Tempo em movimento  3 horas um minuto

Horas  4 horas 2 minutos

Coordenadas 2528

Uploaded 17 de Março de 2018

Recorded Março 2018

-
-
594 m
305 m
0
3,6
7,2
14,48 km

Visualizado 673 vezes, baixado 42 vezes

próximo a Freixo de Numão, Guarda (Portugal)

Aproveitando a época das amendoeiras em flor decidimos fazer o PR2 de Vila Nova de Foz Côa, um percurso recheado de pontos de interesse.
Para aquela zona a previsão era de algumas nuvens mas com pouca chuva, acontece que a viagem foi presenteada com bastante neve pelo caminho, mas ao chegar a Freixo de Numão, já no concelho de Vila Nova de Foz Côa e onde inicia o percurso, o tempo melhorou e ao longo da manhã o sol foi uma constante.
Como o PR2 VFC é um circuito arqueológico linear, assim decidimos fazer algumas alterações e efetuar um percurso circular o que implica o uso do GPS.
O percurso inicialmente percorre as ruas da aldeia de Freixo de Numão com destaque para o Museu da Casa Grande onde no quintal anexo se pode ver diversas ruinas romanas, após passar pela igreja matriz e ao chegar ao pelourinho do centro da aldeia saímos da marcação do PR e viramos à esquerda até encontrar o caminho em pedra onde aparecem novamente as marcações do PR e que nos leva por entre as diversas amendoeiras ainda com alguma flor, até às ruínas do Prazo.
Ao chegar às ruínas romanas do Prazo, também conhecidas pelo pequeno Machu Picchu português vislumbra-se umas ruinas em muito bom estado situadas numa encosta e com uma área bastante significativa.
Daqui seguimos em direção às próximas ruinas romanas, as de Rumansil, novamente por entre as muitas amendoeiras e as diversas vinhas tão típicas da região, este caminho ainda com as marcações do PR leva-nos com facilidade até às referidas ruinas situadas no alto e com uma vista fabulosa para o vale de Freixo de Numão.
A partir destas ruinas de Rumansil e como decidimos fazer o percurso circular as marcações deixaram de existir e foi com ajuda do GPS que descemos pelo estradão em direção à estrada de asfalto até muito perto da aldeia de Murça, ao chegar à estrada em asfalto, passamos junto à capela local e seguimos na estrada cerca de 800mt para sair à esquerda por um caminho em terra batida até encontrar a ribeira esta época com muita água.
A partir da ribeira espera-nos uma subida bastante acentuada, primeiro entre as diversas vinhas e depois por um caminho em terra batida que nos leva às ruinas do Zimbro, após passagem pela ruinas é agora altura de seguir para a Calçada Romana, e que calçada esta, com cerca de 500 mt em muito bom estado e com diversos pontos de interesse ao longo do troço, de realçar que é sempre a subir até à entrada da aldeia de Freixo de Numão onde inicia e termina o percurso, antes de terminar ainda visitamos a capela de Santa Barbara, passamos por outras ruas da aldeia e fechamos este percurso circular.
Este percurso circular para quem está habituado é um percurso sem qualquer dificuldade os caminhos não têm qualquer dificuldade técnica as subidas apenas uma, mas para quem não estiver habituado esta subida é dura.
Aconselho a efetuar este troço na época das amendoeiras em flor, ou seja, nos primeiros 15 dias de março, para se ver toda a beleza desta árvore.
Para quem optar por fazer este PR circular deve usar o GPS porque entre as ruinas de Rumansil até encontrar o troço da calçada romana não existe qualquer marcação ou indicação e existem diversos caminhos opcionais entre as vinhas.
Se efetuarem o percurso no verão ter atenção ao calor e exposição solar neste local, percurso sempre exposto ao sol, sem qualquer sombra e com poucos pontos de abastecimento de água.

Comentários

    You can or this trail