Baixar

Distância

19,56 km

Desnível positivo

1.647 m

Dificuldade técnica

Difícil

Desnível negativo

1.698 m

Elevação máx

2.430 m

Trailrank

94 4,6

Elevação min

1.525 m

Tipo de trilha

Mão Única

Hora

2 dias 4 horas 29 minutos

Coordenadas

5081

Enviada em

1 de fevereiro de 2016

Registrada em

junho 2014
  • Avaliação

     
  • Informações

     
  • Fácil de fazer

     
  • Paisagem

     
Compartilhar
-
-
2.430 m
1.525 m
19,56 km

Visualizado 13217 vezes, baixado 1252 vezes

perto de Queimada, Minas Gerais (Brazil)

Gravação feita em 2014 quando voltei à essa Travessia depois de uns 10 anos. Constatei o quanto a trilha agora está bem pisoteada; muito diferente da última época que fiz, quando ainda era muito fechada e bem mais difícil. Mesmo assim continua sendo uma Travessia exigente, sobretudo pela grande quantidade de rochas pelo trajeto, formando um sem número de degraus. Apesar de ser uma travessia curta, o costumeiro sobe e desce e vegetação rebelde de capins e bambus da Mantiqueira; a Marins Itaguaré guarda trechos muito mais técnicos que a sua irmã mais famosa do outro lado da estrada, a Travessia da Serra Fina.

Observações importantes:

1 - Trilhas: trepa pedras, escalaminhadas básicas e raspa-raspa em rochas: estes são os aspectos marcantes dessa Travessia. Prepare suas pernas! De um modo geral, a trilha encontra-se bem marcada pelo pisoteio, especialmente no trecho Base Marins - Pico dos Marins. Fique atento ao solo. É comum a trilha ficar pouco visível em trechos com lajeados. Os totens estão relativamente bem posicionados e são boas fontes para orientação. Apesar disso, só vá fazer essa Travessia se tiver experiência em navegação e orientação. Em tempo aberto e limpo não terá problemas, mas em caso de neblina densa, quem não tem experiência poderá se perder facilmente.

2 - Lance de corda após o Marinzinho: apesar de existir saliências na rocha que em tese possibilitam a descida, realmente a corda é um grande auxílio no trecho. Mas não se preocupe: não é um trecho difícil para se transpor. Somente fique atento ao estado da corda. Eu recomendo que se leve um pedaço de corda na cargueira, pois não se sabe se chegará ao local e a corda fixa esteja por lá e em boas condições. E isto se torna imperativo em caso de fazer a Travessia com iniciantes. Não custa se precaver.

3 - Fenda Pulo do Gato no Itaguaré: essa profunda fenda fica no topo do Pico do Itaguaré, onde há uma rocha irregular entalada. Inclusive esse acidente natural é visto de um determinado ponto no trajeto da Travessia. Para transpô-la é preciso caminhar sobre essa rocha entalada, que possui pouco mais de 1 metro de largura; porém não é plana; tem uma espécie de cumeeira bem ao meio. Mas fique tranquilo, o trajeto da Travessia passa aos pés do Itaguaré, que só é atingido mediante ataque através de uma bifurcação. Portanto, somente irá até essa fenda quem quiser atingir o cume verdadeiro do Itaguaré, que fica a uns 6/7 metros (+ ou -) mais alto que o ponto aonde está a fenda. De qualquer modo, caso desejar ir ao topo verdadeiro do Itaguaré, o Pulo do Gato é o ponto mais perigoso em toda essa Travessia. Só recomendo transpô-la quem não tenha medo de altura e esteja seguro. Se a rocha estiver molhada não aconselho ultrapassá-la, pois é um lugar que não se permitem erros.
Inclusive no dia da gravação desse track não fui ao cume verdadeiro, pois a rocha estava muito molhada e lisa!

4 - Água: há escassez de água nessa Travessia. Pontos confiáveis existem somente na Base Marins, Morro do Careca, na base do Pico Itaguaré e ao final da Travessia. Portanto é essencial carregar um pouco mais de água em caso de pernoites na serra. Apesar de relatos da existência de água em outros pontos, como próximo ao Marinzinho; ou ainda, próximo ao Morro da Gruta, fica claro que essas fontes ficam secas em períodos prolongados sem chuvas. Já a água do Ribeirão Passa Quatro que se localiza em um ponto estratégico aos pés do Marins dizem estar contaminada, o que é uma pena. Existe uma placa de análise da UNIFEI que afirma isto, mas não há data de quando essa análise foi feita. De todo modo, existe uma área de acampamento a uns 5 metros dessa água, aonde inclusive vi restos de papel higiênico. Então, essa água deve mesmo estar cheia de coliformes fecais. Se precisar usar essa água, use purificador. Ademais, existem charcos (brejos) próximo à base do Pico dos Marins e do Marinzinho. Em 2015 passei por ali novamente e essa água do Ribeirão Passa Quatro estava seca: só havia alguns poços entre capins.

5 - É muito difícil aconselhar quanto de água uma pessoa deverá levar em uma travessia, pois vários fatores fazem com que se consuma menos ou mais água. De todo modo, em travessia de 3 dias, caso vá acampar na última noite na base do Itaguaré, creio não ser necessário levar mais que três litros de água, que seriam colhidos no Morro do Careca.

6 - Acampamentos: há boas áreas nas redondezas das nascentes do Ribeirão Passa Quatro, próximas à bifurcação/sequência da trilha para o Marinzinho (não me refiro àquela que contamina a nascente). No ombro do Marins há uma área bem grande e outra menor no topo. Na base do Marinzinho há outra área, porém pequena. Após a Pedra Redonda há uma área maior que cabem várias barracas. Continuando no sentido do Itaguaré há outros 3 pontos com menor capacidade. Na base do Itaguaré há dois locais: um antes do curso de água, menor; e outro bem maior, após o curso de água e próximo à base do Itaguarezinho.

7 - Recomendo evitar o transporte de equipamentos pelo lado externo de cargueiras; pois os capins, bambuzinhos e rochas vão certamente causar estragos aos equipamentos e ao aventureiro.

8 - Apesar de inconstante, há sinal de telefonia móvel em alguns pontos dessa Travessia.

Obs.: As fotos são de 2015, pois em 2014 fiz essa travessia sob neblina intensa

Ver mais external

Waypoint

H2O - nascente Passa Quatro

Agua Passa Quatro
Waypoint

Camp Trilha Maeda-Marinzinho

acamptrilha Maeda
Waypoint

Fenda Pulo do Gato: Cuidado!

Pulo do Gato
Waypoint

Base Marins: Há alojamento, estacionamento e restaurante

BaseMarins
Waypoint

Placa: Início Oficial da Travessia

PLACAinicio
Waypoint

H2O Morro do Careca

AGUACareca
Waypoint

Pedra Partida

PARTIDA
Waypoint

Pico dos Marins

PicoMarins
Waypoint

Camp Marins

CampMarins
Camping

Camp Ideal para Travessia: plano, abrigado e com vários espaços

CAMPI
Waypoint

Lance da Corda

CORDA
Waypoint

Pedra Redonda (Que não é redonda)

REDONDA
Waypoint

Camp Pedra Redonda

Camp PRed
Camping

Camp Pequeno 1

CampPosRedonda
Camping

Camp Pequeno 2

Camp 2
Camping

Camp Pequeno 3

Camp 3
Camping

Camp aos pés do Itagauré - Pequeno - H2O à frente, próxima

CampNosso
Waypoint

Camp Itaguaré - Grande

Camp Itgr
Waypoint

Bifurcação - Gruta

bifurca$$o
Waypoint

Pico Itaguaré - Cume

Pico Itaguar$
Waypoint

Pico Marinzinho

Marinzinho
Waypoint

Saída para Cruzeiro à Esquerda

CruzeiroEsquerda
Waypoint

Base Itaguaré - Fim

Base Itaguar$
Waypoint

H2O

Waypoint

H2O

Waypoint

Siga Reto - Direita saída errada

SigaReto - Dir Sa$da errada
Waypoint

Camp Improvisado, exposto e inclinado

CampImprovisado

66 comentários

  • Foto de afonso.lenzi

    afonso.lenzi 4 de mai de 2016

    mto bom o relato, parabéns. Pretendo seguir essa tracklog assim que possível.

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 5 de mai de 2016

    Olá Afonso,
    Que bom que pretende realizar essa travessia. É uma rota muito bonita, com visuais impressionantes, em especial da Serra Fina e de outras serras do Sul de Minas. E ao realizá-la, encontrando alguma divergência nas marcações, por favor nos comunique, combinado?
    Bons ventos pra você, obrigado pelas palavras, fico feliz com isto!
    Abraços

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 19 de mai de 2016

    Fala Texugotx,
    Em condições normais de trekking com cargueira, é perfeitamente possível você esticar até a base do Pico do Itaguaré, mas para isto terá que partir bem cedo da Base Marins; e a caminhada se estenderá por todo o dia; até porque em poucas horas você chegará ao Marins. Mas é a partir do Marins que a travessia fica mais cansativa e exigente!
    Na gravação acima a travessia foi feita com calma, sem correria; pernoitando no Marins e depois no Itaguaré. Mas em outra ocasião que estive por ali com cargueira percorri da Base Marins até o último camping antes do Itaguaré em torno de 9h00 de caminhada. De toda forma, da Base Marins até o Itaguaré são aprox 15 km incluindo ataque ao Marins. Se você manter uma média próxima a 2 km por hora; acrescida de 1/3 para eventuais paradas ou dificuldades, você fará o trecho em aproximadamente 11h00 de atividade!
    Bons ventos pra você e prepare suas pernas eheheh... Abraços

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 19 de mai de 2016

    Boa escolha Texugotx,
    Ir na boa é muito bom; de toda forma, como você tem experiência em corridas e certamente desenvolve um bom ritmo, se chegar cedo na Pedra Redonda, há adiante na crista outras boas áreas para acampamento.
    Excelente pernada pra você, obrigado pela mensagem, outro abraço

  • Foto de --------------------------------------------------

    -------------------------------------------------- 27 de set de 2016

    Travessia Maravilhosa, e suas informações são muito pertinentes.

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 27 de set de 2016

    Obrigado Henrique,
    Realmente essa rota é linda, muito linda. E observações e informações nunca são demasiadas não é mesmo? Sempre é bom compartilhar nossas opiniões.
    Grande abraço, estamos conectados!

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 5 de abr de 2017

    É verdade rsrs... Redonda louca eheh!!! https://pt.wikiloc.com/trilhas-outdoor/marins-itaguare-12138685#wp-12138698/photo-7441379

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 5 de abr de 2017

    Essa fenda é maravilhosa. A imagem está em baixa resolução; mas mesmo assim é possível constatar que é impressionante!!! https://pt.wikiloc.com/trilhas-outdoor/marins-itaguare-12138685#wp-12138688/photo-7441398

  • Foto de Leandro Barbosa

    Leandro Barbosa 13 de out de 2017

    Chico, muito bom. Fiz a travessia em 3 dias usando seu track, no dia 08 a 10/10/2017. Levamos a água da base Marins, mesmo "contaminada" para usar em caso de emergência. Se não tivéssemos levado iriamos entrar em modo emergência. Taquei clorin e fervi para fazer comida. Fomos com sede a água da Caverna da Caveira e estava pingando gotinha por gotinha, iria demorar umas 2 horas pra encher uma garrafa. Raspei o fundo da fonte com uma caneca, veio com muita terra e sujeira, então filtrei com uma bandana e taquei clorin. Ficar ligado no GPS a todo instante, pois tem muitas trilhas e vc acaba saindo da rota. Muito grato, forte abraço!

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 19 de out de 2017

    Ei Leandro,
    Muito bom ler o seu relato. Realmente essa rota sofre com ausência de água no tempo da seca. Também já coletei e consumi água da placa que diz estar contaminada (e creio que deve mesmo, pq ali é tenso). No mais tem razão, há pontos com algumas saídas erradas principalmente em meio ao capinzal.
    Mas é linda e vale a pernada. Obrigado a você pelo retorno, abração

  • Foto de --------------------------------------------------
  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 19 de out de 2017

    É mesmo um espetáculo de lugar... Obrigado pelo retorno Henrique, abraços

  • Foto de Bhzorrox

    Bhzorrox 1 de nov de 2017

    Eu fiz esta trilha  Ver mais

    Trilha maravilhosa, mas seja muito cauteloso com a água. Em tempos de estiagem, só há água potável no início e uns 30min antes do fim da trilha.

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 1 de nov de 2017

    Olá BHzorrox,
    Preciso comentário. Esta é mesmo uma travessia que exige atenção à água em tempos de forte seca. Obrigado pelo comentário e feedback.
    Abraço

  • Poelycker 22 de jan de 2018

    Ola Francisco , pretendo de fazer a travesia o proximo final de semana. Cuanta agua voce acha esta bom levar so para beber? 4 litros voce acha sufficiente o precisa mais debido as fontes de agua. Tenho um filtro sawyer para usar mais vejo que tem pocas fontes.

  • Foto de --------------------------------------------------

    -------------------------------------------------- 22 de jan de 2018

    Eu fiz esta trilha  Ver mais

    maravilhosa

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 25 de jan de 2018

    Ahhhh é demais!
    Curto demais essa rota Boney. Vão fazer dois anos que estive por lá; tô mortinho de saudades eheheh
    Obrigado pelo feedback; muito gentil.
    Um abraço!

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 25 de jan de 2018

    Ei Poelycker, Tudo bem contigo?
    Há poucas fontes pela rota; isto é fato! Mas estamos no verão e as fontes devem estar a pleno vapor...

    Se vais fazer no próximo fds, imagino que fará em 2 dias. Não escreveu aonde pernoitará; imagino que será ou na região do Marins; ou um pouco mais adiante, lá pela Pedra Redonda mais ou menos.

    No Marins tem aquela água que dizem estar contaminada; mas acho que seu filtro funcionaria, não? Se funcionar deixe pra abastecer lá; abastecendo apenas pra subida no Careca! Se julgar que seu filtro não funcionará abasteça total no Morro do Careca!

    Já a partir do Marins, apesar duns charcos antes do Marinzinho, não há outras fontes de água até o Itaguaré. Na região da Pedra Redonda e crista seguinte onde há pontos pra acampar não há água.

    Assim, se pensas em levar 4 litros, acho isto mais que suficiente; apesar de não saber seu consumo médio; nem seus hábitos em acampamentos (o que cozinha, por ex).
    Já no segundo dia vai encontrar água lá na base do Pico Itaguaré. E dali pro final tem água lá embaixo, após a descida. Então, vá tranquilo e sem preocupações, vai ser sucesso!

    Um abraço, diga depois como foi ok? Inté!

  • Foto de --------------------------------------------------

    -------------------------------------------------- 25 de jan de 2018

    A água do Marins um bom filtro é suficiente.
    A água do Marinzinho está abundante nesta época em uma vazão de 1 litro por minuto, totalmente limpa.
    A água da pedra redonda também está abundante.

  • Poelycker 29 de jan de 2018

    Oi Francisco, muito obrigado pelas dicas. Al final deixe o Marins para otro momento, estava solo e ache tecnico de mais para fazer solo e em a chuva do verao. Fui para a Serra dos Poncianos e curti bem porem com muita muita chuva, practicamente tuda a trilha viro punto de agua rsrs,

    Abracos

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 30 de jan de 2018

    Ei Poelycker, Tudo bem?
    Acho que fez bem, apesar de sol-chuva ou calor-frio fazer parte do cotidiano de qq caminhante, percorrer a Maringuaré com tempo aberto é uma experiência incrível!
    Quanto à Poncianos posso imaginar o aguaceiro por aqueles trechos.
    Grande abraço, inté!

  • chernieski 1 de mai de 2018

    Eu fiz esta trilha  Ver mais

    Segui este tracklog no dia 1 de maio de 2018. Utilizando o tracklog, as marcações na trilha e a experiência, consegue-se "navegar" com pouca dificuldade. A trilha é bastante técnica, como o próprio autor relata, sendo alguns pontos inapropriados para pessoas com pouca experiência e sem preparo físico.
    Para quem não tem experiencia, recomendo o guia Milton (base Marins) que me indicou o pessoal do resgate e deu várias dicas sobre a trilha, além de uma aula de geografia da região.

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 4 de mai de 2018

    Obrigado pelo feedback Chernieski.
    Só um complemento:
    Há algum tempo o Milton deixou de ser inquilino e Adm lá na Base Marins. Mas sim, o Milton continua Condutor no trecho.
    Um abraço

  • Foto de Marcos Yorinori

    Marcos Yorinori 14 de ago de 2018

    Eu fiz esta trilha  verificado  Ver mais

    Excelente! Só não subimos o Pico Itaguaré porque tínhamos que retornar logo.

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 15 de ago de 2018

    Muito obrigado pelo comentário e avaliação Marcos!
    O Itaguaré é lindo, ficou então um bom motivo pra voltar...
    Bons ventos pra Ti, abraços

  • Foto de Everton Lourenço

    Everton Lourenço 15 de out de 2018

    Chico.. vc tem o contato de quem está cuidando do acampamento base pico dos Marins?? VALEUU

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 16 de out de 2018

    Fala Everton, tudo bem?
    O contato que tenho é 35 99870-3471. Você falará com o Dito ou com a filha dele.
    Um abraço, bons ventos pra Ti

  • Foto de Everton Lourenço

    Everton Lourenço 16 de out de 2018

    Valeu di mais Chico.. salvou o role.. Abraçooo

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 16 de out de 2018

    Disponha Everton, abraços

  • Foto de lenincscarvalho

    lenincscarvalho 28 de mai de 2019

    Eu fiz esta trilha  verificado  Ver mais

    Bom dia, segui sua trilha esse último fds, está ótima. Único comentário atualizado, o Camping pequeno 1 e 3 estão bem grandes. Cabe mais de 10 barracas em cada Ehehhe. Tirando isso tá perfeito. Vlww

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 28 de mai de 2019

    Obrigado pelo comentário Lenin...
    Pois então, a cada ano os espaços vão aumentando. Isto tb tem ocorrido na Serra Fina; acho que até mais intensamente. Como se diz, são as mudanças nas rotas; seguimos testemunhando eheheh...
    Muito grato pelo feedback, grande abraço

  • Foto de --------------------------------------------------

    -------------------------------------------------- 28 de mai de 2019

    Caraca, abriram mais espaço?

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 28 de mai de 2019

    Fala Boney...
    Pelo que entendi são áreas antigas que eram menores e que ao longo dos anos vão sendo ampliadas. Infelizmente isso tem acontecido bastante na parte alta da Mantiqueira. Não sei se passou recente na Serra Fina: a região do Bambuzal tá imensa; com vários pontos; assim como aos pés do Alto dos Ivos...
    Abraço Boney, o cara dos bons videos eheheh...

  • Foto de lenincscarvalho

    lenincscarvalho 28 de mai de 2019

    Sim, esses dois campings que o Chico marcou como Pequeno 1 e 3 estão grandes. A boa notícia, pelo menos pra mim e para os que estavam cmg, achamos o percurso(depois do Marins, e antes do Itaguaré) bem limpo, recolhemos um ou outro lixo perdido, bem pouco. Quase todos os montanhistas que encontramos pelo caminho carregavam Shittube na mochila.

  • Foto de lenincscarvalho

    lenincscarvalho 28 de mai de 2019

    Essa parte (depois do Marins e antes do Itaguaré) é mais exigente, então menos frequentada e por pessoas com mais respeito à montanha. Já as subidas pro Marins e Itaguaré não estão bem assim, infelizmente.

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 28 de mai de 2019

    Boa notícia Lenin... Que as trilhas se tornem cada vez mais limpas! É o desejo!
    Abraços, obrigado por enriquecer essa página com seus comentários

  • Foto de Marcelo Brasil

    Marcelo Brasil 7 de jun de 2019

    Belo relato!! Estarei descobrindo essa caminhada, tenho bastante experiencia com trilhas, ha mais de 25 anos, mas nunca fiz o Marins x Itaguare. Entrarei as 5h no inicio do Itaguare e farei o Pico Marins e voltarei ao mesmo ponto do Inicio. Acredito que de uns 20 km de caminhada. Estou apenas receoso com a falta de agua na trilha e quanto que eu devo levar!

  • Foto de lenincscarvalho

    lenincscarvalho 7 de jun de 2019

    Pelo que entendi vai sair do Itaguaré, vai até o Marins e daí volta ao Itaguaré. Se for isso, Vai dar bem mais de 20km

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 9 de jun de 2019

    Fala Marcelo e Lenin...
    Realmente se vai fazer o contrário o Lenin tem razão, vai beirar os 25 km.
    Se for fazer em 1 dia prepare suas pernas!!!
    Quanto a água, abasteça aos pés do Itaguaré. Se for e voltar em 1 dia recomendo uns 2,5 litros. Se for pernoitar no Marins recomendo abastecer com uns 4 litros. Mas isso é pessoal e varia conforme seu consumo e hábito alimentar.
    Depois desse ponto na base do Itaguaré só vai encontrar água lá no Marins, próximo à bifurcação de ataque ao Pico (à direita da sua chegada, que é inversa). Essa água costuma não estar boa, pois infelizmente campistas que pernoitam próximo nem sempre são cuidadosos. Se precisar dessa água purifique! Eu já utilizei uma vez, purifiquei (fervi e coloquei clorin). Não tive problemas.
    Ótima pernada pra vc, depois conte como foi.

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 9 de jun de 2019

    Só um complemento:
    Ao iniciar na Base Itaguaré há água no início. Abasteça só o suficiente pra chegar no Itaguaré e quando for cruzar o córrego pela segunda vez. Assim vc sobe mais leve. Lá aos pés do Itaguaré vc obrigatoriamente vai cruzar o reguinho d'água; quando aí sim, abasteça em maior quantidade.
    Abraço

  • Foto de Marcelo Brasil

    Marcelo Brasil 9 de jun de 2019

    Otimas dicas. E isso mesmo. Farei um bate e volta saindo do base itaguare. Pretendo fazer esse circuito em 12h no maximo, numa media de 2,5 km/h. Estou no ritmo de treinos com o tempo de 10h na travessia Petrotere e bate e volta na Mina pelo paiolinho em 12h. Espero ter sucesso nessa trilha tb. Abraços.

  • Foto de Marcelo Brasil

    Marcelo Brasil 9 de jun de 2019

    Todos os pontos de agua sao bem visiveis?

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 10 de jun de 2019

    Aqueles logo no início próximo a Base Itaguaré são riachos. Vc cruzará o riacho. Já o ponto na Base do Pico Itaguaré vc também irá cruzar. O único fora da sua rota é aquele dito "contaminado" próximo à bifurcação do Marins. Acompanhando o track vc não terá problemas. Abraço

  • Foto de Marcelo Brasil

    Marcelo Brasil 11 de jun de 2019

    Obrigado Chico!

  • Foto de Pri e Fa

    Pri e Fa 2 de set de 2019

    Olá ! Fiz essa trilha esse fim de semana! Ajudou muito Chico! Valeu demais!

  • Foto de Hélio Jr

    Hélio Jr 3 de set de 2019

    Eu fiz esta trilha  Ver mais

    Grande Chico, seguindo mais uma vez seus passos...
    tive lá agora no finalzim de agosto e gostaria de ressaltar algumas questões:
    - não tem água! Ou melhor, encontrei uma água bem mirrada no Morro do Careca, mas que deu pra abastecer o pouco que havia bebido até então. Na base do Itaguaré estava tudo seco, só algumas poças e nada de água corrente. Agora o riachinho final tem água de boa qualidade e lavamos a égua nele rs.
    - fiz em dois dias e foi bem mais tranquilo do que o imaginado. Levei 2,5L de água e dei uma moderada no consumo do 1º dia (na verdade era pra levar 3, mas acabei perdendo uma garrafinha de 1L antes de começar a andar rs). não usei água pra janta nem café.
    - comecei a caminhar 6:00 e avançamos até depois da Pedra Redonda, passando nos picos Marins, Maria, Mariana e Marinzinho. Chegamos às 15:00 no camp logo após a Pedra Redonda e dava pra ter avançado mais (mas no fim foi melhor ter ficado por lá).
    - no segundo dia começamos a caminhar 7:30 sob chuva e finalizamos às 13:30, passando pelo cume do Itaguaré.

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 3 de set de 2019

    Fala Dr. Hélio,
    Bom saber que esteve por lá. Já se vai um bom tempo que não retorno a essa rota. De um modo geral quando falamos em fontes de água em cristas de serra como a Marins-Itaguaré, normalmente essas fontes já são mirradas em época de chuvas. No período da seca elas apenas escorrem kkk.
    Anos atrás fazendo a Transmantiqueira a água no Itaguaré estava nas condições que descreveu; ou seja, há água, mas requer cuidado na coleta. Resta saber como estão as bordas desses locais, que como sabemos recebem todo tipo de gente e se modifica ano a ano. Mas realmente é uma rota com escassez de água e por isso merece atenção.
    No mais, ótimo saber que tudo correu bem; aliás, pra vcs já rodados uma rota como Maringuaré jamais seria problema eheheh... Abraço, grato sempre!

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 3 de set de 2019

    Valeu Pri e Fa, abraço

  • Foto de pascoa.patricia

    pascoa.patricia 27 de abr de 2020

    Ajudou muito seu tracklog. Obrigada

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 9 de out de 2020

    Muito grato Pascoa Patricia. Nesses tempos de pandemia estive por um bom tempo no sítio e raramente acessei a internet, já que o sinal por lá é jurássico. Por isso a demora em agradecer. Feliz que tenha ajudado. Abraços

  • Foto de mv_mao

    mv_mao 23 de fev de 2021

    A ideia era fazer a travessia completa, mas uma tempestade no sábado de carnaval noite nos fez descer de volta o Marins (havia mais previsão de chuva para o domingo).

    Mas, até aonde fomos (acampamento base Marins), o log está EXCELENTE. Vamos tentar de novo seguindo o mesmo log em breve (e de preferência sem chuva rsrsrs).

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 1 de mar de 2021

    Ei Mv, obrigado pelo feedback.
    Isto é interessante pq apesar do longo período em que esse track foi gravado (2014), observamos pouquíssima variação. Evidente que o terreno do lugar favorece essa manutenção; e isso é positivo, pois se evita a abertura de eventuais desvios; que sempre colabora negativamente em área tão frágil.
    Bons ventos quando do seu próximo retorno, abraços!

  • Foto de jony_carpinteiro

    jony_carpinteiro 23 de abr de 2021

    A descrição está muito boa. Bem completa e só informações úteis.
    Muito obrigado pelo trabalho. Só agradece.

  • Foto de mv_mao

    mv_mao 12 de mai de 2021

    Eu fiz esta trilha  verificado  Ver mais

    A ideia era fazer a travessia completa, mas uma tempestade no sábado de carnaval noite nos fez descer de volta o Marins (havia mais previsão de chuva para o domingo).

    Mas, até aonde fomos (acampamento base Marins), o log está EXCELENTE. Vamos tentar de novo seguindo o mesmo log em breve (e de preferência sem chuva rsrsrs).


    ATUALIZAÇÃO: Em 02/04/2021, semana Santa, tentamos de novo a travessia. Dessa vez, tempo bom. E pude atestar que o log está ok para todo o percurso Chico!
    Obrigado mais uma vez!

  • Foto de mv_mao

    mv_mao 12 de mai de 2021

    ATUALIZAÇÃO: Em 02/04/2021, semana Santa, tentamos de novo a travessia. Dessa vez, tempo bom. E pude atestar que o log está ok para todo o percurso Chico!
    Obrigado mais uma vez!

  • Foto de jony_carpinteiro

    jony_carpinteiro 13 de mai de 2021

    Olá mv_mao. Como está a trilha em termos de vegetação? eu fui em 2020 e tava bem mais fechada que o "normal"... como está agora? Obrigado

  • Foto de mv_mao

    mv_mao 13 de mai de 2021

    Olá Jony. Está bem definida, pisada. Não está difícil visualizar não.

  • Foto de jony_carpinteiro

    jony_carpinteiro 13 de mai de 2021

    ok obrigado!

  • Foto de fernando Santos (tata)

    fernando Santos (tata) 6 de jun de 2021

    Bon dia, Da pra fazer em 1 dia

  • Foto de Paulokikumoto

    Paulokikumoto 28 de ago de 2021

    Alguem que fez a travessia recentemente pode me responder se a agua da pedra redonda esta boa para beber? Ou se esta seca a fonte? Obrigado!!

  • Foto de aacoelho

    aacoelho 2 de out de 2021

    Eu fiz esta trilha  Ver mais

    Olá Francisco
    utilizei seu tracklog para fazer a travessia Marins-Itaguaré, a descrição que você fez é perfeita. Foi muito útil.
    Essa travessia não dá pra fazer sem gps e um tracklog confiável, ou contratação de um guia experiente.
    Obrigado por compartilhar.

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 3 de out de 2021

    Ei MV MAO,
    Obrigado pelas informações. Que bom que puderam retornar e dessa vez foi sucesso. Eu penso que, travessias como esta o tempo firme faz toda diferença. Tudo torna-se mais proveitoso e os visuais são incríveis.
    Feliz que tenha provado dessa doçura de rota. Um abraço

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 3 de out de 2021

    Jony Carpinteiro,
    E então, foi à rota? Espero que sim... Um abraço

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 3 de out de 2021

    fernando Santos (tata), tudo bem?
    Seu comentário já tem um tempinho (não fui notificado pelo Wikiloc) e espero tenha ido à rota.
    Caso não tenha ido ainda, a resposta é sim. Esta rota pode ser feita em apenas um dia.
    Nesse caso a recomendação é que o praticante tenha boa experiência, comece cedinho e vá leve (o tão famoso modo speed). Fundamental tb organizar boa logística para início e final.
    Bons ventos pra Ti, abraços

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 3 de out de 2021

    Ei Paulokikumoto,
    Acho que os meninos que fizeram recentemente não tiveram essa informação.
    Mas o que posso lhe afirmar com elevado grau de certeza é que, não vá a essa rota confiando nessa fonte de água nas imediações da P. Redonda. Isto porque ela não está rente à rota e não é nítido chegar até ela. Ademais com esse período de estiagem qq resquício de água na região da crista tende a secar.
    Se for ao trecho e seguir até ela nos atualize por aqui.
    Obrigado, abraços

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 3 de out de 2021

    Fala AA Coelho,
    Você tem toda razão. Pode ser bem complicado fazer essa rota sem auxílio de navegação eletrônica. De fato há pontos que podem confundir; ou mesmo fazer com que o praticante gaste tempo procurando. Claro, há pessoas muito experientes que talvez não necessitem, mas são exceções. Na dúvida e na ausência de equipos de navegação, como bem escreveu, busque auxílio a um condutor.
    Fico feliz que a nossa descrição apesar de já antiga ainda consiga auxiliar os praticantes. Isto nos deixa com sensação de dever cumprido. Obrigado pela gentileza.
    Um abraço, bons ventos, sempre!

Você pode ou esta trilha