Tempo em movimento  uma hora 42 minutos

Hora  2 horas 37 minutos

Coordenadas 990

Enviada em 14 de Junho de 2020

Registrada em Junho 2020

-
-
154 m
74 m
0
1,6
3,1
6,3 km

Visualizado 24 vezes, baixado 0 vezes

perto de Casais Martanes, Santarém (Portugal)

O trilho de hoje teve duas partes completamente distintas e foi demasiado overwhelming para conseguir descrever tudo! Por causa do COVID, as Grutas estão todas encerradas. Foi o nosso último dia em Pedrógão e tínhamos que pensar depressa como ocupar o tempo sem ser com as Grutas. Parámos junto à entrada do Cabeço das Pias (no regresso das Grutas de Santo António para Pedrógão) e decidimos ir explorar. Pela sinalização e pela quantidade de trilhos indicados (ok, a maior parte é de BTT e nós estamos apenas a pé) concluímos que fizemos uma boa escolha.

Decidimos seguir pelo caminho da Nascente do Almonda. Tínhamos estado lá ontem, vindos de baixo, da estrada mas, como o trilho era (aparentemente) super curto, seguimos.

Nesta primeira parte de trilho devidamente organizado pela mão humana, - e talvez pelo cansaço - não consegui amar a paisagem. A terra sempre alaranjada com pedras mal semeadas dificultou a minha (pouca) concentração de quem já pede cama e um bom banho. A vista não era espectacular porque as árvores à nossa volta tapavam e nós estamos habituados a circular sempre mais acima das copas mais próximas (será o Ego sobre a Natureza?!).

Longe estávamos nós de imaginar o que se aproximava! Quando o trilho alaranjado e enfadonho termina, segue-se um troço de pedras e árvores impróprio para alguns (mas sem grande dificuldade para nós, tirando uma escorregadela ou outra). Chegados a uma porta que era "só uma porta", decidimos parar e perceber se é mesmo para continuar ou se devemos voltar pra cima. É aí que encontramos o Mago das Grutas. O Sr. Artur (desconhecido de todos) lá nos indica onde podemos descer, não sem antes nos abrir a porta (aquela que era *só* uma porta) da Gruta da Oliveira. Pudemos entrar para a primeira câmara com uma apresentação privada deste verdadeiro Mago. Seguimos o resto da descida com o Sr. Artur, deslumbrados pelo conhecimento acumulado de crânios de 400 milhões de anos, loiças, artefactos e explorações das Grutas com espanhóis (que entretanto percebi que fazem parte do grupo do arqueólogo João Zilhão).

Ao longo deste caminho, o Sr. Artur falou-nos da Gruta do Urso e da do Coelho e contou-nos as histórias da Nascente do Almonda.

Quando finalmente chegámos ao fim, havia três hipóteses: voltar para cima, ir passear novamente ao piscinão profundo que vem da nascente até à antiga fábrica da Renova ou seguir o Sr. Artur à entrada da Gruta do Coelho e à do Urso. Fomos à primeira, mais perto do plano onde nos encontrávamos - esta é mesmo muito estreita e não pudemos entrar, sequer, para a primeira sala (há uma foto da entrada). De seguida somos tentados a subir uma escada com pouco mais de 20cm de largura e atravessar um passadiço da mesma largura até às Gruta de cima. Contrariando todas as espectativas, pois esta que vos escreve tem (teve? tinha? vai tendo?) vertigens, lá subi, com o Toph e o Rodrigo até às outra Gruta. Vimos apenas a entrada também. Mas este caminho, mesmo nas alturas, vale a vista, a sabedoria do Sr. Artur, a companhia e, para mim, a adrenalina.

A visita a Pedrógão foi para repetir. Com direito às Grutas dos turistas e às Gruta "de quem gosta mesmo de aventura" (palavras do Mago).

#desabafo: A última vez que tinha estado aqui foi com um grande amigo. Tínhamos ido dar um mergulho a esse piscinão assustador e eu ia morrendo congelada, o meu corpo deixou de funcionar, é sítio que sei que no terá mais o meu mergulho. No caminho, daí até à casa da família do meu amigo, soube que a morte da Amy Winehouse tinha acabado de acontecer. A minha mala descoseu-se toda no seguimento. Nesse dia brincámos e eu disse que achava que aquele lugar não me trazia muito boas memórias. Parece que estava errada. Redondamente enganada!

Para o carro viemos dar uma volta maior pela estrada que nos valeu algumas flores e um bilião de orégãos.

É impossível escrever tudo o que esta trade nos fez sentir e conhecer <3

Os trilhos de BTT estão nas primeiras fotografias.
foto

Cara de quem está a / não quer desistir

Informação

Percursos BTT

Informação

Info Gruta da Nascente do Almonda

foto

Foto

foto

Foto

foto

Foto

panorama

A vista

foto

Caminho (parte II)

Finalmente o caminho adensa-se e deixa de ser laranja!
foto

Antiga Fábrica da Renova

foto

Escalada ou Tortura: you choose

Caverna

Estalactites da Gruta da Oliveira

Caverna

Estalactites da Gruta da Oliveira

Caverna

Interior da Gruta da Oliveira

foto

Caminho (parte II)

Embora identificado, não aconselho aos mais medricas.
foto

Os Boys e o Mago

foto

Gruta (dos Ursos ou Coelhos)

A caminho da Gruta de baixo dá para ver a de cima mas não atinei qual delas pertencia a que bicho.
Rio

Nascente do Almonda

Caverna

Entrada da Gruta dos Coelhos ou do Urso

foto

Nascente do Almonda | Escadas para a Gruta de Cima

Momento em que estou a decidir se quase morrer na água há uns anos chega ou se quero subir e areepender-me depois. (Escolhi a segunda opção)
foto

Toph e Eu

Sorriso forçado de quem está a ter um ataque de pânico, 10 picos de adrenalina, um momento de cogitação sobre como raio vou descer e um de retrospectiva de toda a minha vida.
Caverna

'Poço' da Gruta de Cima

Rio

Almonda | Antiga Fábrica da Renova

foto

Essa p**** ficou séria!

Neste momento percebi que j não tenho vertigens.
foto

O que há para subir

Estou com tanto calor e há tão pouca água que só me apetece ficar aqui e ser uma oliveira.
Caverna

Gruta da Oliveira (Outra Entrada)

foto

De Regresso | Paisagem

foto

Amigos

foto

Toph na Apanha dos Gambuzinos

foto

Os Gambuzinos

Comentários

    Você pode ou esta trilha