Baixar
NOMAD WILD
37 3 0

Distância

8,04 km

Desnível positivo

274 m

Dificuldade técnica

Muito difícil

Desnível negativo

298 m

Elevação máx

1.490 m

Trailrank

21

Elevação min

1.289 m

Tipo de trilha

Mão Única

Tempo em movimento

2 horas 3 minutos

Hora

3 horas 24 minutos

Coordenadas

1483

Enviada em

4 de julho de 2021

Registrada em

julho 2021
Seja o primeiro a aplaudir
Compartilhar
-
-
1.490 m
1.289 m
8,04 km

Visualizado 13 vezes, baixado 1 vezes

perto de Retiro das Pedras, Minas Gerais (Brazil)

Trilha começou pela entrada do retiro das pedras para serra da calçada, pegando a lateral da trilha e descendo até a estação de tratamento da Copasa (a decida e bem ingrime, porém tranquila, dias de chuva e necessário mais cuidado).


Após passar a estação de tratamento da Copasa, inicia um pequeno trecho de mata mais fechada(nada muito difícil), com alguns minutos de caminhada e possível avistar um pequeno lago feito por uma barragem, e ao lado uma guarita que parece estar abendonada (irei colocar fotos dela para melhor visualização), a passagem por essa barragem é fácil, porém fiquem atentos em época de chuva pois o fluxo de água pode ser bem maior e dificultar a passagem.


Passando o lago seguimos por mais alguns minutos em uma mata mais fachada e saímos em uma parte mais descampado da montanha, e logo foi possível ver dois caminhos, um subindo que levava para parte alta da cachoeira sazonal, e outro para baixo levando para parte baixa da cachoeira sazonal (parece lógico e redundante né😅? Porem trilhas podem ser traiçoeiras, nem sempre o caminho que parece ir para cima, realmente leva para o pico de uma montanha).


Nós optamos por seguir para parte baixa e tem um pequeno trecho de declive até a parte baixa da cachoeira sazonal, nada demais, chagando lá e possível ver uma queda dágua linda e um laguinho que dá pra se refrescar.




***!!!ATENÇÃO!!!!***
PARA PARTE DE SEGUIR A TRILHA PASSANDO A PARTE BAIXA DA CACHOEIRA SAZONAL.

Após essa parte indico que pessoas menos experientes em trilhas, assim como crianças, e pessoal que não estejam adequadamente equipadas, com botas calça, se possível perneiras para proteção de cobra e uma faca maior ou um facão de um tamanho médio, VOLTEM.
Se quiserem andar mais, voltar e seguir para a parte alta da cachoeira sazonal, indo pala bifurcação e uma boa para visitar Também, a vista e linda e vale mais a pena que se arriscar sem devido cuido e equipamentos.


Então vamos lá!!!
Nós seguimos e após passar o lago da cachoeira sazonal, o caminho fica um pouco difícil de se entender, pois e como se fosse um brejo, de mato um pouco mais alto e solo úmido, formando vários caminhos, porém indico que escolham o caminho que aparentar mais "aberto", com certeza é o que a galera mais utiliza logo o mais indicado. Essa parte é curta, e passando por ela, o solo pedregoso e seco, com vegetação serrana volta.

Chegando nessa parte foi onde nós deparamos com uma cascavel, e por mais atentos que estivéssemos passamos bem perto dela por sorte não pisamos e não nós acidentados.

Por isso a ênfase em equipamento adequados, ir de calça, bota e perneiras pode parece ruim e supérfluo, pois e um peso a mais, e em um dia quente te faz ficar com mais calor, porém em um caso desse de encontro com um animal peçonhento, pode ser a diferença entre um ótimo dia de trekking ou uma tragédia levando em conta que a peçonha deste animal, que é comum no serrado, pode levar facilmente a óbito.

Após o encontro com a cascavel, dei uma cutucada nela com um galho para que ela saísse do meio da trilha e outras pessoas não encontrassem ela no caminho, seguindo com a adrenalina e o cuidado lá em cima.

Aqui o caminho fica um pouco mais difícil, foram cerca de 50 minutos de subida brusca, tendo que escalar em algumas partes, varias pedras soltas e plantas com espinhos, dificultando a estabilização, o caminho não é demarcado, então é preciso atenção para não ir parar em um trecho sem saída e ter que voltar, (podemos classificar esse trecho como escalaminhada), porém vale a pena a subida! No pico da montanha a vista é maravilhosa, ainda mais que já estava começando o por do sol.

Chegando nessa parte mais alta o caminho já fica tranquilo, tendo vários mirantes em volta, as trilhas mais aparentes e bem demarcadas, sendo possível ver um fluxo maior de pessoas e bikes, se localizar neste ponto é fácil, pois é só olha ao redor e avistar uma antena.
AVISTOU A ANTENA? Sim? Então é só ir em direção a ela.

Seguindo a trilha o caminho te leva para uma estrada de terra mais larga, e nesse ponto já pode ser visto a antena mais de perto e cada vez mais parte, até chegar nela, daí e só seguir até chegar ao portão principal da entrada da trilha pelo retiro das pedras.


OBS:
1) Não é permitido parar na entrada da trilha e na rua que leva até a entrada, sendo assim, parem perto do posto e segam a pé.

2) Se forem fazer na parte da tarde a trilha, levem lanternas pois e possível que peguem o final da trilha de noite.

3) Época de chuva tenham cuidado em dobro, tudo fica mais escorregadio.

4) levem equipamento adequados, evitem ir de chinelo e shorts.
Optem por um calçado coerente ao tipo de trilha que querem fazer, e uma calça para ajudar com o mato mais alto e pernilongos.
Se possível levem perneiras para proteção contra cobras! É um equipamento barato, e importante para lugares com possíbilidade de animais peçonhentos.

5) LEVEM O LIXO DE VOCÊS!!!
Não sujem a natureza, e se possível deixem mais limpa que encontraram.
E triste ver que ainda existem pessoas que simplesmente tem a incapacidade de jogar o lixo no lixo.

Se quiserem mais dicas, instruções, trocar ideia sobre trekking ou então me convidar para uma trilha, me sigam no Instagram e mandem um direct.
Fico agradecido ☺️.

Instagram: @nomad.onward

Tamo junto ⛰️👊🏽👊🏽👊🏽.

Comentários

    Você pode ou esta trilha