-
-
1.443 m
1.108 m
0
3,4
6,9
13,78 km

Visualizado 9039 vezes, baixado 329 vezes

próximo a Cunhambebe, Rio de Janeiro (Brazil)

Caminhada de 2 dias até o topo da Pedra do Frade, saindo do Camping e Pousada do Brejal em Bananal/SP.
É uma caminhada razoavelmente difícil e com poucos trechos de trilha demarcada.
Relato, fotos e dicas:
www.trilhasetrips.blogspot.com.br

View more external

32 comentários

  • plemosgs 27/fev/2014

    Percorri a trilha nos dias 22-23/02/2014.

    Visual fenomenal!

    É válido comentar que se se planeja atingir o cume em um dia, é imprescindível começar a trilha cedo (não depois das 10h).

    Diversos trechos com mata fechada e muitas árvores caídas. É importante estar seguro de sua orientação.

    Depois de adentrar a mata, são limitados os locais de acampamento. Na frente da gruta dos alemães podem ser apertadas até duas barracas pequenas/médias.

  • plemosgs 27/fev/2014

    I have followed this trail  View more

    Percorri a trilha nos dias 22-23/02/2014.

    Visual fenomenal!

    É válido comentar que se se planeja atingir o cume em um dia, é imprescindível começar a trilha cedo (não depois das 10h).

    Diversos trechos com mata fechada e muitas árvores caídas. É importante estar seguro de sua orientação.

    Depois de adentrar a mata, são limitados os locais de acampamento. Na frente da gruta dos alemães podem ser apertadas até duas barracas pequenas/médias.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 27/fev/2014

    Parabéns pela caminhada. Já recebi alguns e-mails que tentaram chegar no topo por essa trilha e tiveram vários problemas.
    É uma caminhada p/ poucos. Muitos encontraram a vegetação tomando conta da trilha e em vários trechos a trilha se perde totalmente.
    Os avisos desse problemas e do que encontrar nessa trilha eu já tinha colocado no relato que eu escrevi.
    P/ quem irá fazer essa trilha, eu recomendo levar o relato e segui-lo à risca.
    Abcs e valeu pela atualização.

  • Foto de marciofontenele

    marciofontenele 20/mai/2015

    I have followed this trail  View more

    Caminhada boa e pesada. Fiz em um dia, na volta ao final eu estava acabado (estava em péssima forma fisica), mas foi fenomenal. como foi dito anteriormente, tem que começar a trilha bem cedinho, quanto mais cedo melhor. Levem GPS, mapa e relatos pois se perde fácil por lá. Há diversas trilhas secundárias, então fiquem sempre atento. A mata é bem fechada com arvores caidas. Importante: vão no inverno, pois no verão a trilha vira um lamaçal devido as chuvas, levem uma bota de cano alto caso tenha chovido bastante nos dias anteriores. Os pés afudam muito fácil na lama, vai até a canela. Como o plemosgs disse, há muito pouco local para acampar.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 22/mai/2015

    Parabéns Marcio.
    Vc é um dos poucos que completaram essa trilha até o topo.
    Imagino que não deve ter sido fácil.
    Só lamento por vc ter feito em apenas 1 dia.
    Chegando ao topo, o lugar tem uma linda vista do amanhecer e acampar lá vale todo o esforço.
    Abcs

  • padilhadim 10/jul/2015

    Fiz essa caminhada em setembro de 2014. Iniciei às 8h, pernoitei no cume e retornei na manhã seguinte pelo mesmo caminho (Bananal).

    Durante a semana que antecedeu a caminhada, conversei bastante com o senhor Carlinhos, que é dono da Pousada Brejal, no início da trilha. Também estudei os relatos na internet, sobretudo este do Augusto, que está bem detalhado. Inclusive o levei impresso comigo para orientação durante a caminhada.

    A caminhada é longa e cansativa. Há muitas bifurcações pelo caminho, lama (independente da época do ano) e riachos (ótimo para abastecer as garrafas com água fresca).

    Em um certo ponto (pouco depois da árvore com a marcação "PF"), uma GIGANTESCA árvore foi arrancada do solo com raiz e tudo, caiu e encobriu toda a trilha (neste trecho o aventureiro precisará contornar a árvore caída pelo mato para encontrar a trilha do outro lado. Fiz o contorno pela direita, passando pelo grande buraco no solo aberto pela raiz da árvore). O pequeno trecho de escalaminhada até o alto da pedra merece bastante atenção, principalmente com as cordas e raízes usadas para subir o trecho.

    No mais, é ter bastante atenção e um preparo físico descente para desfrutar da bela paisagem lá do alto da pedra.

    Aqui o vídeo da minha caminhada: https://www.youtube.com/watch?v=shCpY-haxOM

    Abraço a todos.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 15/jul/2015

    Parabéns pela caminhada e por conseguirem chegar no topo sem maiores dificuldades.
    Ou pelo menos com poucas.
    Seu comentário é bem útil para outras pessoas.
    Coloquei lá no relato para que as pessoas vejam esses comentários aqui.
    Podem ajudar na trilha.
    Valeu.

    Abcs

  • padilhadim 15/jul/2015

    I have followed this trail  View more

    Caminhada longa e cansativa, apesar de não apresentar um desnível muito acentuado. A navegação/orientação dentro da mata nesta caminhada requer certa experiência (há dezenas de bifurcações, árvores caídas no caminho, pedras e riachos). O trecho de escalaminhada no final (acesso ao topo da pedra) requer bastante atenção. Croqui do Augusto bastante completo e detalhado.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 16/jul/2015

    Infelizmente nessa região são encontrados muitos palmiteiros e essas bifurcações nas trilhas são feitas por eles.
    Na primeira vez que fizemos essa caminhada encontramos um deles na trilha.
    O topo do Frade tem um lindo visual. Só é ruim o trecho pela mata, que é toda fechada e concordo com vc - quem não tem experiencia em trilhas pode ter problemas.
    Gde abc.

  • Foto de Felipe Lombardi (Lipe Trekker)

    Felipe Lombardi (Lipe Trekker) 24/ago/2015

    Grande Augusto. Tudo bem com você?

    Fiz essa trilha no final de semana e gostaria de compartilhar o meu tracklog. Está atualizado com pontos importantes. Link: http://pt.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=10581371

    Abração!!!

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 25/ago/2015

    Blz Felipe.
    Muitas trilhas por aí?
    Muito bom ter conseguido chegar no topo do Frade.
    O pessoal já tinha comentado que era bom levar um facão p/ usar naquele trecho depois da arvore do PF.
    Legal que deu tudo certo.
    E qdo vai subir o vídeo lá no Youtube?
    Tê pegando o link do seu tracklog e colocando lá no meus 2 relatos, blz?

    Abcs

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 25/ago/2015

    E valeu por compartilhar.

  • Foto de Felipe Lombardi (Lipe Trekker)

    Felipe Lombardi (Lipe Trekker) 25/ago/2015

    Grande Augusto. Tudo na paz, meu camarada!
    Tenho feito bastante coisa sim e eu vi que vc também tem caminhado bastante, né? Veio ao Rio e não me avisou? rsrsrsrsrsrsrs.
    Estou começando a editar o video. Fique à vontade para poder compartilhar o Tracklog, amigão.
    O video será enviado para o meu canal no youtube: www.youtube.com/felipelombardi79
    Espero um dia poder fazer uma caminhada contigo.
    Abração!

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 27/ago/2015

    Blz Felipe.
    Tenho selecionado melhor as caminhadas que estou fazendo agora.
    Circuito Mantiqueira e Serra do Mar já tô deixando de lado.
    Essa trip para o Rio foi em família e tinha planejado fazer muita coisa por lá.
    Infelizmente Pedra da Gávea e trilha do Parque Lage p/ o Cristo fica para outra oportunidade. Uma pena.
    Mas deu para aproveitar bem.
    Coloquei o link do tracklog nos meus 2 relatos.
    Vi alguns videos que vc coloca lá no Youtube. Bem legais.
    Recentemente eu também tô começando a postar videos das minhas caminhadas.
    Abcs

  • Foto de Felipe Lombardi (Lipe Trekker)

    Felipe Lombardi (Lipe Trekker) 27/ago/2015

    Valeu Augusto.

    O video da caminhada da Pedra do Frade já se encontra no meu canal no youtube assim como lá na página do tracklog. Quando estiver pelo Rio me avisa.

    Abração!

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 29/ago/2015

    Blz Felipe.
    Tinha visto um outro video do Frade do ano passado mostrando que ate o trecho da arvore do PF, a trilha tá bem demarcada. E até mostra alguns animais.
    Isso não é bom, porque cria falsas trilhas pelo caminho. Uma pena.
    Tenho algumas caminhadas planejadas agora para a região sul.
    Mas valeu.
    Abcs

  • Foto de Henrique Mended

    Henrique Mended 1/set/2017

    Vou hoje pro frade e domingo vou relatar como está o local pra vc atualizar J. Augusto.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 2/set/2017

    Oi Henrique.
    Te desejo muita sorte.
    Sei que a trilha tá sendo feita e pode ser que encontre ela demarcada.
    É um lugar que merece mesmo ser feito.
    Vista lá de cima é linda.
    E aguardo sua atualização.
    Valeu,
    Abcs

  • Foto de jony_carpinteiro

    jony_carpinteiro 27/set/2017

    Olá pessoal
    Eu fui até lá e acabamos acampando na base da pedra porque chegamos sem tempo de sol para conseguir subir todos os lances de corda.
    Subimos os dois primeiros, e quando encontramos o terceiro (bem maior, com aquela escadinha de madeira lá em cima já meio destruída pelo tempo) recuamos e reconhecemos que não ia dar.
    Durante a noite choveu e impossibilitou a subida pro dia seguinte.
    Pra quem atingiu o cume, quantos lances mais tem de corda?
    Alguém que tenha ido recentemente sabe dizer como estão essas cordas daí pra frente? Dá pra confiar nelas, ou vocês levam cordas próprias?
    Abraço a todos
    Essa é pra guerreiros em, selvagem.
    Valeu

  • Foto de Felipe Lombardi (Lipe Trekker)

    Felipe Lombardi (Lipe Trekker) 27/set/2017

    Olá Jony! Tudo bem?
    Agradeço pela atualização da informação, pois eu estive lá e também gravei um tracklog, mas foi em 2015.
    Na época, até atualizei o Augusto com algumas informações relevantes.
    Para vc ter ideia, quando eu fui nem tinha essa escadinha de madeira que mencionou.
    Acredito que a pessoa mais recomendada para atualizar sobre a trilha é o senhor Carlinhos, proprietário da pousada Brejal.
    Estou acompanhando daqui também, pois pretendo retornar lá em breve para fazer alguns takes com meu drone.
    Abraços.

  • Foto de Henrique Mended

    Henrique Mended 27/set/2017

    Felipe, eu ia começo do mês mas não acordei rsrs meus amigos foram, se precisar de fotos e atualização . so falar

  • padilhadim 27/set/2017

    Subi o pico do Frade pela segunda vez em maio 2016, um mês após o grande incêndio.

    Muito cuidado!
    O pico e parte vegetação na base da grande pedra foi atingido por um incêndio em abril de 2016. O fogo queimou por mais de 24 horas e destruiu quase toda a vegetação do pico. Dois trechos de corda também foram queimados, junto com a vegetação que estava ali. Nesta subida, já imaginando que o incêndio poderia ter feito muito estrago, levamos 20 metros de corda que foram fundamentais para alcançarmos o topo naquele dia. Neste trecho de escalaminhada, pequenas árvores e raízes também foram queimadas e elas serviam de "pegada" para auxiliar a subida. A dificuldade foi tanta que demoramos mais de duas horas nos trechos de corda e chegamos no topo já à noite. Não foi fácil. Deixamos as novas cordas lá.

    Já conversei com pessoas que subiram este ano. Dá pra fazer, mas requer atenção redobrada.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 29/set/2017

    Oi Jony, blz?
    Esse trecho da subida ingreme não achei tão longo assim.
    Desde a base, onde existe aquele grande descampado, até o topo levamos 40 minutos de subida. Nada muito complicado. Subimos se agarrando nas raizes, galhos, cordas e numa antiga escada de madeira que existia lá.
    Mas isso foi a 12 anos atras. Muita coisa mudou.
    Dê uma lida nos comentários, principalmente veja o tracklog do Felipe. Tá bem mais atual que o meu.
    Qto a chuva que vc pegou, me lembra muito minha primeira vez lá.
    Mas para nós foi bem pior.
    Veja nesse relato:
    http://trilhasetrips.blogspot.com.br/2013/04/relato-diluvio-na-pedra-do-frade-angra.html

    Abcs

  • Foto de Valéria Carvalho

    Valéria Carvalho 10/jun/2019

    Fiz a trilha neste final de semana. Já quero voltar. Que experiência incrível.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 11/jun/2019

    Conte como foi lá na trilha. Como ela tá?
    E as dificuldades que teve

  • Foto de Valéria Carvalho

    Valéria Carvalho 11/jun/2019

    I have followed this trail  View more

    Os charcos continuam por lá, atolando os pés rs. Depois da gruta bastante bambus enroscando na mochila, caíram muitas árvores ao longo da trilha. Sem gps acredito que não teríamos conseguido. Classifiquei como difícil mais por estes motivos e pelos últimos trechos de corda e escadas, pois pra quem tem medo de altura pode complicar ali. Do mais, eu gostei da trilha, quero voltar, se possível pra fazer a travessia.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 12/jun/2019

    Essa trilha não pode ficar muito tempo sem alguém fazê-la.
    O mato toma conta e as arvores vão obstruindo o caminho.
    Mas vale o esforço para chegar no topo. É maravilhoso o nascer do Sol de lá.
    Muito cuidado por qual caminho seguira se continuar a travessia.
    É que descendo por 2 trilhas diferentes, que iniciam próximas da base, elas passam perto de uma comunidade que tá tomada por traficantes.
    Tá complicado fazer qualquer trilha em Angra dos Reis.
    O unico percurso que considero seguro é seguir para Mambucaba, como eu coloquei no track.
    Mas é um caminho longo.
    Boa sorte

  • Foto de Valéria Carvalho

    Valéria Carvalho 12/jun/2019

    Hummm...bom saber dessa informação do perigo...Voubolhar seu track. Obrigada.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 12/jun/2019

    Tem o relato no blog e o croqui da trilha para ajudar a achar essa bifurcação também.

  • Foto de jony_carpinteiro

    jony_carpinteiro 13/jun/2019

    Olá trilheiros do frade
    Em junho de 2018 voltei para a pedra e consegui chegar no cume. Queria compartilhar aqui o que pensei sobre essa trilha..
    Escrevo aqui principalmente para perguntar para a Valéria Carvalho sobre a situação da escada de cordas e finos tocos de madeira que foi construída naquela parte onde tem uma pedra de uns 5m de altura praticamente vertical (pelo que estou entendendo pelos comentários aqui, essa escada foi construída depois do incêndio de abril de 2016 mencionado pelo Padilhapaim, que provavelmente destruiu a antiga "escada de madeira" mencionada pelo Augusto no seu 2° relato. Fico me perguntando como o Augusto fez para passar desse trecho sem utilizar a antiga escada de madeira, pelo que entendi de seu relato. Aparentemente, não havia nenhum outro caminho...
    Eu não utilizei cordas próprias na subida, porque não conheço técnicas verticais. Considerei a subida bem difícil.
    Optamos por subir com todas as mochilas e acampar lá em cima, o que considerei um erro, e não repitiria essa decisão, por 2 razões principais: 1) a carga obviamente atrapalha a subida, que considerei bem perigosa. 2) caso o tempo vire durante a noite, o que por sorte só ocorreu exatamente quando descemos todos os lances dificeis, acredito que seria bem perigoso mesmo descer com a rocha, solo, escada e cordas molhadas...
    Acho mais sensato subir sem carga...e mesmo assim considero arriscado. Acho que para quem conhece técnicas verticais, deve ter algum jeito de ir com mais segurança...
    O que vcs acham sobre isso?
    Padilhapaim, talvez possa fazer um comentário...
    Qualquer comentário de alguém que tenha chegado no cume pode ser útil.
    E Valéria Carvalho, por favor, como está a situação da escada construída com cordas e finos tocos de madeira? e dos demais lances de corda?
    Valeu galera. Parabéns a todos vcs. Obrigado pelas informações que me permitiram chegar nesse lugar tão sagrado e único, com essa vista absurdamente incrível.

  • Foto de J. Augusto

    J. Augusto 15/jun/2019

    Oi jony.
    Na época que chegamos no topo, existiam trechos com cordas.
    Então iamos subindo um a um com ajuda dela e também se agarrando nos galhos e na vegetação.
    Demoramos uns 40 minutos nessa subida.
    E as cargueiras tivemos que subir com a ajuda de uma corda que levamos.
    É um trecho complicado, mas tomando o devido cuidado dá para ir subindo sem grandes dificuldades.

    Eu acho que dá para levar as mochilas para cima. É só alguém subir sem peso nenhum e depois puxar as mochilas uma a uma.
    Mas claro que com a certeza de tempo bom.
    Com chuva é melhor nem subir. Arriscado demais.

  • Foto de Valéria Carvalho

    Valéria Carvalho 19/jun/2019

    As escadas estão boas até, os primeiros degraus de madeira quase escapando mas dá pra subir. Deu pra subir sem dificuldade e com cargueira. Jamais passou pela minha cabeça acampar em outro lugar se não no pico, continuo com a mesma opinião mesmo após ter subido e visto como é a subida. Até porque, não há tantas opções pra acampar ali se não for lá em cima. Eu adoro ver o pôr e o nascer do sol dos picos que subo, ainda mais quando já estou acomodada em cima deles.

You can or this trail