Horas  um dia 5 horas 40 minutos

Coordenadas 3141

Uploaded 14 de Janeiro de 2019

Recorded Janeiro 2019

-
-
1.194 m
605 m
0
5,8
12
23,17 km

Visualizado 110 vezes, baixado 9 vezes

próximo a Fábrica Santa Bárbara, Minas Gerais (Brazil)

Circuito de dois dias pela Serra de Minas (Serra do Espinhaço), nos arredores do povoado de Santa Bárbara, município de Augusto de Lima. Visita a Barragem de Santo Antônio, Barragem Caída (São Pedro) e Antena.

COMO CHEGAR:
O vilarejo de Santa Bárbara é conhecido por abrigar, no seus arredores, o Resort Águas de Santa Bárbara. O acesso principal ao vilarejo é pela rodovia BR-135, recém concedida à iniciativa privada. Em relação às distâncias, o povoado está a aproximadamente 275km de Belo Horizonte e 175km de Montes Claros.

A entrada para o vilarejo fica entre as cidades de Augusto de Lima e Buenópolis, o trevo é sinalizado e o trecho entre a BR-135 e Santa Bárbara é feito pela rodovia AMG-0905, com asfalto em boas condições.

Não há transporte coletivo entre o vilarejo e a sede do município. De forma que o visitante deverá optar por desembarcar em Augusto de Lima ou Buenópolis e contratar um serviço de táxi ou moto-táxi em algum desses dois municípios. Outra alternativa é descer no trevo de acesso e aguardar uma carona ou seguir a pé (12km).

A TRILHA:
1º dia: Santa Bárbara x Barragem Caída

Saindo da entrada da vila de Santa Bárbara, que é controlada, segue-se pela rua principal até o fim da mesma, no prédio da antiga fábrica. Ao final da vila a rua emenda numa trilha que dá uma guinada para direita e logo começa a subir a serra. Até a barragem de Santo Antônio a trilha está bem limpa, a subida é constituída por vários degraus e pedras soltas, característica comum na região.

Um pouco antes da barragem existem duas bifurcações: a primeira, à direita, dá acesso ao topo da Cachoeira de Santa Bárbara, onde existem várias sequências de poços e uma ótima vista. A segunda, à esquerda, dá acesso à Antena, um mirante da região, e foi o caminho escolhido para retorno desse circuito.

Ao chegar a barragem é preciso atravessar o leito do Riacho da Areia e a trilha prossegue na outra margem. Este trecho da trilha é menos percorrido, de forma que o caminho pode estar sujo, com galhos e troncos caídos na trilha, em virtude das chuvas na região. A trilha segue bem sombreada por algum tempo e a medida que se ganha altitude a vegetação de mata dá lugar a um cerrado com poucas sombras.

Ao alcançar os 1.000m de elevação a subida fica menos íngreme e a caminhada rende mais. Adiante é preciso cruzar uma tronqueira e atravessar um trecho de capoeira, um trecho com trilha suja e vegetação de porte arbustivo. Mais a frente chega-se a um pequeno afluente do Riacho da Areia, primeiro ponto de água depois da barragem de Santo Antônio e o último antes de chegar ao destino do dia. Logo após o riachinho há um pequeno pomar nos arredores de um velho casebre, com pés de manga, limão capeta e araçá.

Após o rio há uma subida moderada e curta, daí o caminho segue por uma estradinha em meio a um cerradinho. Após alcançar o ponto mais alto do primeiro dia, com 1.105m de elevação, a caminhada segue em ligeiro declive em direção ao Córrego do Espinho, que fica logo após uma porteira azul. Seguindo pela estradinha mais algumas centenas de metros, chega-se a uma propriedade que dá acesso à Barragem Caída (São Pedro).

Na propriedade há uma casinha de 3 cômodos mal cuidada, mas que pode servir de abrigo temporário em caso de chuva forte. Porém, devido às condições do local, não recomendo bivacar dentro da casa. No entorno da casa há uma boa área para acampamento.

Dia 2: Barragem Caída x Santa Bárbara

No segundo dia a trilha continua pela estradinha que deu acesso à Barragem Caída. Rumando para nordeste, adiante é preciso cruzar o Riacho da Areia próximo a uma vereda. Depois de cruzar o riacho a estradinha dá lugar a uma trilha que segue em ligeiro aclive até o ponto mais elevado da travessia, com 1.194m. A trilha, bem demarcada, cruza trechos de cerrado e campos do alto da serra.

Após o ponto culminante prevalece os trechos de cerrado. Ao cruzar uma cerca arrebentada, a trilha está mais suja, com muitos arbustos. A descida é feita por lajeados até uma drenagem seca que precisa ser cruzada. Do outro lado a caminhada segue entre campos e cerrado, com alguns trechos sujos de capim alto. Antes de chegar ao acesso para a Antena, a trilha volta a ser bem demarcada e assim segue até a bifurcação Antena/Barragem.

No retorno fiz mais uma visita à Barragem de Santo Antônio, antes de descer para o vilarejo de Santa Bárbara.

OBSERVAÇÕES:

- Trilha de dificuldade moderada para iniciantes, com algumas subidas e descidas acentuadas, alguns trechos de pedras soltas, irregulares e um curto trecho de trilha suja;

- A maior parte do percurso não é sombreada, de forma que chapéu e protetor solar são ítens obrigatórios!

- Há boa disponibilidade de água pelo caminho, embora possa existir uma grande distância entre os pontos. No período da seca a água na trilha de retorno a Santa Bárbara pode secar, de forma que é recomendado sair com os vasilhames cheios. Recomendo ao menos 1.5L de autonomia.

- O circuito passa por propriedades particulares. NÃO FAÇA FOGO, NÃO DEIXE LIXO, FECHE AS PORTEIRAS E AS TRONQUEIRAS. Seja cortês com as pessoas que encontrar pelo caminho.

- Sinal de celular da operadora VIVO em alguns trechos, principalmente na "borda" da serra.

- Recomenda-se o sentido proposto (anti-horário), pois assim as subidas serão mais suaves.
Riacho da Areia
Portaria Vila Santa Bárbara

Comentários

    You can or this trail