Tempo em movimento  3 horas 49 minutos

Horas  4 horas 26 minutos

Coordenadas 2243

Uploaded 29 de Setembro de 2019

Recorded Setembro 2019

-
-
263 m
91 m
0
3,1
6,3
12,56 km

Visualizado 12 vezes, baixado 1 vezes

próximo a Palmela, Setúbal (Portugal)

Situados com uma distância de cerca de 300 m e sensivelmente na mesma elevação da falda da Serra dos Gaiteiros, erguem-se «a noroeste da cidade de Setúbal, na orla do vale verdejante que se estende desde Palmela»(*) e em território já pertencente a este concelho. As razões para a escolha deste lugar de implantação terão sido «a beleza do sítio, a amenidade dos ares, a abundância de água, a abundante vegetação, a fauna e flora paradisíacas e o esplendor de uma desafogada paisagem».

São dois os monumentos em causa:

Antigo Convento de Nossa Senhora da Consolação de Frades da Ordem de São Paulo, de Alferrara
(vulgo Convento de São Paulo; 1383);

Convento de Nossa Senhora da Conceição dos Frades Franciscanos Capuchos de Alferrara
(vulgo Convento dos Capuchos de Alferrara; 1578).

CONVENTO DE SÃO PAULO
Este convento já sofreu obras de sustentação, marcando assim o início da intervenção no mesmo. As obras centraram-se na implantação de uma estrutura de protecção das águas da chuva, consolidação da estrutura principal do edifício e cobertura de paredes expostas aos elementos. Toda a envolvente tem sido alvo de regulares intervenções ao nível da limpeza dos terrenos e arranjo dos caminhos. As restantes intervenções necessárias estão dependentes do levantamento topográfico e arquitectónico que está a ser efectuado. Com base nestes levantamentos fundamentar-se-á a necessária intervenção neste edifício.

Acesso
É feito a partir do vale que antecede a plataforma isolada em que o Convento se situa «através de um íngreme caminho em zigue-zague, suportado por muros de alvenaria contrafortados. Este acesso termina numa esplanada em frente da igreja, com esplêndida vista sobre o Sado e a cidade de Setúbal, delimitado por um muro com assentos de pedra, no qual se vêem alguns vestígios de azulejos policromos, pós-terramoto.» (*)

Igreja
Com nave rectangular coberta por abóbada de berço que termina no arco triunfal, tendo o chão fragmentos de túmulos; «a capela-mor, menor que a nave, tem igualmente abóbada de berço»; «a frontaria da igreja separa os dois corpos do convento»;

Dois corpos monacais
a) «o mais estreito, onde estavam as celas e dormitórios, do lado direito, com a frontaria mais elevada que a da igreja, está completamente arruinado, em especial o último andar, sem cobertura»;

b) do lado esquerdo da igreja situa-se «o corpo do claustro, com um único andar coberto de terraço»; trata-se de um «belo espaço maneirista que conserva todos os elementos estruturais, muito sóbrios mas bem desenhados, realizado, provavelmente, na segunda metade do século XVII, durante a campanha de obras de 1672 (…). O claustro apresenta três arcos de volta inteira, apoiados em colunas toscanas de calcário (…). Mantém-se o chão de tijoleira, mas desapareceu o rodapé de azulejos das galerias.»

Terraço
«no ângulo noroeste do claustro, uma escada dá acesso ao terraço que cobre as galerias e outras dependências do mesmo corpo.»

Casa de Fresco
«do lado oposto à igreja, conserva-se ainda a alameda de acesso à Fonte Santa.» Ao fundo, escavada na encosta, situa-se a «casa de fresco» da Fonte Santa ― «espaço em forma de gruta artificial totalmente decorada de embrechados, a qual devia ser utilizada pelos eremitas paulistas como local de meditação.» Considera-se esta Fonte Santa «uma das minúsculas mas maiores jóias do património artístico de Palmela».

CONVENTO DOS CAPUCHOS DE ALFERRARA
Apresentado-se mais degradado, também é alvo de sucessivas intervenções na envolvente como o desmatamento e arranjo dos acessos. Está também a ser alvo de um levantamento topográfico e arquitectónico, assim como uma avaliação das necessidades estruturais para se avançar para uma fase de sustentação.

Igreja
«frontaria principal virada a poente e de grande interesse artístico», pois trata-se de «um dos exemplares mais interessantes da aplicação de estuques moldados em exteriores que existe em Portugal», só encontrando paralelos com monumentos situados nos antigos territórios portuguese
foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

Comentários

    You can or this trail