Tempo em movimento  4 horas 24 minutos

Horas  7 horas 43 minutos

Coordenadas 3699

Uploaded 16 de Fevereiro de 2019

Recorded Fevereiro 2019

-
-
1.064 m
632 m
0
6,2
12
24,66 km

Visualizado 67 vezes, baixado 5 vezes

próximo a Candal, Viseu (Portugal)

Mais uma visita e um percurso pela Serra da Arada, uma das minhas favoritas do País.
O GPS marcou 24 km, mas o trilho tem 18 km, começa e termina na Póvoa das Leiras, o GPS duplicou a passagem pela aldeia do Candal.
A ideia inicial deste percurso era incluir a "escalada" do Ribeiro Escuro, subida denominada "A Besta" que já fez parte do Ultra Trail da Freita, mas derivado à hora que chegamos ao inicio da subida, tal não foi possível , assim, adiamos a subida.
Iniciamos na Póvoa das Leiras e seguimos para o trilho Inca, com paisagens fabulosas desta magnifica Serra, após o trilho Inca chegamos à cumeada, aqui, viramos à direita e continuamos a subir em direcção às eólicas até chegar junto à eólica nº 13.
Depois seguimos pelo estradão das eólicas em direcção à aldeia da Arada que se encontra em reconstrução com um projecto turístico, o caminho após passar a estrada em asfalto, segue por entre a diversa carqueja existente e passa junto a duas Mariolas da Arada (pedras empilhadas em altura que em tempos serviam de orientação aos pastores).
Após passagem pela aldeia da Arada, seguimos pelo caminho em terra recentemente aberto e que nos leva até à aldeia da Coelheira, daqui, seguir para a Fraguinha, local sempre belo, principalmente em dias de bastante sol, passamos junto à barragem e seguimos junto à levada existente através das marcações do PR2 SPS "Rota das Bétulas" e que nos leva bem perto da Póvoa das Leiras, antes de chegar à aldeia e junto ao tanque existente junto à estrada deixamos as marcações, viramos à esquerda e descemos até à estrada em asfalto perto da ponte, por alguns metros seguimos no alcatrão até ao local da subida do Ribeiro Escuro, aqui era para iniciarmos a subida da Besta", mas como faltava cerca de 1 hora para o almoço agendado no Candal, tivemos que adiar. Assim, continuamos na estrada até à aldeia do Candal, local escolhido para o almoço, numa casa particular.
Após o almoço, era hora de seguir até à aldeia da Póvoa das Leiras onde tínhamos iniciado este percurso, primeiro passamos pela Igreja e ruas locais até encontrarmos novamente as marcações do PR2, depois seguimos as marcações, passamos pelo bosque onde predomina os carvalhos, local fantástico, passamos a ponte do ribeiro e após a ponte deixamos as marcações do PR, viramos à esquerda e subimos até à Póvoa das Leiras pelo caminho virado a norte, este caminho leva-nos até ao alto da aldeia, já na saída que segue para a Coelheira, local onde se encontra a Capela e onde iniciamos o percurso.
O percurso apenas se encontra parcialmente sinalizado, entre a Fraguinha e a Póvoa das Leiras e entre o Candal e Póvoa das Leiras, para quem não conhece e Serra devem utilizar o GPS.
Não tendo grandes dificuldades, ter atenção que a subida do trilho Inca até à eólica nº 13 é bastante acentuada para os menos habituados pode ser doloroso.
Para quem não conhece a Serra da Arada deve sem dúvida realizar este ou outro percurso por esta zona, lugar de rara beleza.

Comentários

    You can or this trail