Tempo em movimento  6 horas um minuto

Horas  9 horas 37 minutos

Coordenadas 4798

Uploaded 7 de Junho de 2019

Recorded Junho 2019

-
-
72 m
-6 m
0
6,8
14
27,16 km

Visualizado 18 vezes, baixado 1 vezes

próximo a Vila Nova de Milfontes, Beja (Portugal)

A Costa Alentejana e Vicentina é uma das mais bem preservadas linhas costeiras em toda a Europa. Praias selvagens, falésias imponentes, biodiversidade, uma cultura autêntica e um clima temperado, fazem do Sw de Portugal um destino de turismo de natureza.
O nosso objectivo inicial era percorrer todas as etapas (cinco) do Trilho dos Pescadores, entre Porto Covo e Rogil. No entanto, como tínhamos quatro dias disponíveis conseguimos estender o percurso até Aljezur, percorrendo ainda uma etapa do Caminho Histórico, entre Rogil e Aljezur, com passagem pela circuito complementar dos Trilho dos Pescadores da Praia da Amoreira.
Assim, dividimos todo o percurso entre Porto Covo e Aljezur em quatro Etapas, o que torna as etapas um pouco mais longas.
No segundo dia fizemos a 2ª Etapa entre Vila Nova de Milfontes até ao lugar do Cavaleiro, bem perto do Cabo Sardão, no site da Rota Vicentina aconselham fazer esta etapa apenas até Almograve (15km), nós estendemos a etapa até ao lugar do Cavaleiro bem perto do Cabo Sardão, percorremos cerca de 27 km o que torna a etapa um pouco difícil.
"Neste dia vai lavar a alma com vistas deslumbrantes sobre Vila Nova de Milfontes e o rio Mira, que aqui tem o seu encontro com o Atlântico.
A passagem da ponte sobre o rio, em Vila Nova de Milfontes, permite contemplar a foz, a vila e as encostas cobertas de matos mediterrânicos. Estes produzem abundantes bagas, que atraem pássaros e pequenos mamíferos. Na maré vazia, contemple os sapais, nas curvas do rio, parcialmente emersos e cobertos de juncos, que funcionam como maternidades de peixes.
De Março a Outubro, observe um dos mais belos espectáculos da natureza – o voo dos andorinhões. Quando chegam, começa a azáfama do acasalamento e construção do ninho; depois é um vai vem para alimentar as crias e no Outono, antes da partida, é tempo de as treinar para grandes voos.
Neste troço pode apreciar as marcas do ser humano neste litoral. Há sítios onde a vegetação nativa mostra toda a sua diversidade e outros onde ela foi eliminada pela planta exótica mais agressiva do Sw – a acácia. Esta invasora tem potencial para reduzir a biodiversidade das dunas praticamente a zero.
Também a agricultura intensiva se estende por vezes até bem perto do mar. No entanto, pode apreciar outras marcas de presença humana bem mais pacatas, como a pesca artesanal, ou as fábricas de pedra lascada que afloram sob a areia das dunas, vestígios do homem da idade da pedra."
"Fonte do site da Rota Vicentina"

Comentários

    You can or this trail