Horas  7 horas 35 minutos

Coordenadas 3201

Uploaded 16 de Julho de 2017

Recorded Julho 2017

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1.689 m
1.056 m
0
4,7
9,5
18,9 km

Visualizado 2108 vezes, baixado 145 vezes

próximo a Riacho Fundo, Minas Gerais (Brazil)

Circuito realizado nos arredores do povoado de Lapinha da Serra, passando pelos cumes do Pico do Breu e Pico da Lapinha ou do Cruzeiro. A trilha foi realizada no sentido anti-horário, mas também pode ser feita no sentido inverso sem problemas (no caso do sentido proposto o melhor fica para o final e as partes mais complicadas são vencidas logo cedo).

COMO CHEGAR:
Lapinha da Serra é um povoado pertencente a Santana do Riacho e dista 13km da sede. Em relação a Belo Horizonte, a distância é de aproximadamente 135km. O acesso principal desde a capital é via rodovia MG-010 até a Serra do Cipó. Após cruzar a ponte sobre o rio Cipó, é preciso entrar à esquerda na primeira rotatória, sentido Santana do Riacho. Os 13km finais é por estrada de terra em condições medianas, normalmente com muitas costelas de vaca. O traçado possui fortes aclives e declives, além de ser sinuosos e estreito em alguns pontos. É preciso ter atenção.

De ônibus, a empresa Saritur faz o trecho BH x Santana do Riacho com ônibus diários. Para o deslocamento até o povoado é preciso contratar algum serviço, conseguir alguma carona ou ir a pé, já que não há transporte regular para a região.

A TRILHA:
Saindo da parte central do povoado, onde estão as capelinhas, deve-se tomar o sentido para as cachoeiras locais. A primeira parte do trajeto é o mesmo da tradicional travessia Lapinha x Tabuleiro. Segue-se, a princípio, margeando a Lagoa da Lapinha em terreno praticamente plano. Após a segunda porteira é preciso tomar à esquerda e começar a subir a serra. A subida é bem puxada em algumas partes, com verdadeiros degraus, e estende-se por cerca de 2km. Do alto se tem uma bela visão da lagoa, do córrego Mata-Capim e suas curvas, além do Pico da Lapinha/Cruzeiro.

Após a virada da serra, começa um curto trecho de descida por campos rupestres, rapidamente chegamos aos campos de altitude e às nascentes dos afluentes do Mata-Capim, que formam a Cachoeira do Lajeado. Segue-se pela trilha tradicional até próximo à mata ciliar que envolve o córrego da Cachoeira do Lajeado. Próximo ao muro de pedras é preciso tomar o rumo norte para o primeiro desafio do dia: uma subida íngreme e sem trilha definida. O desnível é de cerca de 150 metros até o relevo estabilizar.

Quando a subida ameniza, contorna-se o cume deste morro pela direita. de forma que é possível avistar uma trilha suja adiante. O trilho segue entre campos rupestres e de altitude até cruzar uma drenagem, com pouca água. Neste ponto é preciso ignorar a continuação da trilha suja e seguir descendo o terreno, em direção ao fundo do vale. Este é um ponto um pouco complicado da rota, de toda forma é preciso cruzar este afluente do Mata-Capim e continuar do outro lado. Como se não bastante a ausência de trilhas, próximo a mata ciliar que envolve o córrego há uma nascente e um capim bem verde que forra o chão, de forma que não é possível ver se tem buraco ou se é terra firme. A drenagem, embora estreita é funda em relação ao solo, assim também não é possível cruzar o córrego em qualquer ponto.

Cruzado o córrego, as coisas facilitam. Segue-se sentido norte-nordeste pelos afloramentos rochosos até um ponto em que é preciso "escalaminhar" um paredão à direita. Após a parede basta seguir no sentido norte-noroeste pelos afloramentos rochosos, o que facilita a andada.

O Pico do Breu vai se aproximando e alguns rastros de trilha vão aparecendo, já que este trecho é feito pelos montanhistas que optam pela travessia Lapinha x Tabuleiro via Breu. Depois de cruzar uma drenagem, sem água corrente, é possível observar uma estaca com a ponta pintada de azul e os restos de uma antiga cerca. Contorna-se o Pico do Breu pela esquerda até encontrar o ponto por onde é feita a subida.

A subida do Pico do Breu é bastante exposta, com alguns trechos íngremes e outros estreitos. A trilha não é batida e possui muitas erradas, então é preciso ter uma boa leitura do terreno. Se está ficando difícil/perigoso demais, é porque o caminho está errado. Vencida a parede, basta caminhar em um terreno de pouca inclinação até a parte mais alta do cume.

Segundo IBGE, o Pico do Breu possui 1.687m de elevação, leitura não confirmada. Do alto é possível ter uma boa visão do vale do Rio Parauninha, das cabeceiras do Rio das Pedras, dos outros picos da região, etc.

Após o ataque ao Breu, segue-se em direção ao Pico da Lapinha, deste ponto em diante há trilha definida e boa sinalização (estacas azuis). O terreno é o mesmo, ora campos rupestres, ora campos de altitude, com algumas drenagens e nascentes pelo caminho.

Com as melhorias na trilha entre o povoado e os picos, o ataque ao Pico da Lapinha é feito por uma trilha ladeia todo o pico e sobe pela face sul. No trecho final, o caminho é indicado por estacas vermelhas. Na minha opinião essa subida é muito mais exposta que a trilha "original", já que a escalaminhada que antecede a chegada ao topo é muito vertical e exposta.

Segundo dados coletados pelo GPS, o Pico da Lapinha possui 1.585m de elevação. Do alto se tem uma bela visão da região, em todas as direções. A descida do pico foi feita pela face norte, um caminho bem inclinado e com muito cascalho, mas sem escalaminhadas. Ignorei as trilhas que seguem à esquerda, que era o caminho antigo, mas que estão fechadas para proteção da nascente de um afluente do Córrego da Lapinha.

Depois de dar a volta na nascente, chega-se ao rancho, uma espécie de abrigo de montanha que foi reformado após as melhorias na trilha. A primeira parte da descida em direção ao povoado é tranquila, com pequena inclinação. Quando a trilha dá uma guinada para o sul o declive vai ficando mais puxado, com alguns trechos em degraus, onde não se sabe se é trilha ou drenagem. Próximo a Cachoeira do Paraíso a trilha estabiliza e, logo após cruzar o córrego, torna a ficar bem íngreme.

Optei por descer acompanhando os canos, assim é possível chegar a uma cachoeira com pequeno poço e avistar o início da trilha para a Cachoeira do Rapel. A descida é bem puxada em alguns pontos, com degraus altos, onde é preciso sentar para conseguir descer sem pular. Próximo a "portaria" a declive vai estabilizando gradualmente.

Como cheguei à portaria depois das 17h, não havia ninguém por lá. Ninguém para uma possível cobrança também. Depois de passar pela portaria reencontrei o caminho por onde havia passado pela manhã e finalizei a rota.

CONSIDERAÇÕES:
> Caminhada de nível moderado para experientes. Para iniciantes pode ser uma jornada difícil a muito difícil, principalmente pelo trecho sem trilha definida, pelas escalaminhadas e distância a ser percorrida;

> Recomendo fazer no sentido anti-horário, como o proposto, desta forma a parte mais difícil é vencida no começo. Como os picos costumam amanhecer encobertos, também é uma oportunidade pro tempo abrir até chegar lá. Há mais disponibilidade de água no trecho final da rota, desta forma não é preciso carregar muita água. Por fim, ainda é possível encerrar a caminhada com um banho na Cachoeira do Rapel ou na sua "vizinha".

> Ideal que o montanhista tenha uma boa leitura de terreno, principalmente na subida do muro de pedras, na travessia do afluente do Mata-Capim e no ataque ao Pico do Breu;

> O ataque ao Pico do Breu começa vencendo o paredão da sua face oeste. Não há uma trilha clara para orientar aqueles que estão subindo pela primeira vez, então leve em consideração o seguinte: se está ficando muito perigoso ou inclinado, você está no caminho errado;

> O ataque ao Pico da Lapinha pela face sul tem em seu trecho final uma subida MUITO exposta, creio ser um erro dos que colocaram a sinalização indicar a subida por este lado, já que a trilha pela face norte é mais tranquila. Recomendo a subida pela face norte, mas se quiser emoção vai na parte sul mesmo, que conta com uma bela visão da represa;

> Atente-se para o horário, embora o trecho final seja batido, não é fácil encarar os degraus da descida noite adentro. Por via das dúvidas, leve lanterna.

> Pouca disponibilidade de água pela rota, principalmente nos trechos mais elevados. Água com maior abundância no trecho entre o Pico da Lapinha e o povoado.

> Não há sinal de celular pela rota, pelo menos da TIM. Testei o aparelho nos picos.
Direita para Lajeado
WAYPOINT 27
WAYPOINT 28
WAYPOINT 29
WAYPOINT 30
Santana do Riacho-MG

8 comentários

  • Foto de Leonardo Bispo

    Leonardo Bispo 7/ago/2017

    Bom dia Hélio, tudo bem?
    Já fiz algumas trilhas que você postou e sempre ótimas e perfeitas.
    Parabéns pelas fotos, estão lindas...

    Pretendo fazer essa trilha nesse fds... Devo acampar lá e sair bem cedo pra caminhar.
    Alguma sugestão ou observação?

  • Foto de Hélio Jr

    Hélio Jr 9/ago/2017

    Tudo certo, Leonardo!
    Quando tá tudo bem detalhado fica até mais fácil na hora de ir a campo. rs

    Cara, é mais ou menos tudo que coloquei aí na descrição, acho que não faltou nada. Se tiver faltando, depois vc passa seu feedback, que sempre é bom!

    Se você fizer no sentido anti-horário, não se prenda ao tracklog na hora de subir a serra (ponto em que vc deixa de seguir pela trilha Lapinha x Tabuleiro). Vá lendo o terrendo e escolhendo os melhores pontos de passagem. Quando a subida der uma estabilizada vc pode dar uma conferida no caminho, porque tem uma trilha suja por ali e é melhor caminhar por ela do que ir varando mata do começo ao fim rs. Boa caminhada!

  • Foto de Leonardo Bispo

    Leonardo Bispo 14/ago/2017

    I have followed this trail  View more

    Trilha perfeita em relação ao caminho....
    FIz no sentido anti-horário conforme sugerido, achei melhor também.
    A parte complicada da trilha é o inicio da subida até o pico du Breu, já que praticamente não existe trilha, após chegar ao pico du Breu até o fim a trilha já é bem demarcada. Fiz essa trilha dia 12/08/2017, e estava tudo muito seco, pouquissima água pelo caminho. Eu levei apenas um litro e só reabasteci no ponto de apoio que é bem no final da trilha.

  • Foto de Hélio Jr

    Hélio Jr 14/ago/2017

    Leonardo Bispo,
    obrigado pelo feedback! Espero que o tempo tenha contribuído com sua caminhada! Realmente a disponibilidade de água na rota é pequena, por isso é até melhor fazer no sentido proposto. Fazendo no sentido horário o caminhante só terá água nos momentos iniciais, onde geralmente as garrafas estarão cheias. Abraço!

  • Foto de moialc12102

    moialc12102 19/out/2017

    Hélio Tudo Bem ? Sabe se é possível e permitido acampar no pico da lapinha? /outdoor-trails/lapinha-da-serra-circuito-pico-do-breu-e-da-lapinha-18676190#wp-18676212

  • Foto de Hélio Jr

    Hélio Jr 19/out/2017

    moialc12102, não sei te informar, não vi nenhuma informação sobre. de qualquer forma, é uma área bem rochosa, ruim para acampar. o melhor seria acampar na base, num campo à leste-nordeste do pico /outdoor-trails/lapinha-da-serra-circuito-pico-do-breu-e-da-lapinha-18676190#wp-18676212

  • Foto de moialc12102

    moialc12102 20/out/2017

    Ok. Obrigado. /outdoor-trails/lapinha-da-serra-circuito-pico-do-breu-e-da-lapinha-18676190#wp-18676212

  • Foto de Sirlene Alves

    Sirlene Alves 21/jan/2019

    I have followed this trail  verificado  View more

    Fizemos o ataque ao pico seguindo a trilha no sentido horário, ou seja a segunda metade foi em terreno difícil, apenas com a água que levamos e sol da tarde. Vale muito a pena conhecer o local. Mas para quem preferir facilitar um pouco siga o Helio Jr, faça no sentido antehorário. Fizemos em 20/01/2019 estavam cobrando R$25 por pessoa para entrar na área de acesso ao pico.

You can or this trail