagem por rochas, a primeira é uma rocha bem inclinada tenha cuidado e se prepare para sua subida. Quando acessamos havia corda neste ponto para facilitar. ATENÇÃO confira muito bem como estão estas cordas que estão ali. Neste ponto temos três lances de cordas neste trecho.
Na corda do primeiro acesso uma delas estava mau amarrada, a fixei melhor mas sempre tenha atenção. No segundo acesso a corda costuma roçar na rocha e está bem danificada, fiz um nó também para unir e fortalecer uma parte da corda, lembre-se tenha muita atenção neste trecho. Após estes 3 lances tem mais uma rocha com grotas no lado, mas com calma logo se vence ela também. Após essa passagem o trecho é bem próximo para chegar ao Pico do Ferraria. No topo também tem uma caixinha com caderno para assinar o registro.
Dali do cume tem uma belíssima visão para a Serra do Ibitirati e Capivari e dá para avistar o Ferreiro, dali para frente para acesso dele, a trilha se extingui e fica coberta de vegetação.
Retornamos pelo mesmo trecho que viemos. Mantenha-se atento no retorno do Ferraria para o Taipa, devido a trilhas dar umas voltas, pode ocorrer de dar uma certa perca naquela região.
Levamos 13 horas para realizar a trilha em forma de "ataque" sendo 11 horas em movimento e aja pernas posteriormente.

O Pico Taipabuçu localizado no município de Campina Grande do Sul faz parte da Serra Ibitiraquire, cuja referência principal é o Pico Paraná, o ponto mais alto da região Sul. Conhecido como Taipa, o Taipabuçu com altura aproximadamente de 1.727 metros se estende ao lado do Pico Caratuva e tem uma linda vista para o Pico Paraná entre outras montanhas da serra.

O pico do Ferraria é a montanha com acesso mais difícil na parte norte da Serra do Ibitiraquire, que é a parte que se faz acesso desde a Fazenda Pico Paraná.
O Ferraria localiza-se ao norte da Serra do Ibitiraquire, o "Himalaia" paranaense, como diz o Vitamina, expoente do montanhismo do estado. Sua altitude é de 1745 metros sendo o sexto mais alto do estado.

O cume do Taipabuçu é bem estreito, não cabendo mais que uma barraca. Nossos amigos colocaram 3 que foi uma grande façanha pelo espaço ali existente, já no cume do Ferraria é mais amplo. A vegetação e o solo escorregadio, no entanto torna bem difícil que se vá de mochila cargueira. Por isso é recomendável fazer a montanha de ataque, saindo bem cedo da fazendo e sempre levando consigo uma lanterna.

A trilha não possui grandes bifurcações sendo razoavelmente marcada com fitas, embora há algumas derivações em diversos trechos e a mata depois do Taipa se mantém mais fechada.
Devido aos desafios técnicos nesta trilha e a distância que exigem um bom preparo físico e psicológico principalmente no trecho final do Ferraria existindo diversos locais de risco, graduo como uma trilha "Muito Difícil".

Trilha realizada com o grupo: Sem Limites!
(Carlise, Daniel, Deisi, Dayanne, Edézio, Johnny, Karin, Priscila, Ricardo, Sidney, Vanessa, Vicente, Teresinha. Jhônatas, Denise, Emerson, Tiago, Marina)

Ao acampar lembre-se: as fogueiras são proibidas em locais ambientalmente protegidos. A atividade enfraquece o solo e representa uma das grandes causas de incêndios florestais. Ao cozinhar utilize fogareiro, para iluminação use lanterna e para se aquecer, basta ter a roupa adequada ao clima do local que se está visitando.
Evite desmoronamentos ao entrar e sair de rios, e também não jogue nada neles; Não entre acompanhado de animais de estimação.
Muita atenção ao horário de retorno (variável de acordo com a estação), leve SEMPRE lanterna e baterias sobressalentes; Lembre-se: em ambientes naturais há riscos de diversos acidentes e a fadiga pode favorecê-los.
NUNCA deixe nenhuma forma de lixo nas trilhas ou montanhas, recolha o lixo que encontrar se for possível.
Toda trilha possui seu esforço é importante conhecer seus limites.
Respeite a natureza! Preservemos a beleza natural do mundo.
  • Foto de Placa
Placa
  • Foto de Vista
Vista
  • Foto de Pedra Mirante
Pedra Mirante
  • Foto de Vista
  • Foto de Vista
Vista
  • Foto de Mirante Getúlio
Mirante Getúlio
  • Foto de Bifurcação
Bifurcação
  • Foto de Gruta
Gruta
  • Foto de Vista
Vista
  • Foto de Mirante esquerda
  • Foto de Mirante esquerda
  • Foto de Mirante esquerda
Mirante esquerda
  • Foto de Pico Taipabucu
  • Foto de Pico Taipabucu
  • Foto de Pico Taipabucu
  • Foto de Pico Taipabucu
Pico Taipabucu
  • Foto de Vista
Vista
  • Foto de Vista
  • Foto de Vista
  • Foto de Vista
Vista
  • Foto de Vista
Vista
  • Foto de Vista
  • Foto de Vista
Vista
  • Foto de Falso Cume
  • Foto de Falso Cume
Falso Cume
  • Foto de Pico do Ferraria
  • Foto de Pico do Ferraria
  • Foto de Pico do Ferraria
Pico do Ferraria
  • Foto de Vista
  • Foto de Vista
Vista
  • Foto de Mirante
Mirante
  • Foto de Placa
Placa
  • Foto de Camping
Camping
  • Foto de Rio
Rio

19 comentários

  • Rat_1969 5/dez/2017

    I have followed this trail  View more

    Uma trilha sem dúvida nenhuma espetacular! Mas não recomendo fazer à noite ou sozinho, especialmente por pessoas sem boas experiências em caminhada em montanha. Desci à noite, após assistir um maravilhoso por do sol do cume do Ferraria, e na primeira pausa para me hidratar uma jararaca quase me pegou na perna!
    Depois, já meio cansado, ao chegar na estrada da Copel, enrrosquei o pé numa raiz que não enxerguei direito e capotei por uns 5-6 metros, me arranhando todo num emaranhado de espinhos.

  • Foto de Johnny S

    Johnny S 6/dez/2017

    Realmente a noite estre trecho é complexo, esta trilha se torna mais hard mesmo, tem algumas passagens que é bom sempre estar acompanhado e ter uma certe experiência neste tipo de trilha. Ainda bem que deu tudo certo para ti.
    Abraços amigo.

  • Foto de Rodrigo Prata

    Rodrigo Prata 8/dez/2017

    Boa noite a todos! Pretendo fazer essa trilha para o ferraria pela fazenda PP, no entanto gostaria de continuar pela picada do Cristóvão ou Conceição, estudei varios mapas mas até o momento não consegui achar a bendita trilha do ferraria até essa picada. Quem tiver informações e tiver disponibilidade, por gentileza, me enviem tais informações para meu e-mail [email protected]
    Grato

  • Foto de Johnny S

    Johnny S 8/dez/2017

    Olá Rodrigo.
    Acredito que talvez o : gvogetta ( https://pt.wikiloc.com/wikiloc/user.do?id=251428 ) possa ajudar-lhe.
    Não conheço e nunca pesquisei este trajeto ainda.
    Abraços Amigo.

  • Foto de Marcio Walter

    Marcio Walter 5/fev/2018

    Jhonny estou para fazer um percurso de vários dias pela Serra aí e uma das minhas dúvidas é se na noite final eu acampo no Caratuva ou no Taipa. Serão 5 ou 6 barracas Sabe me falar se no cume falso do Taipa cabe essa quantidade?

  • Foto de Johnny S

    Johnny S 6/fev/2018

    Boa tarde Marcio Walter.
    Pela quantidade de barraca recomendo acampar no Caratuva. O Taipa seria meio complicado todas estas barracas, teria que ficar sobre a vegetação, ele é bem estreito, não cabendo mais que uma barraca. Uns amigos colocaram 3 uma vez, barracas pequenas e bem desconfortável segundo eles. No no cume do Ferraria é bem mais amplo mas se não for passagem para sua jornada acaba sendo não recomendado.
    Abraços amigo e boa aventura.

    Atenção para questões de segurança e questão ambiental.
    A regra de Bom Senso é válido, de qualquer forma fica algumas recomendações.
    Ao acampar lembre-se: As fogueiras são proibidas em locais ambientalmente protegidos. A atividade enfraquece o solo e representa uma das grandes causas de incêndios florestais. Ao cozinhar utilize fogareiro, para iluminação use lanterna e para se aquecer, basta ter a roupa adequada ao clima do local que se está visitando.
    NUNCA deixe nenhuma forma de lixo nas trilhas ou montanhas, recolha o lixo que encontrar se for possível.
    Atente-se a contaminação de detritos nas marges de pontos de água.
    Preservemos a beleza natural do mundo.

  • Foto de gvogetta

    gvogetta 20/mar/2018

    I have followed this trail  View more

    Excelente o descritivo da trilha!
    Concordo com o nível de dificuldade atribuído.
    Apenas considerem não subir com tanta gente (18p!!) de uma vez só, pois o estrago do pisoteamento é sempre maior.
    No mais, valem todas as recomendações de sempre em relação à segurança, equipamentos obrigatórios e outras cabíveis para este tipo de atividade.

  • Foto de gvogetta

    gvogetta 20/mar/2018

    Respondendo dúvidas de postagens mais acima, já que me chamaram.. Rsrs! ;-)
    1. Rodrigo Prata : Sim, é possível fazer uma travessia ligando essa trilha do Ferraria partindo da Fazenda Rio das Pedras até o Bairro Alto (Cachoeira de Cima) em Antonina, seguindo por trechos da Trilha do Cristóvão e Caminho da Conceição.
    A conexão que você precisa se dá pela Trilha da Face Leste do Ferraria, postada pelo companheiro Tiago Korb do Clube de Trekking Sta. Maria.

    2. Marcio Walter : Nem no Taipabuçu e nem no Ferraria cabe esta quantidade (5 ou 6 barracas). Aliás, não abram clareiras adicionais, pois cumes de montanhas são áreas de preservação, independentemente de ser Parque Estadual. Não sei exatamente qual o percurso que pretende fazer, mas os únicos locais nas redondezas que comportariam este volume de barracas (e pessoas) seriam o Caratuva e o Itapiroca, além é claro dos próprios A1 e A2 do PP. Todavia sugiro fortemente repensar o tamanho do grupo, especialmente para travessias, pois atividade em montanha com grupos muito grandes, além dos riscos exacerbados acaba por sobrecarregar as trilhas e acelerar a deterioração do ambiente.

  • Foto de Johnny S

    Johnny S 28/mar/2018

    Show! Obrigado pelas respostas Getulio e pelas excelentes informações.
    Apesar do grupo ter sido um número grande. Acabamos nos reunindo no próprio destino, fomos em dois grupos um cada dia. De qualquer forma vale a recomendação de 10 trilheiros sempre em fila indiana e tentando manter sempre o menor impacto.
    Pensando referente aos níveis comentados Getúlio aproveito para alterar o nível desta trilha para muito difícil devido alguns lugares perigosos e técnica necessária para esta ascensão.
    Abraços e boas trilhas.

  • Foto de carlos steinhoefel

    carlos steinhoefel 16/mai/2018

    Parabéns. Suas trilhas são as melhores. Só tem aventura legal.
    Logo logo vou lá no Taipa curtir um belo passeio.
    Valeu pela trilha e pelas dicas.

  • Foto de Johnny S

    Johnny S 16/mai/2018

    Maravilha! O local é realmente Fantástico.
    Obrigado pela avaliação.
    Abraços e boa trilhas.

  • Foto de Luis Felipe Ribas

    Luis Felipe Ribas 19/jul/2018

    I have followed this trail  View more

    Muito bom o mapeamento. Trilha hard, mas irada! :)
    Fiz ela trilha no dia 17/07/2018. No dia seguinte, na volta, optei por subir o Caratuva desde o Taipabuçu. Foi difícil, especialmente com a cargueira, mas não me arrependi. Visual fantástico!

    Para os desavisados muito cuidado com a água durante o inverno (temporada de montanha). O rio da bifurcação do Caratuva/Taipa estava seco e os pontos de água até o Ferraria também. Recomendo subir com toda a água desde a Fazenda Rio das Pedras/Fazenda PP.

  • Foto de Johnny S

    Johnny S 5/ago/2018

    Valeu pela avaliação e pelas informações de grande valia.
    Abraços e boas trilhas.

  • Foto de Lulo Madrugueiro

    Lulo Madrugueiro 25/ago/2018

    Estarei fazendo esse percurso taipa/ferraria neste domingo. Essas informações creio que serão de grande valia. Agradeço por compartilharem.

  • Foto de Johnny S

    Johnny S 25/ago/2018

    Valeu amigo. Obrigado pelo feedback.
    Sucesso e boas trilhas.

  • n3m3xis 9/out/2018

    ola, gostaria de saber se é obrigatório contratar um guia pra realizar esse trajeto, eu quero acampar por 3 dias na natureza com minha namorada para aprimorar nossas habilidades de sobrevivência, nosso plano era o pico paraná, mas lá só é permitido 2 dias e também é obrigatório um guia, enfim se puderem me ajudar a achar alguma trilha na natureza em que pudêssemos ficar isolados e ter contato somente com ambiente ficamos felizes.

  • Foto de gvogetta

    gvogetta 9/out/2018

    Olá N3m3xis!
    Na região do Parque Estadual Pico Paraná não é (e nunca foi) obrigatória contratação de guias e também não há limitação de acampamento em apenas 2 dias. Não sei onde obteve essas informações, mas elas não procedem. Todavia, como não conhece a região, e tampouco é possível determinar qual é o nível de experiência anterior de vocês em trilhas de montanha na serra do mar, considere ir antes de acampar para conhecer as trilhas e a região. Todavia, lá não irá ficar "isolado" da civilização, já que é muito comum a presença humana em todas as trilhas da área.

  • Foto de Johnny S

    Johnny S 12/out/2018

    Valeu Getulio pelo pronta agilidades de resposta.
    N3m3xis só lembrando que toda esta região pertence ao Parque estadual do Paraná as fogueiras são proibidas em locais ambientalmente protegidos.
    Caso deseje se isolar e poder testar técnicas de sobrevivência este não é um local adequado, procure talvez em uma propriedade privada. Muita atenção com fogos e cortes de desmatamento de mata nativa.
    Sucesso e boas trilhas.

  • Geraldo Barfknecht 5/nov/2018

    Olá, Johnny, saudações! Excelentes informações e ainda mais, com resposta do Getúlio, então, soberbo tudo. Pois bem, Johnny, também tenho um Garmin GPSMAP 64S, combinando dois sistema, com possibilidade de 24 satelies, embora uma ou outra vez cheguei a tanto, normalmente em a´reas abertas, cumes, 22 satélites. Assim, as medidas de GPS, são elipsoidais e as cartas, mapas, em altitude, ortométricas, geométricas, compensando o efeito de uma "senhora de meia idade, com cinturinha (achatada, a nossa Terra", o geoide. Mas não sou engenheiro cartográfico ou algo similar, mas com o Getúlio, Vitamina, estamos em busca da relação, com máximo de medidas de precisão de nossos 25 a 30 picos, também incluindo os subcumes. Assim, por favor, se possivel; perguntas:

    01- Você esteve nos três cumes do Taipabuçu ou cume (marco geodésico de um estudante da UFPR na época)? Lugar excelente para calibrar o GPS, do modo altímetro. Pois bem,. pergunta difícil, você tem os dados desses cumes? Você assinalou como 1740 m e então mais perguntas. Que altura em seu corpo estava o seu GPS? Quanto satélites (margem de erro) captou? Detalhe fundamental, com correção entre a forma real e a matemática da Terra, a medida obtida hoje, com o modelo MapGeo do IBGE, do cume do Taipabussu que deveria ser a escrita, é de 1734.9 m, vamos arredondar para 1735, cume do Taipa. Você mediu, mas preciso saber a altura do GPS, 1740 m.

    2- Pois bem, se o Taipabuçu (Caratuba, Itapiroca, Tucum, Camapuã, Siririca, Pico do PR, Mãe Cathira, Anhangaba, Marumbi...) tem medida de precisão, infelizmente o Ferraria e seu subcume não, como dúzias de outros. Estimativas do IBGE/DSG (Min. do Ex.) para o Ferraria são em torno de 1745 m e incrível nesse caso, bem perto do provável. Uma outra equipe passou pelo mesmo e pude observar que a medida deles, foi perto de 1746 m. Você encontrou 1753, embora tenha outro valor no cabeçalho do trajeto. Novamente, que altura estava o seu GPS?. Digamos que o seu erro desde o taipa foi de 5 m. Assim, 1748 m. Mas o numero de satélites captados é fundamental, pois assim reduziremos a margem de erro, inferior a 3 m.

    3- Não são muitos os "loucos" que medem e põem em lista subcumes, falsos cumes (por exemplo, o Tucum tem, o Itapiroca tb, o Guaricana, e do Pico do PR, não sei ainda com margem de erro +/- 3 m, o do Pico do PR, que foi chamado pelo Maack, Stamm em 1741, Julho, e equipe de Torre de Ascensão) e assim meu deleite, pensamento e satisfação lúdica, que voce salienta então o cume secundário do Ferraria, o "bigorna". Novamente as questões, altura, número de satélites,

You can or this trail