Horas  4 dias 14 horas 7 minutos

Coordenadas 5881

Uploaded 18 de Agosto de 2016

Recorded Agosto 2016

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1.682 m
782 m
0
11
22
43,27 km

Visualizado 2862 vezes, baixado 237 vezes

próximo a Cardeal Mota, Minas Gerais (Brazil)

Travessia "oficial" do Parque Nacional da Serra do Cipó, saindo da portaria 3, Alto do Palácio (ou Alto Palácio), na rodovia MG-010, e chegando no vilarejo de Serra dos Alves, em Itabira.

Para percorrer o trecho é preciso autorização do Parque Nacional, facilmente obtida através do seguinte e-mail: [email protected]

Atualmente (agosto/2016) não é cobrada nenhuma taxa para percorrer o trecho. As vagas estão limitadas a 30 pessoas/roteiro/dia.

LOGÍSTICA (BH como referência):
A portaria 3, Alto do Palácio, pode ser alcançada pelos ônibus da viação Saritur e Serro, com destino a Morro do Pilar e Conceição do Mato Dentro, respectivamente. Segundo dica do usuário Humberto Guerra Fernandes, na saída de Serra dos Alves, o melhor é pegar um moto-táxi até Senhora do Carmo (mais perto que Ipoema) e de lá o ônibus da viação Saritur que vai para BH (linha Itambé do Mato Dentro x BH).

A TRAVESSIA:
1º dia: Marcado por muitas subidas, o ideal começar ATÉ 9h, principalmente no inverno. São 17,6km desde a portaria do PN até o ponto de acampamento Casa de Tábuas. A trilha está bem demarcada até a primeira bifurcação, daqui até as pinturas rupestres está com um leve pisoteio e sinalização razoável, embora as estacas sejam pequenas e facilmente encobertas pela vegetação local. Após as pinturas rupestres a tilha volta a ser bem demarcada.
Do Travessão até a Casa de Tábuas são longos trechos sem pisoteio formado ou com trilha suja, em alguns momentos percorremos o mesma caminho da travessia até Cabeça de Boi. A descida até o fundo do vale onde se encontra a Casa de Tábuas está com um leve pisoteio, o problema de chegar sem luz natural ao fundo do vale são as duas travessias por capões de mata, o trecho não está muito batido e apresenta diversas trilhas de vaca.
O acampamento na Casa de Tábuas não é dos mais confortáveis, já que predominam os campos rupestres no local e o terreno está ligeiramente inclinado. A casa possui um fogão e só. Mais abaixo no terreno passa o rio Bocaina, ponto de água e banho.

2º dia: Começa com uma longa subida até o ponto mais alto da travessia (1.682m), alternando trechos por trilhas de vaca e outros sem trilha. Após exemplares gigantes de canelas-de-ema é preciso atravessar um capão de mata com entrada bastante confusa. Após contornar o pico pela direita (ponto mais alto), alternam-se trilhas consolidadas, trilhos de vaca e trechos sem pisoteio até os Currais.
Não há ponto perene de água durante os 11,9km do trajeto, somente no início (Casa de Tábuas) e no trecho final, já chegando aos Currais.
O Casa dos Currais conta com uma bica, latrina, chuveiro de lata e fogão a lenha, além de um pomar repleto de limão galego (capeta). O acampamento pode ser feito no campo, gramado e plano. Atenção para os muitos carrapatos que estão a espera dos montanhistas. O rio passa bem próximo da casa.

3º dia: O dia de navegação mais tranquila, sempre por trilha bem batida até o vilarejo de Serra dos Alves, o relevo é suave por grande parte do trajeto. Pontos de água somente nos Currais (início) e nas cachoeiras, já na parte final do trajeto. A cachoeira da Luci, 1ª parada, está dentro do Cânion Boca da Serra, local mal iluminado pelo Sol em algumas épocas do ano. Já a cachoeira dos Cristais, 2ª parada, está em uma área pouco mais aberta e tem um belo poço de águas esverdeadas.
Após as cachoeiras, a descida até o fundo do vale é um pouco pesada, feita por uma antiga estrada em péssimo estado. Cruzamos o rio Tanque, de águas cristalinas, pela ponte pênsil, que está em péssimo estado.
No vilarejo há bares, mercearias e pousadas. Não há sinal de telefonia móvel por lá (Vivo ou TIM).

OBSERVAÇÕES:
- Diferente das informações do tracklog, o trajeto foi feito em 3 dias. Começamos por volta das 10:20 de sábado e terminamos por volta das 16:00 de segunda;
- São poucos pontos de água pelo caminho, principalmente no 2º e 3º dia, que só possuem água no início e no final. Durante a época de chuvas é possível que haja uma maior oferta de água pelo caminho;
- 95% da travessia é feita por áreas abertas, poucos trechos sombreados pelo caminho;
- Parece que há sinal de celular nas proximidades do Cânion Boca da Serra, talvez também tenha sinal no trecho inicial, próximo a portaria do PN;
- Para quem nunca fez o trajeto, é OBRIGATÓRIO um GPS com o tracklog carregado ou a contratação de um guia que conheça o caminho. Muitos trechos não possuem qualquer tipo de pisoteio, tampouco sinalização por estacas. Os que dominam navegação por carta e bússola podem usar dessas ferramentas;
- No 1º dia inicie a caminhada por volta das 9h, principalmente no inverno. Assim é possível contemplar as belezas pelo caminho e chegar a Casa de Tábuas ainda com luz natural. Acredite: o trecho final é bem ruim de ser feito no escuro, mesmo com GPS;
- Com as paradas, o trajeto do 1º dia leva cerca de 8h. O 2º trecho é concluído em pouco menos de 5h. Já o tempo para completar o último dia varia de acordo com o roteiro escolhido. Visitando as cachoeiras sem pressa, são cerca de 8h até Serra dos Alves;
- Para chegar a cachoeira da Luci é preciso pegar uma trilha bem estreita que vai margeando o cânion, muito cuidado com os buracos e atenção com o barranco.

View more external

Direita para cachoeira
Encontro com trilha
Encontro com trilha
Exemplares gigantes
Trecho confuso
À direita do pico
Deixar a trilha batida e descer em direção ao fundo do vale
Encontro com trilha
Encontro com trilha
Encontro com trilha
Encontro com trilha

27 comentários

  • Foto de mourafrm

    mourafrm 1/out/2016

    I have followed this trail  View more

    Indico que só façam a travessia com auxilio de gps, como já levantado pelo Hélio.

  • Humberto Guerra Fernandes 15/fev/2017

    Obrigado pela detalhada postagem, Helio!
    Acredito que, após a trilha, a partir de Serra dos Alves, seja melhor pegar um moto-táxi até Senhora do Carmo que até Ipoema. Os Alves ficam mais próximos do Carmo que de Ipoema. O ônibus da Saritur que passa nesses distritos é o mesmo (Itambé do Mato Dentro-BH).

  • Foto de grlopes

    grlopes 7/mar/2017

    Bacana Helio, bem detalhado por você esta travessia.
    Se você for fazer novamente esta travessia me informe quem sabe dar pra eu ir tb e tenho uma amigo que tem interesse tb.

  • Foto de Hélio Jr

    Hélio Jr 7/mar/2017

    Obrigado, grlopes! Sempre tento detalhar os tracks da melhor forma, até mesmo pra auxiliar quem pretende fazer a mesma rota...
    Sobre esta travessia, penso em fazer o circuito completo (Alto Palácio x Areias) ainda este ano, mas deve ser somente no segundo semestre por conta dos feriados prolongados, já que a travessia completa necessita de, ao menos, três noites. Se vc tiver um aparelho GPS e experiência com travessias, pode fazer essa sem medo de ser feliz!

  • Foto de grlopes

    grlopes 9/mar/2017

    Valeu Hélio.
    Obrigado.

  • Foto de Carlos Magno Trekking

    Carlos Magno Trekking 11/abr/2017

    Show meu brother a explicação ficou top d+ vc esta de parabéns, estou indo fazer essa travessia por esses dias e foi muito bacana poder ter essas explicações

  • Foto de Sander Araujo

    Sander Araujo 19/abr/2017

    Ótima trilha... cheia de desafios.... não é para principiantes ok pessoal...
    Lindas vistas

  • Humberto Guerra Fernandes 19/abr/2017

    Fiz o percurso na Semana Santa, e foi bem bacana. Com poucas pessoas é possível armar barraca dentro das casas, e sem usar o sobreteto (dormir direto nos catres eu acho pouco aconselhável: há alguns ratinhos minúsculos e uns morceguinhos que habitam ali, e podem lhe dar um susto à noite).
    Serra dos Alves agora já dispõe de mais pousadas (umas três ou quatro) e há lá quem preste o serviço de transporte de pessoas até a Serra do Cipó, mas não é barato (são quase 200 km de estrada, a maioria de terra, e fora o retorno). Mais em conta é contratar o transporte até Senhora do Carmo ou Ipoema, onde passa o ônibus da Saritur para BH.

  • Foto de Hélio Jr

    Hélio Jr 19/abr/2017

    Carlos Magno Trekking,
    que bom que lhe foi útil! Espero que tenha sido ou que seja uma boa travessia!

    netaraujo,
    exatamente, embora não seja tão complicada, é interessante que a pessoa tenha alguma experiência no transporte de cargueiras e em acampamentos naturais.

    Humberto Guerra Fernandes,
    também não recomendo bivacar nas casinhas, acho que ratos e morcegos nem são dos maiores problemas, a questão pra mim são alguns animais peçonhentos que gostam do aconchego do lugar. já topei com uma senhora lacraia no soberbo e não gostaria de ser surpreendida por uma dentro do saco de dormir rs

  • Foto de Sander Araujo

    Sander Araujo 19/abr/2017

    é isso mesmo Helio.... uma das minhas principais dificuldades foi mesmo o peso das Mochilas
    Parabéns Hélio...

  • Foto de moialc12102

    moialc12102 30/mai/2017

    Pretendo fazer a travessia no feriado do dia 15/06/2017 alguma necessidade de corda ?

  • Humberto Guerra Fernandes 30/mai/2017

    Nenhuma necessidade de corda. Só se for para improvisar um varal dentro de uma das duas casas...

  • Foto de moialc12102

    moialc12102 30/mai/2017

    Valew Humberto!!!

  • Foto de moialc12102

    moialc12102 31/mai/2017

    Humberto saberia me dizer por alto quanto fica o transporte para Senhora do Carmo ou Ipoema ?

  • Humberto Guerra Fernandes 31/mai/2017

    Não sei dizer... Sei que o dono da pousada Portal da Serra (Chiquinho) faz. Mas ele mora, salvo engano, em Itabira, então é preciso ver se ele estará lá no dia.
    Se for último dia de feriado é bem fácil conseguir carona. Num domingo também não deve ser difícil. Na Semana Santa, que foi quando fiz pela última vez, conseguimos com facilidade.

  • Foto de moialc12102

    moialc12102 31/mai/2017

    Ok, Vou ligar nas pousadas de la. Mais um vez muito obrigado pela informação.

  • Humberto Guerra Fernandes 31/mai/2017

    Vou aproveitar para listar aqui alguns contatos em Serra dos Alves.
    - Casa de Cultura (me parece a melhor pousada de lá): (31) 986718008 / 988553066
    [email protected]
    https://www.facebook.com/casadeculturaserradosalves/
    - Pousada do Marconi: (31) 99690-3470
    - Pousada Portal da Serra: (31) 99645-2750 / 98682-0136
    [email protected]

    Para aqueles que puderem esticar em Serra dos Alves por mais um dia, há bons passeios: visitar o Cânion dos Marques (3-4 km da vila, em caminhada fácil), subir ao mirante de Serra dos Alves (você o estará vendo na travessia em boa parte do trecho após a Casa dos Currais), ou ir à cachoeira Coca-Cola (uns 20 minutos da vila).

  • Foto de moialc12102

    moialc12102 23/jun/2017

    Feita em 16/06/2017 a 18/06/2017. Travessia linda. Primeiro dia é puxado muita subida e descida terreno complicado a recompensa fica por conta do travessão. Segundo dia tranquilo e visual deslumbrante quase tempo todo. Terceiro dia nem se fala.
    Como dia 15 era feriado nossa logística foi chegar na serra do cipo no feriado e ficar em uma pousada a proposito ficamos na pousada embaubas por apenas R$ 80,00 fica 200 metros antes da cachoeira Véu da Noiva quarto simples mais muito arrumado e aconchegante o dono de la Sr. Alamir gente finíssima conversei com ele e se propôs a nos deixar no Alto Palácio as 8:00 da manha e cobrou bem barato. Chegamos no alto palácio o tempo estava fechado neblina forte e muito vento não dava pra ver quase nada, tinha dois carros mais não aparecia ninguém pra abrir a cerca e nos receber, esperei um pouco e já fui jogando minha mochila por cima da cerca pra começar a travessia foi ai que apareceu um representante do parque e nos solicitou as autorização para travessia. Durante todo trajeto encontramos vários funcionários do parque sempre corteais e de bom humor. Também no caminho encontrei com a turma do Marcos (Terra Treking) pessoa notável, mesmo não fazendo parte de sua turma me deu suporte, chegando na Serra dos Alves almoçamos juntos e conheci melhor a turma dele, como tinha lugares na vam voltei com eles para Itabira.
    Sobre o Track log o parque instalou muitas, mais muitas estacas enteladas de fita amarelas foi poucos locais que precisei do GPS a sinalização esta muito boa, principalmente em locais mais difíceis, o pisoteio esta muito bom na dúvida siga o pisoteio que faz volta em algumas montanhas e em algumas regiões de pântanos. No primeiro dia só ficar atento no encontro das trilhas após travessão este ponto esta marcado no tracklog e também na matinha chegando na casa de tábua mais la esta bem sinalizado tem que atravessar o córrego duas vezes. No segundo dia a trilha que sobe a montanha em meio a mata esta bem sinalizada, fique atento para descer a montanha um pouco antes do que esta sinalizado no track log o local virou um pântano pode descer uns 100 a 200 metros depois pular a cerca ou uns 100 a 200 metros antes.

  • Foto de Hélio Jr

    Hélio Jr 24/jun/2017

    moialc12102,

    bom saber que deu tudo certo na passagem de vcs e também que os voluntários melhoraram a sinalização desta travessia. até ano passado, quando fiz, as estacas eram bastante escassas, sendo que nas partes mais complicadas não existia praticamente nenhuma. e bom saber também que o pisoteio já está sendo formado, o que ajuda ainda mais!

    bons ventos!

  • Foto de moialc12102

    moialc12102 26/jun/2017

    Obrigado Hélio. Vou deixar uma ressalva apesar do bom pisoteio e sinalização não deixe de levar gps ou celular com o caminho, em alguns pequenos trechos rochosos a trilha some é necessário o uso do gps ou de experiência para achá-la de novo.
    Bons ventos pra você também.
    Att. Moisés

  • Foto de Sander Araujo

    Sander Araujo 19/jul/2017

    I have followed this trail  View more

    Ótima trilha... cheia de desafios.... não é para principiantes ok pessoal...
    Lindas vistas

  • glauber fajardo 28/set/2017

    helio , cachoeiras somente em serra dos alves ? no primeiro e segundo dia não tem nenhuma cachoeira no caminho nao ?

  • Foto de Hélio Jr

    Hélio Jr 29/set/2017

    glauber fajardo,

    as principais estão próximo a Serra dos Alves. No 1º dia tem como tomar um banho nas nascentes próximas ao Travessão, tem alguns pocinhos por lá. No segundo dia só fazendo algum desvio da trilha principal. Tem a opção de chegar nos Currais e fazer um ataque à Braúnas ou, um pouco antes de chegar no acampamento, pegar uma trilha para o leste que segue para o alto da Cachoeira dos Borges.

  • Humberto Guerra Fernandes 29/set/2017

    Eu diria que para um ataque à Braúnas o ideal seria ter um dia a mais nessa travessia, fazendo em quatro dias. A Braúnas, na minha opinião, é a cachoeira mais espetacular da região do Cipó, ficando à frente mesmo da Bicame e do Poço do Soberbo. Merece um dia só para ela. Se não me engano, da Casa dos Currais até ela são cerca de 5 km.

  • glauber fajardo 29/set/2017

    muito obrigado helio e humberto ! a Braunas conheço bem rs , muito linda mesmo por sinal ! em breve estarei fazendo essa travessia

  • glauber fajardo 29/set/2017

    você tem dicas de travessias que passam por mais cachoeiras ? sou bem piolho de caminhada e cachoeira, combinando as duas seria uma maravilha ! agradeço desde ja

  • Humberto Guerra Fernandes 29/set/2017

    Aqui no Wikiloc há muitas, e você pode derivar delas outras. É possível você inserir em travessias a Lagoa Dourada, a Farofa de Cima, todo o vale da Bocaina (Gavião, Andorinhas, Congonhas de Cima e de Baixo, Tombador), o Capão dos Palmitos (entre a LD e a portaria principal do parque... E ainda tem a região da Lapinha, com o Soberbo e o Bicame, que podem ficar numa travessia que ainda envolva a volta na Serra do Breu. E, claro, o próprio Tabuleiro é o fim da travessia mais conhecida do estado. Quando você dá zoom na imagem de satélite aí em cima, as cachoeiras aparecem.

You can or this trail