Dificuldade técnica   Fácil

Coordenadas 486

Uploaded 30 de Abril de 2018

Recorded Abril 2018

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
451 m
415 m
0
1,5
3,0
6,08 km

Visualizado 349 vezes, baixado 29 vezes

próximo a Pamplona, Navarra (España)

FOTOS DESTA E DE OUTRAS TRILHAS EM ”CAMINHANTES"

O percurso aqui apresentado pretende mostrar o que se pode visitar quando se está de passagem e dispomos apenas de uma tarde para visitar a cidade. Optamos por percorrer a zona antiga da cidade. Pamplona, capital de Navarra, conhecida mundialmente pelas suas festas de San Fermín, é uma cidade verde, murada, aconchegante, bem preservada e animada. Caminhando pelas ruas e praças vamos descobrir igrejas medievais, belos recantos, lojas coloridas e, claro, os deliciosos pinchos.
Começamos o percurso no estacionamento junto ao Parque de La Medina Luna, em seguida temos a descrição de cada um dos pontos marcados nesta trilha.

PARQUE DE LA MEDINA LUNA
É uma das mais belas e mais antigas de Pamplona, deve o seu nome ao seu design na forma de uma lua minguante. Lugar bucólico e marcado estilo romântico, este parque tem vistas excelentes graças a um ponto de vista privilegiado sobre o rio Arga. Possui um lago com peixes, pista de patinagem e muitas árvores com diferentes espécies, entre as quais se destaca uma bela sequóia gigante.

PUENTE DE LA MAGDALENA
É a mais bonita de Pamplona. Constitui a entrada principal da cidade para os peregrinos que fazem o Caminho de Santiago. Assemelha-se, embora um pouco menor, a uma das melhores pontes medievais da Europa, que também podemos ver em Navarra: a Rainha. Apresenta o mesmo estilo que o último, e é por isso que a sua base nos diz que a sua origem pode ser românica. Poderia datar do século XI, já que os pilares nos quais os arcos estão localizados seriam de um período contemporâneo à ponte de La Reina (românica).

PORTAL DE FRANCIA
Faz parte da frente da França ou do Redín, em 1553 abre-se o Portal do Abrevador, que depois passa a ser chamado de França e desde 1937 de Zumalacárregui. O Portal de Francia (a mais antiga das muralhas de Pamplona e a única daquelas que permanecem em pé que conservam sua estrutura original) consiste num complexo dispositivo de entrada com ponte levadiça, a duas alturas e em dupla dobra: o primeiro acesso, o mais externo, é feito pelo bastião abaixo de Nuestra Señora del Pilar e num nível mais alto, uma segunda porta dá acesso ao interior do recinto amuralhado através do bastião do Abrevador. Eles defendem o acesso ao desbravador dos reis e ao baixo bastião de Nossa Senhora de Guadalupe, sendo o conjunto dominado em altura pelo bastião de Redín. Acima do arco da porta superior (a do bastião do Abrevador) está o brasão de Carlos I de Castela e IV de Navarra, com relevos impressionantes e gravuras muito elaboradas.

CATEDRAL DE SANTA MARÍA REAL DE PAMPLONA
Localizada no promontório da Cidade Velha de Pamplona, no mesmo local onde o Pompaelo Romano foi localizado, a Catedral de Santa María, é o culminar da obra gótica dos séculos 14 e 15. Este monumento emblemático é o que tem mais relíquias histórico-artísticas da cidade. Nele os reis foram coroados, as Cortes se reuniram e por três séculos a Diputación del Reino teve seu assento. A sobriedade de sua fachada neoclássica, obra de Ventura Rodríguez, contrasta com a estética gótica do interior do templo, cuja nave central, de 28 metros de altura, abriga o belo sepulcro de Carlos III de Navarra e sua esposa Leonor de Castilla. Mas a verdadeira jóia desta catedral é o seu claustro, considerado um dos mais requintados do gótico universal, e imperdível para qualquer visitante.

CASA CONSISTORIAL (AYUNTAMIENTO DE PAMPLONA)
Todos os dias 6 de julho, às 12 horas, milhões de pessoas em todo o mundo estão de olhos na fachada do edifício do Ayuntamiento de Pamplona. Os meios de comunicação retomam o espetacular e múltiplo momento em que o "chupinazo", um foguete lançado a partir deste edifício, anuncia o início das "famosas e inigualáveis" festas de San Fermín. A Câmara Municipal ocupa o coração da Cidade Velha da cidade. Sua localização não é acidental. O rei Carlos III o Nobre promulgou em 1423 o Privilégio da União e ordenou o levantamento deste edifício na confluência dos três bairros existentes até então: Navarreria, San Saturnino e San Nicolás, pondo fim a séculos de desavenças e confrontos entre os vizinhos dessas demarcações.

IGLESIA DE SAN SATURNINO
Suas duas altas torres, que traçam no céu um perfil muito pessoal e emblemático da cidade e suas muralhas poderosas e espessas, revelam a sua outra função do passado: uma fortaleza militar e defensiva nas batalhas costumeiras entre os vizinhos das diferentes aldeias medievais. É facilmente reconhecível por um grande pórtico que antecede sua entrada. Na saída, procure no terreno o "pocico" em que San Saturnino batizou os primeiros cristãos, entre eles quem seria seu primeiro bispo, San Fermín. Oolhe para o céu e veja a torre sul: há o popular "gallico" e o relógio que anuncia o início de cada confinamento durante as festas de San Fermín.

CONVENTO DE AGUSTINAS RECOLETAS
Foi construído em 1624 pelo arquiteto e traçador de obras reais da Villa de Madrid Juan Gómez de Mora, sob o patrocínio de Juan de Ciriza, secretário de Felipe II e Catalina de Alvarado. Na porta de entrada da igreja há uma imagem da Imaculada Conceição, obra do escultor Miguel López de Ganuza. Também os dois escudos dos fundadores localizados nos lados da janela central iluminam o coro. No interior há um conjunto de retábulos barrocos feitos em 1700 por Francisco Gurrea y García. O templo foi decorado por uma coleção de tapeçarias baseadas nas caixas de Rubens, o convento é enclausurado, então a única coisa que se pode visitar é a sua igreja.

IGLESIA DE SAN LORENZO
Do seu conjunto medieval do século XIV, quase não há vestígios e o elemento arquitetônico mais valioso da atualidade é a capela de San Fermín. Há vestígios ocultos do edifício do século XIV. A nave atual, uma simples nave neoclássica, é obra de 1805 de Juan Antonio de Pagola. A fachada anterior, que era barroca, sofreu danos pelas bombas disparadas pelo General Leopoldo O'Donnell da Cidadela, por isso foi desmantelada e realizada a fachada atual de Florencio de Ansoleaga em 1901.

JARDINES DE LA TACONERA (PORTAL DE SAN NICOLÁS)
Os Jardins Taconera são o parque mais antigo, mais bonito e emblemático de Pamplona. Com 90.000 metros quadrados de superfície, fica ao redor das muralhas, muito perto da Cidade Velha, num estilo romântico e Versalhes marcado. Sua estrutura, marcada por espécies arbóreas e florais com elementos escultóricos muito diversos, permite diferentes itinerários ao visitante. Mas se algo caracteriza este lugar paradisíaco é o pequeno zoológico que abriga em seus poços veados, patos, faisões, cisnes, pavões que vivem num estado de semi-liberdade. Percorrer o Taconera é descobrir arcadas de triunfo, o monumento ao ilustre tenor Roncal Julián Gayarre, várias esculturas entre as quais se destaca a amada e popular Mariblanca, ou os arcos pontiagudos de Teobaldo II. O Café Vienés é um local de encontro regular para criadores e estudantes de Pamplona.

BALUARTE DE LA TACONERA
O baluarte de Taconera é a parte da frente do Taconera, no flanco ocidental da Muralha abaluartada de Pamplona
Sófora Japonica: este magnífico exemplar da variedade "tortuosa" é encontrado no Parque de la Taconera em Pamplona, catalogado como uma árvore singular devido ao seu tamanho, tamanho e aparência tortuosa.

PORTAL DE LA TACONERA
O Porta de Taconera faz parte da frente de Taconera, no flanco ocidental da Muralha de Pamplona, capital provincial de Navarra. O Portal de la Taconera foi construído em 1666 como parte do novo recinto muralhado de Pamplona, representando o limite noroeste das fortificações construídas nesta cidade durante os séculos XVI e XVII.

LA CIUDADELA
Juntamente com a Vuelta del Castillo circundante, constitui o grande pulmão verde de Pamplona. Um espaço de 280.000 metros quadrados cujos pavilhões, poços, baluartes, revelos, fortificações e edifícios menores são agora locais públicos de lazer, desporto e cultura. A Ciudadela, referência urbana de Pamplona, também é considerada como o melhor exemplo de arquitetura militar do Renascimento espanhol e um dos mais proeminentes conjuntos defensivos da Europa. A Ciudadela nasceu para proteger Pamplona do inimigo, a mando do rei Felipe II, que ordenou a construção em 1571 para enfrentar as incursões constantes do exército francês. Sua estrutura original tinha a forma de um pentágono regular com cinco baluartes nos cantos, mas a construção da primeira extensão da cidade forçou a demolição de dois deles. Os restos mortais de San Antón vieram à luz com a construção do Palácio de Congressos e Auditório de Navarra, Baluarte e foram integrados no desenho do edifício.

PASEO DE PABLO SARASATE
É uma emblemática avenida localizado entre o Casco Viejo e a II Ensanche da cidade. Também é popularmente conhecido como Paseo Valencia. Geralmente é o centro das concentrações mais emblemáticas que ocorrem na cidade. Após a morte do grande músico Pablo Sarasate, em 1908, a Câmara Municipal de Pamplona nomeou esta avenida “paseo” com o nome do artista internacional de Pamplona que nasceu na rua vizinha de San Nicolás.

IGLESIA DE SAN NICOLÁS
A paróquia de San Nicolás, datada do século XII, não nasceu apenas para atender aos serviços religiosos mas, acima de tudo, para servir como bastião militar e defensivo dos moradores de seu bairro, de mesmo nome, sempre confrontado com os outros dois bairros da cidade: Navarreria e San Saturnino. No seu interior pode ver um grande órgão barroco, o mais importante em Pamplona.

MONUMENTO A LOS FUEROS DE NAVARRA
Em Pamplona e por assinatura popular, o Monumento a Los Fueros foi erguido como um símbolo da liberdade de Navarra. Foi projetado pelo arquiteto Manuel Martínez de Ubago, terminando em 1903, nunca sendo inaugurado. A estátua, de 25 metros de altura, é dividida em três corpos.

LA PLAZA DEL CASTILLO DE PAMPLONA
Desde a sua construção, a praça tornou-se o centro nevrálgico da vida social de Pamplona e um dos ícones mais reconhecidos da cidade, ainda hoje é palco de eventos importantes. É um quadrilátero imperfeita de 14.000 metros quadrados, tem sido e continua a ser o palco dos principais eventos de Pamplona: touradas, até 1844, batalhas, torneios, mercados, paradas militares, comícios políticos e popular... A frente do Magdalena, juntamente com as frentes de France e Rochapea, é uma das mais antigas em torno da cidade murada de Pamplona, levantando-se em 1512 no lado leste do muro medieval da Navarrería.
Em 1960, parte da plataforma do bastião de Labrit foi demolida para transportar o alargamento das Chantrea. Está Estrada cercada por casas em sua maioria datam do século dezoito, onde varandas, torres, sótãos e janelas. É uma praça aberta, arcadas por todos os lados, mas sem um estilo uniforme, o resultado sendo formado pela construção sucessiva de edifícios em seus lados e não como projeto de desenvolvimento uniforme. Isto significa que os edifícios que o compõem foram construídos em alturas diferentes e têm alturas diferentes, o que confere à praça um aspecto arquitetónico.

PLAZA DE TOROS MONUMENTAL DE PAMPLONA
É a praça de touros projetada em 1920 na Segunda Ensanche de Pamplona para celebrar as touradas. Tem uma capacidade de cerca de 19.720 espectadores, após a última reforma para cumprir as normas de segurança, o que torna a maior arena em Navarra, e a quarta maior do mundo em termos de capacidade, após a praça de touros no México, Valência (Venezuela) e Madrid. É conhecida mundialmente pelo funcionamento da Feria de San Fermín, que ocorre anualmente entre os dias 7 e 14 de julho. Atualmente também usado para diversos espetáculos.
  • Foto de CATEDRAL SANTA MARÍA REAL DE PAMPLONA
  • Foto de CATEDRAL SANTA MARÍA REAL DE PAMPLONA
  • Foto de CATEDRAL SANTA MARÍA REAL DE PAMPLONA
  • Foto de PLAZA CONSISTORIAL
  • Foto de PLAZA CONSISTORIAL
  • Foto de PLAZA CONSISTORIAL
  • Foto de IGLESIA DE SAN SATURNINO
  • Foto de IGLESIA DE SAN SATURNINO
  • Foto de IGLESIA DE SAN SATURNINO
  • Foto de CONVENTO DE AGUSTINAS RECOLETAS
  • Foto de CONVENTO DE AGUSTINAS RECOLETAS
  • Foto de CONVENTO DE AGUSTINAS RECOLETAS
  • Foto de IGLESIA DE SAN LORENZO
  • Foto de IGLESIA DE SAN LORENZO
  • Foto de IGLESIA DE SAN LORENZO
  • Foto de JARDINES DE LA TACONERA
  • Foto de JARDINES DE LA TACONERA
  • Foto de JARDINES DE LA TACONERA
  • Foto de BALUARTE DE LA TACONERA
  • Foto de BALUARTE DE LA TACONERA
  • Foto de BALUARTE DE LA TACONERA
  • Foto de PORTAL DE LA TACONERA
  • Foto de LA CIUDADELA
  • Foto de LA CIUDADELA
  • Foto de LA CIUDADELA
  • Foto de LA CIUDADELA
  • Foto de LA CIUDADELA
  • Foto de LA CIUDADELA
  • Foto de PASEO DE PABLO SARASATE
  • Foto de PASEO DE PABLO SARASATE
  • Foto de IGLESIA DE SAN NICOLÁS
  • Foto de MONUMENTO A LOS FUEROS DE NAVARRA
  • Foto de MONUMENTO A LOS FUEROS DE NAVARRA
  • Foto de MONUMENTO A LOS FUEROS DE NAVARRA
  • Foto de PLAZA DEL CASTILLO DE PAMPLONA
  • Foto de PLAZA DEL CASTILLO DE PAMPLONA
  • Foto de PLAZA DEL CASTILLO DE PAMPLONA
  • Foto de PLAZA DE TOROS MONUMENTAL DE PAMPLONA
  • Foto de PLAZA DE TOROS MONUMENTAL DE PAMPLONA
  • Foto de PLAZA DE TOROS MONUMENTAL DE PAMPLONA
  • Foto de PUENTE DE LA MAGDALENA
  • Foto de PUENTE DE LA MAGDALENA
  • Foto de PUENTE DE LA MAGDALENA
  • Foto de PORTAL DE FRANCIA
  • Foto de PORTAL DE FRANCIA
  • Foto de PORTAL DE FRANCIA

3 comentários

  • DiogoHiker 26/mai/2018

    Um bom percurso para conhecer o essencial da cidade.
    Obrigado pela partilha.

  • Foto de Perfidus

    Perfidus 10/ago/2018

    I have followed this trail  verificado  View more

    Manifiestamente mejorable.

  • Foto de Caminhantes

    Caminhantes 10/ago/2018

    Gracias por tu comentario y valoración.

You can or this trail