Horas  9 horas 54 minutos

Coordenadas 2673

Uploaded 3 de Julho de 2019

Recorded Junho 2019

-
-
1.425 m
383 m
0
5,0
10,0
19,93 km

Visualizado 21 vezes, baixado 3 vezes

próximo a Caín, Castilla y León (España)

- Etapa 1/2: Caín a lago Enol, pelo Canal de Culiembre;
- Trilho circular, no Parque Nacional dos Picos de Europa, dividido em duas etapas. Nesta primeira etapa combinaram-se partes do PR - PNPE 3: Ruta Del Cares com o GR - PNPE 202: Ruta de la Reconquista e o PR - PNPE 2: Ruta de los Lagos, desenvolvendo-se o trilho pela Garganta do Cares, Canal de Culiembre e planalto dos lagos La Ercina e Enol, com início no centro de Caín e fim no Refúgio Vega de Enol;
- Este trilho desenvolve-se essencialmente por caminhos de pé posto (montanha), iniciando-se ao longo da garganta do rio Cares e ascendendo depois pelo Canal Culiembro, Majada de Ostón, Majada Vega Maor, Collado Sierra Buena, Majada de Arnaedo, Vega Las Mantegas, Vega de Colmeya, Lago Enol e Refugio Casa de Pastores (Vega de Enol);
- Trilho de montanha de grande exigência física, com um forte desnível, tendo sido necessárias 10 horas para o percorrer;
- Ao longo de todo o percurso, as paisagens são deslumbrantes, com destaque para a imponência da Garganta do Cares, com o rio muito encaixado no sopé da montanha. Infelizmente, no dia em que foi realizado, houve sempre um manto de neblina que não permitiu desfrutar na plenitude destas paisagens magníficas;
- Sem dúvida, um trilho excelente mas que requer boa preparação física. Muito importante: não é recomendável fazer este trilho em dias de chuva, pois o mesmo tornar-se-á muito escorregadio e perigoso (pedra calcária e lama).

__________________________________________________________________________________________

PNPE - ESPANHA
O Parque Nacional dos Picos de Europa ou simplesmente Parque Nacional Picos de Europa situa-se nas províncias de Cantabria, Asturias e Leão, sendo o único Parque Nacional pertencente a três comunidades autónomas diferentes e gerido de forma conjunta. O maciço ocidental foi declarado Parque Nacional em 22 de julho de 1918 por Afonso XII com o nome de Parque Nacional de la Montaña de Covadonga, sendo o primeiro espaço protegido do país. Inicialmente comprendia 16.925 ha, até que em 30 de maio de 1995 a sua área foi aumentada para os 64.660 hectares actuais. Em 9 de julho de 2003 a Unesco aprovou a proposta que o converte em Reserva da biosfera.

MACIZO DEL CORNIÓN
O maciço Cornión ou maciço ocidental é um maciço montanhoso localizado no norte da Espanha, um dos três maciços que compõem os Picos de Europa, por sua vez, uma das seções do maciço cantábrico pertencente à cordilheira Cantábrica. Os outros dois maciços são Los Urrieles e Ándara e é, dos três, o que tem mais extensão, mas não altura. O maciço do Cornión foi limitado, a oeste, pelo rio Sella e o rio Dobra e, a leste, pelo rio Cares. Administrativamente situa-se entre as províncias de Astúrias e León, especificamente nos conselhos asturianos de Amieva, Cabrales, Cangas de Onís e Onís, e nos municípios de León e Sajambre de Valdeón. É muito importante notar que este conjunto de montanhas onde os lagos de Covadonga também se localizam, bem como o santuário do mesmo nome, integrou desde 1918 o primeiro Parque Nacional criado na Espanha. Naquela época, era chamado Parque Nacional da Montanha de Covadonga, sendo renovado, ampliado e renomeado em 1995, recebendo o nome de Parque Nacional Picos de Europa.

PR - PNPE 3: RUTA DEL CARES
Entre os maciços centrais e ocidentais situa-se o trilho mais conhecido do Parque Nacional Picos de Europa. Esta rota atravessa as povoações de Posada de Valdeón, Cordiñanes, e Caín, na província de Leon, e Poncebos, no Principado das Astúrias. A rota oferece recursos culturais e históricos interessantes, tais como a necrópole de Barrejo, o Chorco de Lobos ou a Capela de Corona e o caminho, a partir de Cain, em sua grande parte é esculpido na pedra calcária até Poncebos. Um passeio único, que oferece importantes curiosidades geológicas, botânicas assim como um grande espetáculo natural, o que lhe rendeu o apelido de "Garganta Divina do Cares". O canal foi construído entre 1916 e 1921 para dar origem a uma hidroeléctrica e mais tarde expandiu-se, entre 1945 e 1950.

GR - PNPE 202 RUTA DE LA RECONQUISTA
A Ruta de da Reconquista, assim chamada porque passa pelo caminho histórico que as tropas muçulmanas seguiram após a sua derrota em Covadonga, é uma jornada exigente que atravessa o coração dos Picos de Europa, passando por enclaves emblemáticos como Sotres, Poncebos e a Vega de Comeya. Bom humor e força são duas condições que exigem a conclusão de um percurso que irá impressioná-lo pela beleza das suas paisagens.

PR - PNPE 2: RUTA DE LOS LAGOS DE COVADONGA
A rota começa no parque de estacionamento Buferrera para dar a volta ao Lago Enol e da vega homônima, através da Floresta Palomberu ao Bricial, passando por Las Reblagas para a fronteira do Lago La Ercina e do Campo La Tiese, onde se encontram as Minas de Buferrera. Retorna-se ao estacionamento do mesmo nome, passando pelo Centro de Visitantes Pedro Pidal e pelo Mirador del Príncipe. Uma versão curta começa em Buferrera para chegar ao lago Enol, atravessando a área do antigo refúgio de Entrelagos, e de lá segue diretamente para Campo La Tiese.

CAÍN DE VALDEÓN
Caín de Valdeón, habitualmente conhecida como Caín, é uma aldeia pertencente ao município de Posada de Valdeón, província de León, Comunidade de Castilla y León, Espanha. Em 2013, tinha uma população registrada de 69 habitantes. Está localizada no Valle de Valdeón, a 460 metros de altitude, nos Picos de Europa, constituindo o ponto de partida de inúmeros trilhos, sendo o mais famoso o que atravessa o desfiladeiro de Cares. Até a década de 1990, a aldeia foi dividida em dois núcleos: Caín de Arriba e Caín de Abajo, separados por apenas 150 metros. No entanto, atualmente, o Caín de Arriba é desabitado.
RIO CARES - O rio Cares é um rio das comunidades autónomas espanholas de Castela e Leão e Astúrias, afluente do rio Deva, que por sua vez desagua no mar Cantábrico. É um curto rio de montanha que forma uma espetacular garganta pela qual se estende a concorrida rota do Cares, uma das rotas pedestres mais conhecidas dos Picos de Europa, que passa por desfiladeiros. Conta com duas barragens (a da central elétrica de Camarmeña e a de Poncebos) e é conhecido pelos salmões. Nasce em Posada de Valdeón, na Cordilheira Cantábrica (Província de León, a 1600 m de altitude e pela confluência de vários regatos. Desagua no rio Deva em Vega de Llés. Entre os seus afluentes estão o rio Bulnes, o rio Duje e o rio Casaño. Atravessa as localidades de Posada de Valdeón e Caín, em Leão e Poncebos e Arenas de Cabrales, nas Astúrias.
O painel com a história dos Martinez está localizado na Ruta del Cares, na passarela da Madama de la Huertona, nas proximidades de Culiembru, um lugar que hoje leva o nome de 'Pasarela de los Martínez'. Os Martinez foram uma saga de alpinistas muito ligada aos Picos de Europa. Naturais da localidade cabraliega de Camarmeña, o pai da família, Víctor, em 1916 ascendeu em solitário ao Urriellu usando o mesmo caminho aberto em 1904 por Pedro Pidal, o Marquês de Villaviciosa, e Gregorio Pérez 'el Cainejo' pela face norte do Naranjo de Bulnes. Anos depois, em 1924, abriu na face sul a conhecida Via Víctor, mais simples que a usada até então. Os seus filhos Alfonso e Juan Tomás também foram outros alpinistas excepcionais. Aos 14 anos completaram a sua primeira ascensão à que é uma das montanhas mais famosas do país e em 1944 também conseguiram encontrar uma rota direta e até mais simples e segura na face sul do Urriellu, que desde então tem sido a mais utilizada pelos alpinistas, uma rota que é chamada Rota dos Martínez. Tanto Alfonso como Juan Tomás foram duas pessoas que fizeram dos Picos, além da sua paixão, o seu modo de vida. Eles guiaram centenas de pessoas na via que abriram para o topo do Naranjo. Mas, além da sua capacidade excepcional de escalar, eles também trabalharam como guias e guardas florestais, no caso de Juan Tomás. Este último mudou-se para Caín onde, depois de se casar com uma habitante local, ali viveu por 60 anos até à sua morte, em setembro de 2012, por causa de um incêndio. O seu irmão Alfonso preferiu Arenas de Cabrales. Ambos amavam os Picos e nunca quiseram deixá-los. Agora o Parque Nacional prestou-lhes homenagem, na Ruta del Cares, a rota mais frequentada desta área protegida que une os territórios de Asturias e León, algo que os Martínez também fizeram em vida.
Ostón, um local idílico com excelentes vistas, foi uma povoação que foi abandonada no final do século XVIII, provavelmente como resultado do frio e das dificuldades trazidas pela Pequena Idade do Gelo. Localizado a 970 m de altitude, num lugar incomparável da Garganta do Cares, a Majada de Ostón é um terraço no meio do Cares, sob os picos La Atalaya e La Peña, que oferece vistas espetaculares do Maciço Central. Com as suas cabanas construídas sobre a rocha suspensa, dá-nos a sensação de estarmos num pequeno Machu Pichu no meio dos Picos. A Majada tem extensos prados, numerosas cabanas, algumas em bom estado e uma grande cerca de pedras.
O Lago Enol é um dos dois lagos que compõem o grupo conhecido como Lagos de Covadonga , nas Astúrias. É o maior dos dois, localizado a cerca de 10 quilômetros de Covadonga e a cerca de 25 quilômetros de Cangas de Onís. Está localizado a cerca de 1.070 metros de altitude, no maciço ocidental ou no Cornión (Picos de Europa), com um calado máximo de cerca de 25 metros, com um comprimento máximo de 750 metros e uma largura de cerca de 400 metros.

Comentários

    You can or this trail