Hora  3 horas 49 minutos

Coordenadas 3339

Enviada em 27 de Março de 2021

Registrada em Fevereiro 2021

  • Avaliação

     
  • Informações

     
  • Fácil de fazer

     
  • Paisagem

     
-
-
148 m
46 m
0
3,4
6,8
13,53 km

Visualizado 401 vezes, baixado 10 vezes

perto de Valongo, Porto (Portugal)

VÊ AS NOSSAS FOTOS PARA INSPIRAR A TUA PRÓXIMA AVENTURA
Never Stop Exploring
Caminhantes, trails to inspire your next adventure



PARQUE DAS SERRAS DO PORTO

O Parque das Serras do Porto, com perto de 6.000 hectares, é composto por seis serras: Santa Justa, Pias, Castiçal, Santa Iria, Flores e Banjas, abrangendo território dos municípios de Gondomar, Paredes e Valongo. Esta área, classificada desde 2017, como Paisagem Protegida Regional, integra o Sítio Rede Natura “Valongo” e o Parque Paleozóico de Valongo. Aqui, os visitantes podem desfrutar da imensa beleza cultural e paisagística de serras, vales e rios, salientando-se a singularidade geológica, que nos leva a uma interessante viagem pela Era Paleozoica.

Os vales dos rios Ferreira e Sousa convidam a um certo isolamento em estreito contacto com a natureza, enquanto o efeito miradouro das linhas de cumeada proporciona uma excelente perspetiva do território envolvente. Atualmente, o Parque das Serras do Porto tem três centros de receção ao visitante com informação útil sobre o Parque (Visitar Página oficial).



TRILHOS DAS SERRAS DO PORTO

O Parque está, desde setembro de 2020, a criar uma Rede de Percursos Pedestres que irá ligar os vários trilhos e sinalizar o seu património biológico, geológico, arqueológico, imaterial e construído. São quase 260 km de trilhos para calcorrear por terras de Gondomar, Paredes e Valongo. A rede será composta por uma grande rota, que deverá totalizar 57km ao longo dos três concelhos, e 19 percursos distintos, com pequenas rotas em cada território que deverá estar finalizada na Primavera de 2021. O projeto prevê a instalação de mobiliário, sinalética e uma página web para ajudar quem fizer os percursos, fornecendo informação sobre o território e os pontos de interesse. Enquanto aguardamos a conclusão do projeto começamos a percorrer os trilhos previstos, naquilo que podemos chamar de uma versão de reconhecimento, para inspirar a tua próxima aventura pelo Parque das Serras do Porto…


DESCRIÇÃO DO TRILHO REALIZADO
PR - CORREDOR ECOLÓGICO



O trilho tem inicio e fim no Parque da Juventude, em Valongo, e trata-se essencialmente um percurso pedonal que liga o referido parque, localizado junto ao nó de acesso à autoestrada A4, com a aldeia de Couce, localizada no sopé da Serra de Santa Justa, e daqui com a Serra de Pias. Ao longo do percurso os vales do rio Simão e Ferreira convidam a um certo isolamento, permitindo a valorização dos espaços agrícolas e florestais, reforçando o seu valor ecológico e paisagístico e promovendo o contacto com diferentes aspetos naturais, designadamente geológicos, faunísticos e florísticos, bem como o contacto com um aglomerado de origens remotas como o de Couce. Povoado composto essencialmente por casas em xisto onde se mantem vivas as tradições como a agricultura, a pastorícia e a apicultura. Aconselha-se o uso de GPS, os referidos trilhos estão em fase de implementação e não encontramos sinalética suficiente e inequívoca do trilho que seguíamos, podendo levar a erros de orientação no terreno.

Iniciamos o percurso no Parque da Juventude, em Valongo, onde temos um amplo estacionamento. Seguimos para sudeste, este troço inicial de aproximadamente 2 quilómetros é feito em meio urbano, acompanhando a Ribeira Simão, uma área ecológica fundamental dentro da cidade. Este percurso, além de ligar dois espaços verdes com um importante carácter social (Parque da Juventude e o Parque da Cidade), enquadra também um importante legado histórico-cultural (Eixo Antigo de Valongo).



Atravessamos o Largo do Centenário, onde o caminhante pode visitar a Oficina da Regueifa e do Biscoito. É um espaço dedicado à promoção do património cultural através da recolha, preservação e exibição de objetos e memórias ligadas à panificação como atividade secular do concelho. Este edifício tem como foco homenagear a alma valonguense e evidenciar uma das logomarcas do município, que referencia uma atividade que catapultou Valongo para o mundo com os seus aromas e sabores ancestrais, conseguidos através do árduo trabalho da população local, e que ainda hoje desperta os cinco sentidos.

O percurso segue em direção à movimentada EN15 (Rua de São Simão), eixo de ligação Porto a Vila Real, atualmente menos fustigada pelo transito graças à construção da A4. Atravessamos com cuidado a EN15 em direção ao edifício do Museu e Arquivo Histórico Municipal. Edifício mandado construir por Bernardo Martins da Nova, nos inícios do séc. XIX, com capela dedicada a S. Bruno. Com a elevação de Valongo a Concelho em 1836, nele foi instalada, no ano seguinte, a sede da Câmara, deixando de ter essa utilidade em 1989. Pelo seu valor histórico e arquitetónico foi remodelado, de modo a torná-lo apto para a instalação do Museu Municipal e Arquivo Histórico. A inauguração ocorreu a 1 de junho de 2001.

Seguimos pela Rua Padre Joaquim Lopes dos Reis para logo virar à esquerda. ATENÇÃO que o caminho não é evidente, segue em direção à zona de cargas e descargas do supermercado Pingo Doce. Entramos num passadiço que acompanha a Ribeira Simão até ao Parque da Cidade. Atravessa a zona urbana central da cidade e dirige-se agora para uma paisagem natural fascinadora em meio florestal.

No Parque da Cidade atravesse o Rio Simão, rumo ao Sitio Rede Natura 2000, classificado pelo seu interesse biológico. O percurso pedonal em meio florestal contempla duas vertentes: a rural, passando por áreas agrícolas que praticamente delimitam a transição entre o espaço urbano e natural; e a florestal, entrando em pleno Sítio Rede Natura 2000, que apresenta diferentes tipos de coberto vegetal.

Passamos por um típico Lavadouro, local onde habitualmente as mulheres iam lavar a roupa antes de haver água canalizada e máquinas. Dado o tempo que cada uma demorava a cumprir a sua tarefa, esse mesmo tempo era passado em amena conversa, "lavagem de roupa" e troca de conhecimentos e informações. Embora atualmente ainda sejam muito utilizados, estão gradualmente a transformar-se em elementos turísticos e históricos.

Uma subida dá as boas-vindas à vertente florestal do percurso, podendo ser observados vários exemplares de carvalho-alvarinho e sobreiro a ladear o caminho. Agora percorremos o Sítio Rede Natura 2000 ao longo do Rio Simão, passamos por um Fojo Romano, testemunho da presença romana na região, e descemos à Ponte da Azenha que convida à despedida do Rio Simão, que desagua no Ferreira já na próxima curva do caminho, onde estão presentes os Moinhos do Cuco, em laboração ate ao final de 2005.



Agora seguimos a Rua de Couce, onde temos um Panorama do Rio Ferreira que surge de montante, demonstrando a bravura com que conseguiu rasgar as cristas quartzíticas que recortam o horizonte. Olhando com atenção para a outra margem do rio vê-se uma dobra, um dos muitos testemunhos do passado geológico das Serras.

Continuamos ao longo do rio, sempre com a Serra de Pias na margem esquerda e a Serra de Santa Justa erguendo-se na margem direita. Vão-se vendo vários moinhos ao longo do rio, um legado dos tempos em que Valongo era um importante núcleo de panificação.

Seguimos a rua calcetada de Couce até uma bifurcação com indicação de caminho sem saída, seguimos por este, no antigo acesso a Couce. Na próxima bifurcação seguimos pelo caminho de cima, que se faz em grande parte por caminho estreito a meia encosta, onde passavam os carros de bois. Ainda se pode ver as marcas existentes em certas rochas no chão, que correspondem ao rodado dos carros de bois.

No Miradouro Natural observa-se os amontoados de pedra existentes em Pias, têm o nome de escombreiras e resultam da acumulação de material durante as explorações mineiras.

À medida que progredimos o vale vai-se abrindo, e em breve avista-se a aldeia de Couce. O vale de Couce é uma zona que mantém condições propicias à biodiversidade, podendo-se encontrar diversos exemplos de árvores autóctones, como o carvalho-alvarinho, o sobreiro, o amieiro ou o freixo.

Entramos em Couce, povoado de origens remotas, composto essencialmente por casas em xisto onde se mantém vivas as tradições como a agricultura, a pastorícia e a apicultura. Couce foi recentemente alvo de requalificação, destacando-se o empedramento dos caminhos interiores da aldeia e a colocação de iluminação publica.



Atravessamos a aldeia de Couce e seguimos pelo caminho que desce até à Ponte de Couce sobre o Rio Ferreira, para uma das paisagens mais bonitas das Serras. Entramos na Serra de Pias, seguimos pelo caminho florestal da esquerda e acompanhamos a outra margem do Rio Ferreira. A intensa exploração de eucalipto também é um ponto a observar, aproveitando-se para refletir no impacto das atividades do Homem nos ecossistemas naturais.

Seguimos por caminho de pé posto e pouco depois chegamos ao local previsto para a construção de uma nova travessia sobre o Rio Ferreira, que apesar de não sabermos com exatidão o local, assinalamos com o waypoint Travessia Prevista. Esta infraestrutura, de uso exclusivamente pedonal, permitirá a ligação entre as Serras de Pias e Santa Justa e proporcionará diversas alternativas de percurso, com diferentes extensões, criando condições para a obtenção de novos ângulos visuais e oferecendo também novas emoções e sensações

Enquanto não é construída a travessia sobre o Rio Ferreira a solução é fazer o regresso no sentido inverso até ao ponto de partida, no Parque da Juventude, ou continuar pelo Trilho do Castelo até voltar a intersetar o Corredor Ecológico na Ponte da Azenha e aí fazer o itinerário no sentido inverso até ao Parque da Juventude, em Valongo, tornando o percurso em laço. Aconselhamos esta última opção.

Continuamos a meia encosta pelo caminho de pé posto ao longo da margem esquerda do Rio Ferreira. As panorâmicas são magnificas, demonstrando a bravura com que o rio conseguiu rasgar as cristas quartzíticas. Olhando com atenção para a outra margem do rio temos o primeiro Panorama da Fraga do Castelo, onde é frequente ver escaladores nas suas ingremes rochas.

Ao km 8,9 o trilho vira acentuadamente à esquerda em direção ao rio e à Ponte Suspensa sobre o Rio Ferreira que nos leva para a margem direita. A estrutura de cabos de aço e de madeira cria condições para novos ângulos visuais e oferece também novas emoções e sensações. Agora, acompanhamos a margem direita do rio até à base da Fraga do Castelo. Aqui, encontramos umas ruínas de moinhos e um local privilegiado para apreciar os rápidos do rio demonstrando a bravura com que conseguiu rasgar as cristas quartzíticas.

Segue-se um pequeno troço mais íngreme e onde poderá ser necessário o apoio das mãos para subir em segurança a encosta. Estamos na zona da Queiva, aqui observamos a Fraga do Castelo, os mais corajosos podem subir à Fraga do Castelo e contemplar as magnificas panorâmicas do Rio Ferreira. A Fraga do Castelo é uma zona de escalada desportiva, integrada no Centro de Escalada de Valongo e oferece desafios e condições únicas aos praticantes desta modalidade.



Acima da Fraga do Castelo passamos por uma Mina Romana que está sinalizada e vedada para evitar perigo de queda no poço. Continuamos por caminho de pé posto e pouco depois atingimos o ponto mais alto do percurso e começamos a descer novamente em direção ao Lugar da Azenha. Seguimos por terreno de xistos ardosíferos (vulgarmente conhecidos por ardósia), que se caracterizam pela sua cor negra e pela sua granulometria muito fina e homogénea. O caminho de pé posto termina numa estrutura metálica, com alguns degraus, que nos leva à estrada alcatroada. Seguimos à esquerda, em direção à Ponte da Azenha sobre o Rio Simão, onde intersetamos novamente o Corredor Ecológico. Agora é só fazer o percurso em sentido inverso até ao ponto de partida e termino deste trilho, no Parque da Juventude, em Valongo. O Largo do Centenário, com diversas ofertas na área da restauração, será um bom ponto para uma última pausa…


FICHA TÉCNICA
Realização: março de 2021
Percurso: Parque da Juventude (Valongo) - Largo do centenário - Parque da Cidade - Lugar da Azenha - Aldeia de Couce - Serra de Pias - Ponte Suspensa - Fraga do Castelo (Zona do Queiva) - Lugar da Azenha - Parque da Cidade - Largo do Centenário - Parque da Juventude (Valongo)
Distancia: 16,4 km (ida e volta)
Duração: 3h49min
Tempo em movimento: 3h26min
Tempo parado: 0h23min
Movimento médio: 4,6km/h
Acumulado positivo: 356m
Acumulado negativo: 357m



TRILHOS JÁ REALIZADOS NO PARQUE DAS SERRAS DO PORTO

MUNICÍPIO DE GONDOMAR
TRILHO DA SERRA DO CASTIÇAL
TRILHO DO VOLFRÂMIO - SERRA DAS FLORES
TRILHO DA CARQUEJA - SERRA DAS BANJAS
TRILHO DE BELÓI - ALTO DA PENECA

MUNICÍPIO DE PAREDES
TRILHO HISTÓRICO - SERRA DE SANTA IRIA
TRILHO DO VALE DO TORNO - SERRA DO CASTIÇAL
TRILHO DA RIBEIRA DE SANTA COMBA
TRILHO DE ALVRE
TRILHO DOS MOINHOS
TRILHO DE PIAS E CASTIÇAL
TRILHO DO MEL E DO OURO ROMANO
TRILHO DAS ALDEIAS
TRILHO DO VALE DE AGUIAR

MUNICÍPIO DE VALONGO
TRILHO DOS ROMANOS
TRILHO PORTO À VISTA
TRILHO DA RIBEIRA DE SILVEIRINHOS
TRILHO DO CASTELO
TRILHO DE PIAS
CORREDOR ECOLÓGICO





Se gosta das nossas trilhas adiciona a tua avaliação no final da página.
Obrigado pelo seu comentário e avaliação.

Si te gusta nuestras rutas haz tu propia valoración al final de la página.
Gracias por tu comentario y valoración.

If you like our trails, leave your own review at the end of the page.
Thank you for your comment and review.

A equipa Caminhantes
Waypoint

INICIO/FIM (PARQUE DA JUVENTUDE)

Waypoint

RIBEIRA SIMÃO

Waypoint

LARGO DO CENTENÁRIO

Waypoint

OFICINA DA REGUEIFA E DO BISCOITO

Waypoint

MUSEU E ARQUIVO HISTÓRICO MUNICIPAL

Waypoint

PARQUE DA CIDADE

Waypoint

LAVADOURO COMUNITÁRIO

Waypoint

RIBEIRO

Waypoint

RIO SIMÃO

Waypoint

FOJO ROMANO

Waypoint

PONTE DA AZENHA

Waypoint

MOINHOS DO CUCO

Waypoint

PANORAMA RIO FERREIRA

Waypoint

MIRADOURO NATURAL

Waypoint

ALDEIA DE COUCE

Waypoint

PONTE DE COUCE

Waypoint

RIO FERREIRA

Waypoint

TRAVESSIA PREVISTA(?)

Waypoint

PASSADIÇO MADEIRA

Waypoint

PANORAMA FRAGA DO CASTELO

Waypoint

PONTE SUSPENSA

Waypoint

FRAGA DO CASTELO

Waypoint

MINA ROMANA

6 comentários

  • Foto de Papero & Molly.

    Papero & Molly. 18/abr/2021

    Bonita ruta y fantásticas fotos.

  • Foto de Caminhantes

    Caminhantes 18/abr/2021

    Hola Paletó & Molly!
    Gracias por tu comentario y valoración.
    Saludos.

  • Foto de MarcosOliveira

    MarcosOliveira 4/mai/2021

    Eu fiz esta trilha  Ver mais

    Bom passeio

  • Foto de Caminhantes

    Caminhantes 4/mai/2021

    Olá Marcos Oliveira!
    Obrigado pelo comentário e avaliação da trilha. Saudações.

  • Foto de Ivan Geraldes

    Ivan Geraldes 8/mai/2021

    Muito bem descrito e tudo detalhado de maneira eficaz. Tomamos a liberdade de alterar alguns percursos e fazer mais uma ou outra subida, pois os trilhos estão todos muito bem sinalizado. Muito obrigado por esta trilha!

  • Foto de Ivan Geraldes

    Ivan Geraldes 8/mai/2021

    Eu fiz esta trilha  verificado  Ver mais

    Muito bem descrito e tudo detalhado de maneira eficaz. Tomamos a liberdade de alterar alguns percursos e fazer mais uma ou outra subida, pois os trilhos estão todos muito bem sinalizado. Muito obrigado por esta trilha!

Você pode ou esta trilha