Horas  4 horas 19 minutos

Coordenadas 561

Uploaded 1 de Maio de 2017

Recorded Abril 2017

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1.309 m
713 m
0
2,9
5,8
11,59 km

Visualizado 2959 vezes, baixado 144 vezes

próximo a Manteigas, Guarda (Portugal)

|
Mostrar original

Hora de início: 04/29/2017 14:01

Hora final: 04/29/2017 18:21

Distância percorrida: 11,6 km (04:19)

Tempo de mudança: 03:24

Velocidade média: 2,68 km / h

Vel. em Mov.: 3.4 km / h

Velocidade máxima: 9,91 km / h

Altura Mínima: 712 m

Altura máxima: 1308 m

Velocidade de subida: 360,8 m / h

Velocidade de descida: -446,1 m / h

Ganho de altitude: 741 m

Perda de altitude: -743 m

Tempo de subida: 02:03

Descida do tempo: 01:40



A rota não tem complicações e é uma rota muito agradável e bem marcada. Apenas no "Pozo del Infierno" tem que ser um pouco pendente para fazer o desvio para continuar a rota. Para começar a rota deixamos de carro no estacionamento de um supermercado perto do conhecido "Hotel Berne".
O interesse e o esforço das administrações locais para incentivar as caminhadas na área é algo invejável. Esta rota permite-nos desfrutar de uma visão geral das Manteigas e um contato muito bom com o vale.
Há muita informação e mapas gratuitos na área. Acabei de copiar o texto de um dos folhetos:

A Rota do Jabalí nos permite vislumbrar a paisagem humanizada com uma vista panorâmica da vila de Manteigas, atravessar o interior de magníficas florestas, subir ao topo do córrego Leandres e sentir a cachoeira do Pozo del Infierno. Percorra o aminoácido feito por Horácio quando ele se lançou em busca de uma vida melhor. Esta personagem, do romance neo-realista de Ferreira e Castro, La Lana e La Nieve, enfrentou uma longa caminhada entre Manteigas e Covilhã à procura de emprego na indústria de tecelagem para comprar a casa dos seus sonhos. Neste trabalho, o autor descreve os locais onde o personagem passou, de uma forma muito fiel à realidade do património natural da cidade de Manteigas, representando a força do personagem em plena Segunda Guerra Mundial, num contraste entre o mundo rural eo proletariado. Durante a rota, os elementos mais surpreendentes da paisagem humanizada são a Casa da Guarda Florestal, a Casa dos Serviços Florestais e o Horto Florestal. A Administração Florestal da Serra da Estrela (Perímetro de Manteigas), criada em 1888, é um dos primeiros perímetros florestais das montanhas, desenvolvendo os Serviços Florestais como um papel fundamental na sua florestação. Tendo em vista a degradação da cobertura vegetal e os problemas de erosão do município de Manteigas, a Câmara Municipal, em sessão de 13 de outubro de 1888, decidiu ceder os demais terrenos vagos para florestamento aos Serviços Florestais. Esta medida encontrou forte resistência por parte dos pastores uma vez que as terras devastadas foram utilizadas principalmente como pastagens, tendo sido necessário, num determinado momento, a intervenção de uma força militar. No que diz respeito às linhas de água, esta estrada destaca o Pozo del Infierno, uma cachoeira natural de dez metros e a Ribeira de Leandres, uma linha de água encravada entre escarpas e vales. Essas linhas de água têm seus leitos escavados devido ao volume de água que transportam e à velocidade que a água atinge pelas encostas íngremes. Estes espaços naturais contribuem para o desenvolvimento da vegetação local que nos leva a contemplar uma bela área florestal que preenche os horizontes com cores, tons suaves de castanho na primavera-inverno, verde com flores brancas no verão, amarelo e laranja misturados Folhagem de outono Devido à altitude em que a área
desta rota você encontrará, a vegetação é característica. Nesta rota estão presentes várias espécies nativas, como castanha, freixo, rebollo, salgueiro e arraclan. Particularmente digno de menção é o rusco, que tem um estado de conservação, abeto de Douglas, bétula e rowan porque são espécies raras em Portugal. O equilíbrio entre as espécies de madeira dura e mole combinada com a presença de linhas de água torna esta área um dos habitats preferidos para muitas espécies animais.
A rota da Rota Jabalí apresenta habitats freqüentados pelo coelho, a raposa, o javali e o ouriço. As aves de rapina, o harrier de Montagu e o francelho são aqueles que habitam as áreas incluídas nessa rota de pedestres. Habitats onde a água é muito abundante permitem a existência de grupos de espécies que dependem dela, como os anfíbios, dos quais se destacam o pernilongo e o sapo verde. Quanto aos répteis, destaca-se a presença da coleira e do lagarto verde-preto. A lontra é também um dos animais que habitam essa área. Sua presença é detectada pelos traços na forma de estrelas e pelo depósito de excrementos perto das margens, em lugares visíveis. Durante a rota é para referir a paisagem causada pelo fenômeno de cascalho - depósitos de fragmentos de rocha grossa, geralmente localizados em encostas de inclinação moderada a forte, gerados por crioclástica (ocorre com a transição da água do estado líquido para sólido).
Entre a solidificação e a fusão há uma mudança no volume ocupado pela água que causa rachaduras nas rochas e pode quebrá-las.

A rota descrita aqui, assim como as trilhas de GPS, são indicativas. É da responsabilidade de quem o executa, tomar as medidas de segurança adequadas ao itinerário, que dependerão das condições meteorológicas, bem como da preparação técnica e física da pessoa que o realiza. É muito claro que tudo o que é indicado (trilha e comentários) é puramente informativo e sem qualquer outro tipo de espírito, isentando o autor de qualquer responsabilidade, diante de qualquer contratempo que pudesse sofrer quem por vontade ou induzido induzisse o caminho.

View more external


Nome: Segmento 1

Hora de início: 04/29/2017 14:01

Hora final: 04/29/2017 18:21

Distância percorrida: 11,6 km (04:19)

Tempo de mudança: 03:24

Velocidade média: 2,68 km / h

Vel. em Mov.: 3.4 km / h

Velocidade máxima: 9,91 km / h

Altura Mínima: 712m

Altura máxima: 1308m

Velocidade de subida: 360,8 m / h

Velocidade de descida: -446,1 m / h

Ganho de altitude: 741m

Perda de altitude: -743m

Tempo de subida: 02:03

Descida do tempo: 01:40

3 comentários

  • Namphar 18/jun/2018

    I have followed this trail  View more

    Bon circuit suivant le tracé "officiel" de la rt2. Ne pas oublier de faire un petit détour pour aller voir la cascade au poco do inferno.

  • Foto de Juan Carlos G. Fraile

    Juan Carlos G. Fraile 14/out/2018

    I have followed this trail  verificado  View more

    Preciosa ruta. Fácil de seguir con el track

  • 0815FGH 6/nov/2018

    I have followed this trail  View more

    Top Trail leichter Anfang steiles Ende, vielleicht mal andersherum gehen.

You can or this trail