Horas  4 horas 29 minutos

Coordenadas 1172

Uploaded 4 de Julho de 2019

Recorded Junho 2019

-
-
435 m
202 m
0
2,8
5,6
11,19 km

Visualizado 1 vezes, baixado 0 vezes

próximo a Granjinha, Viseu (Portugal)

- Trilho circular, sem marcações, com início e fim junto da Casa Daniel;
- Este trilho desenvolve-se essencialmente por caminhos de terra, entre pomares e vinhedos, desenvolvendo-se pelas encostas do vale do rio Távora;
- Trilho muito exposto e com declives acentuados. Atravessa algumas propriedades privadas, pelos acessos aos socalcos das vinhas;
- É um trilho com uma paisagem deslumbrante mas, devido aos declives dos socalcos vinhateiros, obriga a algum esforço físico. É também muito exposto, pelo que em dias de muito calor (e nesta região é ainda mais intenso) pode tornar-se muito desgastante. No entanto, se soprar uma brisa, supera-se este desafio.

NOTA: devido ao estado de abandono dos antigos caminhos, não foi possível cruzar o rio Távora usando a ponte próxima do Ermitério de S. Pedro das Águias, pois o terreno muito acidentado e a densa vegetação obrigaram a voltar para trás. A solução foi atravessar a vau o rio, numa zona de fácil acesso, e daí subir novamente até à Quinta das Herédias, retomando o trajeto pelo caminho já trilhado.

__________________________________________________________________________________________


RIO TÁVORA
O rio Távora nasce próximo a Trancoso e corre para norte até desaguar no rio Douro, do qual é um afluente. Tem como principais afluentes as ribeiras de Gradiz, Rio de Mel, Açores e da Lezíria. Nascendo no concelho de Trancoso (distrito da Guarda) passa por várias localidades como a Vila do Abade, Vila da Ponte (Sernancelhe), Escurquela, Riodades, Granjinha, Távora, Tabuaço, etc. indo desaguar na margem esquerda do rio Douro depois de ter percorrido cerca de 47 quilómetros. Dispõe de uma importante albufeira, criada pela Barragem do Vilar localizada entre as freguesias de Vilar (Moimenta da Beira) e Fonte Arcada (Sernancelhe). Esta albufeira ajuda a normalizar os fluxos hidrográficos do Douro, serve para a produção de energia eléctrica e é também recentemente utilizada para captação de água para abastecimento público.


VALE DO RIO TÁVORA
O vale do Rio Távora atravessa todo o município de Tabuaço, proporcionando paisagens de uma beleza única. O Rio Távora é um afluente do Rio Douro, que desagua na margem esquerda deste, sendo a sua foz no concelho de Tabuaço, a sua nascente nas proximidades de Trancoso e tem um cumprimento aproximado 47 quilómetros. O Távora é um rio de montanha, sinuoso e resguardado por escarpas de granito a tocar o céu, criando uma paisagem sombria, um vale telúrico. Ora manso, ora revoltoso, chega ao Douro sereno e cansado, e entrega as águas que transportou. Ao longo do seu percurso, possuí locais e recantos de grande beleza natural, como por exemplo, os castelos naturais de Cabriz, o Moinho das Poldras e a albufeira do Vilar. Ao longo das suas margens podemos encontrar várias quintas com produção de vinhos, e perto da sua foz, onde o rio é mais largo devido à sua proximidade com o Rio Douro, encontramos o Cais Fluvial da Foz do Távora. É um rio de difícil acesso na maior parte da sua extensão devido ás suas características geológicas, mas que os mais aventureiros vão gostar de descobrir. Paisagens naturais em estado bruto e selvagem que fazem as delícias de turistas e visitantes.


TABUAÇO
Aproximadamente a oito quilómetros da margem esquerda do Douro, na encosta oriental de uma escarpada serra e dominando uma feroz encosta, encontra-se a vila de Tabuaço, sede do concelho e cabeça de comarca. O aparecimento de antiquíssimos objectos, tais como machados de pedra, moinhos manuais, moedas romanas, etc. atesta que por aqui passaram povos da mais remota antiguidade. Até ao último quartel do século XVIII, Tabuaço teve uma história muito obscura. As raízes da vila de Tabuaço remontam a tempos mais velhos do que a própria nacionalidade portuguesa. Durante a Pré-História, vários foram os povos que aqui se instalaram e desenvolveram a sua acção, visível quer em ruínas de abrigos e castros, quer em vestígios de instrumentos de trabalho, como peças de cerâmica ou primitivos lagares e lagaretas de azeite e vinho. Hoje, Tabuaço é uma vila portuguesa no Distrito de Viseu, Região do Norte e sub-região do Douro, com cerca de 1 700 habitantes. É sede de um município subdividido em 13 freguesias. O município é limitado a norte pelo município de Sabrosa, a leste por São João da Pesqueira, a sueste por Sernancelhe, a sudoeste por Moimenta da Beira e a oeste por Armamar. Cerca de 25% da população trabalha no sector terciário, mas a agricultura continua a ser o sector com maior peso, cerca de 56% da população activa. Entre os produtos de maior importância económica, destaca-se o vinho e o artesanato.


CASA DANIEL
A Casa Daniel toma nome do poeta Daniel Augusto Faria, que a sonhou nas visitas anuais a S. Pedro das Águias, na companhia de Carlos Moreira Azevedo e de Francisco Jorge Vieira. Está localizada na Quinta da Cruz, local de reserva ecológica, junto da igreja medieval de S. Pedro das Águias, antigo eremitério na freguesia da Granjinha, concelho de Tabuaço. Tem como objectivo possibilitar às pessoas “momentos de silêncio, oração e pacificação interior” e ajudá-las a “aprender a contemplar e a celebrar a presença viva de Deus”. Inaugurada no dia 12 de Julho de 2014, a Casa Daniel, pretende “promover encontros de cultura espiritual, fomentar a dimensão religiosa de poetas e artistas”, servir como ponto de partida para uma reflexão à volta dos “critérios de viver em sociedade”. Para mais informações sobre este projecto visite o site: http://www.casadaniel.pt/
Quinta das Herédias - Está localizada na Granjinha, Tabuaço. O atual edifício passou por um processo de remodelação, mantendo sempre a sua autenticidade através da utilização das matérias-primas típicas da região, o xisto, granito e madeira. Está belamente decorada com algumas peças vintage e antiguidades. Este alojamento é parte integrante do edifício principal, as antigas casas caseiras e senhoriais. No 1º Piso, existem respeitosamente a Casa do Azeite, a Oficina Vinária, inclusive Lagares e Armazém e o atual anexo que são os antigos estábulos, o forno de lenha e a bela capela.
NOTA: é preciso contornar o portão, uma vez que se está a travessar propriedade privada.
Implantado na margem escarpada do rio Távora, na Quinta do Convento, o conjunto edificado evidencia traços de arquitectura dos séculos XVII e XVIII. É conhecido por "mosteiro novo", pois inicialmente a Ordem esteve sediada no local onde ainda hoje se pode ver a igreja de São Pedro Velho. A adopção da reforma cisterciense deve ter-se dado entre finais do séc. XII e inícios do XIII, com filiação em S. João de Tarouca. Embora a documentação medieval do seu cartório tenha desaparecido num incêndio em 1836, sabe-se que no séc. XVI os monges da pequena comunidade viviam acompanhados de mulheres, em manifesta decadência material e espiritual. Foi então que sob os auspícios da Congregação Autónoma de Alcobaça foi construído este mosteiro novo que chegou a alcançar alguma prosperidade. A igreja tem uma fachada clássica e sóbria, decorada ao centro com a imagem de S. Pedro. Perpendicular à igreja desenvolve-se um claustro.
A Ponte do Fumo é uma antiga ponte medieval, provavelmente construída por volta do ano 1040, como referido no foral de D. Fernando Magno à vila de Paredes da Beira. Localiza-se entre Távora e Tabuaço, sobre o rio Távora, pouco antes da confluência com a ribeira de Quintã, e próxima das Quintas da Aveleira e do Convento de São Pedro das Águias. Construída em granito, provavelmente é a reconstrução medieval de uma ponte romana em uma via secundária.
NOTA: devido ao estado de abandono dos antigos caminhos, não foi possível prosseguir no caminho e cruzar o rio Távora usando a ponte próxima do Ermitério de S. Pedro das Águias, pois o terreno muito acidentado e a densa vegetação obrigaram a voltar para trás.

Comentários

    You can or this trail