-
-
1.421 m
909 m
0
0,8
1,5
3,06 km

Visualizado 10689 vezes, baixado 162 vezes

perto de Campestrinho, Minas Gerais (Brazil)

A Pedra do Elefante fica encravada na serra da Mantiqueira, em um trecho que recebeu o nome de Serra do Pau D’Alho, com suas montanhas variando entre 900 e 1470 metros de altitude.

É conhecida por este nome por se assemelhar a um elefante de perfil. Para chegar ao topo (1.327m), há vias de escalada ou com íngreme caminhada curta (hiking) de mais ou menos 1h30 a 2h, dependendo da aptidão física dos aventureiros.

A trilha que leva ao topo é formada pelos caminhos formados pelas águas sendo fácil a visualização a se seguir.

Esta trilha tem extensão de aproximadamente 3 Km com desnível de 509 metros.

Trilhamos estes caminhos em 16/03/2013.


LOCALIZAÇÃO:

A Pedra do Elefante fica localizada na estrada entre as cidades mineiras de Andradas e Ibitiúra de Minas.

Saindo de Andradas, já na estrada que é asfaltada, segue-se em direção a Ibitiúra de Minas, logo após percorrer alguns quilômetros (8,5 aproximadamente) já é possível avistar à direita a formação rochosa, que sugere a figura de um Elefante.

Fique atento, pois na terceira ponte será preciso virar à direita, onde existe uma placa indicando os bairros Lobos e Pântano, onde é o início da estrada de terra. Siga em frente uns 15 minutos (4 km aproximadamente) até encontrar uma placa indicando Pedra do Elefante (à sua direita). Caso queira escalar na Pedra do Elefante, siga na direção indicada na placa e após uma descida acentuada, entre na bifurcação que irá surgir, vire à esquerda e continue até surgir uma porteira.

ATENÇÃO: A partir deste ponto você se encontra em uma propriedade particular, vá com seu carro até a casa da Dona Terezinha, estacione-o e em seguida avise os moradores de sua intenção. Depois terá que fazer uma boa caminhada, são aproximadamente 3 quilômetros por uma estrada de terra que o levará até a base da pedra.

VALE A PENA CONQUISTAR ESTA TRILHA!

13 comentários

  • Foto de Clayton Soares

    Clayton Soares 27/dez/2015

    Trilha muito fácil de seguir. O visual de cima da pedra é lindo.

  • Foto de Clayton Soares

    Clayton Soares 27/dez/2015

    Trilha muito fácil de seguir. O visual de cima da pedra é lindo.

  • Foto de Clayton Soares

    Clayton Soares 27/dez/2015

    Trilha muito fácil de seguir. O visual de cima da pedra é lindo.

  • Foto de Clayton Soares

    Clayton Soares 1/jan/2016

    Trilha muito fácil de seguir. O visual de cima da pedra é lindo.

  • Foto de Clayton Soares

    Clayton Soares 20/jan/2016

    Eu fiz esta trilha  Ver mais

    Trilha muito fácil de seguir. O visual de cima da pedra é lindo.

  • Foto de batard_br

    batard_br 24/abr/2017

    Boa tarde! Estou querendo fazer a trilha da Pedra do Elefante esse final de semana. Para chegar ao topo precisa de escalada ou escalaminhada?? Obrigado

  • Elvis Prado 25/abr/2017

    Boa noite. Não precisa há uma trilha que leva até o topo da pedra do elefante. Quando vc subir pela estrada de terra, por pastos, e passar por uma subida em um pedaço de floresta, chegará na base da pedra do elefante. Siga subindo a trilha a esquerda. À direita vc chegará onde o pessoal de escalada começa. À esquerda, siga pela trilha demarcada. Quando sair da floresta, irá visualizar um morro grande sem arvores, somente pasto, a sua direita. Siga as trilhas sempre subindo e chegará ao topo. Boa trilha!

  • dasantos90 1/fev/2018

    Por este caminho se passa na cachoeira?

  • Tiago Rosa 1984 4/mar/2019

    Da para fazer todo a trilha de bicicleta?

  • rafael ferreira lopes 15/ago/2019

    Dá para acampar lá em cima?

  • Victor Pietro Moreno 7/fev/2020

    Eu fiz esta trilha  Ver mais

    A entrada fica a aproximadamente 8,5 km, partindo da rotatória chegando em Andradas, como mencionado no post. Eu acho que passei só por duas pontes, mas posso não ter percebido uma terceira. Não encontrei a placa para o bairro (fui nesse último final de semana), mas tem um outdoor ali. Caso você ficou em dúvida e continuou na estrada, passando a curva terá do lado esquerdo o estabelecimento de uma senhora. Dessa forma, pode virar o carro e voltar que saberá que a entrada certa era no outdoor.

    Vai seguindo a estrada de terra por aprox. 4 km e em uma bifurcação verá uma placa com o escrito muito pequeno "Restaurante Pedra do Elefante" ou algo do tipo. Vira para a direita, em uma descidona ruim, dá para seguir por um portão à esquerda, aberto. Vai seguindo o caminho, passará por uma casa e um pouco mais embaixo, um sítio (tinham algumas pessoas que nos indicaram a maneira mais próxima de iniciar a caminhada), e em um momento chegará em uma pequena ponte.

    Tem uma entrada para uma propriedade do lado direito, com uma placa dizendo que não é permitido entrar com o carro. De qualquer maneira, conversando com o pessoal do sítio anterior e nos falaram que podíamos entrar. Entramos e pegamos a esquerda, chegando em uma casa verde. Conversamos com o morador e ele deixou estacionarmos o carro ali, desde que não atrapalhasse o caminho. Caso vá estacionar por ali, converse com o pessoal no local antes, pois é tudo propriedade privada.

    Começamos a trilha ali, passando por algumas porteiras, depois passa ao lado de uma plantação de café (não volte no escuro e já explico o porquê). A partir desse ponto, é bem intuitivo seguir a trilha, vá seguindo sempre com a cerca rente à sua direita. Atravessará pequenos trechos com água algumas vezes, muitos gados (e esterco) e porteiras (desde onde estacionamos até o final foram 7 ou 8 porteiras).

    Quando atravessar pela cachoeira mais bonita (que é uma água vai escorrendo por uma pedra e com a cabeça do elefante ao fundo), subirá um morro que chegará em uma grande e sombrosa mangueira e uma bifurcação. Nesse momento, continue subindo tomando a esquerda (se seguir pela direita terá uma porteira - pra quem vai escalar, é por ali, mas fizemos a trilha normal). Continuará subindo mais um pouco, sempre rente a cerca, dará em um trecho com água bem de frente para a pedra, onde poderá avisar um pouco a esquerda por uma floresta.

    Atravessando o pequeno trecho com água, sobe mais um pouco. Nesse momento atenção, nos perdemos um pouco pois a trilha estava bem fraca. Você deve continuar subindo esse trecho prestando atenção na trilha no chão e entrará na floresta indo um pouco pela esquerda. Entrando pelo lugar certo, a trilha fica fácil de seguir e bem "aberta" (dentro da mata). Em uma parte deve-se atravessar outro trecho com água dentro da mata e subir um caminho à esquerda que dá a impressão de que ali passava água e secou. Subindo esse caminho até o fim, chegará em uma porteira final que dará para um pasto aberto, fora da mata.

    Continua andando um pouco pelo pasto e vira a primeira à direita, uma subidinha braba (leva uns 15 a 30 minutos) e chegará na pedra da cabeça do elefante.

    Pelo que vimos, dá para acampar lá perto do topo sim.

    Não tivemos tempo de subir até o corpo do elefante pois já eram 18 da tarde e estávamos receosos que escurecesse.

    No fim, foi a escolha certa, pois na volta, chegando na parte com o cafézal, haviam muralhas gigantes de teia, repletas de aranhas, bloqueando o caminho. Demos um jeito de passar correndo, mas recomendo NÃO VOLTAREM QUANDO ESTIVER ESCURECENDO.

    Mais uma coisa, no caminho da volta, em um momento terá uma bifurcação. Para a esquerda é o cafézal e para a direita leva a um pedaço com água e uma cerca (é o caminho errado). Vira para a esquerda, atravessa o portão e desce com os pés de café à sua esquerda.

  • Beatriz Sgavioli 29/mai/2020

    Eu fiz esta trilha  Ver mais

    Ao chegar, não tinhamos nenhuma informação e nenhuma sinalização, sendo assim, fomos subindo com o carro até não conseguir mais com o carro, encontramos um senhor e ele nos disse que podia estacionar ali (acho que era a casa dele). Havia muitas casas (que pareciam abandonadas) pelo caminho, e a estrada é bem ruim.

    Passamos por uns 8 portões que estavam fechados durante a trilha.

    Nos perdemos duas vezes, ao chegar num campo aberto. Não sabíamos em qual mata tinha que entrar, tentamos em duas entradas sem saída, e só na terceira achamos o caminho certo.

    Há muitas vacas pelo caminho todo (cheiro nada agradável). A dificuldade só aumentou nos últimos minutos, onde é a subida da pedra.

    A vista é bem bonita, mas não parece tão alto o lugar.

    Na volta, nos deparamos com vários "paredões" formados por aranhas. Como já estava escuro, foi bem assustador.

  • Foto de mv_mao

    mv_mao 10/out/2020

    Eu fiz esta trilha  verificado  Ver mais

    Segui sem nenhuma dificuldade!

Você pode ou esta trilha