Horas  5 horas 59 minutos

Coordenadas 1736

Uploaded 7 de Setembro de 2019

Recorded Setembro 2019

-
-
770 m
501 m
0
3,8
7,6
15,14 km

Visualizado 67 vezes, baixado 3 vezes

próximo a Lagoa, Braga (Portugal)

- Trilho circular, com marcações, com início e fim na aldeia de Lagoa;
- Este trilho desenvolve-se pelas duas margens do rio Vizela, entre 4 aldeias, por entre caminhos rurais e florestais, estradões e calçadas ancestrais;
- Trilho fresco, com bastante sombra e sem declives assinaláveis, que permite uma progressão descontraída e um contacto próximo com as gentes e os costumes das aldeias que atravessa. Destaque para os carvalhais da serra de Fafe, assim como para o rio Vizela que, nesta zona geográfica, por estar próximo da sua nascente (alto de Morgair), ainda se encontra livre de toda a indústria que, a jusante, contribuirá para o tornar num rio altamente poluído e contaminado;
- Um bom trilho para ser realizado na primavera, verão ou no outono. No inverno, em dias de chuva, pode-se tornar desagradável em virtude da lama que, nos caminhos rurais, será uma constante.


__________________________________________________________________________________________


PR2 FAF - AS ALDEIAS DAS MARGENS DO RIO VIZELA
O percurso visita as localidades de Lagoa, Pedraido, Felgueiras e Gontim, sempre por caminhos antigos. Este percurso contempla as mais típicas zonas rurais de montanha do concelho de Fafe. Ao longo de aproximadamente 15 km as águas puras e cristalinas dos ribeiros, os bosques de carvalhos e os pequenos campos minhotos laboriosamente trabalhados que ladeiam o rio Vizela convidam o caminhante a sonhar. Nas povoações, viajar por tempos já quase perdidos na memoria popular e o desafio que este percurso sugere. Para começar essa viagem serão ouvidos os cantos tradicionais, as lendas, as crenças religiosas e as tradições que ainda perduram. Descobrir o rico artesanato local, o antigo modo de vida em comunidade, o património histórico e os vestígios de uma indústria artesanal que durante muito tempo ajudou a população local a sobreviver no pobre e agreste vale do Vizela. Será muito emocionante. Estes são os tesouros que temos reservados para os nossos visitantes.
Extensão - 15 km
Tipo de Percurso - Pequena rota circular
Grau de dificuldade - Médio
Duração - 5:00 horas
Época Aconselhada - Primavera, Verão e Outono
Desnível - 770+
Ponto de Partida / Chegada - Lagoa
panorama

Alto das Lages

árvore

Carvalhal (caminho florestal)

Ponte

Pontelha (Águas de Gontim)

Waypoint

Carreiro de serventia (rural)

Waypoint

Gontim

A freguesia de Gontim, tem como orago Santa Eulália e localiza-se no extremo norte do concelho, a cerca de 700 m de altitude e faz fronteira com o município de Vieira do Minho. O topónimo «Gontim» é um nome próprio da origem germânica. São de revelar ainda, junto ao alto de Morgair, não apenas a nascente do Rio Vizela, mas também um fojo medieval, fossos cavados na terra para a caça de lobos e outros animais selvagens que atacavam as populações. Freguesia de tradições e lendas muito antigas, impõe-se a que refere que, em tempos remotos, era costume conduzir os velhos, cuja morte se aproximava, para o Vale da Ribeira Velha, junto ao alto de Morgair, onde os deixavam morrer. Outrora, esta freguesia destacava-se pela prática de uma indústria artesanal: a da casca. Aproveitava-se a abundância de carvalhos alvarinho, dos quais se extraía a casca que depois era levada para as eiras onde secava ao sol (faina conhecida por "casqueadas"). A extração da casca era feita de quatro em quatro anos, geralmente entre Junho e Julho. Depois de completamente seca, a casca dos carvalhos era desfeita em pó, que era vendido para as fabricas de curtumes em Guimarães e no Porto.
Ruínas

Moinho de Casca de Gontim

Waypoint

Moinhos (levada)

árvore

Carvalhal (calçada)

árvore

Carvalhal (calçada)

Arquitetura religiosa

Capela e fonte de S. Silvestre

Embora esta fonte esteja associada a "curas milagrosas" para quem se banhasse nas suas águas, a verdade é que esta água encontra-se imprópria para consumo.
Waypoint

Felgueiras

Felgueiras é uma freguesia portuguesa do concelho de Fafe, com 5,42 km² de área e 135 habitantes (2001). É uma das mais pequenas freguesias de Fafe, perdida na Serra do Marouco. Ali respira-se humildade, ar puro e generosidade. Pessoas simples mas determinadas, que teimam em não deixar morrer a terra que os viu nascer, pese embora a dureza do dia-a-dia e a solidão que, particularmente à noite, invade as casas dos mais idosos que por lá vivem. Havia nesta freguesfa uma casa curiosa, construfda em cima de urn penhasco, conhecida como Casa do Capitão, antigo senhor de quase todas as terras das redondezas e da qual ainda hoje podemos ver um bonito arco em pedra. Diz o povo que vinham pessoas de longe para lavarem crianças enfezadas na fonte de S. Silvestre, situada à entrada desta freguesia, pois acreditavam que esta água tinha poderes milagrosos. Uma freguesia à beira da desertificação, tem paisagens belas e que vale a pena visitar!
Ruínas

Moinho do Carvalho

Ponte

Pontelha (rio Vizela)

Rio

Rio Vizela

O rio Vizela é o mais extenso do concelho de Fafe, prolongando-se por cerca de 24,5 km. O seu curso tem uma extensão total de 40 km. Nasce no alto de Morgair, entre as freguesias de Aboim e Gontim, ambas do concelho de Fafe, e desagua na margem esquerda do rio Ave, perto da freguesia de S. Miguel das Aves, no concelho de S. Tirso. É neste rio que se encontra a barragem de Queimadela. Como nota importante, na geografia deste rio, refira-se a curiosidade natural que se encontra logo a seguir à barragem de Queimadela: é ali que se encontram as Olas (ô). Por capricho da natureza, ali e no percurso de mais de cem metros, o rio desaparece debaixo de penedos enormes, para surgir logo adiante, rugindo de forma ameaçadora.
árvore

Carvalhal (caminho florestal)

Waypoint

Pedraído

Foi outra das freguesias do concelho de passado glorioso. Vila e Couto, dele foram senhoras as freiras de Arouca. A sua única agremiação é a Associação Cultural e Desportiva de Pedraído, fundada em 1985 e que tem desenvolvido um notável trabalho ao nível de recolha, recriação e relançamento das melhores tradições, usos e costumes da freguesia, designadamente nos processos do linho e da lã e de vários tipos de artes tradicionais. Os principais lugares de Pedraído são Barras, Campo Dianteiro, Fundevila, Quintã, Rodas, Souto e Vale.
árvore

Carvalhal (caminho florestal)

árvore

Carvalhal (calçada)

Waypoint

Lagoa

Em Lagoa, típico núcleo rural de montanha, as pessoas dedicam-se sobretudo à pastorícia mantendo, até há pouco tempo, a antiga prática comunitária da vezeira e a indústria artesanal de produção de carvão. Lagoa é também conhecida pela romaria anual ao seu mosteiro, erigido em honra de Nossa Senhora da Lagoa ou das Neves.

Comentários

    You can or this trail