Horas  5 horas 19 minutos

Coordenadas 1354

Uploaded 19 de Dezembro de 2015

Recorded Dezembro 2015

-
-
1.229 m
827 m
0
2,3
4,6
9,12 km

Visualizado 1147 vezes, baixado 73 vezes

próximo a Cardeal Mota, Minas Gerais (Brazil)

Trajeto até o complexo de cachoeiras Congonhas passando pelo Caminho dos Escravos.

COMO CHEGAR:
A trilha tem início próximo a portaria para a Cachoeira Veu da Noiva. Saindo de Belo Horizonte, siga pela MG-010 para a Serra do Cipó. Após cruzar a ponte estreita sobre o Rio Cipó, continue pela MG-010 (via principal) até o fim da vila, onde fica a entrada para o Véu da Noiva. Deixamos os veículos em uma rua lateral próximo a um bar, não pagamos por isso.

A TRILHA:
A primeira parte da caminhada é a subida do Caminho dos Escravos, que é bastante puxada e exige um bom condicionamento físico. Parte do trecho é calçada. Assim que a subida estabiliza seguimos por trilha bem batida, cruzando o riacho que forma a cachoeira Véu da Noiva.
Cruzamos o riacho mais uma vez, em uma área de capoeira e saímos na estradinha do Condomínio Bosque do Sol, onde tomamos à direita. Após a última casa, que está meio abandonada, deixamos a estradinha para subir por uma trilha batida à esquerda, que a princípio segue margeando a cerca. Depois de alguns capões de mata, saímos novamente em campo rupestre e enfrentamos uma curta subida mais acentuada.
Cruzamos um trecho de campos de altitude, onde algumas vaquinhas costumam pastar. Vamos nos aproximando de um morrote, um afloramento rochoso, próximo a ele passamos pela cerca do Parque Nacional da Serra do Cipó.
Após a entrada no parque a trilha estabiliza e apresenta subidas e descidas curtas. Logo passamos pelo ponto mais alto da rota, onde se tem uma visão privilegiada da Serra da Bandeirinha, Lagoa Dourada e da Farofa, além do vale do ribeirão Mascates.
Do "mirante" em diante a trilha se caracteriza por uma longa descida até o Ribeirão Congonhas, ora suave, ora acentuada, sempre por campos rupestres.
Chegamos ao leito do ribeirão na altura da Cachoeira Congonhas do Meio. Na verdade não é uma cachoeira, apenas corredeiras do ribeirão que desaguam em um poço mediano, ótimo para nadar. O local é bastante exposto ao Sol.
Depois nos deslocamos para Congonhas de Baixo, que tem uma bonita queda e um poço médio, também bom para o banho. A jusante da cachoeira pequenas piscinas naturais são formadas no leito do ribeirão.
Nossa última investida foi a Congonhas de Cima, também acessível por trilha. O local também apresenta uma bonita queda e um poço excelente para o banho.

CONSIDERAÇÕES:
- De uma forma geral, é uma trilha de baixa dificuldade técnica, mas que exige algum condicionamento físico pela distância a ser percorrida e pelas subidas cansativas;

- Não há qualquer infraestrutura no local, leve o de comer e o de beber;

- De forma alguma deixe lixo no local, estamos em uma unidade de conservação Federal;

- Grande parte do trajeto é por áreas expostas, use chapéu e protetor solar;

- Embora esteja na área de um Parque Nacional, o complexo de cachoeira Congonhas possui acesso livre e gratuito;

- De um modo geral o complexo é pouco visitado, tornando-o uma ótima pedida para feriados e dias em que a região do Cipó está movimentada;

- Em caso de chuva forte, pode haver a formação de cabeças d'água em alguns pontos da rota. Não cruze os corpos d'água nessa situação.

View more external

Comentários

    You can or this trail