Dificuldade técnica   Moderado

Horas  4 horas 19 minutos

Coordenadas 639

Uploaded 10 de Setembro de 2015

Recorded Julho 2015

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1.858 m
937 m
0
1,1
2,3
4,58 km

Visualizado 1500 vezes, baixado 103 vezes

próximo a Sítio Cerro Verde, Paraná (Brazil)

DESCRIÇÃO:
Track ao cume do Morro Caratuva, a partir da Fazenda do Dílson/Acesso do IAP ao PP.
Morro localizado no Parque Estadual do Pico Paraná, Serra do Ibitiraquire. É conhecido por ser o 2º mais alto do sul do Brasil, com 1.860m (17m a menos que o Pico Paraná).
É nomeado a partir da Chusquea pinifolia, ou Caratuva, um simpático bambuzinho comum nos campos de altitude da Serra do Ibitiraquire (mais informações em http://www.pedrohauck.net/2012/05/sementes-de-caratuva.html ).

TRILHA:
A trilha ao cume apresenta inclinação baixa no início até os arredores do Morro do Piolho/Getúlio. A partir daí, um pouco após o cruzo Caratuva/PP & outros, a inclinação fica alta e exige escalaminhada em rocha e raízes. O solo é seco na maioria dos pontos, com alguns banhados na ascensão ao Caratuva especialmente com clima instável.
A trilha principal é bem marcada e a orientação não costuma ser problemática, contanto que se mantenha atenção constante às fitas e placas indicativas.

BASE:
No começo da trilha, é possível estacionar na Fazenda do Dílson por cerca de 10,00 reais por pessoa, com direito a banheiro, chuveiro e camping, ou no acesso do IAP gratuitamente, porém sem serviços.

ATENÇÃO: A região da Serra do Ibitiraquire possui clima muito instável, lembre-se de sempre levar casacos quentes e roupas secas extras bem enscadas, mesmo porque devido as grandes altitudes a região costuma ser muito fria.

DIFICULDADE:
Considerando: trechos de inclinação leve a alta; exposição a gretas; pontos de água confiáveis; a sinalização razoavelmente padronizada e frequente; a trilha principal bem marcada; a possibilidade de cadastro no início da trilha; número considerável de visitantes em fins de semana; classifico esta trilha como MODERADA (com clima favorável).
*Esta classificação prioriza a dificuldade técnica, não levando em conta o esforço físico individual.


CONHEÇA PARA PRESERVAR:
Os ambientes naturais são patrimônio de todos, e quaisquer atividades realizadas neles apresentam uma série de riscos. Aproveite-os com responsabilidade:
0- Procure sempre ir acompanhado de alguém que conheça a trilha e região, e deixe pessoas avisadas em casa sobre seu destino e horário previsto de retorno.
1- Traga de volta todo o lixo produzido (inclusive biodegradável) e destiná-lo corretamente;
2- Evite provocar incêndios – não faça fogueiras; não jogue fora pontas de cigarros e
cacos de vidro;
3- Não colete plantas (mudas, sementes ou flores secas), animais, rochas ou cristais;
4- Não moleste animais silvestres; não ofereca ou deixar restos de alimentos e não pesque;
5- Evite fazer barulhos desnecessários; não use aparelhos de som;
6- Ande sempre nas trilhas habituais, evitando a erosão em trilhas alternativas;
7- Não deixe marcas em troncos e pedras;
8- Evite desmoronamentos ao entrar e sair de rios, não jogue nada neles;
9- Não entre acompanhado de animais de estimação
10- Não leve bebidas alcoólicas, explosivos, fogos ou armas de fogo ou de
pressão;
11- Não faça uso de sabonetes e shampoos ao entrar nas águas;
12- Tome cuidado com animais peçonhentos, como cobras, aranhas e escorpiões;
13- Em caso de raios evite árvores isoladas e locais encharcados;
14- Muita atenção ao horário de retorno (variável de acordo com a estação), leve SEMPRE lanterna e baterias sobressalentes.
15- Lembre-se: em ambientes naturais há riscos de diversos acidentes e a fadiga pode favorecê-los. Boa parte dos acidentes ocorrem no retorno (70%), leve sempre consigo um kit de primeiros socorros, apito, e celular desligado (preserva a bateria);
16- Ao atravessar ou banhar-se em rios e cachoeiras tenha consciência que os mesmos podem subir repentinamente. Isso pode gerar situações perigosas, ilhando ou até arrastando as pessoas. Mesmo não chovendo no local, chuvas a acima podem provocar cheias, conhecidas por trombas d’água;
17- Atenção com a viração, nevoeiro repentino que ocorre principalmente em ambientes montanhosos, e que reduz fortemente a visibilidade.
(adaptado de "Termo de Responsabilidade - PARNA Aparados da Serra")

Para mais informações, recomendo:
http://fazendapicoparana.altamontanha.com/caratuva.asp
  • Foto de Cume
1860m
  • Foto de Córrego
Pequeno curso dágua
  • Foto de Lagoa Morta
Nascente Perene, conhecido ponto de referência na subida do PP
  • Foto de Pedra do Grito
Um dos primeiros mirantes
  • Foto de Pedra do Getúlio
Ou Morro do Piolho
  • Foto de Rio
Rio corrente no começo da subida do Caratuva
  • Foto de Rio
Outro trecho do rio corrente no começo da subida do Caratuva

8 comentários

  • Foto de Marcieli Dácio

    Marcieli Dácio 24/dez/2015

    I have followed this trail  View more

    Otima trilha, em alguns momentos exige bom preparo físico. A vista do cume é sensacional. Vale a pena.

  • Foto de Felipe Montanhista

    Felipe Montanhista 26/dez/2015

    I have followed this trail  View more

    Mais uma bela descrição de trilha Alexandre, bem mapeada e sem perambulações.
    Não me recordo de passar por gretas nessa trilha como você listou, apenas escalaminhadas em rochas e raízes.
    Desta vez fica a critica construtiva de que faltou os waypoints para as duas bifurcações Caratuva/Taipabaçu/Ferraria/Ferreiro-Itapiroca/PP e Caratuva-Taipabaçu/Ferraria/Ferreiro. Ainda bem que o Wikiloc permite adicionar os waypoints futuramente.
    Rs Não sabia que o Morro do Getulio também é chamado de Morro do Piolho. kkk cada vez descubro mais nomes para esse "campo base" de acesso aos picos da Serra do Ibitiraquire. Já escutei uns chamarem de morro do sufoco e quando li os relatos achei que seria bem chato no entanto ao fazer essa trilha ate o Getulio múltiplas vezes não vi tanta dificuldade. A única vez que eu sofri na trilha ate o Getulio foi com o calor mas, sabendo que com a elevação a temperatura cairia e eu entraria no meio da cerração fiquei tranquilo.
    Fica aqui o aviso; quem achar que o Getulio e demasiado não esta com preparo fisico para ir muito alem.

  • Foto de Alexandre Arins

    Alexandre Arins 11/jan/2016

    Olá Felipe, obrigado pelos comentários, não adicionei as informações sobre a bifurcação em direção ao Taipa porque não conheço o local exato. Desconfiei que era um trecho próximo ao Rio antes da escalaminhada do Caratuva, devido a existência de fitas azuis, porém um pouco mais a frente a trilha estava fechada com fitas amarelas zebradas. Desconheço também a bifurcação próxima ao topo do Caratuva, vou estudar outras trilhas e procurari adicionar os locais mais tarde, mesmo porque ainda neste ano pretendo fazer estes outros picos.
    Também discordo da classificação do Morro do Getúlio como "Morro da desistência", ele é chato pois dá acesso a vários outros cumes, decerto ficando repetitivo com o tempo, mas a trilha é tranquila até ele e o visual sempre recompensa. Quem me falou da designação de "Morro do Piolho" foi um membro do CPM, o Vitor Hugo Lau senão me engano, comentando que o Vitamina insiste na nominação de Piolho. O próprio Caratuva quase ficou com o nome de Morro Getúlio Vargas, assim como muitos outros da Serra do Ibiritaquire originalmente iriam ter nome de personalidades, dados pelo seu "descobridor" Reinhard Maack. Porém, leis da época proibiam que fossem utilizados nomes de pessoas na designação de morros e algumas outras feições. Assim, Maack acabou por designa-los com diversos nomes indígenas.
    Abraço!

  • Foto de Alexandre Arins

    Alexandre Arins 11/jan/2016

    Quanto aos porcos da montanha, infelizmente o lixo e desrespeito é mesmo um problema muito comum no PP, quando realizei este percurso havia um lixão maior que eu no Abrigo 2, dejetos no meio das trilhas, uma vergonha mesmo. É urgente e essencial que sejam tomadas providências no sentido de inibir pessoas que não possuem o devido respeito com os ambientes naturais que utilizam.
    Enfim, falta muito respeito, ações de educação, e fiscalização (a maior parte do local está inserida em Parque Estadual).

  • Foto de edver carraro

    edver carraro 2/abr/2016

    I have followed this trail  View more

    Trilha relativamente fácil e bonita, porém atentar para a segurança com relação à transposição dos trechos de rochas e raízes em clima instável. Tracklog completo e dicas muito boas.

  • Foto de Felipe Montanhista

    Felipe Montanhista 30/abr/2016

    Olá Alexandre tenho umas atualizações a respeito do que conversamos acima.
    Quanto a bifurcação e trilha para o Taipabuçu: assim como você quando fui ao Caratuva ( http://www.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=11110846 ) eu já havia identificado as fitas azuis/azuis e amarelas junto a fita zebrada preta e amarela. Em conjunto no mapa offline do wikiloc tinha quase certeza absoluta que era o local correto para a bifurcação. Recentemente confirmei essa entrada/bifurcação percorrendo a trilha até o cume do Taipabuçu veja o mapeamento ( http://www.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=13079107 ). Trilha aberta por Júlio e Élcio.
    Quanto aos Piolhos: dada a sua informação resolvi pesquisar e em fevereiro descobri, fuçando pela internet com ajuda do Google, a dissertação de mestrado do Alvaro de Paola Tramujas ( http://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/25245/D%20-%20TRAMUJAS,%20ALVARO%20DE%20PAOLA.pdf?sequence=1 ) nela ele confirma a existência dos Piolhos segundo seu amigo Vitor Hugo Lau e o Vitamina (Henrique Paulo Schmidlin). Entretanto é importante notar e não confundir que os Pilhos não são apenas outro nome para o Getulio. No linguajar do povo os dois se confundiram como se fossem sinônimos com o mesmo lugar entanto isso não é correto. Ambos constituem a mesma vertente do Caratuva mas cada um são topos distintos nessa vertente. O que o povo local e trilheiros chamam de Getulio é na verdade os Piolhos, já o Getulio é um topo que fica entre a Pedra do Grito e o Lago Morto veja o marco dele aqui http://www.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=13079957
    Quanto aos porcos da montanha: Agora em abril os porcos estavam exagerando no papel higiênico por toda a trilha. É um absurdo!
    Abraços e boas trilhas.

  • Foto de Alexandre Arins

    Alexandre Arins 1/mai/2016

    Olá Felipe, parabéns pela trilha ao Taipa e outras, excelente descrição, pontos, informações, etc!
    Muito relevante também a informação sobre o Piolhos e Getúlio, na próxima vez que estiver por lá vou observar melhor a sua verdadeira localização.
    Abraços!

  • Foto de EdilsonStecca

    EdilsonStecca 5/mar/2018

    I have followed this trail  verificado  View more

    Tive dificuldade no início da trilha, pois o caminho recomendado foi alterado... Na primeira bifurcação do caminho novo, que não está bem sinalizado, escolha o da direita. O restante do caminho é igual e muito bem documentado. Infelizmente meu celular ficou sem bateria e não consegui gravar a trilha com o novo caminho. Subida gastamos 3:20 e na volta gastamos 2:40, pois não precisamos parar tanto para tomar fôlego.... Atenção para os últimos 600 ou 700 metros, pois a dificuldade aumenta devido a inclinação. Fui em um grupo de 10 pessoas entre 17 e 50 anos, sem muita experiência com trilhas.

You can or this trail