Horas  7 horas 36 minutos

Coordenadas 1339

Uploaded 18 de Outubro de 2017

Recorded Outubro 2017

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
835 m
601 m
0
5,0
9,9
19,87 km

Visualizado 958 vezes, baixado 25 vezes

próximo a Vilar de Perdizes, Vila Real (Portugal)

FOTOS DESTA E DE OUTRAS TRILHAS EM ”CAMINHANTES"

O PR7 – Rota do Contrabando - Trilho de Vilar de Perdizes é um percurso pedestre de pequena rota, marcado nos dois sentidos segundo as normas da Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal. Tem 16,5 km de extensão, forma circular, nível médio e pode ser percorrido a pé ou de burro. Tem início e fim na aldeia de Vilar de Perdizes e um desvio para a aldeia galega de Videferre. O percurso tem como finalidade reviver os caminhos trilhados pelos contrabandistas até ao outro lado da fronteira em busca de bens que lhe permitissem a sobrevivência e alguma riqueza, permitindo-os entrar em contacto com a cultura local.
A passagem para o outro lado da fronteira faz-se através de uma ponte em madeira sobre o rio, continuando por estradões até à aldeia de Videferre. Ao longo do trajecto podemos admirar diversos vestígios arqueológicos, onde são visíveis marcas da pré-história passando pelo mundo romano até à época medieval. São eles: a Capela da Senhora das Neves, a Capela de Santa Marinha e o Penedo de Caparinho. Podemos ainda complementar a visita com uma enriquecedora trajectória cultural, conhecendo os modos de vida da população e partilhando saberes.
As populações raianas, afastadas de tudo encontravam no contrabando uma forma de vida que lhes garantia o sustento, pois a agricultura tradicional não era suficiente. Este era feito pelos membros que tivessem mais disponibilidade e que fossem mais audazes. Os produtos contrabandeados eram usados essencialmente para consumo próprio, embora por vezes se vendessem alguns na feira da vila de Montalegre.

Pontos de interesse:
- Vilar de Perdizes
É uma das freguesias do concelho de Montalegre com maior diversidade de vestígios arqueológicos. Aqui podemos visitar e apreciar diversos locais de interesse histórico. Temos presentes os períodos: Calcolítico, Idade do Ferro, Romano e Medieval.
- Capela da Senhora das Neves
Situa-se no centro da aldeia e é um edifício de planta longitudinal, com apenas um espaço. Na fachada principal gravou-se uma inscrição onde se lê SA.DAS.NEVES.
A nível arquitectónico destaca-se o programa iconográfico descoberto, no âmbito das obras de restauro da mesma, cujas pinturas se escondiam por detrás de um retábulo, arquitectado com peças de diferentes épocas.
As imagens retratadas nos frescos são de um admirável pormenor, e desenvolvem-se a partir de uma imagem central do Padre Eterno. Nos outros painéis figuram o Milagre da Nossa Senhora das Neves, com a fundação da Igreja de Santa Maria Magiore, em Roma.
- Monte de Caparinho
Neste local arqueológico podemos visualizar algumas rochas gravadas, cujos motivos são datáveis do Calcolítico Final - Bronze Inicial. Destaca-se o Penedo de Caparinho, também designado por Penedo do Matrimónio. É um afloramento granítico gravado que representa dois antropomorfos, cujos órgãos sexuais estão salientes. Este local deverá ter tido uma conotação simbólica na época e a ele poderão ter estado associados rituais de fertilidade.
- Capela de Sta. Marinha
Pequena capela situada num local ermo, onde todos os anos, se realiza a Festa de Santa Marinha, no 3º Domingo do mês de Setembro. É celebrada a missa e procissão com andores e por volta da hora do almoço há uma grande merenda e animação que se estende pela noite fora.
- Paço
Neste edifício senhorial, existiu um Hospital e a Capela de Santa Cruz, cujo principal objectivo era dar apoio físico e espiritual aos peregrinos que se dirigiam para Santiago de Compostela, vindos do Alto Douro, Beiras e da vizinha Espanha. Estes edifícios formaram a cabeça do Morgadio de Vilar de Perdizes, instituído em 1551, pelo fidalgo Abade António de Sousa.
- Património natural
Em Vilar de Perdizes temos um mosaico paisagístico onde se realçam as áreas de cereais de sequeiro, matos, bosques ribeirinhos, soutos e vinhas. Mais próximos da aldeia, encontramos lameiros e as tradicionais hortas e seus muros, o que enriquece a diversidade de nichos ecológicos para a fauna. É possível observar aves como a pega-rabuda (Pica pica), o tartaranhão-caçador (Circus pygargus) – rapina migradora que nidifica no solo - ou a petinha-das-árvores (Anthus trivialis). Pelas hortas e pastagens são frequentes pequenos mamíferos como a doninha (Mustela nivalis) e anfíbios como o sapo-comum (Bufo bufo), provável presa da maior espécie de cobra do país, a cobra-rateira (Malpolon monspessulanus).

Ficha Técnica:
Partida e chegada: Vilar de Perdizes, Junto à Junta de Freguesia
Âmbito: Cultural, ambiental e paisagístico
Tipo de percurso: PR pequena rota / Circular
Distância a percorrer: 16,5 km
Duração do percurso: Cerca de 5 h
Grau de dificuldade: médio
Desníveis: mediamente acentuados, com um grande ascendente
Altitude máxima: 830 m
Altitude mínima: 657 m
Época aconselhada: todo o ano

Fonte: https://www.cm-montalegre.pt/showPG.php?Id=1486

4 comentários

  • DiogoHiker 1/nov/2017

    I have followed this trail  View more

    Trilho muito agradável que passa para além da fronteira Portuguesa chegando à localidade Espanhola de Videferre. Recomendo!

  • inocenciodaveiga 23/ago/2018

    Trilho péssimo e não recomendado! Sinalética quase inexistente e a pouca que existe está pouco visível, muitas vezes escondida atrás da espessa vegetação ou quase apagada. Troços do trilho perdem-se no meu do mato, sem gps o risco de se perderem na densa vegetação é mais do que muito. Percurso a rever, a corrogir e a limpar sob pena das pessoas se perderem na densa vegetação. O pior trilho ("Rota do Contrabando") de sempre!!! Um perigo!

  • inocenciodaveiga 23/ago/2018

    I have followed this trail  verificado  View more

    Péssimo

  • Foto de Caminhantes

    Caminhantes 23/ago/2018

    Olá inocenciodaveiga!
    Obrigado por comentar e avaliar a trilha. Lamento saber que o trilho atualmente esteja nessas condições. Será o resultado do desinvestimento do poder local na manutenção do turismo da natureza ou a falta de visão na potencialidade do mesmo...
    Saudações!

You can or this trail