Horas  6 horas 16 minutos

Coordenadas 1888

Uploaded 30 de Janeiro de 2018

Recorded Janeiro 2018

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1.217 m
405 m
0
4,6
9,3
18,59 km

Visualizado 1093 vezes, baixado 44 vezes

próximo a Lobios, Galicia (España)

FOTOS DESTA E DE OUTRAS TRILHAS EM ”CAMINHANTES"

Fomos conhecer o Parque Natural Baixa Limia - Serra do Xurés, parque natural galego, com 20.920 hectares, localizado a sul da província de Ourense que se estende pelas montanhas dos municípios de Entrimo, Lobios y Muiños até à fronteira com Portugal, donde limita com o Parque Nacional de Peneda-Gerês. É uma zona montanhosa, agreste e pedregosa, em que o material geológico predominante é o granito, que forma os conhecidos “bolos”, espalhados por toda a serra. A água é outro dos elementos físicos com presença marcada no parque, com numerosas linhas de água originadas pelo desgelo das neves invernais e que formam as denominadas “corgas”, espetaculares quedas de água caraterísticas da zona. Por último o parque conserva elementos etnográficos entre os quais se encontram as antigas cabanas de pastores da zona as “chivanas” e numerosos restos arqueológicos como dólmens, ruínas romanas como as de “Aquis Originis”, “Aquis Querquennis” e a Via Nova Romana XVIII que unia Braga com Astorga e que constitui um dos troços de vias romanas melhor conservada de toda a Galícia.

No segundo dia da atividade “RUTAS DA SERRA DO XURÉS” realizamos o trilho “Ruta da Mina das Sombras”

Com início na aldeia de Vilameá, esta “ruta” desenvolve-se nas zonas mais agrestes do Parque Natural, no meio de paisagens de média/alta montanha até alcançar a antiga exploração mineira de volfrâmio da Segunda Guerra Mundial - Mina das Sombras.

Estacionamos o carro junto à pequena capela da aldeia e começamos a caminhar pela estrada asfaltada que atravessa o pequeno povoado em direção ao antigo caminho usado em dias de romaria à Senhora do Xurés. Ao longo do trilho passamos por diferentes Calvários, construções do final do Séc. XVIII e cruzamos por diversas vezes a estrada asfaltada de acesso à Ermida da Nossa Senhora do Xurés, pouco a pouco fomos vencendo o desnível até alcançar a Capela, lugar de magnificas panorâmicas sobre a Serra de Santa Eufémia e Vale de Riocaldo. Este templo religioso foi edificado à 600 anos pelos habitantes de Riocaldo, segundo a tradição, no local apareceu a virgem varias vezes e ordenou a construção de um lugar de culto. Na Ermita da Nossa Senhora do Xurés se celebra todos os anos uma romaria popular no dia 15 de Agosto e 8 de Setembro. Esta parte do trilho pode ser realizada por carro, reduzindo assim a “Ruta da Mina das Sombras” em 4,8kms (ida e volta), aliás o trilho oficial tem inicio neste ponto e é um traçado linear, nós introduzimos outra alteração ao percurso, realizando o regresso por Alto do Becerral e As Chans.

Desde a Ermita da Senhora do Xurés seguimos os postes listados de amarelo e branco, atravessamos o Rio Vilameá por uma ponte de madeira em mau estado de conservação (ATENÇÃO PERIGO!). Seguimos o antigo caminho pedregoso usado pelos mineiros que pouco a pouco começa a subir, sem sombras pode ser penoso em dias solarengos e quentes! Ao longo do trajeto pode-se contemplar os imponentes picos rochosos de Baltar e Fitoiro, com altitudes de 1100 e 1170 metros respectivamente. Já perto do estradão, do lado direito, encontramos a Cabaña das Sombras, também conhecida por “chivana”, abrigo de pastores, que constitui um dos elementos etnográficos de interesse deste parque natural. Trata-se de uma construção circular de pedra com tecto de abóbada falsa, coberto com terra e erva.

Chegamos ao estradão, atravessamos e seguimos pelo caminho pedregoso ascendente durante sensivelmente 1200 metros até às ruínas da Mina das Sombras, onde ainda se encontram os antigos barracões e alguma maquinaria usada na época. Nestas minas explorava-se o volfrâmio durante a Segunda Guerra Mundial, minério de grande valor na época. Aproveitamos o local para almoçar, magnificas vistas sobre todo o vale e depois de um merecido descanso regressamos até ao estradão 1,2 Kms abaixo o qual seguimos pela esquerda em direção ao Alto do Becerral, tendo sempre presente ao nosso lado direito o vale e caminho que tínhamos percorrido ao longo da manhã. Junto a uma das curvas deste estradão, atenção que não está sinalizado, seguimos à direita para o Alto do Becerral e daqui para As Chans por entre os “bolos” graníticos característicos da Serra do Xurés. Pouco a pouco vamos regressando seguindo as mariolas - “hitos” - por caminho que vai ganhando vegetação mas que neste momento foi cortada, mas é muito provável que noutra altura possa estar mais fechada… As panorâmicas são magnificas e progressivamente vamos descendo até intersetar o caminho inicial que em 600 metros nos leva de novo à Ermida da Senhora do Xurés. Agora, continuamos pelo mesmo caminho usado durante a manhã, mas em sentido inverso até à aldeia de Vilameá onde terminamos está “ruta” de montanha do Parque Natural Baixa Lima - Serra do Xurés.

1 comment

  • DiogoHiker 19/fev/2018

    Obrigado pela descrição. Já está nos meus favoritos.

You can or this trail