Hora  4 horas 24 minutos

Coordenadas 1981

Enviada em 3 de Dezembro de 2020

Registrada em Novembro 2020

-
-
991 m
763 m
0
1,2
2,5
4,99 km

Visualizado 186 vezes, baixado 16 vezes

perto de Ouro Fino, Minas Gerais (Brazil)

Trajeto desde os arredores da comunidade de Baú até as cachoeiras Sumitumba I (de baixo) e II (de cima).

COMO CHEGAR:
As cachoeiras estão na zona rural de Conceição do Mato Dentro, próximas a localidade de Baú, a aproximadamente 34km da cidade. Para acessar o início da trilha, saindo de CMD, deve-se tomar a saída para Congonhas do Norte, através da rodovia LMG-739. Menos de 1km após a passagem pela ponte sobre o Ribeirão Santo Antônio, é preciso tomar à esquerda, seguindo pela estrada de terra sentido Tabuleiro e Itacolomi.

A estrada de terra é bem sinalizada e está em boas condições até Itacolomi. Após Itacolomi a estrada piora um pouco, mas segue transitável por qualquer tipo de veículo. É preciso seguir as placas para Itacolomi, a princípio, e depois para Candeias, Baú e Cachoeira da Fumaça. Após passar a entrada do povoado de Candeias, siga pela estradinha por mais 8,5km. O ponto inicial é uma tronqueira à esquerda da estradinha.

Para mais detalhes, utilize a ferramenta "Driving directions to start point", disponível na versão web do Wikiloc. Há também tracklogs entre CMD e a entrada desta trilha, que podem ser utilizados para facilitar a chegada.

A TRILHA:
Adentrando pela tronqueira, seguimos pela estradinha até a parte mais baixa do terreno. Atravessamos o rio Parauninha e subimos pela continuação da estradinha até um curral, onde estacionamos os veículos com a autorização de um trabalhador local. Do curral seguimos para sudoeste, avançando por um trecho de capoeira baixa, em direção à serra. Pegamos uma das trilhas que sobe e fomos ganhando altitude. A trilha está um pouco suja e possui diversos traçados paralelos. Depois de ganhar a primeira parte da serra, a trilha segue em forte aclive, com muito cascalho solto, o que demanda atenção. Aos poucos a subida vai suavizando e o cascalho dá lugar a um capim baixo, por onde a trilha segue discreta. Depois de vencer o morro, iniciamos uma descida em direção aos capões de mata que margeiam o córrego.

A trilha varia no interior da mata, no início está bem marcada, mas com o avançar da caminhada vai se tornando discreta. Após a passagem por um rego d'água, onde há bananeiras por perto, a trilha se aproxima do córrego e chega ao seu leito. O acesso final para a cachoeira Sumitumba II é pelo leito do córrego, onde é preciso vencer algumas rochas de tamanhos variados até chegar à cachoeira.

O poço da Sumitumba de cima é pequeno, mas é possível tomar um bom banho no local. Fizemos o retorno pelo mesmo caminho até o pé da serra, já próximo ao curral. Antes de finalizar a descida, no entanto, seguimos margeando a serra para norte-noroeste, reaproximando do córrego. Chegando ao leito, passamos pela esquerda do primeiro poço, pelas rochas. Um pouco acima desembocamos no final do cânion, onde há um poço cercado por paredes verticais.

O 1º poço é atravessado a nado, embora boa parte do seu comprimento possa ser percorrido andando pelas rochas submersas. Em seguida há mais um poço, menor, que também é atravessado a nado. Após subir mais um pouco o leito do córrego, chegamos ao 2º poço a ser atravessado. Antes da cachoeira ainda há um terceiro poço profundo. O trecho final é pelas rochas do leito.

A cachoeira Sumitumba I (de baixo) é espetacular. Queda muito bonita, poço grande, parecido com uma praia. Recompensa todo o esforço.

OBSERVAÇÕES:
- Trilha de dificuldade entre moderada e alta. Apesar da distância curta, é preciso enfrentar trechos íngremes e escorregadios, trilhas discretas, caminhadas pelo leito do córrego e poços a serem atravessados a nado. Caso não tenha domínio da natação, leve um espaguete ou colete;

- As cachoeiras estão inseridas no Parque Estadual da Serra do Intendente, no entanto ainda há pendências em relação à regularização fundiária do local. Respeite as normas do Parque, NÃO FAÇA FOGUEIRAS, NÃO DEIXE LIXO NO LOCAL, FECHE AS TRONQUEIRAS/PORTEIRAS QUE ABRIR. Contribua para que os acessos sejam permitidos;

- Não há qualquer tipo de infraestrutura ao longo da trilha. Leve água e lanche suficientes. A água deve ser coletada no córrego que forma as cachoeiras. Não há sinal de telefone na região.

- Boa parte da trilha é sombreada, mas o trecho mais crítico de subida é exposto ao tempo.

- No período chuvoso, atente-se para o nível dos córregos. Parte da caminhada é feita pelo leito deles e é preciso atravessar poços a nado. Risco de ficar ilhado ou preso no interior do cânion.
Waypoint

Drenagem

Speed: 0 km/h Course: 302° Elevation: 845 m
Rio

Chegada ao leito 2

Speed: 0 km/h Course: 239° Elevation: 805 m
Waypoint

1º poço

Speed: 0 km/h Course: 242° Elevation: 819 m
Waypoint

2º poço

Speed: 0,32 km/h Course: 267° Elevation: 837 m
Queda d'água

Sumitumba I

Speed: 0 km/h Course: 96° Elevation: 908 m
Waypoint

Curral

Speed: 1,84 km/h Course: 285° Elevation: 798 m
Waypoint

Rego d'água

Speed: 0 km/h Course: 200° Elevation: 925 m
Rio

Chegada ao leito

Speed: 0 km/h Course: 278° Elevation: 903 m
Queda d'água

Sumitumba II

Speed: 0 km/h Course: 25° Elevation: 880 m
Waypoint

Acesso Sumitumba

Waypoint

Rio Parauninha

WAYPOINT 11

Comentários

    Você pode ou esta trilha