Tempo em movimento  3 horas 51 minutos

Horas  6 horas 18 minutos

Coordenadas 2359

Uploaded 2 de Novembro de 2019

Recorded Novembro 2019

-
-
912 m
150 m
0
3,4
6,8
13,58 km

Visualizado 21 vezes, baixado 0 vezes

próximo a Encano, Santa Catarina (Brazil)

Trilha mais famosa de Blumenau - SC, com o ponto mais alto da cidade e uma bela vista!

Chegamos a entrada do parque por volta das 8:00, pois pretendiamos almoçar no topo do morro. Existe uma senhora que faz a entrada no parque para todos. Como tinha apenas um grupo em nossa frente, acabou sendo rápida a entrada. O valor (na data de 02/11/2019) era de R$ 10,00 por pessoa (somente em dinheiro), e é necessário a apresentação de um documento com foto. O responsável pelo grupo recebe uma fita azul a ser colocada no braço, e os demais uma fita vermelha. Logo após a entrada, existe pequena ponte de madeira a atravessar, que da o acesso a trilha. Existem algumas cachoeiras nesta volta, porém recomendo deixar para a volta. O nosso grupo é mais casual, então fazemos algumas pausas para aprecisar os locais e tomar água.
Eu dividi a subida em três partes:
1 - Logo no início, após a ponte de madeira é iniciada uma estrada normal, com vários bambus na margem. Essa parte possue algumas casas com moradores e em alguns pontos possui espaço para carros passar (provavelmente somente para os moradores) . A estrada é praticamente toda com pedras, existem alguns poucos pontos com barro, mas no geral é bem fácil de fazer. Ao longo desse percurso em um determinado momento a caminhada passa ao lado de uma corredeira, o que te dá alguns momentos legais para uma àgua, e também para aproveitar natureza. Esta parte possui cerca de 3km, até chegar ao último terreno, e fizemos em 1 hora.
2 - Depois do último terreno, a largura da trilha diminui mais da metade, onde um carro já não conseguiria passar mais. As pedras vão começando a diminuir também, aumentando a quantidade de barro. Alguns pontos podem estar realmente lisos se choveu nos últimos dias. Quando fomos, o clima estava com algumas garoas durante a manhã, então alguns pontos estavam bem lisos mesmo, mas com cuidado é possível passar. Após cerca de 500m (aproximadamente a metade da quilometragem total da trilha), existe um ponto com agua natural bem limpa, de uma corredeira. É possível abastecer uma garrafinha de água ali se necessário. Após mais 2km de caminhada, aproximadamente, você chegará em um bosque com vários pinheiros, que possuí duas pedras em forma de paralelepípedo erguidas, e que darão acesso a última parte. Aqui e um bom local para parar e descansar/comer, porém haviamos feito uma parada pouco tempo antes, e assim seguimos direto. Neste ponto, fizemos mais paradas que na parte anterior (o cansaço começa a ficar maior com o terreno mais difícil), e levamos cerca de 1 hora e meia.
3 - Após passar pelas duas pedras, será uma pequena caminhada entre os pinheiros, até chegar à um pequeno ponto com a mata aberta. Após esse ponto, começa uma das partes mais difíceis da trilha. Apesar de não ter muito mais que 500m deste ponto até o pico, a subida se torna mais ingrime, e em alguns pontos a caminhada acaba se transformando em uma escalaminhada, pois você não conseguirá passar sem o apoio das mãos. O trecho pode ser difícil, porém é curto, e logo você estará no pico do morro. No pico, existe uma ótima vista, e se o dia estiver bem limpo, é possível ver o mar (é o que falam). Quando nós chegamos, estava bem nublado, e estavamos sem visão nenhuma, porém aos poucos começaram algumas aberturas, e tivemos algumas vistas incriveís! Existe uma pedra no pico que todos costumam tirar várias fotos (tomar bastante cuidado para não escorregar). Do bosque até esse ponto, levamos cerca de meia hora.
Nós ficamos cerca de 1 horas no pico (almoçamos, e aproveitamos os momentos que as nuvens diminuiam, para tirar algumas fotos).
Na descida, fizemos bem menos paradas que na subida, e levamos 2 horas no total para concluír a caminhada.
Algumas dicas:
- O ideal sempre é levar comidas mais leves, bastante água e frutas, que ajudam a refrescar mais. Não estava quente no dia que fizemos, eu consumi somente 2 garrafinhas (1,2 litros) de água no total, porém em dias muito quentes provavelmente irá mais.
- Mais cuidado na descida principalmente das partes 2 e 3, principalmente se tiver chovido nos últimos dias. A descida é mais rápido, porém aumenta as chances de escorregar, por ter vários trechos bem lisos.
- Ficar sempre atento ao chão, pois é comum a aparição de cobras em locais assim, principalmente em dias mais quentes. Temos que lembrar que é nós que estamos invadindo o habitat desses animais, e não vice versa.
- Levar repelente e protetor solar. Existem vários insetos, o repelente ajuda bastante. Como estava nublado no dia, acabamos não passando protetor, porém ainda assim tive um queimado bem leve. A trilha é no geral bem fechada, mas não o tempo todo, e no pico você ficará o tempo todo exposto ao sol.
- Lembrar de abastecer a água na metade da trilha, se necessário.
foto

Entrada

foto

Corredeira

Corredeira que acompanha a caminhada por um tempo, ótimos pontos para um descanso e apreciação da natureza!
foto

Início - Parte 2

A trilha ficará menor e com menos pedras a partir deste ponto, com trechos bem mais lisos.
foto

Água - Metade da trilha

É possível abastecer a água nesse ponto, ela é bem limpa e estava muito boa!
foto

Vista 1

Primeiro ponto com uma vista um pouco mais elevada. Estava muito nublado nessa parte no dia em que fomos.
foto

Vista 2

foto

Bosque - Início Parte 3

Um bosque, excelente local para uma pausa, pois em seguida terá início do trecho final e mais difícil da trilha
pico

Topo

Topo do morro! Estava bem nublado no início, porém depois de meia hora já tinha limpado bastante!
foto

Mata aberta

Mata aberta antes do início da "escalaminhada".
foto

Desvio

Aqui é um outro ponto dentro do bosque. Não é necessário passar aqui para dar seguimento a trilha, e é mais difícil de passar por aqui, mas é bem legal também.
foto

Início da trilha - Parte 1

Ponte que dá início a primeira parte da trilha.

Comentários

    You can or this trail