Horas  7 horas 50 minutos

Coordenadas 2203

Uploaded 31 de Agosto de 2019

Recorded Agosto 2019

-
-
1.046 m
559 m
0
4,1
8,3
16,51 km

Visualizado 37 vezes, baixado 4 vezes

próximo a Sela, Vila Real (Portugal)

- Trilho circular, sem marcações, com início e fim na aldeia de Cela;
- Este trilho desenvolve-se por caminhos de pé posto, estradões florestais e alguma estrada alcatroada, no maciço oriental do Parque Nacional da Peneda Gerês:
- Optou-se por começar o trilho em Cela pois era intenção de, no regresso, passar pela Cascata de Cela Cavalos;
- Este trilho não corresponde a nenhum trilho oficial do PNPG e foi desenhado de forma a subir até às lagoas e cascata do Poço do ribeiro Dola, ribeiro das Biduiças, prado e Curral das Biduiças, descendo depois pelo vale e ribeiro da Abelheira, passando pela conduta de água da albufeira da paradela para a albufeira de Salamonde e vale do rio Cávado, até à cascata de Cela Cavalos, para depois voltar a subir até à capela de Sta. Luzia e aldeia de Cela;
- Algumas partes deste trilho (essencialmente na ligação de Cela à cascata de Cela Cavalos) coincidem com a GR Peneda-Gerês, que ainda não foi inaugurado;
- Todo o troço entre a N308, até ao Poço Dola e regresso pelo Curral das Biduiças e vale e ribeiro da Abelheira é belíssimo, com o Gerês selvagem no seu esplendor. A segunda parte é bastante mais desinteressante, pois decorre por estrada asfaltada e estadão florestal, embora o vale do rio Cávado contribua para tornar este troço mais aprazível. Ressalva para a cascata Cela Cavalos, pequeno oásis encaixado na ribeira das Cavadas (que nasce da ribeira da Abelheira), com as suas lagoas a convidarem a um retemperante mergulho;
- Trilho muito bonito, com a beleza selvagem do Gerês por companhia. No entanto, com características difíceis do ponto de vista físico, pois é bastante exigente, quer pelos declives que se têm que transpor, quer pela exigência técnica dos vários caminhos de pé posto que percorre, nomeadamente na ligação entre as lagoas do ribeiro Dola e o Curral das Biduiças, ao longo do ribeiro das Biduiças. Nesta altura do ano, o caudal era reduzido pelo que se optou por seguir pelo leito pedregoso do ribeiro. Mas tal decisão implicou atenção redobrada para evitar acidentes que, neste local, seriam do mínimo muito complicados de resolver.

AVISO: vários troços deste trilho, sobretudo a primeira parte, até às lagoas e cascata da ribeira Dola, apenas devem ser realizados com tempo seco, pois as características do terreno tornam-nos extremamente perigosos se este estiver molhado. Outro fator a ter em conta é a forte exposição solar que, em dias muito quentes, será um fator determinante para a conclusão com êxito deste lindíssimo trilho.

__________________________________________________________________________________________

PARQUE NACIONAL DA PENEDA GERÊS
O Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG) abrange território de 22 freguesias distribuídas pelos concelhos de Arcos de Valdevez, Melgaço, Montalegre, Ponte da Barca e Terras de Bouro. Esta Área Protegida forma um conjunto com o parque natural espanhol da Baixa Limia - serra do Xurés, constituindo com este, desde 1997, o Parque Transfronteiriço Gerês-Xurés e a Reserva da Biosfera com o mesmo nome. O PNPG fica no norte de Portugal, perto da fronteira espanhola. As suas colinas acidentadas albergam veados, lobos e águias-reais. Os trilhos incluem uma estrada romana repleta de marcos. A estância termal do Gerês, do século VII, fica nas proximidades. Lindoso é uma freguesia tradicional com um castelo medieval e espigueiros em pedra. A norte, o Santuário de Nossa Senhora da Peneda, do século XIX, fica no topo de uma enorme escadaria. O PNPG é constituído por quatro serras principais: Serra da Peneda, Serra do Soajo, Serra Amarela e Serra do Gerês. Os pontos de maior altitude localizam-se na Serra do Gerês e são: o Pico da Nevosa (1545 m) e o Altar dos Cabrões (1538 m) localizados junto à separação entre o território português e o espanhol. Nesta mesma zona localizam-se as abandonadas Minas de Carris (1440 m), onde no auge da década de 50 se exploraram Importantes filões de volfrâmio. A Mata de Albergaria, junto à fronteira da Portela do Homem, representa o coração da Serra do Gerês e um ex-libris natural da região e do país. As origens da constituição do Parque Nacional Peneda Gerês remontam ao ano de 1971 quando o Decreto-Lei 187/71, de 8 de maio, determinou a constituição oficial do único parque com estatuto de parque nacional em Portugal: o Parque Nacional Peneda Gerês (PNPG). A constituição do Parque Nacional da Peneda Gerês teve como objetivo a criação de um sistema de planeamento capaz de valorizar as atividades humanas, salvaguardando a conservação dos solos, águas, a flora e a fauna, assim como a preservação da paisagem nessa vasta região montanhosa do Noroeste português bem como o planeamento científico a longo prazo.
A opção de subir o ribeiro das Biduiças para chegar mais rápido ao Curral das Biduiças fez-se em função do reduzido caudal que o ribeiro apresentava. No entanto, este troço foi muito técnico e perigoso, pois o risco de queda é constante e nem sempre é possível seguir no leito do ribeiro, obrigando a constantes desvios pelas margens, onde a vegetação densa não facilita a progressão. Além disso, as ervas rasteiras escondem buracos e outras depressões que são autênticas armadilhas para os pés. É desafiante mas requer perícia, calma e muita atenção.

Comentários

    You can or this trail