Tempo em movimento  3 horas 28 minutos

Horas  6 horas 53 minutos

Coordenadas 2303

Uploaded 8 de Junho de 2019

Recorded Junho 2019

-
-
1.243 m
52 m
0
3,4
6,8
13,57 km

Visualizado 79 vezes, baixado 1 vezes

próximo a São Bonifácio, Santa Catarina (Brazil)

Trilha de subida da Serra do Tabuleiro em São Bonifácio, na região da Grande Florianópolis. Um roteiro puxado, mas que fornece um panorama excelente da geografia desta serra, atravessando diferentes tipos de vegetação.

Esta é a segunda via mais utilizada pra subir a serra, além do caminho por Santo Amaro da Imperatriz - que leva ao Pico do Tabuleiro. Importante destacar que as duas trilhas se conectam através da parte alta da Serra, por onde é possível fazer uma longa travessia - existem tracklogs com ela aqui no Wikiloc.

Como chegar: a simpática cidade de São Bonifácio tem dois acessos, um asfaltado (Norte, via BR-282) e outro não pavimentado (Sul, via São Martinho). No acesso Norte, na BR-282, pegue o acesso à cidade (SC-435), que fica entre Águas Mornas e Rancho Queimado. Ande por 29km e, um pouco antes de chegar ao centro da cidade, você verá uma placa anunciando a trilha para a Serra do Tabuleiro. Pegue uma estrada de terra à esquerda e siga por 4km, até o fim. A estrada termina em uma propriedade rural, sem portão. Converse com os proprierários para deixar o carro ali (comigo o homem foi bem solícito). A trilha começa nos fundos do terreno.

A primeira pegadinha é uma cerca na linha da trilha. O caminho é abaixo da cerca, onde não parece ter trilha e apenas plantas herbáceas. Siga por ali mesmo e a trilha começará logo depois. O caminho é longo (cerca de 6,5km até as primeiras janelas no alto da serra) e pode ser divido em três partes:

1) Caminhada por mata densa e exuberante, com trilha bem demarcada (exceto em pequenos trechos com galhos e árvores caídos) e 8 travessias do mesmo rio (uma delas é, na verdade, uma sequência de quatro travessias). Quando fui, a água não passou da canela (já não chovia há 5 dias). Basicamente, você sobe o vale deste rio. No trecho final desta parte 1, há 3 descampados com apiários, onde é possível ganhar velocidade.

2) Já na cota 850, começa a predominar a mata nebular, com forte presença de herbáceas e alguns arbustos e árvores. Aqui há o trecho de maior desnível, com a subida da serra de fato até a cota 1050. É preciso ter atenção, porque a trilha é escorregadia (mesmo em dias secos e frios há o orvalho da madrugada) e não há onde se segurar. Há alguns trechos de floresta em que a trilha parece desaparecer, porém, incrivelmente, você sempre volta pra ela. Basta seguir o sentido ou, em caso de dúvida, conferir no GPS.

3) A última parte começa exatamente a 1.087m, quando começam os campos de altitude. Há uma caminhada de algumas centenas de metros ainda em subida até que se abram as primeiras janelas panorâmicas. A partir de um certo ponto você pode se considerar no "alto" da serra". A partir dali, a caminha é livre para vários lados. Há diversos morros pequenos que fornecem vistas tanto a oeste (de onde se vê a Serra Geral) quando a Leste (onde se vê a serra do Tabuleiro e partes do litoral). De maneira geral, existe uma "trilha mestre" que é a utilizada para a travessia, e estes morros são laterais a ela.

Este tracklog não explorou muito os campos de cima da Serra. Infelizmente tive uma dor de cabeça e comecei a voltar antes do previsto. Subi apenas um morro que, pela localização, está mais perto da face Oeste. A vista é incrível: a cidade de São Bonifácio, morros baixos da Serra do Tabuleiro, a Serra da Garganta (entre São Bonifácio e Anitápolis) e, ao fundo, as incríveis escarpas da Serra Geral. A Leste, também é possível ter vistas maravilhosas dos morros altos da Serra do Tabuleiro - e você fica imaginando como seria estar no topo de todos eles.

Resumindo: é chegar lá no alto e aproveitar. Contudo, uma observação é necessária: é possível fazer um bate-volta, como eu fiz, porém a trilha é muito longa. Se quiser voltar no mesmo dia, não sobra muito tempo pra explorar a parte alta - que é o grande diferencial em relação ao caminho de Santo Amaro. O ideal é mesmo acampar lá no alto - e há vários pontos onde isto é possível, ao contrário de Santo Amaro.

Outro ponto: comenta-se muito que esta trilha é mais fácil que a de Santo Amaro. Eu prefiro colocar desta forma: o caminho de São Bonifácio é mais proveitoso que o de Santo Amaro. Naquele outro, você trava uma batalha com o mato na altura do rosto, é muito irritante. Porém o caminho, em si, é fácil. Neste aqui, a progressão é mais lenta - há muitas pedras e galhos, travessias... a própria caminhada nos campos não é tão rápida por causa dos atoleiros... porém a experiência é muito mais satisfatória.

Pela sua extensão e obstáculos, acredito que é uma trilha Difícil. Para os experientes, será Moderada.
Informação

Começo

foto

À direita da cerca

foto

Rio

foto

Rio

foto

Rio

foto

Rio

foto

Rio

foto

Rio

foto

Rio - quatro travessias em sequência

4 travessias
foto

Descampado

foto

Rio

foto

Descampado

foto

Sequência

foto

Rio

foto

Subida

foto

Vista

foto

Início dos campos

foto

Vista

Comentários

    You can or this trail