Horas  9 horas 24 minutos

Coordenadas 2286

Uploaded 24 de Agosto de 2019

Recorded Agosto 2019

-
-
2.668 m
1.107 m
0
4,7
9,5
18,94 km

Visualizado 54 vezes, baixado 4 vezes

próximo a Tor, Catalunya (España)

FOTOS DESTA E DE OUTRAS TRILHAS EM ”CAMINHANTES"

LA PORTA DEL CEL EM 4 ETAPAS

La Porta del Cel é um trekking com nome evocativo que une quatro refúgios de montanha dos Pireneus Espanhóis e Franceses e que nos leva para perto do céu quando subimos ao pico mais alto da Catalunha, La Pica d'Estats (3143m). Também a cor que vemos nos lagos é o reflexo do mesmo céu, que os tinge com diferentes tons de azul… desde o impressionante lago de Certascan, que é o maior lago natural dos Pirenéus, aos lagos Blau, Romedo, Sotllo, Baborte e muitos outros, numa paisagem de sonho, que nos leva a caminhar pelas duas encostas dos Pirinéus: a da Catalunha (Parque Natural L`Alt Pirineu) e a do Ariège (Parque Natural Régional Pyrénées Ariégeoises).

Uma das suas caraterísticas é o comprimento, 65 kms, e a dureza das etapas, com declives íngremes, a diferença acumulada é de 11.000 metros, se se optar por não subir ao Pico de Certascan e Pica d`Estats, pode-se encurtar algumas etapas e reduzir significativamente o acumulado.

O clima é muito severo, com a ausência de caminhos muito pisados, rocha, neve e gelo, a dificuldade de algumas zonas e colinas, etc. E também, quase todo o percurso ocorre em alta altitude. Dependendo do ano, podemos encontrar neve até meados de julho em algumas colinas, sendo aconselhável ou essencial nestes casos usar crampons e piolet (se não tiverem, podem alugar em Graus). Realizamos o circuito em agosto pelo que não necessitamos de equipamento técnico, no entanto alerta-se que todas as etapas decorrem em alta montanha e isso implica que as condições meteorológicas e do terreno podem mudar radicalmente de uma forma súbita, sendo aconselhável e de acordo com a época e as previsões meteorológicas, levar material técnico como: crampons, piolet, capacete, bastões, cordas, botas montanha, roupas quentes, impermeáveis, etc...

O circuito está relativamente bem marcado, exceto o troço do lado francês até ao refugio Pinet, o ONF do Ariège (departamento florestal francês) não permite sinalizar a rota entre o lago Montestaure e o refúgio Pinet. É por isso que é aconselhável o uso de GPS e com neblina torna-se essencial, no entanto recomenda-se alguma atenção pois existem várias interseções, sendo o uso do GPS recomendado (se não tiver, pode alugá-lo em Graus).
Os refúgios estão abertos pelo menos de 15 de junho a 15 de setembro, entre 7 e 20 horas, podendo-se dormir, comer ou beber. Central de reservas refúgios catalãs https://www.feec.cat/refugis/ e refúgios franceses https://www.ffcam.fr/reserver-votre-refuge-en-ligne.html


Guia oficial da Editorial Alpina fonte https://www.editorialalpina.com

O circuito está delineado para ser realizado em 5 etapas, mas como a primeira etapa é muito curta, são só 4 kms de Tavascan ao Camping de Graus, optamos por fazer o circuito em 4 etapas. Além de que, como viajamos do Porto, chegamos tarde a Tavascan, pelo que pernoitamos no Hotel Llacs de Cardós e iniciamos o circuito às 8 horas do dia seguinte. No último dia também reservamos a pernoita no hotel em Tavascan e assim fizemos a viagem de regresso ao Porto no dia seguinte mais descansados.


4ª ETAPA
REFUGIO DE VALLFERRERA - TAVASCAN


Esta é a etapa mais longa do circuito, embora não seja a mais difícil, já que o caminho é mais fácil do que em etapas anteriores, mas convém não esquecer que a parte final é uma longa descida até Tavascan. O percurso passa pelos belos lagos de Baborte, sobe a Roca Cigalera (2667 metros) e segue pela crista para flanquear mais tarde as planícies de Boldís e chegar à GR 11 que acompanhamos até ao final.

Saímos cedo do Refugio de Vallferrera (1940m), descemos e tomamos a estrada florestal, cruzamos o rio e a ravina de Areste pela ponte de madeira. Encontramos vários cruzamentos, seguimos sempre pela direita, passamos pelo estacionamento La Molinassa e cruzamos o Rio Noguera de Vallferrera pela Ponte de La Molinassa. Agora seguimos por um caminho agradável através de uma densa floresta que é inicialmente plano e, em seguida, começa uma leve e suave subida onde ganhamos altura para a Cabana de Bacello (1971m).

Desde a Cabana de Bacello subimos em ziguezague até a floresta desaparecer. A poucos metros desta cabana, encontramos um sinal indicador para a Pica d'Estats, mas continuamos em frente em direção a uma colina (2357m) que já podemos ver ao fundo. Rapidamente alcançamos a colina e logo vemos o Estany de Baborte, com o refugio sem guarda ao fundo. Contornamos o lago até chegarmos ao Refugio de Barbote (2392m). Este refugio sem guarda está em muito bom estado e tem capacidade para cerca de 9 pessoas a dormir confortavelmente.

O trilho continua por um pequeno “ibón” que cruzamos à esquerda, seguindo para Oeste, subimos a outra pequena colina, o Coll de Seliente (2488m) e daqui começamos a descer até alcançar um poste sinalizador, aqui devemos estar atentos, porque embora o caminho óbvio seja em frente, temos de virar à esquerda em direção a um pequeno vale. Atravessamos uma zona de pedreira, marcada com várias mariolas que seguimos. Ao chegar à base da colina, é necessário ir inicialmente pelo lado esquerda, para depois seguir pela pedreira do lado direito. Em alternativa seguir a direito pela zona de vegetação rasteira, mas que poderá ser escorregaria devido à forte inclinação. Chegado ao cimo, estamos no Coll de La Llaguna (2596m), magnificas panorâmicas!


Panorâmica desde Roca Cigalera (2668m)

Agora o trilho gira à direita, em direção ao noroeste, e seguindo pela crista em suave subida chegamos a Roca Cigalera (2668m), de onde podemos desfrutar de uma vista panorâmica de toda a travessia, com muito boas vistas da Pica de Estats, e de todo o território dos pireneus catalães e de muitos dos aragoneses, incluindo o pico de Aneto e todo o maciço das Maladetas. Depois de várias fotos para marcar o momento, descemos para Oeste, através de prados com um declive suave e alcançamos Coll de Boldis (2455m) onde aproveitamos para fazer a pausa de almoço. A partir daqui, continuamos no meio de um belo vale até às planícies da Cabaña de la Ribera (2199m).

O trilho segue junto à Ribera de Boldis, para depois entrar na zona florestal de Obaga de Castellassos. Começamos a descer com grandes ziguezagues pela montanha, que se torna muito longa, uma vez que há secções nas quais não perdemos declive. Continuamos a descida e, em alguns momentos, começamos a ver o Pueblo de Tavascan no fundo da encosta, mas ainda temos cerca de 900 metros de desnível. O caminho é muito bonito, mas a descida é longa porque temos que ir quase 3 quilómetros particamente em plano, dando até a sensação que nos afastamos de Tavascán. Finalmente, intersetamos a GR11, o caminho gira à direita, quase todo a norte, e daqui já descemos diretamente para Tavascán em aproximadamente 35 minutos.

Entramos em Tavascan pela ponte sobre o Rio de Lladorre, tendo à nossa direita o parque de estacionamento onde deixamos o nosso carro. Terminamos assim este magnifico circuito com umas “cañas” no bar do Hotel de Llacs de Cardós onde vamos pernoitar, para no dia seguinte regressar ao Porto mais relaxados.


FICHA TÉCNICA DA ETAPA
Dia 14 de agosto 2019
Percurso: Refugio Vallferrera (1940m) - Cabaña de Bacello (1971m) - Refugio Barbote (2392m) - Coll de Seliente (2488m) - Coll de La Llaguna (2596m) - Roca Cigalera (2668m) - Coll de Boldis (2455m) - Cabaña de La Ribera (2199m) - Tavascan (1116m)
Distancia: 19,0 km
Duração: 9h24min
Tempo em movimento: 6h01min
Tempo parado: 3h23min
Movimento médio: 3,15kms/h
Acumulado positivo: 1273m
Acumulado negativo: 2071m
Alojamento: Hotel Llacs de Cardós


TRILHA DAS ETAPAS
1ª ETAPA: TAVASCAN - REFUGIO DE CERTASCAN
2ª ETAPA: REFUGIO DE CERTASCAN - REFUGIO PINET
3ª ETAPA: REFUGIO PINET - REFUGIO VALFERRERA
4ª ETAPA: REFUGIO VALLFERRERA - TAVASCAN

TRILHA COMPLETA
LA PORTA DEL CEL EN 4 ETAPAS





Se gosta das nossas trilhas adicione a sua avaliação no final da página.
Obrigado pelo seu comentário e avaliação.

Si te gusta nuestras rutas haz tu propia valoración al final de la página.
Gracias por tu comentario y valoración.

If you like our trails, leave your own review at the end of the page.
Thank you for your comment and review.

A equipa Caminhantes

Comentários

    You can or this trail