Coordenadas 403

Enviada em 22 de Maio de 2016

Registrada em Abril 2016

  • Avaliação

     
  • Informações

     
  • Fácil de fazer

     
  • Paisagem

     
-
-
952 m
752 m
0
1,0
2,0
4,08 km

Visualizado 3163 vezes, baixado 137 vezes

perto de Rio de Julio, Santa Catarina (Brazil)

DESCRIÇÃO:
Track ao cume do Castelo dos Bugres, formação rochosa peculiar localizada no topo de um morro da Serra do Piraí, a partir de borracharia e lanchonete na beira da SC-418.
É conhecido por ser palco de várias lendas locais, como a da Terra Oca (https://portal2013br.wordpress.com/2015/08/23/a-terra-oca-parte-final-aghartao-mundo-subterraneo/) e do "triângulo energético de Santa Catarina" (http://mirabelkrause.com.br/blog/?p=538), e principalmente pelas formações rochosas que supostamente eram a morada de "bugres" (designação local para os habitantes de etnias indígenas diversas da região).

TRILHA:
A trilha ao cume apresenta inclinação baixa no início mas a maior parte da trilha é de média inclinação. Trechos de inclinação mais alta são observados mais no final da trilha e arredores do cume. A trilha aparenta ter sido pouco/mal planejada, e localiza-se em um planalto muito encharcado, então em vários pontos é necessária a travessia de lamaçais e banhados, mesmo com clima seco. A trilha principal é marcada na primeira metade por placas de algum grupo religioso. A orientação não costuma ser problemática, não havendo trilhas secundárias, a não ser uma bifurcação próxima ao cume que leva a outra trilha de acesso.
ATENÇÃO: No cume, há dois pontos com cordas que podem ser utilizados para auxiliar na escalada de rochas que permitem visualização de panoramas. A exposição a altura e quedas é elevada, sendo recomendados equipamentos de segurança e/ou experiência de escalada em rocha.

BASE:
No começo da trilha, é possível estacionar em uma borracharia/bar locais, por cerca de 10,00 reais por veículo, com direito a banheiro e lanches (possivelmente somente nos fim de semana).

DIFICULDADE:
Considerando: trechos de inclinação baixa a alta; ponto de água confiável no último terço da subida; trechos de travessia de charcos e banhados; a sinalização pouca e/ou inexistente; a trilha principal bem marcada; número considerável de visitantes em fins de semana; classifico esta trilha como MODERADA (com clima favorável).
*Esta classificação prioriza a dificuldade técnica, não levando em conta o esforço físico individual.


CONHEÇA PARA PRESERVAR:
Os ambientes naturais são patrimônio de todos, e quaisquer atividades realizadas neles apresentam uma série de riscos. Aproveite-os com responsabilidade:
0- Procure sempre ir acompanhado de alguém que conheça a trilha e região, e deixe pessoas avisadas em casa sobre seu destino e horário previsto de retorno.
1- Traga de volta todo o lixo produzido (inclusive biodegradável) e destiná-lo corretamente;
2- Evite provocar incêndios – não faça fogueiras; não jogue fora pontas de cigarros e
cacos de vidro;
3- Não colete plantas (mudas, sementes ou flores secas), animais, rochas ou cristais;
4- Não moleste animais silvestres; não ofereca ou deixar restos de alimentos e não pesque;
5- Evite fazer barulhos desnecessários; não use aparelhos de som;
6- Ande sempre nas trilhas habituais, evitando a erosão em trilhas alternativas;
7- Não deixe marcas em troncos e pedras;
8- Evite desmoronamentos ao entrar e sair de rios, não jogue nada neles;
9- Não entre acompanhado de animais de estimação
10- Não leve bebidas alcoólicas, explosivos, fogos ou armas de fogo ou de
pressão;
11- Não faça uso de sabonetes e shampoos ao entrar nas águas;
12- Tome cuidado com animais peçonhentos, como cobras, aranhas e escorpiões;
13- Em caso de raios evite árvores isoladas e locais encharcados;
14- Muita atenção ao horário de retorno (variável de acordo com a estação), leve SEMPRE lanterna e baterias sobressalentes.
15- Lembre-se: em ambientes naturais há riscos de diversos acidentes e a fadiga pode favorecê-los. Boa parte dos acidentes ocorrem no retorno (70%), leve sempre consigo um kit de primeiros socorros, apito, e celular desligado (preserva a bateria);
16- Ao atravessar ou banhar-se em rios e cachoeiras tenha consciência que os mesmos podem subir repentinamente. Isso pode gerar situações perigosas, ilhando ou até arrastando as pessoas. Mesmo não chovendo no local, chuvas a acima podem provocar cheias, conhecidas por trombas d’água;
17- Atenção com a viração, nevoeiro repentino que ocorre principalmente em ambientes montanhosos, e que reduz fortemente a visibilidade.
(adaptado de "Termo de Responsabilidade - PARNA Aparados da Serra")

Para mais informações, recomendo leitura:
http://www.mochileiros.com/trilha-castelo-dos-bugres-sc-c-fotos-t98965.html
Lago

Banhado

Área encharcada
Interseção

Bifurcacao

Intersecção com trilha secundária que também leva a SC-301
Queda de água

Cachoeira dos Bugres

Queda d´água localizada próxima ao início da trilha
Sítio arqueológico

Castelo dos Bugres

Arredores do cume. Recomendado explorar com paciência as fendas e grutas da região. Pontos de interesse: -2 pedras para escalada e visualização de panoramas -Fenda em gruta que dá acesso a pontos de rapel e escalada, e ao "salão dos bugres".
Caverna

Gruta 'da onça'

Pequena gruta encontrada no caminho da subida
Caverna

Gruta para Salão dos Bugres

Gruta nos arredores do cume que dá acesso ao "Salão dos Bugres".
Rio

Última água

Último ponto de água confiável antes do cume

4 comentários

  • madugaich 3/nov/2016

    Eu fiz esta trilha  Ver mais

    O caminho é muito bonito e no último terço o percurso fica mais ingrime e difícil . Tinha bastante lama.

  • Foto de gonpris

    gonpris 26/fev/2018

    Boa trilha de um dia para fazer num final de semana e curtir a serra dona Francisca.

  • Foto de gonpris

    gonpris 26/fev/2018

    Eu fiz esta trilha  verificado  Ver mais

    Boa trilha de um dia para fazer num final de semana e curtir a serra dona Francisca.

  • juliovasel 15/abr/2019

    Eu fiz esta trilha  Ver mais

    Trilha bem demarcada, fácil acesso, estacionamento próximo e visual muito bonito.

Você pode ou esta trilha