Tempo em movimento  4 horas 11 minutos

Horas  5 horas 29 minutos

Coordenadas 3123

Uploaded 4 de Maio de 2019

Recorded Maio 2019

-
-
1.057 m
651 m
0
4,5
9,0
18,1 km

Visualizado 54 vezes, baixado 2 vezes

próximo a Varzielas, Viseu (Portugal)

Regressamos a Varzielas para repetir o PR3 do nosso concelho de Oliveira de Frades "Rota dos Cabeços" em plena Serra do Caramulo.
É um percurso que junta dois tipos de paisagem, em alta montanha, com um terreno mais agreste rodeado de cabeços de granito e em vales junto ao Rio Águeda e ribeiros onde a paisagem é mais verde e refrescante.
Com inicio junto à Igreja matriz de Varzielas, bem no centro desta localidade, decidimos seguir no sentido dos ponteiros do relógio, inicialmente percorremos as ruas desta aldeia sempre a descer até chegar à ponte de Porta Moinho. A partir deste local é hora de subir, a subida sempre a serpentear a encosta da Serra é dura e leva-nos ao ponto mais alto do concelho de Oliveira de Frades, o Cabeço das Pinoucas, onde se situa o marco geodésico e o posto de vigia, a paisagem deste local é soberba, avista-se de um lado grande parte do concelho de Tondela, com destaque para a Vila do Caramulo, do outro lado, Águeda e a cidade de Aveiro com o mar como pano de fundo e para o norte toda a Serra da Freita, Arada e Montemuro.
Após as fotos da praxe, seguimos por entre os diversos cabeços, que dão o nome a esta rota, até entrar no estradão das eólicas, depois saímos do estradão, viramos à direita e descemos junto à ribeira até encontrar a estrada em asfalto que liga Varzielas a Bezerreira, atravessamos esta estrada e subimos pelo denominado Jardim da Bezerreira até esta aldeia, esta subida tem alguma vegetação que requer alguma manutenção, no entanto à data a passagem era de fácil progressão. Ao chegar à aldeia atravessamos as ruas entre as casas rurais e subimos até às eólicas viradas para norte, depois das eólicas descemos novamente até Bezerreira, passamos pela Capela local e iniciamos a descida junto à Ribeira que nos leva até ao fundo da Serra e onde corre o Rio Águeda. Atravessamos este rio pela ponte da Retorta, para o tornar a passar para a margem esquerda através de uma ponte em madeira junto a um antigo moinho, agora é altura de percorrer grande parte da margem esquerda deste Rio, este troço do percurso é de rara beleza, o trilho leva-no até uma levada junto a um lameiro agrícola, aqui teremos que atravessar novamente o Rio para a margem direita, no entanto não existe passagem, derivado ao caudal tivemos que tirar os sapatos e atravessar o Rio, descalços a passagem não tem qualquer dificuldade porque neste local a água tem pouca profundidade, molha pouco mais que os pés, mas escorrega, ter atenção que em dias de muito caudal pode ser mais complicado.
Depois da passagem pelo Rio seguimos agora na margem direita até ao Cabeço da Soalheira, uma pedra enorme rasgada ao meio por onde passamos, após passagem pela pedra e um pouco mais abaixo, para os mais arrojados, existe a possibilidade de descer até ao Rio com ajuda da corda colocada no local, a descida é acentuada mas junto ao Rio pode-se ver um belo poço de água.
A partir deste local é voltar a subir em direcção a Varzielas, a subida não é tão interessante porque faz-se por caminho florestal entre vários eucaliptos, até chegar ao cruzamento onde se encontra a Cruz da Via Sacra, aqui, vira-se à esquerda e por um caminho florestal desce-se até ao Parque de Merendas do Viveiro, com bastante sombra e alguma mesas em pedra, o parque está um pouco abandonado e situa-se bem perto de onde iniciamos este percurso pela Serra do Caramulo.
Classifico este percurso com grau de dificuldade de moderado pela sua extensão, cerca de 18 km, porque a única subida acentuada é logo a iniciar até ao Alto das Pinoucas.
Importante estarem atentos ao caudal do Rio Águeda na passagem para a margem direita, poderão ter que descalçar as botas.
Ter atenção também que os únicos ponto de abastecimento liquido apenas se encontram nas aldeias, pelo que, em dias de muito calor levar água suficiente e protector solar principalmente na passagem pelo alto da Serra.

Comentários

    You can or this trail