Coordenadas 890

Uploaded 16 de Dezembro de 2013

Recorded Dezembro 2013

-
-
321 m
170 m
0
3,4
6,8
13,59 km

Visualizado 1303 vezes, baixado 19 vezes

próximo a Romarigães, Viana do Castelo (Portugal)

Este percurso, centra-se na Casa Grande de Romarigães (CGR), designação local da Casa do Amparo, solar tradicional minhoto. O conjunto solar e quinta, foram a fonte de inspiração para Aquilino Ribeiro, que escreveu uma crónica romanceada, de um morgadio courense.
O ponto de partida situa-se junto ao Centro Paroquial e Social de Romarigães, onde há espaço para estacionar.
O percurso pode ser mais curto, se se optar por não fazer a visita à ponte do Arrieiro ( - 1 km) e ao VG e castro do Coto do Ouro ( -0,9 Km), ficando com cerca de 11,59 km. É circular e quase plano, sendo o seu ponto mais elevado junto aos moinhos de Cabanas. O VG do Coto do Ouro é mais baixo - 280 m.
Por estrada alcatroada, sem grande movimento, depois de passarmos a capela de S. Roque, estamos perante a CGR, que se destaca pela sua envergadura. A jóia será a capela, ainda podendo observar-se a base do extenso espigueiro e o brasão de armas. Continuaremos pela igreja da povoação, atravessando com cuidado a EN 201. Subiremos sem pressa, até ao conjunto de moinhos- designados moinhos da Poça de Cabanas. A partir deste local, utilizamos os caminhos de Santiago - Caminho do Lima, até às alminhas de Sampaio, depois de passarmos pelas alminhas do Carvalhido e pela pequena ponte na ribeira de Agualonga. Um pouco à frente das alminhas de Sampaio, viramos à direita por um pequeno trilho que nos leva à estrada alcatroada que teremos de atravessar, para seguirmos pelo interior do pequeno lugar de Trulhe. Continuando o percurso, vamos diretos a um velho moinho esquecido pelo tempo. É um belo local para observar a veiga de Agualonga, que reflete todo o bucolismo da paisagem agrária minhota. Num ápice estamos em frente a outro solar - Casa do Outeiro, junto à igreja daquela freguesia, excelente local para uma breve pausa. Para continuarmos, regressamos a Trulhe, utilizando um caminho que nos leva a outra capela dedicada a S. Roque. Ao passarmos junto a uma casa em ruínas, sabemos que estamos a seguir o caminho correto. Depois daquela capela, atravessamos a estrada 201, de novo e vamos continuar por pequenos povoados até ao desvio para a ponte do Arrieiro. Se optarmos por não efetuar a visita, seguimos para a ponte da Codesseira, visitando também um moinho de 4 mós. Andando um pouco pela levada, descobre-se outro moinho, na margem oposta. Abandonando o local por um pequeno atalho, em breve estaremos no lugar da Codesseira ( a carta militar identifica-o como Codeceira). Depois do asfalto, viramos à esquerda para tomar um caminho rural que nos leva ao desvio para o VG e ao castro (Idade do ferro) do Coto do Ouro. Do desvio ao ponto de partida é uma caminhada curta. Teremos ainda de passar por um cruzeiro pintado de branco, localizado no centro da estrada.
Cartografia - Folha 15 do IGE escala 1/25 000
capela S. Roque - Romarigães
moinhos Cabanas
Alminhas do Carvalhido
ponte rib ª Agualonga
Alminhas Sampaio
moinho e veiga Agualonga
Solar do Outeiro e Igreja Agualonga
casa em ruinas
capela S. Roque
ponte do Arrieiro
ponte da Codesseira
moinho da Codesseira
VG Coto do Ouro
castro do Coto do Ouro
Casa Grande de Romarigães
Centro Paroquial Romarigães

Comentários

    You can or this trail