Baixar

Distância

5,22 km

Desnível positivo

16 m

Dificuldade técnica

Moderada

Desnível negativo

811 m

Elevação máx

1.792 m

Trailrank

57

Elevação min

957 m

Tipo de trilha

Mão Única

Tempo em movimento

uma hora 32 minutos

Hora

uma hora 48 minutos

Coordenadas

924

Enviada em

29 de agosto de 2020

Registrada em

agosto 2020
Compartilhar
-
-
1.792 m
957 m
5,22 km

Visualizado 1217 vezes, baixado 104 vezes

perto de Cerro Verde, Paraná (Brazil)

Ascensão ao Pico Itapiroca, dentro do conjunto do Parque Estadual do Pico Paraná

Existe uma espécie de obsessão quando se fala em Pico Paraná. Sejam trilheiros experientes ou os de finais de semana, quando chegam ao Parque Estadual do Pico Paraná eles querem escalar o ponto mais alto do Sul do Brasil - não se importando, em muitos casos, com a falta de equipamentos, com a falta de preparo físico e com a falta de planejamento. Os resgates são muito comuns. Pessoas que passam muito frio tentando acampar, também.

A boa notícia é que há outros picos, em trilhas bem menores, que você pode escalar se não estiver nas condições ideais para subir o Pico Paraná - e que fornecem vistas igualmente ou até mais belas. O Pico Itapiroca é um deles.

Pra quem não conhece o parque, funciona assim: há uma trilha principal, que parte tanto da sede do parque quanto te um camping, e que leva ao Pico Paraná. Mais ou menos na metade desta trilha é possível pegar duas bifurcações: à esquerda segue para o Pico Caratuva e à direita para o Pico Itapiroca. Assim como o Caratuva, o Itapiroca é diferente do Pico Paraná em termos geográficos. É um morro arredondado, coberto por vegetação de altitude, e não tem as formas rochosas características do Pico Paraná. Seu topo está a menos de 100 metros do topo do Pico Paraná. E sua vista é incrível - talvez ainda mais que a do irmão maior.

Dito isto, vamos à trilha. No caso do Itapiroca (e do Caratuva), ao contrário do Pico Paraná, é possível chegar de carro para um bate-volta. Fiz isto partindo de Florianópolis às 5h30 e, pela distância, acredito que quem sair de São Paulo, no mesmo horário, também conseguirá. Caso o objetivo seja dormir por ali, existem duas fazendas com campings: a Fazenda Rio das Pedras, com um pouco mais de estrutura, e a Fazenda Pico Paraná, com mais natureza. Nesta última existe um diferencial: o proprietário, Dilson, conhece muito bem a região e pode dar dicas preciosas. Nenhuma das duas possui chalés, é preciso acampar.

A trilha começa com ascensão moderada, atravessando floresta densa e também um solo mais pedregoso. Daqui se tem a primeira vista, na Pedra do Grito, para o Primeiro Planalto Paranaense (inclusive para Curitiba). Depois desta canseira inicial, vem um trecho razoavelmente plano, ideal pra apertar o passo e ganhar tempo. Esta parte da caminhada vai terminar no Morro do Getúlio, onde a vegetação muda drasticamente e as espécies de altitude como as bracatingas passam a dominar. Você também vai passar ao lado de um brejo onde as rãs fazem um barulho muito interessante, parecem até bebês chorando. Aqui se tem a primeira vista dos muitos picos que formam uma cadeia na Serra do Mar paranaense - o Itapiroca estará no centro, à direita, bem ao lado do Caratuva à esquerda.

Aqui também dá pra ganhar tempo e seguir em frente. Depois de cruzar o Morro do Getúlio, a trilha mergulha de volta na floresta. Uma placa indicará a bifurcação: à esquerda segue para o Pico Caratuva, à direita para o Pico Paraná (e também para o Itapiroca). Escolha seu destino: o Caratuva é mais difícil, são 400m de ascensão com muitos galhos, raízes e troncos que começam depois de você ter que descer um pouco; o Itapiroca tem uma subida menor, mas tecnicamente com a mesma dificuldade.

Embora eu tenha subido o Caratuva dias antes, este tracklog tem apenas a subida do Itapiroca. Logo no começo da subida, você verá o Pico Paraná - certamente a montanha mais vistosa do Sul do Brasil. Os últimos metros do Itapiroca (assim como do Caratuva) já são de caminhada por vegetação de altitude, sem muita dificuldade.

No alto, há uma vista de mais de 180º que abrange todas as escarpas Norte e Sul da serra do Mar, mais o litoral Paranaense (Antonina e Paranaguá), além do Primeiro planalto. É um dos poucos lugares em que você consegue olhar para os dois extremos da Serra do mar - litoral e planalto - ao mesmo tempo. Uma vista incrível. A vantagem - que também serve de consolo pra quem sonha em atingir o Pico Paraná - é que o Pico Paraná faz parte da vista e a deixa ainda mais bela.

Também é possível acampar nestes dois picos - Itapiroca e Caratuva.

IMPORTANTE: lembre de verifique a última atualização do IAP (instituto ambiental do Paraná => http://www.iap.pr.gov.br/ ) sobre o que está permitido em virtude da pandemia do novo Coronavírus. As trilhas podem, inclusive, estar fechadas. No momento em que escrevo, está proibido acampar no parque, embora dezenas de trilheiros estejam desrespeitando esta ordem. Em caso de fiscalização (o que é difícil, porém não impossível) você será multado.
Também é importante lembrar: o Parque Estadual do Pico Paraná, após a sua reabertura em 11/07, tem ficado lotado aos finais de semana e feriados. Grupos grandes são obrigados a passar um pelo outro a distâncias pequenas, o que aumenta o risco de contágio por COVID-19. Nos acampamentos, muitos desconhecidos aproveitam pra fazer amigos e ignoram este risco. Leve uma máscara para a trilha e cubra nariz e boca sempre que passar por pessoas desconhecidas. Não acredite que, por ser um lugar aberto, não exista risco de contágio.
Foto

Vista

Foto

Para o cume

Foto

Bifurcação

Foto

Água

Foto

Bifurcação

Foto

Vista

Foto

Pedra do grito

Foto

Fazenda

3 comentários

  • Foto de Rôney Fischer

    Rôney Fischer 17 de mai de 2021

    Amigo, quanto tempo de subida e decida, aproximadamente?

  • Foto de julioettore

    julioettore 17 de mai de 2021

    Salve Rôney
    Infelizmente não anotei esta info e o tracklog não leva em conta uma pausa.
    Lembro que comecei umas 11h e finalizei umas 16h, porém iniciei em ritmo fortíssimo
    Pode contar aí seis horas, contando com uma margem segura
    Abs

  • Felipe Assencio 8 de set de 2021

    Boa tarde, esses horários estão considerando subida e descida? Mais ou menos 3h para cada? O caminho é fácil de identificar?

Você pode ou esta trilha