Horas  3 horas 13 minutos

Coordenadas 961

Uploaded 7 de Abril de 2019

Recorded Abril 2019

-
-
472 m
132 m
0
2,8
5,5
11,01 km

Visualizado 102 vezes, baixado 1 vezes

próximo a Regilde, Porto (Portugal)

- Trilho circular de reconhecimento para um percurso a realizar em Vizela;
- Este percurso foi desenvolvido de forma a permitir a passagem pela igreja de S. Salvador de Tagilde, o Santuário de S. Bento das Peras e margens do rio Vizela;
- Coincide, em diversos pontos, com o PR2 - Trilho do S. Bento;
- Por se tratar de um reconhecimento, contêm várias situações de indecisão assim como, na parte final, junto ao rio Vizela, optou-se por não se seguir pelo PR1 - Margens do Rio Vizela, até ao Parque das Termas, lugar já conhecido mas que, futuramente, também constará do traçado final.

__________________________________________________________________________________________

PR2 - TRILHO DE S. BENTO
Este percurso tem início na Zona Ribeirinha, junto ao Campo Municipal de MiniGolfe – Fonseca e Castro, na união de freguesias S. João S. Miguel, concelho de Vizela. É um itinerário montanhoso, cheio de património religioso, cultural e natural, repleto de paisagens sobre a cidade de Vizela. Reflecte a elevada biodiversidade de fauna e flora, onde é possível observar e ouvir, uma elevada diversidade de espécies.
O Parque das Termas é considerado o “pulmão” da cidade de Vizela, sendo um amplo e magnífico espaço natural. O Parque foi construído entre 1885 e 1886, tendo sido delineado e plantado pelo floricultor e horticultor José Marques Loureiro, custando na altura 4500$000 réis. Neste espaço, encontra-se uma vasta vegetação, sendo algumas das árvores, existentes, centenárias. O primeiro ponto de passagem será pela artéria principal da cidade, nomeadamente a Rua Dr. Abílio Torres. Nesta rua poderão ser admiradas casas com belas fachadas que demonstram a dinamização económica, que Vizela outrora possuía. Depois o percurso passa pela Praça da República, onde se poderá admirar um pequeno fontanário, mais conhecido por “Bica – Quente”. É no sub-solo desta praça, que nasce a água sulfurosa que cai na “Bica – Quente”. Uma curiosidade sobre este fontanário, é que segundo a lenda, quem meter o dedo nesta fonte, ficará, para sempre, prisioneiro de Vizela. Após percorrer alguns metros dentro da cidade, o percurso tornar-se mais montanhoso, percorrendo um trilho até ao Santuário de S. Bento que era usado antigamente pelos mais crentes e religiosos. No cimo do monte, a uma altitude de 454 metros, através do seu miradouro observa-se um dos mais belos panoramas de todo o concelho de Vizela. Temos ainda, a capela antiga data do século XVl e a mais recente foi aberta ao culto em Outubro de 1970. Além destas duas capelas, poder-se-á ainda admirar uma Cista Romana. Característica única deste local, são também os penedos pintados de branco que se apresentam por toda a encosta do monte, que significam o agradecimento dos devotos por graças concedidas. Depois da visita ao Santuário, o regresso é feito por outro trilho muito pouco movimentado, tornando o percurso circular.

Ficha Técnica
Localização do Percurso: Concelho de Vizela
Tipo de Percurso: Pequena Rota
Carta Militar: n.º 99 e 85
Âmbito do Percurso: Paisagístico, ambiental, turístico e religioso
Distância Percorrida: 12,2 Km
Duração do Percurso: 4h
Grau de Dificuldade: Médio/Difícil
Cota Máxima Atingida: 454 mts

VIZELA
Vizela é uma cidade portuguesa no distrito de Braga, na região Norte de Portugal. O concelho foi criado em 24 de Maio de 1361, vindo a ser extinto em 3 de Fevereiro de 1408. Teve então a designação de Riba Vizela. Na região predomina a indústria têxtil, vestuário e calçado e possui um desenvolvido comércio. As empresas estão ligadas ao ramo têxtil, vestuário e calçado, cuja produção está direccionada, quase exclusivamente, para o mercado externo. Vizela está também associada à prática do termalismo, tendo sido este um legado deixado pelos povos romanos. Aproveitando a qualidade terapêutica das águas, indicadas para doenças respiratórias, doenças de pele e reumatismos, o actual balneário termal foi construído em 1870. Para além da vertente termal, o concelho oferece outras atracções ao visitante, desde vários monumentos interessantes a belas paisagens e à possibilidade de praticar diversas actividades de lazer, como o remo, o ténis ou a pesca.
O rio Vizela é um rio português que nasce na Alto de Morgaír, na antiga freguesia de Gontim, concelho de Fafe, e é afluente do rio Ave. No seu percurso, na direção nordeste-sudoeste, banha sucessivamente os concelhos de Fafe, Felgueiras, Guimarães, Vizela e Santo Tirso. É neste rio que se encontra a barragem de Queimadela. A foz do Vizela, com margens entre as freguesias de Vila das Aves e Rebordões, converge na margem esquerda do rio Ave no concelho de Santo Tirso. Como nota importante na geografia deste rio, refira-se a curiosidade natural que se encontra logo a seguir à barragem de Queimadela: é ali que se encontram as Olas (ô). Por capricho da natureza, ali e no percurso de mais de cem metros, o rio desaparece debaixo de penedos enormes, para surgir logo adiante, rugindo de forma ameaçadora.
TRATADO DE ALIANÇA ANGLO-PORTUGUESA - S. Salvador de Tagilde, freguesia integrada no município de Vizela em 1998, distrito e diocese de Braga, dista cerca de 14 km da cidade. Foi nesta freguesia que, no séc. XIV se assinou o primeiro tratado de Aliança anglo-portuguesa entre o rei D. Fernando e o duque de Lencastre. Um obelisco junto da Igreja recorda a efeméride. Aparece como paróquia nas inquirições de 1258. Esta antiga freguesia foi abadia da apresentação do ordinário. O seu orago é São Salvador.
O Santuário de São Bento das Pêras, localizado no cimo do monte com a mesma designação, a 410 metros de altitude, é local de peregrinação de milhares de crentes. A festa religiosa em honra deste padroeiro de Vizela acontece a 11 de julho, com a realização da procissão e celebração da missa campal. É um agradável espaço de convívio popular. Há quem ainda procure o local para simplesmente desfrutar das magníficas vistas panorâmicas para o vale do rio Vizela.
Trata-se duma ponte singela, bonita, secular, de origem e estilo românico, com três arcos, estreita e único elo de ligação a unir as margens de Tagilde e Santo Adrião do concelho de Vizela. Interdita a veículos pesados, não deixa um carro passar pelo outro. Quem chegar primeiro entra no tabuleiro. O outro tem de esperar. Em baixo corre o rio Vizela... num dos trechos mais bonitos do seu percurso.

Comentários

    You can or this trail