Tempo em movimento  5 horas 37 minutos

Horas  8 horas 5 minutos

Coordenadas 3258

Uploaded 18 de Maio de 2019

Recorded Maio 2019

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
935 m
409 m
0
4,5
9,0
18,03 km

Visualizado 59 vezes, baixado 1 vezes

próximo a Covas do Monte, Viseu (Portugal)

Mais um trilho a entrar para os meus favoritos, percurso fabuloso, mas difícil e muito técnico, aconselho a realizar este percurso apenas em dias secos que não esteja a chover nem tenha chovido nos últimos dias, muito perigoso a descida da encumeada do Pêgo para o Rio Paivô e a subida da Ribeira de Palhais até à Drave.
Iniciamos o percurso na estrada do Portal do Inferno junto ao inicio do Trilho dos Pastores, descemos este trilho até Covas do Monte, ter atenção que esta descida com as pedras molhadas torna o trilho perigoso, a descida termina na povoação de Covas do Monte e daqui iniciamos a subida muito dura até à estrada do Portal do Inferno e que segue para Regoufe, esta subida também muito usada pelos pastores locais é exigente a nível físico e termina na estrada em alcatrão, atravessamos a estrada e descemos em direção a Regoufe, inicialmente por trilho de pé posto junto à ribeira, depois atravessamos a ribeira e subimos à encumeada onde entramos no trilho bem definido até Regoufe.
Após passagem entre as ruas desta aldeia e na saída desta povoação quem vai para a Drave, antes do pontão da ribeira viramos à direita e seguimos à meia encosta até ao alto de Regoufe na estrada da Drave, aqui viramos novamente à direita e entramos no trilho que fez parte do Ultra Trail Serra da Freita e descemos em direção á povoação do Pêgo, após passar esta povoação deixamos o trilho do UTSF e subimos a encumeada para a tonar a descer em direção ao Rio Paivô, bem junto à confluência da Ribeira de Palhais com o Rio Paivô, esta descida sem qualquer trilho definido (escolher o melhor percurso) é difícil, perigosa e técnica, mas para os mais habituados a este tipo de trilho corta mato facilmente se chega ao Rio, a partir daqui a subida da Ribeira de Palhais requer outra atenção principalmente às pedras escorregadias, é uma subida fantástica muito técnica, ora se faz pela margem esquerda, ora pela margem direita e por vezes quando não é possível passar nas pedras da ribeira faz-se um desvio pela margem mais acima que pode ter algum mato, leva-nos pelas diversas lagoas existentes, um verdadeiro paraíso da natureza pela Ribeira de Palhais chegamos à Drave, aldeia muito movimentada pela atividade dos Escuteiros, esta aldeia dispensa apresentações, pois é bastante frequentada pelos amantes da natureza.
Foi também este o local escolhido para o nosso almoço.
Após visita à aldeia era a hora de subir até ao ponto de incio do percurso, primeiro pela encosta da Ribeira de Palhais subimos até à casa dos Escuteiros, depois atravessamos a Ribeira e iniciamos o trilho de pé posto, bem duro e difícil esta subida até ao alto da Serra, ao chegar ao alto percorremos o planalto por alguns metros para rapidamente virar à esquerda e descer um trilho, curto, mas complicado, técnico e escorregadio até ao fundo onde se encontra a ribeira de palhais junto a um açude de água,a travessamos no açude e daqui é subir até à estrada do Portal do Inferno onde iniciamos o percurso.
Este era um percurso já idealizado há muito tempo, este ano já tinha descido a Ribeira de Palhais até ao Pêgo e subimos para Póvoa das Leiras, tinha ficado a promessa fazer o percurso pela lado de Covas do Monte e Regoufe e confirma-se que é um percurso exigente do ponto de vista físico.
Lógico que este percurso, com cerca de 18 km, não tem qualquer marcação, deve ser efetuado apenas para pessoas com alguma destreza física, a descida da encumeada do Pêgo até ao Rio Paivô e a subida da Ribeira de Palhais pode ser complicada e a última subida da Drave é dura porque já vamos com alguns quilômetros acumulados.
Não realizem este percurso com as pedras molhadas e em dias de chuva é perigoso.
Mas para quem gosta de percursos de montanha sem qualquer sinalização é um dos melhores percursos desta Serra da Arada, principalmente nesta altura do ano com as cores amarelas e violeta a dar algum colorido a estes montes fantásticos.

1 comment

  • rui.jsoliveira 7/jun/2019

    Apesar de nunca ter passado pelos trilhos ate Covas do Monte, os trilhos da Drave são lindissimos.
    No mês de Abril fui ate Drave pelo Pego, e depois subi pelo Vale Vaqueiro e pelas minas até ao estradão para voltar a Regoufe. As vistas são unicas, todas a serras estão pintadas de amarelo e roxo é fascinante.
    Na altura fiquei com ideia de fazer um percurso similar ao seu, mas nos meses mais secos Regoufe - Pego - Ribeira de Palhais até Drave. Estando na Drave pensava fazer o regresso a Regoufe por um de três caminhos:
    - subir pelo vale vaqueiro e minas até ao estradão
    - subir pelo trilho do Ultra Trail da Freita
    - subir o Caminho Antigo
    Em qualquer um das opções o regresso seria passado pelo Portal do Inferno e descer até Regoufe pelo trilho dos pastores.
    Obrigado pelas suas partilhas.

You can or this trail