Horas  8 horas 28 minutos

Coordenadas 1485

Uploaded 3 de Outubro de 2015

Recorded Julho 2015

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
591 m
225 m
0
4,6
9,2
18,48 km

Visualizado 10895 vezes, baixado 332 vezes

próximo a Santa Eufémia, Lisboa (Portugal)

|
Mostrar original
Para esta rota estacionaremos o nosso veículo em Sintra, junto ao Posto de Turismo, aqui vamos apanhar um dos mini-autocarros que sobem até ao Palácio da Pena; sairemos na primeira entrada do palácio para evitar as multidões na obtenção de ingressos na entrada principal. Lá você também pode comprar os ingressos e começar a visita. Aqui também pode comprar os bilhetes combinados para os outros monumentos de Sintra; É aconselhável não esperar mais filas e é mais barato.
O Palácio da Pena é um dos monumentos mais característicos de Sintra e a sua fama é bem merecida. A sua silhueta colorida é um dos símbolos desta vila perto de Lisboa, onde se concentram vários dos locais mais impressionantes de Portugal.

Este palácio, que apesar da sua "juventude" (foi construída no século XIX) é um dos mais visitados do país, ergue-se num ambiente natural único, a Serra de Sintra, e está rodeado por um jardim no Existem milhares de espécies botânicas de todo o planeta.

O ecletismo é uma das marcas do Palácio da Pena, cuja arquitetura, uma mistura de estilos e correntes estéticas, é única no mundo: no palácio podemos observar elementos clássicos portugueses, como os azulejos que revestem as paredes, e também outros. típico do romantismo, com numerosas referências mitológicas e religiosas.

Adamastor é a criatura mitológica que nos acolhe na entrada do palácio.
Durante toda a nossa visita podemos ver claramente como na reconstrução do palácio, datada do século XIX, foram incluídos vários estilos arquitectónicos: os motivos mudéjares e manuelinos estão integrados com as torres góticas e os móveis barrocos no interior, dando origem a este extravagante e castelo espetacular cujas salas interiores também podem ser visitadas.

O Palácio da Pena em Sintra contém muitos elementos árabes.
Embora o melhor do Palácio da Pena seja, na nossa opinião, do lado de fora, se tiver tempo suficiente também é interessante entrar.

Em torno de um pequeno pátio central de claras reminiscências árabes estão distribuídas várias salas privadas usadas, antigamente, pelos habitantes do palácio: uma sala de jantar preparada para o jantar, cujos pratos eram trocados diariamente dependendo da cor do vestido usado pela rainha; os quartos da família real ou os salões onde passavam o tempo de lazer e recebiam outras personalidades da Corte.

A antiga sala de jantar, no interior do Palácio da Pena.
Um dos nossos lugares favoritos é, sem dúvida, a velha cozinha, cheia de utensílios, moldes, panelas e frigideiras que encantariam qualquer cozinheiro.

É difícil acreditar que este sumptuoso castelo tenha sido, na sua origem, um mosteiro de frades jerónimos (algo inteiramente lógico se considerarmos o seu isolamento e inacessibilidade). Quando estes se deslocaram para a área de Belém, em Lisboa, o rei Ferdinando II comprou as ruínas (porque a construção original foi destruída após um terramoto) e decidiu construir um palácio no local como um presente para a sua esposa Maria II de Portugal. Isso é um presente!

Três torres de estilos diferentes que coexistem no Palácio da Pena.
Você ainda pode ver os restos da capela do antigo mosteiro através da parede externa do palácio. Esta capela foi a única coisa que sobreviveu ao terremoto de 1755.
Foi o arquiteto alemão Ludwig Von Eschewege quem liderou a reconstrução e a extensão para torná-lo a residência de verão da família real portuguesa. Quando a monarquia portuguesa chegou ao fim e a família real foi forçada a exilar-se, o Palácio da Pena passou a ser administrado pelo Estado e permanece aberto ao público desde 1910.

O Parque
A verdade é que o turista que vai com pressa muitas vezes fica com a visita ao Palácio e suas vistas, mas não tem tempo para relaxar com um passeio pelo maravilhoso parque que cerca o prédio. E é uma pena, porque você perde cerca de 85 hectares em que podemos encontrar de plantas tropicais para samambaias, passando por sequóias. E aquela vegetação, pontilhada com pequenos lagos e lagoas.
Nele, além da área peculiar do Vale dos Lagos, com cinco pequenas lagoas, podemos encontrar o antigo mirante da Rainha Dona Amélia, a Estátua do Guerreiro ou o Jardim da Condessa de Edla. Tudo graças aos esforços do Príncipe Consorte Fernando II, que fez do parque seu grande projeto pessoal. Você tem que admitir que parecia bonito.

O Palácio da Pena está localizado a cerca de quinhentos metros do Castelo dos Mouros, possibilitando a visita dos dois na mesma excursão. O Castelo dos Mouros erguido pelos árabes durante os séculos VIII e IX como um enclave defensivo - para guardar as estradas de terra que ligavam Sintra a Lisboa, Cascais e Mafra - e conquistado no século XII pelos cristãos de Dom Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal, ainda mantém dois portões românicos e alguns afrescos da antiga necrópole medieval.

Com quase 450 metros de perímetro e 12.000 m² de área, as paredes mal são deixadas, mas há um passo que podemos percorrer para contemplar um belo panorama de Sintra e do Atlântico. Para o leste ainda podemos ver alguns restos da parede externa, onde o acesso ao site está localizado: um portão árabe com um arco de ferradura. A parte superior da parede é decorada com ameias. Finalmente, cinco torres (quatro retangulares e uma circular) flanqueiam a parede. O mais alto é conhecido como Torre Real, há cerca de 500 degraus para subir até ele.

Dentro do castelo também podemos encontrar uma antiga capela consagrada a São Pedro e construída sobre uma antiga necrópole medieval; Apresenta as características do românico português: uma planta longitudinal, uma nave única e uma abside abobadada onde ainda se podem ver alguns vestígios de frescos. Próximo a ele podemos ver uma grande cisterna que data da era islâmica; Foi o que forneceu o Palácio Nacional de Sintra.

Depois, faremos um longo e inesquecível passeio pelos bosques que rodeiam o Palácio da Pena até ao Palácio Nacional de Sintra.

O Palácio Nacional de Sintra é Património Mundial da Unesco e um dos mais singulares em Portugal graças às suas duas chaminés cónicas que podem ser vistas praticamente em qualquer parte de Sintra. Embora o palácio, na sua origem, tenha sido de estilo árabe, foi renovado no século XV, seguindo o estilo manuelino.

É também conhecido como Palácio da Vila, era uma residência real até o estabelecimento da República, quando foi usado como um edifício público para fins culturais.

As suas paredes estão cobertas por alguns dos azulejos mais antigos e melhor preservados de Portugal. No interior podemos distinguir várias áreas bem diferenciadas:
• A Sala dos Cisnes, outrora palco de festas e banquetes reais, é ricamente decorada com afrescos de mais de 25 cisnes.
• Na Sala dos Brasões, os azulejos branco e azul adornam cada buraco até atingir a abóbada octogonal que coroa o teto. Também nesta sala podemos ver os brasões de muitas famílias nobres do século XVI.
• Na Capela Palatina, mosaicos policromáticos de influência árabe no chão e no teto de madeira esculpida destacam-se pela sua beleza.
• Uma antiga lenda conta que as pegas pintadas na sala de Sala das Pegas são as senhoras da companhia do rei D. João I; Isso, para ser surpreendido pela rainha se beijando com um deles, começou a ser ridicularizado pelas senhoras do palácio e em vingança decidiu dedicar este quarto.
• Finalmente, a cozinha palaciana, de onde partem as imensas chaminés de quase 33 metros, foi cozida a presa de D. João I, que gostava muito de caçar.
Deixaremos as visitas ao Convento dos Capuchos, Palácio de Monserrate e Quinta da Regaleira por mais um dia; hoje estamos mais do que satisfeitos com tudo o que se vê e sente.

Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=zg9uGZHE_qY
  • Foto de Cruz Alta
  • Foto de Cruz Alta
  • Foto de Cruz Alta
  • Foto de Cruz Alta
Cruz Alta
  • Foto de Templo de las columnas
  • Foto de Templo de las columnas
Templo de las columnas
  • Foto de Estatua del Gerrero
  • Foto de Estatua del Gerrero
Estatua del Gerrero
  • Foto de Mesa de la Reina
Mesa de la Reina
  • Foto de Ruta del Monje
  • Foto de Ruta del Monje
  • Foto de Ruta del Monje
  • Foto de Ruta del Monje
  • Foto de Ruta del Monje
Ruta del Monje
  • Foto de Lago de la concha
  • Foto de Lago de la concha
  • Foto de Lago de la concha
  • Foto de Lago de la concha
  • Foto de Lago de la concha
Lago de la concha
  • Foto de Casa del jardinero
  • Foto de Chalet condesa D´Elda
  • Foto de Chalet condesa D´Elda
  • Foto de Chalet condesa D´Elda
  • Foto de Chalet condesa D´Elda
  • Foto de Invernadero
  • Foto de Invernadero
  • Foto de Invernadero
Invernadero
  • Foto de Tronco conmemorativo de la boda de Fernando l
  • Foto de Castillo dos Mouros
  • Foto de Castillo dos Mouros
  • Foto de Castillo dos Mouros
  • Foto de Castillo dos Mouros
  • Foto de Castillo dos Mouros
  • Foto de Castillo dos Mouros
  • Foto de Sintra
  • Foto de Sintra
  • Foto de Sintra
  • Foto de Sintra
  • Foto de Sintra
  • Foto de Sintra
Sintra
  • Foto de Palacio Nacional de Sintra
  • Foto de Palacio Nacional de Sintra
  • Foto de Palacio Nacional de Sintra
  • Foto de Palacio Nacional de Sintra
  • Foto de Palacio Nacional de Sintra
  • Foto de Palacio Nacional de Sintra

3 comentários

  • Foto de #CAR#

    #CAR# 7/fev/2016

    I have followed this trail  View more

    un lugar precioso
    muy buenos recuerdos de estancia alli

  • Foto de toloqueverdeguea

    toloqueverdeguea 16/fev/2016

    A nosotros nos gustó mucho

  • Foto de Alex Righetti

    Alex Righetti 29/mai/2016

    I have followed this trail  View more

    Easy walking. There's just some parte a little bit more "Wild". Pass through the city untill reach the castle of Mouros. then descend to take the other path which will bring you in Palacio da Pena and in the and palacio national. It takes long time but except between Mouros and Pena it's easy stop in some bar and take water and drink. So don't worry for that.

You can or this trail