Horas  2 horas 21 minutos

Coordenadas 711

Uploaded 12 de Maio de 2019

Recorded Maio 2019

-
-
297 m
123 m
0
1,6
3,3
6,58 km

Visualizado 58 vezes, baixado 3 vezes

próximo a Couto de Baixo, Aveiro (Portugal)

- Trilho circular, com marcações, com início e fim no parque de estacionamento junto ao café/restaurante O Júnior, em Couto Esteves;
- Este trilho desenvolve-se por caminhos rurais e estradões florestais, passando por Couto de Baixo, Solar da Casa da Fonte, Amiais, albufeira de Ribeiradio (Vouga), rio Gresso, Vilarinho, Quinta do Olheiro, Vale do Souto dos Moinhos, Alinhada e Couto de Cima;
- Trilho de uma beleza paisagística muito interessante. Destaque, essencialmente, para a aldeia de Amiais, com as suas casas muito bem recuperadas e uma eira comunitária com um conjunto de espigueiros a fazer lembrar (com as respetivas diferenças, salvaguarde-se), as eiras comunitárias minhotas;
- Muito interessantes também são os muitos caminhos rurais que se percorrem, assim como os estradões florestais, plenos de sombra e com o som do rio Gresso a acompanhar e a embalar as muitas subidas e descidas que este trilho "carrossel" nos presenteia. Note-se que, mesmo com todas estas subidas e descidas, considerei o trilho fácil, tendo em conta a sua curta distância, a muita sombra que apresenta e os diversos pontos que convidam a pausas;
- Sem dúvida, um trilho excelente para fazer descontraídamente, em dias de calor e sem pressa!

__________________________________________________________________________________________


PR6 SVV TRILHO DOS AMIAIS
Este percurso leva-nos a visitar duas das aldeias mais históricas da freguesia de Couto de Esteves. Na aldeia de Couto de Baixo, situada na zona onde o relevo é mais acidentado, destaca-se ao fundo do casario a Casa da Fonte. Este solar erigido entre os séc. XVI e XVII, foi residência da ilustre família Sequeira e Quadros e aqui sobressai pela sua grandeza, e não menor nobreza, o brasão situado no topo da porta principal, e que confirma a importância da família neste território, que em tempos fez desta casa sua residência. O percurso desenvolve-se igualmente por caminhos que, no passado serviam de ligação entre as várias aldeias e a sede de freguesia (Vila de Couto de Cima), sendo na sua maior parte trilhados pelos percursos fúnebres e romarias de então. No decorrer deste percurso é também visível a grande ligação da população com a actividade agrícola, em especial no cultivo do milho e hortícolas e, mais recentemente, no cultivo dos pequenos frutos, em especial, o mirtilo, distribuídos pelos socalcos, talhados na vertente da serra. O percurso atravessa alguns bosques de pinheiros, eucaliptos, acácias, carvalhos e sobreiros, entre-cortados por pequenas linhas de água que percorrem toda a encosta. Nestas linhas de água, é visível a existência de pequenas construções - moinhos de água - que outrora trabalhavam incessantemente na moagem dos cereais. Os espigueiros são também uma presença constante e inseparável deste processo, do cultivo do milho, surgindo isolados ou agrupados, com eiras comunitárias, demonstrando deste modo, a vivência comunitária das suas gentes. O exemplo mais paradigmático é a Eira Comunitária da Aldeia dos Amiais, a qual exibe sete canastros ou espigueiros, como habitualmente são designados.

COUTO DE ESTEVES
Couto de Esteves é uma freguesia pertencente ao município de Sever do Vouga, que outrora foi vila e sede de concelho, na sequência do foral que lhe foi atribuído por D. Teresa e D. Afonso Henriques, no ano de 1128. Os monumentos que compõem o pequeno núcleo histórico de Couto de Esteves – Pelourinho, antiga Casa da Câmara, Cruzeiro da Praça e Igreja Matriz - comprovam a sua ancestralidade e a relevância do seu poder concelhio. O vetusto Pelourinho de Couto de Esteves, classificado como Imóvel de Interesse Público, localiza-se na face posterior do antigo edifício da câmara. A sua estrutura, em cantaria de granito, repousa num soco de três degraus quadrangulares sem arestas vivas, e a coluna, de execução tosca com base simples, apresenta um fuste hexagonal com cavidade para chumbos. A antiga Casa da Câmara de Couto de Esteves, hoje Casa da Cultura, foi edificada junto ao alçado nascente da igreja paroquial e a sua construção deve remontar ao séc. XVIII. O Cruzeiro da Praça, também chamado Cruzeiro Triunfal, é um dos mais imponentes cruzeiros do município de Sever do Vouga. Antiquíssima é, também, a Igreja Paroquial de Couto de Esteves, localizada a escassos metros da antiga Casa da Câmara.
Imponente e majestoso, de quatro degraus, com plinto retangular, coluna cilíndrica e capitel simples onde assenta a cruz, é um dos principais símbolos da freguesia. Situa-se na praça central em frente ao antigo edifício da Câmara.
Igreja de planta longitudinal composta por uma nave, uma capela-mor e uma sacristia e torre sineira adossadas. A nave foi construída no século XVII e a torre sineira no século XVIII. Destaque para as gárgulas nos quatro ângulos da torre.
Nos séculos XVI-XVII foi erigido o solar da Casa da Fonte, no Couto de Baixo, que foi residência da ilustre família Sequeira e Quadros.
A albufeira de Ribeiradio localiza-se no médio Vouga a sensivelmente 85 km da nascente, a cerca de 3 km de Sever do Vouga, entre as localidades de Ribeiradio e Couto de Esteves. O paredão tem 76 metros de altura e cria uma albufeira com 136 hectómetros cúbicos à cota de 110 metros de altura. Estende-se por cerca de 14 km do rio Vouga, entre a ponte do Cunhedo e a barragem de Ribeiradio, passando por vales muito encaixados que proporcionam um enquadramento paisagístico de grande beleza. O rio Vouga nasce na serra da Lapa, a cerca de 955 metros de altitude e desagua na ria de Aveiro, após um percurso de aproximadamente 130 km. O espelho de água é ideal para desportos náuticos, como o caiaque ou stand up paddle, constituindo hoje um novo elemento de atração turística da região. Na aldeia dos Amiais, aldeia da rede de Aldeias de Portugal®, a antiga eira comunitária foi recuperada, lembrando tempos de antanho em que a subsistência das populações dependia do milho.A albufeira de Ribeiradio localiza-se no médio Vouga a sensivelmente 85 km da nascente, a cerca de 3 km de Sever do Vouga, entre as localidades de Ribeiradio e Couto de Esteves. O paredão tem 76 metros de altura e cria uma albufeira com 136 hectómetros cúbicos à cota de 110 metros de altura. Estende-se por cerca de 14 km do rio Vouga, entre a ponte do Cunhedo e a barragem de Ribeiradio, passando por vales muito encaixados que proporcionam um enquadramento paisagístico de grande beleza. O rio Vouga nasce na serra da Lapa, a cerca de 955 metros de altitude e desagua na ria de Aveiro, após um percurso de aproximadamente 130 km. O espelho de água é ideal para desportos náuticos, como o caiaque ou stand up paddle, constituindo hoje um novo elemento de atração turística da região. Na aldeia dos Amiais, aldeia da rede de Aldeias de Portugal, a antiga eira comunitária foi recuperada, lembrando tempos de antanho em que a subsistência das populações dependia do milho.
Rodeada de densa vegetação verde, a aldeia de Amiais pertence à freguesia de Couto de Esteves, no concelho de Sever do Vouga. Inserida na meia encosta da Margem do rio Vouga, a sua envolvente é pontuada por magníficas paisagens das serras que a rodeiam e encostas trabalhadas em socalcos. Rodeado por montanhas (Serras da Freita, do Caramulo e de São Macário), o aglomerado de casas muito juntinho e os sinuosos caminhos completam a paisagem, utilizando materiais típicos da região, como o granito e a madeira ou, pelas ruas, a calçada à portuguesa. Deambule sem pressas por estes caminhos que atravessam o centro da aldeia, deslumbre-se com as vistas panorâmicas dos miradouros naturais e vá até uma eira, o antigo centro de convívio social das comunidades agrícolas ligadas à desfolhada do milho, que ainda hoje se faz. ESPIGUEIROS DA EIRA COMUNITÁRIA - Conjunto de sete espigueiros de planta retangular localizados em torno de uma eira comum. São constituídos por colunas de pedra de secção quadrada, paredes de madeira de ripado vertical e de duas águas.

Comentários

    You can or this trail